Categorias
Empreendedorismo Produtividade

Psicologia Positiva + Empresas = Sucesso

Primeiramente vamos entender do que a psicologia positiva trata.

Ao contrário da psicologia tradicional, que se foca no estudo e tratamento de distúrbios como a depressão e ansiedade, a psicologia positiva tem como objetivo compreender a ciência e a anatomia da felicidade. Em outras palavras, ela busca muito mais promover qualidade de vida para as pessoas do que reparar os problemas que surgem em nosso cotidiano.

Felicidade, para muitos, pode parecer algo subjetivo, de cada pessoa em especifico, mas a psicologia positiva trata essa palavra como algo muito maior. Felicidade segundo a palestrante, Carla Furtado, é o mesmo que “bem-estar”, é seguir um cotidiano de vida e rotina na qual tenhamos momentos de satisfação. É algo que deve ser cultivado diariamente, com bom humor, otimismo e gentileza.

Empresas são organismos vivos, são feitas de pessoas e é essencial que quem move as empresas esteja disposto a fazer sua função. Não só o sucesso da empresa é alcançado com funcionários felizes, mas uma melhor saúde mental é alcançada por essas pessoas. Já foi o tempo em que os funcionários buscavam apenas altos salários para permanecer em uma empresa. Mais do que dinheiro para pagar as contas, eles querem qualidade de vida e um espaço de trabalho mais aconchegante e interessante. Pesquisas indicam que funcionários motivados e felizes desempenham melhor seu trabalho, trazendo um impacto positivo para as finanças, tanto em questões de corte de gastos com faltas, licenças e doenças laborais, quanto em questões de crescimento na produtividade.

Para garantir o sucesso de seus funcionários aliado ao sucesso de sua empresa, a Smart Escritórios Inteligentes indica que você e sua empresa entre em contato com a palestrante Carla Furtado, que se utiliza de nossos escritórios para aplicar a psicologia positiva para empresas.
Contate através do site: http://carlafurtado.com.br/
Ou ligue para a Smart Escritórios Inteligentes: (061) 3221-1000.

Categorias
Empreendedorismo

PALESTRA NO BRASÍLIA SHOPPING DISCUTE O ATUAL CONCEITO DE FELICIDADE

Em 2012, as Nações Unidas instituíram o International Day of Happiness, celebrado anualmente em 20 de março. Reconhecido como Novo Paradigma Econômico, o tema resulta da experiência do Butão, que desde a década de 1970 mensura o índice de Felicidade Interna Bruta (FIB). “Não é à toa que felicidade tornou-se assunto recorrente na mídia, nos debates sociais e no ambiente corporativo. Com a nova compreensão de desenvolvimento e com os avanços da Psicologia Positiva, está claro que o bem-estar humano é o único caminho para a evolução”, destaca a jornalista e palestrante Carla Furtado, que comanda o encontro aberto sobre o tema, no auditório do Brasília Shopping dia 22 de setembro.

“Convido o público a compreender o real conceito de Felicidade e assumir a posição de autor e protagonista da grande narrativa que é a existência humana”, antecipa Carla. E não é só isso, o evento é um marco na transição de carreira da própria palestrante, que em 2014 encerrou as atividades de sua empresa de comunicação, após 15 anos bem-sucedidos, em nome de um estilo de vida mais simples, flexível e, por que não dizer, feliz.

Carla, palestra nas áreas de Comunicação, Comportamento, Atendimento e Humanização em Saúde e, como membro da International Positive Psychology Association (IPPA), tem entre os principais temas abordados a Felicidade. É colunista da edição brasileira do The Huffington Post (Brasil Post – Editora Abril) e do portal Vivo Mais Saudável. Dedica-se também à plataforma The Flying Carpet Project (Rede de Blogs do Portal M de Mulher – Editora Abril). Integra o elenco de palestrantes da Global (SP). O evento recebe o apoio do Brasília Shopping, da Smart Escritórios Inteligentes e da Rádio Executiva FM.

