Categorias
Produtividade

Smart Niterói: Aprenda como identificar os sintomas de estresse no trabalho em sua equipe

Descubra quais são os principais sintomas do estresse no trabalho, e suas consequências na produtividade da equipe.

O estresse é algo muito danoso para qualquer equipe e consequentemente, para toda empresa. Desse modo, quanto antes você (ou o responsável) identificar a causa do estresse no trabalho, seja em sua equipe ou em um colaborador em específico, será mais fácil minimizar os danos.

Pensando nisso, resolvi escrever esse artigo trazendo noções claras de como antever e identificar sintomas que claramente são sinais claros de um alto nível de estresse. Com isso, siga comigo e aprenda como aplicar isso na prática diária do seu negócio.

Trabalho em equipe = Ambiente de estresse?

Até certo ponto, é aceitável dizer que o estresse é algo que faz parte de qualquer empresa. De certo modo, algum nível de estresse já é esperado quando falamos de seres humanos trabalhando (ainda mais no trabalho em equipe).

Afinal, muitas situações dentro de uma empresa são delicadas e com alto grau de importância, o que pode gerar estresse no trabalho. Desse modo, não é sobre esse grau baixo de estresse (intrínseco a praticamente todas as funções) que vou falar hoje.

Mas sim sobre o nível de estresse no trabalho que começa a atrapalhar todo o andamento da empresa. Antes que saia do controle e começar a afetar os resultados da empresa, é importante identificar esse mal, e cortá-lo pela “raiz”

3 principais sintomas de estresse no trabalho

A seguir, vou mostrar os 3 principais sintomas de estresse no trabalho que vão ajudar os empreendedores a identificarem quando os níveis começam a sair do controle. 

Energia baixando

O ideal é que a equipe esteja sempre motivada e com a energia lá em cima. A energia reduzir um pouco é normal, afinal, ninguém consegue estar sempre no seu 100%. O estresse no trabalho poderá ser identificado, sempre que a energia da equipe mostrar claramente que está baixando.

Vale lembrar que o estresse não é apenas o mau-humor ou descontentamento com algo. O estresse vai afetar outros fatores, a pessoa que antes era motivada, vai começar a cansar mais, além é claro, de demonstrar que não está rendendo o seu melhor.

Neste ponto, dependendo do nível de estresse no trabalho vai ser fácil reconhecer, porém, o ideal é nunca deixar que o estresse chegue com força total. Dessa forma, se uma equipe que antes era entusiasmada, começa a ficar desmotivada, já é uma chamada clara para o alerta do estresse no trabalho.

Qualidade do trabalho caindo

Você vai ver que um sintoma vai levando a outro, então é comum que muitos desses sintomas apareçam praticamente ao mesmo tempo. A redução de energia vai começar a afetar a qualidade do trabalho de um colaborador ou de toda a equipe.

Assim como o sintoma acima, é preciso considerar o desempenho da equipe, para verificar se realmente, a qualidade está caindo. Estou falando de bons profissionais que faziam um excelente/bom trabalho e de “uma hora para outra” começam a apresentar pequenas falhas, que só tendem a aumentar.

Alguns erros são comuns, porém se a constância começar a ser acima do aceitável, é mais um forte indício que o estresse no trabalho está influenciando o andamento das atividades.

Nervos à flor da pele

Esse é o ponto mais fácil de identificar, onde já existe todo um estereótipo da pessoa estressada, que é quando os nervos ficam à flor da pele e coisas de menor importância, acabam sendo o estopim de fortes conflitos entre os colaboradores.

Importante: o estresse nem sempre vai partir apenas dos colaboradores, quando falo sobre a equipe, estou incluindo o gestor. Sendo que o empreendedor costuma lidar com o estresse de cuidar do negócio como um todo, ainda mais se for uma empresa de pequeno porte (onde tudo passa por ele).

Dessa forma, se você for o gestor de toda a empresa, faça uma autoanálise sobre como anda os seus níveis de estresse e veja se você não está sendo afetado ou afetando os níveis de estresse de toda a equipe. Tendo em vista, que a equipe costuma ser o reflexo de seu líder.  

No blog da Smart, existe um excelente artigo para os empreendedores que buscam técnicas para aliviar o estresse em sua rotina empreendedora. Com essas dicas ficará muito mais fácil ser um chefe “zen”. 

Dentro de uma equipe, temos pessoas com diferentes características, dessa forma, o comportamento das pessoas com ou sem estresse é bastante diferente, variando de pessoa para pessoa.

Pessoas que são naturalmente mais explosivas, certamente, vão responder de maneira bem mais aflorada que pessoas que são naturalmente calmas. Com isso, sempre fique de olho em mudanças repentinas que fujam do perfil dos colaboradores.

Fique de olho no “termômetro emocional” dos colaboradores, para que qualquer sinal de um comportamento nervoso, possa ser notado e evitado. Porque dependendo do nível de estresse de alguns membros da equipe, uma simples discussão poderá se tornar uma agressão verbal e até mesmo física. 

Esse tipo de avaliação precisa ser individual, tendo em vista que (como disse acima) os colaboradores são diferentes entre si. Somente de forma individual será possível ter uma visão clara de quem está sendo mais afetado pelo estresse.

Como evitar/diminuir o estresse no trabalho?

Agora, que já mostrei as 3 principais características na hora de identificar sintomas de estresse no ambiente de trabalho, é hora de dar algumas dicas de como evitar que o ele se torne danoso para todos.

Cuidado com a organização

A organização da empresa é uma excelente forma de evitar o estresse. Quando o ambiente está organizado, as tarefas estão bem distribuídas sem excesso de trabalho para ninguém, as chances do ambiente estar saudável e livre de altos níveis de estresse são bastante altas.

A organização, vai desde um ambiente limpo, com espaço para todos, até na organização das atividades. Um ambiente desorganizado se torna caótico e faz com que as atividades não sigam no fluxo correto.

Além disso, corre o risco das atividades chegarem com atraso, o que vai causar bastante estresse para quem vai executar a atividade com menos tempo.

Respeite o descanso da equipe

Evitando longos períodos de horas extras e respeitando as férias dos colaboradores, a empresa vai contar com colaboradores muito mais motivados e psicologicamente saudáveis.

A sobrecarga de trabalho é uma das principais causas de estresse emocional, porque sem o descanso necessário as atividades cerebrais começam a ficar defasadas, causando um ambiente favorável para que o estresse tome conta.

