5 práticas para um gerenciamento financeiro nota 10!

Abrir e manter uma empresa requerem diversas práticas e habilidades: análise e pesquisa de mercado, demanda e procura do serviço e/ou produtos oferecidos, equipe qualificada. Dentre essas necessidades, o controle e gerenciamento financeiro é, sem dúvidas, o mais importante. A análise constante das finanças é fundamental para manter a saúde econômica da empresa. Com planejamento e controle dos gastos, o empresário saberá a melhor maneira de gerir sua empresa para que ela se mantenha competitiva no mercado.

 

Investir na organização das finanças evitará surpresas e dificuldades de gestão. E para atingir o planejamento ideal, algumas práticas devem ser adotadas. Confira:

  1. Compreenda a real situação da empresa
    O primeiro passo para iniciar o planejamento perfeito é analisar o atual cenário financeiro da empresa. Uma boa estratégia é anotar os pontos negativos e positivos e compará-los à situação do mercado no qual atua. É necessário estar atento ao processo produtivo da empresa e aos gastos necessários para colocar o produto ou serviço à venda.Atualmente existem diversas ferramentas, softwares e aplicativos de gestão – gratuitos e pagos – que podem auxiliar no monitoramento do processo produtivo. Desta forma, será possível visualizar os recursos que poderão ser mantidos e quais deverão ser cortados para garantir a estabilidade comercial.
  2. Separe a pessoa física da jurídica
    Confundir as finanças pessoais com as da empresa pode trazer consequências desastrosas. Agindo desta forma, chegará um momento que será praticamente impossível analisar os resultados financeiros. Algumas ações simples podem evitar esse cenário, como ter contas correntes separadas para gastos pessoais e da empresa. Além de ser vantajoso por não misturar as receitas, muitos bancos disponibilizam produtos exclusivos para pessoas jurídicas, como linhas de crédito e serviços de cobrança.Outra dica é o empresário definir para si um valor fixo de retirada mensal, como um salário. Evite retirar da empresa valores acima do já determinado no pró-labore para que não haja interferência no caixa. Essa prática evita rombos nas finanças e dificuldades que afetarão o futuro da empresa.
  3. Planeje e esteja pronto para o futuro
    Todas as decisões apresentam certo grau de risco. Isso porque as circunstâncias podem mudar a qualquer momento, levando ao imprevisto. Entretanto, esses riscos podem ser minimizados com uma gestão financeira de qualidade. Para isso é importante que sejam feitas projeções sobre os cenários possíveis em um período de, pelo menos, um ano. Com todos os dados financeiros em mãos, é possível prever o ciclo operacional da empresa e as flutuações de mercado que podem impactar desde o recebimento de um produto ou serviço até a entrega final ao cliente. Definindo com antecedência o valor das despesas que são geradas em cada etapa, será possível prever os gastos e adaptar a receita disponível.
  4. Fique atento ao estoque
    Manter o giro de mercadorias é essencial para manter as finanças sobre controle. Estoques muito cheios geram custos e as mercadorias correm o risco de vencer ou ficarem obsoletas. Por outro lado, estoques insuficientes são prejudiciais para o andamento do negócio. Portanto, para garantir que as vendas e lucros cresçam, armazene os itens no volume correto para o fluxo da empresa.Os fornecedores devem ser aliados nesse processo. Trabalhe com eles de forma que atenda as quantidades mínimas e máximas de reposição. E para que a saúde financeira da sua empresa seja reforçada, negocie prazos que permitam um caixa saudável, mesmo entre os períodos de reabastecimento.Em caso de estoque sobressalente, uma opção viável é organizar promoções. Além de circular a mercadoria parada, essa prática atrai novos clientes ao negócio.
  5. Cuidado com empréstimos
    Recorrer a empréstimos para cobrir folhas de pagamentos e reposição de estoque pode arruinar a saúde financeira da sua empresa. O ideal é que o planejamento permita que todos os custos sejam geridos com as receitas da empresa, evitando os juros que podem devastar o negócio.Mas se o empréstimo for imprescindível, como em casos de reforma ou expansão, calcule o tempo de retorno da verba a ser investida e procure por agências com os melhores planos de pagamentos e taxas mais baixas. Desta forma, serão evitados gastos exacerbados e que não poderão ser reparados a curto e médio prazo.

Adotando essas práticas, com certeza o planejamento financeiro da sua empresa será um sucesso!