Serviço:

O que: Palestra “Um Projeto Chamado Felicidade”
Onde: Brasília Shopping (Auditório)
Endereço: SCN – Quadra 05, Bloco A, S/N – Asa Norte, Brasília
Data: 22 de setembro
Hora: 19h
Preço: Entrada franca, sujeito à lotação do espaço

Informações para Imprensa:

NA Comunicação e Marketing
Fone: (11) 3032-1877

Marcio Ribeiro
E-mail: marcio@nancyassad.com.br
Fone: (11) 99426-8043

Rômulo Pontes
E-mail: romulo@nancyassad.com.br

Categorias
Empreendedorismo Escritórios Produtividade

10 Formas de diminuir seus gastos em infraestrutura

Chegamos a uma das questões mais amplas dentro de uma empresa, sua infraestrutura. Como a própria palavra indica, o interior de uma estrutura é sempre importante, é ele que sustenta toda a estrutura do negócio e faz com que as coisas funcionem do melhor jeito possível. O ponto é que os gastos em infraestrutura, se mal planejados, podem interferir, e muito, nos gastos de uma empresa.

As empresas muitas vezes não pensam em infraestrutura por que acreditam ser um detalhe luxuoso demais para pequenas e médias empresas. Porém, infraestrutura não é um luxo, mas sim uma necessidade essencial. Se você não prepara o terreno da sua empresa, não vai conseguir colher os frutos que espera colher. É importante que sua empresa cresça com qualidade para que o dia a dia dela seja produtivo e projete sempre o crescimento de seus negócios.

Por isso, neste artigo, daremos dicas importantes para reduzir os gastos em infraestrutura, mesmo que sua organização não seja um mega negócio. Confira!

10 dicas essenciais para otimizar gastos em infraestrutura

Na hora de otimizar seus gastos em infraestrutura, é preciso ter cautela e agir onde não haja prejuízo para operação. Veja abaixo 10 caminhos essenciais para você começar!

1) CALCULE OS DETALHES

Muitos itens, quando isolados, parecem não representar um custo muito elevado, porém quando considerada a soma dos mesmos, podem pesar muito no departamento financeiro da empresa. Desde sua inauguração, as empresas podem e devem passar por diversas mudanças neste sentido. Por exemplo, uma cafeteira sofisticada, com sachês que podem custar R$ 130 por mês, pode ser trocada pelo clássico sistema de coador, açúcar em pote e adoçante líquido, e o gasto, ser reduzido aproximadamente 70%. No quesito material de limpeza, o conselho é fugir de supermercados e passar a pesquisar por compras de grande quantidade em distribuidores. De material de escritório a todos os bens e insumos da empresa, estes detalhes devem ser sempre calculados.

2) REDUZA A FROTA DE VEÍCULOS

Utilizar muitos carros na empresa gera muitos custos com manutenção, seguro, IPVA, cuidados e depreciação. Examine a possibilidade de utilizar veículos alugados ou até mesmo com uma frota administrada por uma empresa terceirizada, que se encarregará de toda a manutenção e das demais necessidades. O leasing também é uma opção, aonde se paga apenas quando o carro é utilizado e é possível adquiri-lo ao final do contrato.

3) FAÇA UMA ANÁLISE DE SUA TELEFONIA

Após averiguar que seu custo com telefonia estava muito elevado, Saulo Tasso Freire, sócio-diretor da Casa de Mulateiro, contratou um software que, quando conectado à sua central telefônica, tem o registro de quais funcionários mais utilizam o telefone e quais os clientes que demandam mais ligações. Desta forma, foi implantado um novo programa de conscientização e foi alcançada uma economia de mais de 40% na conta telefônica. Outra forma de diminuir este gasto é entrar em contato com a operadora para negociar um pacote mais ajustado ao perfil de uso da empresa. Acredite, quando se fala em telefonia, sempre há uma forma de se economizar mais um pouco. Seja com voip, pacotes diferenciados, combos de telefonia móvel. Geralmente este estudo de economia não falha.