É claro, que em alguns momentos é possível que o contingente de trabalho se torne elevado, e isso é normal. Porém, tornar isso um hábito é totalmente danoso. É muito diferente uma semana com mais trabalho, de meses e meses de sobrecarga.

Converse com todos os membros da equipe para melhor entendê-los

O gestor deve manter contato diário com seus colaboradores e equipe (ainda mais se a equipe for pequena e ficar no mesmo ambiente que o gestor). Dessa forma, será possível identificar mais facilmente alterações no comportamento, além de mostrar que o gestor está preocupado com o bem-estar de todos.

Um psicólogo também é muito bem-vindo, porque assim a empresa terá um profissional capacitado cuidando do bem-estar psicológico dos colaboradores. Porém, empresas menores não consumam ter a verba necessária para contratar um psicólogo.

Com isso, o gestor precisa desempenhar esse papel da melhor forma. Características importantes do gestor são: empatia e resiliência, para assim poder fazer uma análise humana e digna.

Entender o colaborador é fundamental para saber como lidar com ele em diferentes situações. Quando o gestor conhece bem seus colaboradores, ele é capaz de fazer uma análise muito mais realista sobre como o estresse está ou não afetando o desempenho do mesmo.

Além dessa conversa individual, reuniões com toda a equipe vão ajudar a ter uma base mais ampla sobre como está o andamento dos colaboradores enquanto equipe. Assim o gestor vai conhecer muito melhor (e de forma ampla) o comportamento de seus colaboradores.

Conclusão

No artigo de hoje, falei sobre os principais sintomas para identificar o estresse no trabalho. Além disso, apresentei algumas dicas excelentes para evitar que o estresse dos colaboradores saia do controle.

Para mais artigos sobre comportamento e negócios, continue lendo os artigos do blog da Smart. 

Para quem está com dificuldades em escolher entre empreendedor ou fazer uma faculdade, temos o artigo certo, onde você poderá fazer um teste e descobrir qual caminho escolher para o seu sucesso.    

Também temos um artigo que fala sobre como a meditação ajudará a melhorar diversos aspectos da sua vida pessoal e profissional, além de mostra que é possível fazer meditação mesmo se você não tiver tempo

Se gostou do artigo, não deixe de compartilhar em seus grupos do WhatsApp. 

Agradeço a sua leitura e nos vemos novamente em mais um artigo!

Categorias
Administração

Smart São Paulo: Vai realizar uma entrevista online? É assim que você entrevista uma pessoa à distância

Ainda não conseguiu se adequar a entrevista online? No texto de hoje, vou te ajudar a realizar uma entrevista online do jeito certo. 

A entrevista online era uma prática usada antes mesmo da pandemia, porém é notório que seu “boom” aconteceu devido às dificuldades de entrevistar pessoas de forma presencial. Por conta do lockdown e pelas regras de distanciamento conseguir manter as empresas funcionando do mesmo modo, foi impossível.

Com isso o que antes era algo raro, passou a ser regra. Acontece que muitos acabaram não entendendo muito alguns desses processos, como por exemplo, a entrevista online. Seja por já estar tão acostumado à entrevista presencial ou por dúvidas que envolvem uma nova forma de trabalho. 

O ponto que dificultou a adaptação, foi que na pandemia muitos não tiveram tempo hábil para aprender sobre as novas formas de trabalho, e já foram lançados ao “novo normal”

É exatamente por isso, que vou te ajudar a entender como realizar uma entrevista online. Isso porque mesmo depois da pandemia, essa prática tende a continuar com força nas empresas.

Entrevistas online: uma saída em meio a crise

Mesmo com a pandemia, a vida precisou seguir nas empresas. Um bom exemplo são as entrevistas de emprego, que sempre fizeram parte do dia a dia, assim, como todo o resto, precisou ser adaptado.

E se a pandemia pode nos mostrar algo, é o quanto a tecnologia é a grande aliada de todos nós. Imagine por um momento como teria sido ainda mais difícil passar por esse momento sem a internet. A internet foi a válvula de escape para que a vida continuasse.

Familiares conseguiam se ver, através de chamadas de vídeos, além é claro, de conseguir manter contato diário, onde foi possível ficar por dentro das novidades. Mesmo para quem pegou a doença, a internet possibilitou que a vida seguisse de uma forma mais “normal”, por assim dizer.

A pandemia, causou um “dança das cadeiras” em muitas empresas, onde funcionários saíram e novos colaboradores foram contratados. Tudo para alinhar o negócio ao cenário atual.

E aqui foi onde as webcams ganharam força e tornaram as entrevistas possíveis. Porém, como toda mudança, foi preciso realizar testes, que por sua vez, geraram erros e acertos que ajudaram os entrevistadores a conseguir se adequar a esse novo modo de avaliar possíveis colaboradores.

Como boa parte das empresas trabalharam em home office, mesmo após contratar o colaborador, não foi possível vê-lo ao vivo. Onde a entrevista tinha ainda mais peso, onde seria preciso avaliar muito bem para não deixar passar nada

Mas foi graças a isso que muitos desempregados conseguiram seus empregos, as empresas puderam funcionar e conseguir empregar pessoas. A “roda” tinha que girar, e no tocante a avaliar vagas de emprego, a entrevista online foi a melhor saída. 

Dificuldades da entrevista online (e como superá-las)

A entrevista presencial possibilita uma avaliação mais completa da pessoa, já que o entrevistador consegue muitas informações com base no comportamento do entrevistado. Sabe aquela sensação de bater o olho e já ter uma análise? Então…

Além disso, as empresas já tinham o local certo para realizar a entrevista e um protocolo a seguir: até que a crise chegou! Então, em meio a ela as empresas precisaram encontrar formas mais rápidas de resolver os problemas e foi então que as entrevistas online passaram a ser o padrão de entrevistas.

E não só as entrevistas, as reuniões, as conversas entre equipes, o próprio trabalho, tudo passou a ser remoto. Então, muitas empresas passaram a ter dúvidas e dificuldades na hora de realizar as entrevistas online. 

Isso também afetou a minha empresa, e tivemos que buscar uma forma de realizar esse processo do melhor jeito (possível). E é baseado nisso, que vou apresentar dicas importantes para que as suas entrevistas online também sejam bem sucedidas.

Antes vou apresentar uma análise do porque acredito que as entrevistas online vão continuar ganhando força (bem como o trabalho remoto), mesmo após a pandemia.

Entrevistas online vão ter força mesmo após o fim da pandemia?

