Categorias
Sem categoria

6 Formas de reduzir custos com finanças

O papel do administrador financeiro é assegurar que o capital da empresa esteja disponível nos montantes adequados, no momento certo e ao menor custo. Se isso não ocorrer, a empresa não sobreviverá. Por isso, para os novos empreendedores, é importante organizar um plano financeiro antes de abrir seu negócio.
As decisões financeiras, não devem ser tomadas isoladamente. O pessoal de finanças precisa trabalhar em conjunto com o pessoal de marketing e de operações. Deve não somente “dirigir os números”, mas também assimilar o custo dos produtos, a forma de comercializá-los, o dilema entre margem e volume de vendas e como as tendências econômicas e sociais afetam a empresa.
Neste artigo continuaremos com algumas dicas de como diminuir seus custos com Finanças:

1) VERIFIQUE O REGIME TRIBUTÁRIO

É possível diminuir a quantia gasta com impostos verificando se a empresa está no enquadramento tributário adequado. Os regimes de Lucro Real, Lucro Presumido e Simples Nacional têm alíquotas diferentes, além de créditos e deduções próprios, e vale simular, com um contador, em quais enquadramentos a empresa poderia entrar e quanto pagaria neles.

2) RENEGOCIE DÍVIDAS

Se a empresa tem dívidas, uma maneira de honrá-las, economizando, é renegociá-las com os credores e tentar obter a menor taxa de juros possível. É preciso, no entanto, calcular a real capacidade que a empresa tem de pagar esse débito nas condições pleiteadas, levando em consideração o prazo de pagamento e as parcelas.

3) ANALISE O FLUXO DE CAIXA

Para não ter de recorrer ao endividamento, faça uma análise do fluxo de caixa dos últimos 12 meses e verifique em quais períodos há baixa de vendas e necessidade de capital. Com isso, negocie com os fornecedores um remanejamento dos prazos de pagamento, propõe Liana Bittencourt, do Grupo Bittencourt. O segredo é fazer isso com antecedência, se o remanejamento é pedido em cima da hora, quando o fornecedor já aguarda o pagamento, as chances de conseguir uma prorrogação são menores.

4) PLANEJE O ENDIVIDAMENTO

O endividamento pode ser um trampolim para o crescimento da empresa, mas deve ser planejado. Organize-se para pagar juros menores, evitando as opções de acesso mais fácil, porém com taxas mais altas, como o cheque especial. Compare as condições de financiamento em diversos bancos.

5) APRESENTE BONS PROJETOS AO BANCO

Os planos de negócios não servem só para dar início à empresa. Quando tiver projetos de expansão, estruture-os antes de ir ao banco. Com uma boa proposta, conseguem-se condições melhores de pagamento dos empréstimos.

6) NEGOCIE AS TARIFAS BANCÁRIAS

Uma boa fatia da receita da empresa é usada para pagar tarifas bancárias. “Elas podem chegar a quase 1% do faturamento”, diz Dariane Castanheira, do ProCED/FIA. No entanto, as tarifas podem ser renegociadas com o banco. Para conseguir uma redução, é necessário ter controle do caixa e estar em dia com os pagamentos.

Os custos com finanças são inevitáveis, mas com certeza é possível reduzir drasticamente fazendo o controle correto de sua empresa.

Categorias
Empreendedorismo

Movimento Compre do Pequeno Negócio

Diante da crise econômica que assola o Brasil é evidente que o momento é de cautela, as vendas podem estar retraídas, mas as pessoas não deixam de consumir. O pequeno negócio tem como vantagem, a capacidade de se adaptar as mudanças do mercado, superando os desafios com criatividade, ao aproveitar o clima de incerteza financeira para apontar possibilidades de inovação, de diferenciação e de conquista de novos clientes e mercados. Grande parte desta capacidade vem do contato dia a dia com seu cliente, tanto vantajoso para o empreendedor, quanto vantajoso para o cliente por ser sempre recebido com um atendimento mais próximo e pessoal.

Lançado em todo o país no início de Agosto, o Sebrae abre as portas para os pequenos negócios, com o movimento “compre do pequeno negócio”, que acontece hoje (05/10/2015). Esse movimento vem com o objetivo de incentivar o consumo nas micro e pequenas empresas. Pequenos negócios que geram cerca de 27% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro e são responsáveis por pelo menos 60% dos quase 100 milhões de empregos no país, segundo dados do IBGE. Isso mostra como as micro e pequenas empresas exercem papel decisivo no crescimento econômico do país, além de terem grande impacto na distribuição de renda.

Junto com o grande movimento que atinge todo o país, o Sebrae lança o site compredopequeno.com.br. A importância do cadastro no site do Sebrae é a chance de ter o conhecimento de pequenos negócios locais, onde qualquer consumidor brasileiro que acessar o site, terá uma georeferencia do seu negócio. Além de se tornar um cliente Sebrae, tendo acesso gratuito a uma série de cursos, palestras e consultorias, oferecidas pelo mesmo.
Nós da Smart somos parceiro do Sebrae, fazemos parte das empresas locais, damos suporte ao negócio local e apoiamos o Programa Compre do Pequeno Negócio.