4) REDUZA PERDAS NA PRODUÇÃO

Para economizar no processo produtivo, minimize as perdas. Além de investir em máquinas mais modernas, é preciso conscientizar e qualificar os profissionais da linha de produção. A alta rotatividade dos funcionários colabora para a perda de qualidade de produtos de maior valor agregado, destaca Fernando Macedo, CEO Brasil da Expense Reduction Analysts.

5) INVISTA EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS

Quando as máquinas da empresa estão defasadas ou lentas demais, geram gastos com manutenção e com horas extras dos funcionários. “Muitas vezes, vale a pena considerar um financiamento para adquirir equipamentos novos”, diz Dariane Castanheira, do ProCED/FIA. Os bancos oferecem linhas de crédito subsidiadas, como o Finame.

6) OTIMIZE O GASTO COM ENERGIA

O gasto com energia elétrica pode ser reduzido a partir de mudanças na estrutura da empresa, nos equipamentos e nos hábitos. Na sede da OQVestir, para aproveitar melhor a luz natural, foram abertas duas janelas. As luminárias velhas foram trocadas por modelos que usam lâmpadas mais eficientes e têm espelhos para refletir a luz. A geladeira foi substituída por uma que gasta menos energia. Além disso, os funcionários são orientados a desligar a luz quando saem de um ambiente. A economia tem sido de R$ 60 mensais, mesmo com a chegada do verão, quando o ar-condicionado fica ligado constantemente.

7) REAVALIE A LOGÍSTICA

O transporte de funcionários e o serviço de entrega de materiais podem ser administrados por uma mesma empresa terceirizada. Assim, o número de viagens é otimizado e o gasto reduzido. Essa foi a solução encontrada pela JR&M Assessoria Contábil para organizar a logística do negócio. Na FastFrame/Moldura na Hora, um dos três motoristas foi cortado, e a rede passou a utilizar mais os serviços de entrega de fornecedores. “Eles absorveram os custos”, afirma Rodrigo Pitangui Viegas, diretor da rede.

8)TERCEIRIZE A GESTÃO DOS PAGAMENTOS

Em empresas que há gastos em infraestrutura excessivos com combustível, uma solução é contratar um serviço de controle de frota. Essa foi a iniciativa da NGO, que presta serviços de assessoria e gerenciamento de risco. A firma costumava pagar o combustível quando o funcionário apresentava notas fiscais, mas se deparava com oscilação de custos e dificuldade para justificá-los aos clientes. Com a contratação do Ticket Car, os funcionários receberam cartões com créditos pré-definidos. A economia com combustível foi de 36%, segundo Daniel Cossi, diretor administrativo da NGO.

9) DIGITALIZE DOCUMENTOS

Para reduzir o consumo de suprimentos, como papel e toner de impressora, a JR&M Assessoria Contábil, incentiva à digitalização. “Temos muita emissão de relatórios, então adotamos o formato PDF”, afirma Arruda Filho. Há ainda um ganho em segurança, pois os documentos ficam em rede, e não só em um arquivo físico.

10) CONSIDERE A VENDA DE ATIVOS

Na hora de reduzir gastos em infraestrutura, empresas que são proprietárias de prédios podem vendê-los para, além de economizar com manutenção e impostos, colocar dinheiro no caixa. De acordo com Macedo, da Expense Reduction Analysts, esse capital extra pode ser investido para atualizar a linha de produção, por exemplo, o que tem impacto positivo direto no resultado.

Categorias
Empreendedorismo Escritórios Virtuais Produtividade

7 Formas de diminuir gastos em Recursos Humanos

Diminuir gastos em Recursos Humanos é sempre um desafio. Isso porque a gestão de pessoas é uma área muito sensível e importante nas organizações, tornando-se assunto estratégico dentro de qualquer empresa. Em geral, pessoas são responsáveis por gerenciar, controlar, executar tarefas e processos. Sendo assim, o sucesso de qualquer organização e empresa está diretamente ligado com o sucesso e investimento nestas pessoas.

Por isso, o trabalho eficiente na gestão não só garante o sucesso no futuro da empresa, como também pode ser papel importante para diminuir gastos em Recursos Humanos.