Acredito, profundamente, que o trabalho remoto (home office, coworkings, entre outras modalidades) vai continuar a todo o vapor, mesmo com o fim da pandemia, que logo se aproxima.

Penso isso, porque estamos falando de uma modalidade mais barata, que pode funcionar muito bem, além é claro, da preferência de muitos, que se identificaram profundamente ao trabalho remoto, e não pretendem voltar para a rotina antiga.

Além do mais, trabalhos remotos, garantem que a sua empresa possa contratar excelentes colaboradores de outros estados, sem a necessidade desse profissional estar in loco.

Por isso, a “moda” das entrevistas online deve continuar. Dessa forma é extremamente necessário que as empresas que optarem por essa escolha saibam o jeito certo de realizar uma entrevista online.

Dicas para uma entrevista online bem sucedida

Então se a sua empresa ainda vai usar as entrevistas online, seja para a reta final da pandemia ou como uma opção que continuará em voga, é preciso seguir algumas dicas para que tudo ocorra da melhor forma. 

Verifique sua internet e teste os equipamentos‍

Essa é a dica zero, afinal, sem internet não será possível realizar a entrevista online. Porém, não é só a internet que você deve verificar, os demais equipamentos, como notebook/computador, câmera/webcam, microfone, fone, também devem ser avaliados antes de iniciar a conversa.

Por isso, sempre mantenha seu computador 100%. Algo que muitos acabam deixando passar é a carga de bateria dos equipamentos. O ideal é deixar todo o equipamento carregado e de preferência já plugado com o carregador, e assim evitar, que a bateria termine durante a conversa.

Para garantir que tudo funcione, faça um teste antes de iniciar a chamada. Dessa maneira, só comece a entrevista assim que tudo estiver certo. Com isso, a entrevista não terá problemas técnicos. 

Porém… 

Tenha sempre um plano B

Internet, energia elétrica, mau funcionamento do site, todos esses são potenciais problemas, difíceis de evitar. Dessa forma, sempre tenha um plano caso, algum dos componentes dê problema durante a entrevista. 

Ter um no-break, uma internet móvel, outras plataformas que possam realizar a entrevista, será uma forma de rapidamente lidar com qualquer problema que aparecer.

Porém, ainda assim, quando falamos de comunicação remota, problemas maiores podem acontecer, que irão prejudicar ou fazer com que se tenha que remarcar a entrevista. Até porque é melhor marcar para outro dia, do que prejudicar o diálogo com o entrevistado.

Mas é claro, que isso não deve ser uma desculpa para não se planejar. Dessa maneira, da sua parte (parte da empresa), tudo deve estar planejado e estruturado, com plano B, C, D, enfim, com tudo que for preciso para garantir que tudo ocorra bem.

O local adequado

Quando falamos de entrevista online, estamos com dois principais cenários: que o entrevistador esteja na empresa ou que esteja na sua casa. Para o primeiro cenário, é mais simples, porque dá para usar o mesmo local das entrevistas presenciais (com algumas mudanças técnicas).

Já para quem vai entrevistar de casa, é preciso tomar alguns cuidados, entre os quais posso destacar:

  • Optar por um local que não seja afetado por sons e ruídos (ou que evite ao máximo essas situações);
  • Local bem iluminado;
  • Um local onde tudo fique ao alcance fácil;
  • Local organizado que remeta a um escritório convencional;
  • Local com chave, caso more com outras pessoas (principalmente com crianças e animais);
  • Um local que o entrevistador sinta-se à vontade, para que a conversa flua melhor.

Com isso, você garante um tom profissional para quem vê e garante um local perfeito para a conversa. Isso trará o melhor para ambos, fazendo com que a conversa siga sem interrupções.

Que roupa usar?

É importante que você encare a entrevista da mesma forma como se ela acontecesse de forma presencial, até porque ela tem a mesma importância. Por isso, vista-se da mesma forma que iria se vestir para uma entrevista in loco

Isso inclui, não apenas a roupa, mas também seu penteado e cuidados pessoais. Seja o mais profissional possível, e comece isso desde a escolha da roupa.

‍Evite distrações

Ao falar de adaptação de cenário, é necessário ser minucioso. Com isso, crie um ambiente que te deixe longe de distrações. Ou seja, você precisa estar 100% na entrevista e para conseguir identificar todos os detalhes importantes em uma entrevista para escolher o colaborador ideal.

Mantenha a postura

Fique bastante atento à linguagem corporal. Quando ficamos em casa é normal dar aquela “relaxada” maior do que seria se estivéssemos na empresa, por isso é tão importante manter uma linguagem corporal profissional. 

E não é porque a pessoa está em outro local, que você não deva manter contato visual, se mostrar interessado ou até mesmo sorrir. Garanta que o entrevistado sinta-se acolhido, respeitado e fale tudo que for necessário para uma avaliação mais completa. 

Conclusão

No artigo de hoje, mostrei como se preparar e executar uma entrevista online de sucesso. Foquei em entrevistas de emprego, porém, todas essas dicas são excelentes para todos que trabalham remotamente e que precisam manter contato visual com outras pessoas (em reuniões, por exemplo).

Seguindo as dicas, certamente, a entrevista vai fluir da melhor maneira possível, beneficiando a todos com essa conversa a distância. Como disse, as entrevistas online devem ser usadas por um longo período de tempo, dessa forma, é importante estar alinhado a nova forma de trabalho.

Para mais artigos relevantes, continue acompanhando o blog da Smart. Vou listar três textos que, certamente, serão muito interessantes para você:

Agradeço a sua leitura e nos vemos em breve!

Categorias
Produtividade

Smart Rio: 5 dicas de saúde e bem-estar para turbinar sua produtividade

Procurando dicas para ter mais saúde e bem-estar (e com isso ser mais produtivo)? No texto de hoje, vou apresentar 5 dicas que vão te ajudar a alcançar esse objetivo. 

Saúde e bem-estar, são dois fatores que nos tornam muito mais produtivos. Estamos acostumados a dizer que temos preguiça para fazer algumas coisas, mas será que realmente é preguiça ou o nosso corpo e a nossa mente estão cansados?

Quando não seguimos boas práticas, para cuidar da saúde e buscar uma qualidade de vida melhor, certamente, estamos influenciando negativamente em nossa produtividade.

E não é só durante o trabalho, ser produtivo é ter qualidade e vida fora da empresa, para conseguir ter uma vida mais ativa e feliz. Se ficarmos o dia inteiro cansados, não vamos aproveitar o nosso dia. Vamos ficar no modo “zumbi”, apenas.

