7 Formas de diminuir gastos em Recursos Humanos

Publicado em 10 de setembro de 2015
Empreendedorismo, Escritórios Virtuais, Produtividade
Por:
diminuir gastos em Recursos Humanos
Fonte:

Diminuir gastos em Recursos Humanos é sempre um desafio. Isso porque a gestão de pessoas é uma área muito sensível e importante nas organizações, tornando-se assunto estratégico dentro de qualquer empresa. Em geral, pessoas são responsáveis por gerenciar, controlar, executar tarefas e processos. Sendo assim, o sucesso de qualquer organização e empresa está diretamente ligado com o sucesso e investimento nestas pessoas.

Por isso, o trabalho eficiente na gestão não só garante o sucesso no futuro da empresa, como também pode ser papel importante para diminuir gastos em Recursos Humanos.

Neste artigo, continuaremos com algumas dicas de como otimizar despesas, confira abaixo!  

Dicas práticas: como diminuir gastos em Recursos Humanos

 Por onde começar na importante missão de diminuir gastos em Recursos Humanos, porém sem prejudicar o clima organizacional e a satisfação dos colaboradores? Nos tópicos a seguir, você encontra algumas respostas e caminhos!

1.Avalie a jornada de trabalho

O bom aproveitamento da jornada de trabalho pode reduzir o tempo laboral do funcionário na empresa. É vantagem para a organização, que pode economizar com horas extras, contas de água e luz, e também para o colaborador, que naturalmente terá mais qualidade de vida.

Outra dica é orientar os funcionários a não acessar redes sociais durante o período de trabalho e a conscientizá-los sobre pausas desnecessárias. Em vez de se trabalhar por muitas horas, é possível que se faça um período mais compacto e eficiente, de acordo com a atividade da empresa. Afinal, aumentar a produtividade dos colaboradores é também uma forma de diminuir gastos em Recursos Humanos a longo prazo.

2. Saiba o preço de uma demissão

Antecipe-se sobre demissões de funcionários, colocando no papel todos os custos das rescisões. É preciso estar claro que, a isso, somam-se todos os gastos com novas contratações e treinamento dos novos colaboradores. Se a meta for substituir empregados mais experientes por jovens promessas, também é necessário considerar todo o período que eles levarão até chegar ao nível de expertise dos que foram demitidos. “Caso não haja um registro eficiente dos processos, aqueles que deixarem a empresa poderão levar embora todo o conhecimento construído durante anos”, diz Yolanda Castro, psicóloga especialista em RH e gestão de pessoas.

3. Banco de Horas

Uma boa opção de economia sobre as horas extras é registrar o tempo extra de trabalho através do chamado banco de horas. O funcionário pode aproveitar para utilizar as horas trabalhadas a mais, compensando-as com folgas em emendas de feriados, por exemplo, ou até mesmo férias mais longas. No entanto, a empresa é obrigada a realizar esta compensação no ano corrente. Caso contrário, é necessário remunerar o empregado pelas horas extras trabalhadas, alerta Tiago Neves, Advogado especialista em Direito do Trabalho.

4. Terceirização de mão de obra

A terceirização é uma das formas de diminuir gastos em Recursos Humanos, porém é preciso muito cuidado para que suas funções não sejam a atividade fim da empresa, afirma Saulo Da Rós, CEO da SMART Escritórios Inteligentes.

“Nós hoje terceirizamos os serviços de limpeza e conservação, pois além de o padrão do serviço ser elevado em qualquer tipo de ambiente ou circunstância, no caso de falta ou férias da profissional, a empresa terceirizada se responsabiliza pela reposição imediata por outra profissional e não ficamos sem a prestação deste serviço essencial para o dia-a-dia. No entanto, não optamos pela terceirização de nossas recepcionistas, sendo que, o atendimento feito por elas aos nossos clientes e aos clientes deles, é o nosso principal ativo e diferencial no mercado que deve ser treinado, zelado e avaliado constantemente por nós e de acordo com nossa filosofia”.

Também existem os casos dos profissionais contratados esporadicamente, como os especialistas em seleção e recrutamento, que não necessariamente precisam fazer parte do quadro fixo e podem ser requisitados somente quando necessário. Se alguns destes profissionais forem contratados com muita constância, aí sim deve-se avaliar uma possível efetivação para a função, como forma de economia.

5. Ofereça férias coletivas

Caso surjam necessidades ou se já existem períodos no ano em que sua produção ou movimento reduzem consideravelmente, considere a possibilidade de ceder férias coletivas aos colaboradores. A sazonalidade é uma das razões para tal atitude. Desta forma, a empresa economizará, pelo menos, com gastos de manutenção da infraestrutura, luz e água. Ainda existe a possibilidade de se descontar ou não das férias normais dos funcionários, o que pode gerar economia também nos quesitos salário e banco de horas.

6. Defina os processos

Muitas vezes ao realizar o diagnóstico de seus negócios, os empresários se deparam com processos desencontrados e falhas de comunicação entre a equipe. Muitos colaboradores concentrando-se apenas em seus próprios departamentos, e o fluxo de trabalho muitas vezes empaca na dependência de apenas uma pessoa. Com definição dos processos, treinamento e engajamento da equipe em todos eles, a troca de parte do pessoal e a reciclagem de outros, é possível otimizar o tempo, aumentar qualidade e delinear todo o fluxo para o foco do negócio, o que naturalmente reduzirá o custo da operação.

7. Tenha zelo ao contratar

A forma como uma empresa contrata seus funcionários deve sempre ser escolhida com muito cuidado, a fim de evitar gastos inesperados com multas e processos judiciais trabalhistas. O “jeitinho” deve sempre ser tratado com cautela na escolha de um contrato eventual, carteira assinada, micro empreendedor individual, dentre outros. Às vezes, o que se economiza em impostos hoje, lá na frente poderá ser cobrado em dobro pela justiça do trabalho. Verifique desde já como sua organização lida com este assunto e se foram escolhidas as formas corretas. Consultar seu contador e um bom advogado trabalhista pode ser hoje um investimento que o fará economizar amanhã.

Saulo da Ros

Saulo da Rós é CEO da Smart Escritório Inteligentes. Especialista em gestão e finanças,tem mais de 10 anos de experiência em empreendedorismo. Siga-me no Instagram.
Saulo da Ros