Neste artigo, continuaremos com algumas dicas de como otimizar despesas, confira abaixo!  

Dicas práticas: como diminuir gastos em Recursos Humanos

 Por onde começar na importante missão de diminuir gastos em Recursos Humanos, porém sem prejudicar o clima organizacional e a satisfação dos colaboradores? Nos tópicos a seguir, você encontra algumas respostas e caminhos!

1.Avalie a jornada de trabalho

O bom aproveitamento da jornada de trabalho pode reduzir o tempo laboral do funcionário na empresa. É vantagem para a organização, que pode economizar com horas extras, contas de água e luz, e também para o colaborador, que naturalmente terá mais qualidade de vida.

Outra dica é orientar os funcionários a não acessar redes sociais durante o período de trabalho e a conscientizá-los sobre pausas desnecessárias. Em vez de se trabalhar por muitas horas, é possível que se faça um período mais compacto e eficiente, de acordo com a atividade da empresa. Afinal, aumentar a produtividade dos colaboradores é também uma forma de diminuir gastos em Recursos Humanos a longo prazo.

2. Saiba o preço de uma demissão

Antecipe-se sobre demissões de funcionários, colocando no papel todos os custos das rescisões. É preciso estar claro que, a isso, somam-se todos os gastos com novas contratações e treinamento dos novos colaboradores. Se a meta for substituir empregados mais experientes por jovens promessas, também é necessário considerar todo o período que eles levarão até chegar ao nível de expertise dos que foram demitidos. “Caso não haja um registro eficiente dos processos, aqueles que deixarem a empresa poderão levar embora todo o conhecimento construído durante anos”, diz Yolanda Castro, psicóloga especialista em RH e gestão de pessoas.

3. Banco de Horas

Uma boa opção de economia sobre as horas extras é registrar o tempo extra de trabalho através do chamado banco de horas. O funcionário pode aproveitar para utilizar as horas trabalhadas a mais, compensando-as com folgas em emendas de feriados, por exemplo, ou até mesmo férias mais longas. No entanto, a empresa é obrigada a realizar esta compensação no ano corrente. Caso contrário, é necessário remunerar o empregado pelas horas extras trabalhadas, alerta Tiago Neves, Advogado especialista em Direito do Trabalho.

4. Terceirização de mão de obra

A terceirização é uma das formas de diminuir gastos em Recursos Humanos, porém é preciso muito cuidado para que suas funções não sejam a atividade fim da empresa, afirma Saulo Da Rós, CEO da SMART Escritórios Inteligentes.

“Nós hoje terceirizamos os serviços de limpeza e conservação, pois além de o padrão do serviço ser elevado em qualquer tipo de ambiente ou circunstância, no caso de falta ou férias da profissional, a empresa terceirizada se responsabiliza pela reposição imediata por outra profissional e não ficamos sem a prestação deste serviço essencial para o dia-a-dia. No entanto, não optamos pela terceirização de nossas recepcionistas, sendo que, o atendimento feito por elas aos nossos clientes e aos clientes deles, é o nosso principal ativo e diferencial no mercado que deve ser treinado, zelado e avaliado constantemente por nós e de acordo com nossa filosofia”.

Também existem os casos dos profissionais contratados esporadicamente, como os especialistas em seleção e recrutamento, que não necessariamente precisam fazer parte do quadro fixo e podem ser requisitados somente quando necessário. Se alguns destes profissionais forem contratados com muita constância, aí sim deve-se avaliar uma possível efetivação para a função, como forma de economia.

5. Ofereça férias coletivas

Caso surjam necessidades ou se já existem períodos no ano em que sua produção ou movimento reduzem consideravelmente, considere a possibilidade de ceder férias coletivas aos colaboradores. A sazonalidade é uma das razões para tal atitude. Desta forma, a empresa economizará, pelo menos, com gastos de manutenção da infraestrutura, luz e água. Ainda existe a possibilidade de se descontar ou não das férias normais dos funcionários, o que pode gerar economia também nos quesitos salário e banco de horas.