Então, para não ser um “zumbi”, você deve buscar formas de melhorar a sua saúde e o bem-estar. No artigo de hoje, separei algumas dicas, que certamente te ajudarão a ter mais saúde, qualidade de vida e ser alguém muito mais produtivo (dentro e fora do seu trabalho).

Pilares para turbinar a sua saúde e bem-estar

Ao longo do texto, vou mostrar diferentes dicas, que juntas vão te tornar alguém muito mais ativo e saudável. As dicas a seguir são baseadas em 5 pilares que considero os mais importantes para quem busca uma vida mais equilibrada e com qualidade. Que são eles:

  • O sono;
  • A alimentação;
  • O seu trabalho;
  • O lazer;
  • E as atividades físicas.

Juntando o equilíbrio entre esses cinco fatores, você certamente terá muito mais saúde e qualidade de vida (bem-estar). De forma mais detalhada, vou apresentar dicas sobre esses cinco pilares fundamentais da saúde e bem-estar, com foco na produtividade.

Dicas de saúde e bem-estar: foco na produtividade

Sem mais delongas, vamos para as dicas!

1. Tenha uma rotina de sono

Quando falamos de saúde e bem-estar para nos tornarmos mais produtivos, devemos começar pelo sono. Afinal, é durante o sono que recuperamos nosso corpo e nossa mente.

Com isso, busque dormir entre 7 a 9 horas por dia (alguns indivíduos precisam de mais horas de sono que outros, mesmo que tenham praticamente a mesma rotina) e sempre no mesmo horário.

Dessa forma, seu cérebro vai entender que esse é o horário de dormir e vai te induzindo cada vez mais a dormir nessa janela de tempo. Quando criamos uma rotina de sono, chegamos mais rápido ao sono profundo e liberamos os hormônios certos para nossa total recuperação.

Se a sua rotina for muito puxada, o sono será ainda mais fundamental, porque o estresse causado por uma rotina desgastante aliado à falta de descanso vai te tornar muito mais estressado. O que vai afetar totalmente a sua produtividade, além é claro que prejudica a sua saúde como um todo.

No começo a adaptação da rotina de sono, ainda mais se sua antiga rotina estava toda desregulada, poderá ser um pouco difícil, porém, se insistir nela e conseguir regular seu relógio biológico, os ganhos de saúde e bem-estar serão elevados, te tornando muito mais produtivo durante o período acordado.

Importante: Evite o celular logo antes de dormir

Para conseguir ter um sono de qualidade, especialistas indicam dormir em um local o mais escuro possível. Dessa forma, é aconselhável evitar ambientes muito claros pouco antes da hora de dormir. Porque associamos a luz, com o dia, ao momento de ficarmos ativos.

É costume de muitos ficar no celular até praticamente pegar no sono. Dessa maneira, a luz emitida pelo aparelho vai servir como uma válvula de escape para você ficar mais tempo acordado.

A partir disso, é recomendado deixar o celular de lado e evitar outros dispositivos, como TV e computador, cerca de 30 minutos antes de dormir. Com isso, o sono será induzido muito mais rápido e você vai conseguir descansar bem mais.

Afinal, quem nunca ficou no celular ou vendo filmes e quando viu já era madrugada? Certas atividades costumam causar esse efeito de não ver a hora passar. Celular é um dos campeões nesse quesito, fortemente influenciado pelas redes sociais, com conteúdo praticamente infinito.

Ajude-se a dormir: beba chás, eles ajudam muito a pegar no sono. 

Os chás são usados há milênios como remédios naturais para o corpo e a mente. Muitas culturas ainda hoje utilizam muitos chás para diferentes objetivos. Algumas ervas e folhas tem o poder de nos fazer relaxar e nos induzir mais rápido ao sono.

Valeriana é um excelente exemplo, bem como a Camomila e o Maracujá, porque tem um forte poder relaxante. Dessa maneira, experimente tomar um bom chá sem açúcar antes de deitar.

Importante: evite bebidas com cafeína (estimula seu corpo a ficar ativo) antes de dormir. E diferente do que muitos pensam, não é só o café que possui cafeína, alguns chás, como o chá-verde, por exemplo, e refrigerantes, sabor cola, costumam ter alta concentração de cafeína.

2. Cuide da sua dieta

Saúde e bem-estar, estão diretamente ligados a como nos alimentamos. Dessa forma, somos um reflexo do que comemos. Então, para sermos mais saudáveis e produtivos, é preciso ter uma alimentação saudável e balanceada.

Se você sempre se sente mal após comer e fica se sentindo sempre cheio, reveja seus hábitos. Alimentos como lanches, pizzas e doces, são muito gostosos, porém, por trás de todo esse sabor temos verdadeiros venenos.

Opte por comer saudável (se possível, procure um nutricionista), porque além de consumir alimentos que te deixarão mais saudável, você vai se sentir muito mais leve para viver. É claro, que comer besteiras de vez em quando não faz mal para ninguém, apenas não torne um hábito.

3. Trabalhe com algo que te motive

É claro, que nem sempre podemos escolher com o que vamos trabalhar, mas vale muito a pena tentar. Dessa forma, você vai buscar a sua saúde e bem-estar, justamente por estar motivado a ser alguém melhor.

Estude e especialize-se em um ramo que combina com você, com isso, você não verá a sua rotina como um castigo, mas sim como algo que você escolheu para si, porque te motiva.

Trabalhar com o que não gosta é o principal motivo de frustração na vida das pessoas. Para não ser mais alguém frustrado com seu trabalho, procure um emprego que combine contigo (mesmo que signifique ganhar um pouco a menos).

4. Divirta-se!

O trabalho é um fator muito importante nas nossas vidas, porém, ele não pode ser tudo. Não se resuma ao seu emprego. Tenha uma vida fora dele!

Busque formas de lazer, divirta-se em seu horário de folga, busque um hobbie novo, tenha uma vida social, tenha amigos com quem conversar, valorize a sua família. 

Essas são práticas que trazem mais longevidade e qualidade de vida para qualquer pessoa. Quando falamos de saúde e bem-estar, estamos falando sobre buscar cada vez mais a felicidade e não ficar a vida inteira atrás de uma mesa fazendo relatórios.

5. Pratique atividades físicas

As atividades físicas têm alto poder de impacto em nossas vidas. Pessoas ativas são muito mais motivadas e saudáveis. E não estou falando apenas de ir até uma academia (ainda mais se você não gosta desse tipo de ambiente).

Existem centenas de esportes, todos eles são excelentes para quem procura melhorar a qualidade de vida. Então, seja jogando futebol, vôlei, basquete, correndo na rua ou em uma sala de musculação, encontre um esporte que combine com você e aposte nele.

A atividade física garante uma vida muito mais completa. Quando ficamos parados sem fazer nada, o nosso corpo entende que assim está bom, porque ele está descansando e se alimentando. Para nosso corpo, sermos sedentários é um alívio, porém terá um alto custo para a saúde.

Por isso, desafia-se a ser alguém melhor, dessa forma, seu corpo vai entender que ele precisa ser mais ativo, para poder dar conta de toda a energia que você demanda. As atividades físicas vão reforçar ainda mais as outras dicas, atuando com sinergia e trazendo muitos benefícios para você. 

Conclusão

No artigo de hoje, apresentei diversas dicas importantes para quem busca saúde e bem-estar. Todas essas dicas fazem parte dos cinco pilares da qualidade de vida:

  • O sono: tenha uma rotina de sono;
  • A alimentação: tenha uma alimentação saudável;
  • O seu trabalho: busque um trabalho que te motive;
  • O lazer: aproveite a vida fora do seu trabalho, a vida não é só isso;
  • E as atividades físicas: seja mais saudável e feliz com os exercícios físicos.

Para mais dicas de saúde e bem-estar (além de dicas de empreendedorismo), continue acompanhando o blog da Smart. Vou listar três textos que tem tudo a ver com o artigo de hoje:

Compartilhe esse texto nas suas redes sociais, para ajudar mais pessoas a serem mais saudáveis e terem mais qualidade de vida. 

Me despeço agora, mas logo nos vemos, em um outro artigo. 

Categorias
Vendas

Smart Brasília: Será que é possível vender para quem não quer comprar? Descubra neste artigo!

Vender para quem não quer comprar é o grande desafio de todos os vendedores. Mas será que tem como converter essa negativa em venda? Isso e muito mais você vai descobrir continuando essa leitura. 

O princípio básico da venda sempre foi: alguém tem algo a oferecer (seja um produto ou serviço) e outra pessoa precisa do que esse alguém oferece, e pelo preço certo eles fecham negócio. Bastante simples, não? Não exatamente.

Por mais que nossos ancestrais tenha trocado alimentos por outros e no decorrer do tempo criaram o dinheiro, simplificar uma venda a alguém que precisa e alguém que oferece é bastante equivocado.

Ainda mais quando olhamos para os dias de hoje, onde cada vez mais as pessoas possuem camadas e pontos de vista conflitantes. Dessa forma, muitas empresas que trabalham com vendas diretas têm dificuldades em lidar com alguns clientes, que simplesmente não querem comprar.

Por isso, no texto de hoje, vou te levar a entender se é possível vender para quem não quer comprar. Porém, já antecipo que não existe uma fórmula mágica, muitas vezes não será possível vender, porque realmente as pessoas não querem ou não precisam do que você oferece. 

Vender para quem não quer comprar?!

Como citei no início da introdução, o conceito de venda é algo que alguém oferece e alguém que precisa, mas como vamos ver essa “fórmula” nem sempre isso traduz toda a significância das vendas.

Da mesma forma, que muitos “especialistas” afirmam que mesmo que o cliente não tenha a intenção de comprar, ainda assim é possível vender para ele. Mas será que realmente, existe uma técnica secreta que hipnotiza o cliente e o faz mudar de ideia?

Se você já acompanha o blog da Smart há algum tempo, certamente, você já deve ter percebido que nosso foco principal é ajudar empreendedores a crescer, através da verdade. Dessa maneira, você espera de nós uma resposta sincera e real, e é isso que vou dar para você.

A verdade sobre se é possível vender para quem não quer comprar, é uma só: depende da situação. Muitas vezes, o cliente precisa do seu produto, mas por algum fator (abordarei isso de forma detalhada mais a frente) acaba não comprando. Nesse caso é possível vender para quem não quer comprar.

Já em outros casos, você estará vendendo X, mas o seu cliente está buscando Y, e realmente ele precisa apenas do Y. Para esses casos, será praticamente impossível vender, a menos que você “enrole” o cliente, mas certamente, não é o melhor modo de lidar com seus consumidores.

Se ele comprar apenas por comprar, dificilmente, ele voltará a fazer negócio com você e tem grandes chances de ficar insatisfeito com o seu produto, por não ser o que ele precisa.   

Da mesma forma que mentir sobre o seu produto, poderá até convencer a comprar, mas te trará dores de cabeça e até processos por propaganda enganosa. Certamente, não é isso que você espera.

O cliente não fecha a venda

Uma das perdas de vendas mais clássicas que existem é o seguinte cenário: você é um vendedor de uma loja de roupas, o cliente chega até você para comprar uma calça jeans, você mostra todos os modelos e tamanhos, mas o cliente sai sem comprar por não ser do jeito que ele gosta.

Então o gerente da loja vem até você e pergunta: “o que o cliente queria?”, e você responde: “uma calça jeans”. Ele vai te indagar: “mas nós temos todos esses modelos, você não poderia ter perdido a venda, porque é algo que ele precisava”. Você então fica sem resposta.

O que podemos aprender com esse exemplo? A loja tem o que o cliente deseja, que é uma calça, mas ele não quer comprar os modelos da loja. Então, é aqui que entram os fatores que falei acima.

Por que ele não gostou? Eram as marcas? O valor estava muito alto? Ou simplesmente, ele queria uma calça específica? Qualquer um desses pode ser o motivo. Agora, deixe as calças de lado, e coloque no lugar o produto que você ou sua empresa vende.

Aqui o cliente veio até você com uma necessidade, mostrando clara vontade de comprar, possivelmente ele tinha o valor para comprar, mas por algum motivo saiu sem comprar. Esse é um cenário bastante ruim, pois a sua empresa, possivelmente fez tudo certo.

O Marketing da loja/empresa foi bem feito, o cliente sabia da sua loja, ele sabia que sua empresa tinha o produto que ele queria, ele entrou disposto a comprar, mas acabou desistindo da compra assim que falou com o vendedor e viu as opções.

É claro que perder um único cliente não será o “fim do mundo”, mas se isso é uma regra, algo poderá estar muito errado. Esse cenário ocorre muito também, quando você vai até o cliente para mostrar o seu produto, ele demonstra bastante interesse, mas acaba não fechando o negócio.