6. Defina os processos

Muitas vezes ao realizar o diagnóstico de seus negócios, os empresários se deparam com processos desencontrados e falhas de comunicação entre a equipe. Muitos colaboradores concentrando-se apenas em seus próprios departamentos, e o fluxo de trabalho muitas vezes empaca na dependência de apenas uma pessoa. Com definição dos processos, treinamento e engajamento da equipe em todos eles, a troca de parte do pessoal e a reciclagem de outros, é possível otimizar o tempo, aumentar qualidade e delinear todo o fluxo para o foco do negócio, o que naturalmente reduzirá o custo da operação.

7. Tenha zelo ao contratar

A forma como uma empresa contrata seus funcionários deve sempre ser escolhida com muito cuidado, a fim de evitar gastos inesperados com multas e processos judiciais trabalhistas. O “jeitinho” deve sempre ser tratado com cautela na escolha de um contrato eventual, carteira assinada, micro empreendedor individual, dentre outros. Às vezes, o que se economiza em impostos hoje, lá na frente poderá ser cobrado em dobro pela justiça do trabalho. Verifique desde já como sua organização lida com este assunto e se foram escolhidas as formas corretas. Consultar seu contador e um bom advogado trabalhista pode ser hoje um investimento que o fará economizar amanhã.

Categorias
Sem categoria

Saiba 4 formas de diminuir gastos com uma boa gestão estratégica

Neste artigo começaremos a compartilhar dicas e informações para a redução de custos em diversas áreas de seu negócio.

1)    TENHA CLAREZA DOS CUSTOS 

Muitas empresas só começam a cortar gastos quando estão em um momento de sufoco, geralmente sem uma avaliação prévia e acabam cortando recursos essenciais para os resultados da organização. Por isso, torna-se necessário ter clareza de todos os custos da empresa e um fácil acesso ao seu histórico, efetuando cortes apenas aos que menos interferem no lucro e na qualidade do serviço/produto.

Na SMART Escritórios Inteligentes, os diretores Saulo e Pedro Da Rós reúnem-se mensalmente com a Gerente de Operações Gislaine Dias e o departamento financeiro para verificar as despesas do mês anterior e reavaliá-las para o mês seguinte. “Cortamos tudo aquilo que não afetará a qualidade do nosso serviço, bem como, o que não comprometerá a produtividade e a qualidade de vida de nossos colaboradores”, afirma Saulo.

2) INCLUA A REDUÇÃO DE CUSTOS NAS METAS

Tenha em mente que, quanto menos gastar, mais ganhará. Quanto mais inteligentes forem seus investimentos, mais eficiente será sua empresa e interessante seu resultado. O planejamento estratégico de uma empresa deve incluir não somente o aumento das vendas em suas metas, mas também, as de redução de gastos, após feita a análise dos custos. Desta forma torna-se possível a definição dos caminhos que levem aos índices necessários e desejados.

3) ENGAJE SUA EQUIPE COM UMA GESTÃO ESTRATÉGICA 

Os colaboradores são peças-chave para que ocorra a redução de custos e a comunicação interna deve ser priorizada para que toda a equipe faça parte dessa causa, desde a limpeza à diretoria. Uma forma de tornar os cortes mais eficazes é envolver todo o quadro na definição das metas e utilizar parte da economia realizada como premiação ao time, assim que elas forem alcançadas. Essa estratégia faz parte da gestão estratégica e poderá ser utilizada na diminuição do consumo de itens como material de escritório, energia elétrica e manutenções em geral.

4) PRIORIZE O ATENDIMENTO AO CLIENTE 

Afinal, quem paga os salários dos colaboradores, os patrões ou os clientes? Esta resposta deve ser analisada com carinho.

O planejamento de redução de custos não pode desviar a atenção sobre a qualidade e eficiência do atendimento àqueles que são a fonte de recursos de uma empresa, para que os cortes não repercutam negativamente sobre eles. Uma pizzaria, por exemplo, que economiza com recheios mais baratos e também atendentes sem experiência pelo menor custo com salários, com certeza causará incômodo aos fregueses e, com isso, perderá vendas e clientes.