Nos dois exemplos você pode pensar trata-se do produto que não é o que, o cliente queria, mas ao mesmo tempo podemos argumentar que você não soube vender.

Se você é um pequeno empreendedor e você mesmo realiza as vendas, é preciso saber que empreendedor que não é vendedor não cresce. O vendedor é o canal entre o produto/serviço e o cliente, se ele não passar a mensagem de forma clara, poderá pôr tudo a perder.

Uma das maiores dificuldades está no cliente precisar do seu produto, quando ele precisa ele se torna seu público. Porém, questões como preço, apresentação/venda e qualidade contam muito na hora de fechar uma venda.

E se o problema está no preço ou na qualidade?

Antes de abrir uma empresa voltada para vendas é preciso fazer um planejamento completo, onde você define o produto (ou serviço) que vai vender, identifica seu público alvo, define os preços, para só depois dar vida ao seu negócio.

Dentro do seu público alvo, faça a seguinte análise: o preço do meu produto é justo ou é caro demais comparado a produtos semelhantes dos concorrentes? Se ele é justo e o cliente achou caro demais, possivelmente, não pertencia ao seu público alvo. 

Já se o seu produto estiver muito caro, fica óbvio que terá que trabalhar melhor os preços para conseguir mais vendas, uma vez que as outras empresas cobram menos.

O preço está muito ligado a qualidade (ou ao menos deveria ser), então se o cliente procura qualidade “10” em um produto que custa “5”, ele não ficará satisfeito.

Solução: identifique logo de cara seu público alvo, precifique da maneira correta, se comunique com seu público alvo e trabalhe a habilidade de vendas (sua ou do colaborador responsável).

Agora, se o problema está no vendedor…

Aqui é onde é possível vender para quem “não quer” comprar. Porque coloquei entre aspas? Justamente, porque muitas vezes o cliente quer o seu produto ou serviço, mas pelo atendimento não ajudar ele acaba saindo sem o produto/serviço.

E não falo do vendedor tratar o cliente mal, falo dos que fazem o seu melhor, mas acabam não conseguindo convencer. Afinal, não são todos os clientes que saem comprando logo de cara. Muitos precisam de um incentivo para comprar.

E é aqui que o vendedor tem que ser bom, ele precisa convencer o cliente a comprar. Ele poderá fazer isso mostrando a qualidade do produto/serviço, sendo um especialista no assunto. Mostrando que o produto é perfeito para as dores (necessidades) do cliente.

A grande habilidade do vendedor é identificar no cliente a vontade real de comprar, uma vez que ele identifique, não poderá perder a venda. Porque aqui é algo que o cliente quer. O que é muito diferente de tentar empurrar algo “à força”.

Muitos clientes precisam se sentir convencidos para só assim, efetuar a venda. Então seja ou procure vendedores que são capazes de construir essa “ponte”. Nem todos são bons vendedores, dessa forma, muitas vendas perdidas vem do atendimento de vendedores que não tem (ou não trabalharam) essa habilidade.

Solução: invista em bons vendedores, avalie os resultados e sempre que possível os ajude a se capacitar ainda mais. Se você for o vendedor, invista em treinamento e cursos para vender cada vez melhor.

Resumindo

Vender para quem não quer comprar é possível, desde que esteja nas situações certas, onde o cliente realmente precisa e tem condições de comprar, mas não está “facilitando” na hora de comprar. 

Com isso, o vendedor deve insistir do jeito certo: mostrando a qualidade do produto/serviço e como esse produto/serviço será útil em resolver as necessidades do cliente.

Mas existem também as situações onde o cliente realmente não quer/precisa seu produto, seja por que ele não é o seu perfil de cliente, ou por simplesmente por que preferiu outro tipo de serviço/produto.

Porém, em ambos os casos o vendedor deve valorizar ao máximo o produto e procurar entender o cliente.

Conclusão 

No texto de hoje, mostrei que é possível vender para quem não quer comprar, além de formas de como entender os motivos que levam o cliente a não querer comprar. 

No fim mostrei também formas de conseguir vender para os clientes certos e dar aquele empurrãozinho para os indecisos.

No blog da Smart, você pode encontrar mais artigos sobre vendas, separei esses que podem complementar a sua leitura atual: 

Agradeço a sua leitura e nos vemos em breve!

Categorias
Empreendedorismo Finanças

Contabilidade para pequenos negócios: será que realmente é necessário?

Hoje, vou te mostrar as vantagens de contratar uma contabilidade, para você poder chegar à sua própria conclusão. Afinal, contabilidade para pequenos negócios, vale a pena?

Contabilidade para pequenos negócios é um tema bastante discutido entre os novos empreendedores, que se enquadram como ME e MEI, onde não há a obrigatoriedade de contratar uma contabilidade. 

Onde os processos são mais “suavizados” em relação a questões contábeis, porém essa “suavização” ainda precisa de cuidados e de alguém para organizar todas as questões aplicáveis, caso opte por não contratar os serviços de um escritório contábil.

Além disso, o empreendedor poderá economizar o dinheiro que usaria para contratar uma contabilidade para usar de outras formas na empresa. Porém, até que ponto vale a pena não investir no trabalho de um profissional? Vou analisar no texto de hoje!

Vantagens de ter uma contabilidade para os pequenos negócios

Antes de você decidir se deverá contratar ou não, uma contabilidade para seu negócio, vou apresentar algumas vantagens em contar com o serviço de um (bom) escritório de contabilidade, assim poderá tirar suas próprias conclusões.

É importante ressaltar que essas dicas são aplicadas para empresários que não possuem conhecimento elevado sobre o assunto. Então vamos considerar que o empresário em questão é leigo no tema. Caso a empresa tenha alguém especialista, o cenário muda de contexto.

Embora, mesmo que o empreendedor domine o assunto, possivelmente, ele terá que cuidar da empresa, tomar decisões, participar de reuniões e outros assuntos que vão tomar praticamente toda a sua rotina. Desse modo, mesmo que você entenda de contabilidade, ainda será preciso avaliar muito bem.

Vantagem 1: interpretação mais confiável

A primeira vantagem em ter uma contabilidade para pequenos negócios, está no ponto de lidar com as leis brasileiras que são bastante confusas e podem ser um verdadeiro desafio para leigos interpretarem. Ainda mais se o empreendedor for o responsável pela contabilidade e pela empresa.

Dessa forma, contratar os serviços de uma contabilidade vai ajudar muito no entendimento das leis e nos cálculos complexos sobre questões de impostos e de pagamentos. Evitando cometer erros que poderão prejudicar e muito a empresa.

É claro, que o grande motivo de pequenas empresas não terem uma contabilidade é pelo valor do serviço. Mas hoje em dia, existem opções com valores atrativos, como por exemplo a contabilidade digital/online. Para entender mais sobre o assunto, vale a pena ler o artigo sobre os Prós e contras da contabilidade online.

Além disso, é importante parar para pensar, até que ponto vale a pena economizar um pouco de dinheiro, e ter um trabalhão, além de correr o risco de cometer algum erro que pode prejudicar a empresa? Reflita sobre isso.

Vantagem 2: registro de informações

Uma das principais funções da contabilidade está ligada ao registro de informações a respeito da empresa. Mantendo um verdadeiro histórico sobre as finanças da empresa, recursos humanos, etc.

Dessa maneira, você terá um registro confiável a respeitos de suas informações. Porque as contabilidades seguem alguns padrões que tornam o entendimento sobre a sua empresa muito mais fácil e correto.

Essas informações precisam estar 100% organizadas para que facilite a forma que a sua empresa cuida da gestão financeira do negócio. Além do mais, caso precise de uma informação antiga, será bastante cômodo contar com os serviços de uma contabilidade que tenha todas as informações arquivadas.

Vantagem 3: menos dor de cabeça com burocracia

Acredite, cuidar da contabilidade é bastante estressante. Ainda mais quando entra em questões burocráticas, dessa forma, você não precisará fazer tudo sozinho e poderá focar no que realmente importa.

O mesmo é válido quando você abre a empresa, contar com a ajuda de profissionais especializados vai garantir um processo muito mais fluido e menos desgastante. 

Vantagem 4: declaração de impostos

A contabilidade para pequenos negócios faz ainda mais sentido quando se aproxima a data de fazer a declaração do imposto de renda da empresa. São em momentos-chave como esse que é possível perceber o quão mais simples fica o processo quando se conta com um trabalho especializado.

Inclusive, ano que vem terão algumas mudanças por conta da reforma tributária, o que vai mudar os números e porcentagens sobre os impostos das empresas. Com isso, uma contabilidade vai entender muito melhor todas essas mudanças e aplicar da forma correta

Vantagem 5: Fluxo de caixa mais organizado

A contabilidade também irá te ajudar “indiretamente”. Com as informações bem organizadas da contabilidade, será possível utilizar os dados para organizar o fluxo de caixa.

É claro, que essa é uma função da própria empresa e do empreendedor e a contabilidade não fará tudo por você. Mas com a organização da contabilidade a sua empresa vai poder manter um fluxo de caixa bem mais organizado e propenso a ficar no positivo.

Vantagem 6:  ajuda na tomada de decisões

Existem muitas decisões importantes que o empreendedor deve tomar para o andamento da sua empresa. Essas decisões podem gerar dúvidas, que podem ser esclarecidas com a ajuda especializada de uma contabilidade.

Dessa maneira, a contabilidade aparece como um conselheiro importante, para decisões ainda mais importantes que você (como empreendedor) terá que tomar.

Vantagem 7: softwares especializados

Softwares especializados vão tornar todo o processo contábil muito mais fácil. E as contabilidades contam com softwares modernos que garantem um trabalho muito mais rápido e sem erros. Que certamente irão acontecer se a empresa organizar tudo em planilhas simples.

Considerações finais: vale a pena contratar uma contabilidade?

Como o título traz uma questão, agora é o momento de responder. É importante ressaltar que aqui vou usar minha opinião pessoal, que você poderá usar como um conselho. O objetivo é mostrar uma saída para que pequenas empresas consigam trabalhar melhor.

Dessa forma, posso afirmar que contratar uma contabilidade é a saída mais inteligente, principalmente se você está começando agora e visa crescimento para o seu negócio. Se você apenas tiver uma ME, que use de forma esporádica, para emitir poucas notas, é possível que você mesmo cuide.

Agora, quando falamos de um negócio com maior fluxo de documentos e etc, que opera diariamente e produz serviços e/ou vende produtos de forma consistente. Então, para esses casos, é aconselhável contar com o apoio contábil.

Quando trabalhamos com profissionais tudo é mais seguro e garantido. Com isso, uma contabilidade poderá te ajudar com muitas questões e dúvidas. As contabilidades servem como “conselheiros”, como vimos na lista de vantagens. 

Desse modo, a contabilidade para pequenos negócios vai ajudar nos processos, cuidar dos impostos, do imposto de renda, além de dar um apoio extra. 

Dito isso, é preciso fazer uma análise antes de contratar uma contabilidade para chamar de sua. Procure referências, marque uma reunião e avalie você mesmo. O mesmo vale para a contabilidade online, que costuma ser mais barata, mas em muitos casos será uma excelente saída.

Se você foi convencido a procurar uma contabilidade, temos um artigo muito esclarecedor sobre isso: 7 dicas na hora de contratar um escritório de contabilidade 

Leia, e entenda como avaliar se o escritório de contabilidade vai ajudar a sua empresa, realmente.

E o valor gasto para contratar uma contabilidade?

Não será qualquer contabilidade que você deverá contratar. Se contratar a opção cara demais, poderá comprometer o seu orçamento, da mesma forma que contratar uma barata demais, poderá entregar um trabalho incompleto.

A questão do valor realmente é uma questão importante a se considerar nas pequenas empresas, onde cada pequeno investimento faz uma diferença enorme nos números.

Mas alguns gastos são necessários e de médio a longo prazo (alguns trazem resultados imediatos) vai ajudar o seu negócio a se desenvolver ainda mais. Dessa forma, tenha uma boa organização financeira, mesmo antes de abrir o seu negócio ou mesmo após.

Até porque é totalmente contraproducente abrir um negócio sem nenhum planejamento e sem recursos financeiros para cuidar do bom andamento da empresa. É claro, que possivelmente você não consiga contratar a melhor contabilidade da cidade, mas ainda assim encontrará uma boa para você.

Quanto antes você aprender que se tratando de negócios, não dá para fazer tudo sozinho, melhor. Até certo ponto é possível, porém em algum momento você vai precisar de profissionais qualificados para te ajudar a crescer ainda mais. Alguns gastos são necessários, e a contabilidade é um deles. 

Conclusão

No artigo de hoje, mostrei um pouco sobre a contabilidade para pequenos negócios, onde você acompanhou todas as vantagens e a minha análise sincera sobre o assunto. Desse modo, acredito ficou muito mais fácil para você mesmo responder, se vale a pena uma contabilidade para pequenos negócios, ou não.

Conte sobre o seu veredito nos comentários. Gostaria muito de saber a sua opinião sobre esse tema. Além disso, compartilhe esse artigo nos seus grupos de WhatsApp, e ajude que essa análise chegue para mais pessoas.

Para mais artigos sobre empreendedorismo e dicas sobre contabilidade, continue acompanhando o blog da Smart. Ele conta com atualizações diárias e cada artigo vai te ajudar de uma forma, para conseguir empreender de uma maneira mais efetiva e inteligente.

Agradeço a sua leitura, quero saber a sua opinião e nos vemos em breve!

Categorias
Sem categoria

Smart Niterói: Já ouviu falar em Ticket médio? Saiba o que é, e qual a sua importância para sua empresa

Conheça esse importante indicador: o ticket médio. Siga comigo nesse artigo e descubra tudo sobre ele!

A sua empresa precisa analisar alguns indicadores, para entender realmente, o que precisa modificar ou continuar fazendo para conseguir ter cada vez mais resultados, ou ainda conseguir superar pontos negativos.

Uma empresa que não analisa seus números é uma empresa que está fadada ao fracasso. Quando falamos de empreendimentos, também estamos falando de números/dados. Por isso, não interpretar os números e não utilizá-los como fontes para estratégias é um erro que ninguém deve cometer.

No texto de hoje, mostrarei o conceito e a importância do ticket médio. Além disso, vou ensinar como calcular e analisar de forma correta. Tudo para você poder usá-lo corretamente, e trazer resultados satisfatórios para o seu negócio.

Mas afinal, o que é ticket médio?

O ticket médio é a média de gastos em pedidos, ou seja, quanto maior for esse valor, mais os seus clientes gastam com seus produtos/serviços. 

Além disso, o ticket médio pode ser usado como um importante indicador de comportamentos dos seus clientes em relação a sua marca, podendo ajudar a entender a satisfação do cliente com a empresa.

O ticket médio é representado através de um número que demonstra o valor de compra que cada cliente gasta em média. Podendo ser levantado de forma ampla ou através de um, ou mais produtos/serviços.

Desse modo, se o valor do ticket médio aumenta, a quantidade de lucro tem fortes chances de aumentar. E não necessariamente, terá que conseguir mais clientes para ter mais lucro, mas sim, aumentar a quantidade gasta por quem já é cliente. 

Ticket médio: qual é a sua importância?

Ter a informação correta do ticket médio é muito importante, uma vez que ele é considerado como uma das métricas de maior importância para entender seu negócio e buscar maximizar os seus resultados.

Ele irá fornecer informações importantes para a gestão da empresa, sendo muito útil para elaborar estratégias e planejar as vendas, onde o objetivo final é aumentar o lucro através dos resultados. 

Toda essa importância se dá, pelo fato de ser mais fácil buscar formas de vender mais para quem já é cliente, do que encontrar propriamente novos compradores. Por exemplo, poderá oferecer desconto para os melhores clientes e ainda assim lucrar, por estar vendendo mais, mesmo com desconto.

Também irá precisar de menos investimento, tendo em vista que quem já é cliente, conhece e confia nos produtos ou serviços. Mas isso não significa que a empresa não deva buscar novos clientes, inclusive existem diversas formas de aumentar os resultados, veja 5 estratégias de vendas nesse outro artigo.

Visto o tamanho de sua importância, é preciso entender também como fazer a análise correta, para ter dados reais, nos quais será possível criar planos sólidos. O que nos leva para o próximo ponto.

Como fazer a análise do ticket médio?

Esses são alguns pontos importantes sobre como deverá ser a análise correta do ticket médio:

  • Não analise o ticket médio de uma maneira isolado, sempre utilize um histórico de análises. Uma vez que fazer uma análise sazonal, poderá criar dados irreais. Por isso, acompanhe de maneira ampla;
  • Analise o ticket médio da sua empresa com base nela mesmo, e no que ela vende. Uma vez que diferentes produtos e serviços têm valores diferentes o que gerará tickets médios diferentes (onde nem sempre um maior, significa que a empresa terá mais resultados);
  • Analisando o histórico e comparando os resultados atuais com seus anteriores, será possível entender se aumentaram ou não. Por isso, faça comparações mês a mês, semestre a semestre, e ano a ano, assim você terá resultados reais;
  • O ticket médio é um importante indicador, porém não o utilize como a única métrica de análise financeira da sua empresa. É importante manter a análise em outros indicadores, tais como: lucro, renda, margem de contribuição, entre outros.

Como calcular o ticket médio?

Basicamente existem duas formas de calcular o ticket médio, com base nos números de vendas e com base na quantidade de clientes. Vou falar sobre cada uma delas.

Calcular ticket médio tendo por base o número de vendas

Para calcular esse tipo de ticket médio, vamos seguir a seguinte fórmula:

TM(V) = VT / V

Onde:

TM(V) = Ticket Médio de Vendas

VT = Volume total de vendas no período escolhido

V = Quantidade de vendas realizadas

Vou usar o exemplo da empresa fictícia ELEVEN, para podermos entender. Dessa forma, vamos usar os seguintes valores:

Volume total de vendas da empresa ELEVEN : R$1.000.000,00

Quantidade de vendas realizadas: 250

Usando a  fórmula:

TM(V) = 1.000.000 / 250

TM(V) = 4.000

Dessa maneira, o ticket médio de vendas no período estipulado é de R$4.000,00. Então, a empresa poderá buscar formas de aumentar o valor do ticket médio. Aqui é onde a equipe de vendas deverá estudar formas de fazer os clientes gastarem mais (aumentando o ticket médio).

Com isso, mesmo que mantenha as 250 vendas no período, poderá ter um total de vendas bem maior. Veja, se o ticket médio aumentar para R$4.100,00 (estamos falando de apenas R$100,00), teremos o seguinte cenário:

VT = TM(V) * V

Onde:

TM(V) = R$4.100,00

V = 250

Aplicando a fórmula:

VT = 4.100 * 250

VT = 1.025.000

Se a empresa ELEVEN aumentar o TM em apenas R$100,00, o valor total irá subir R$25.000,00, sem ter que aumentar o número de vendas, apenas criando um modo de fazer cada cliente gastar um pouco mais em cada contrato.

Verifique com a sua equipe, a possibilidade de incluir produtos ou serviços que não alterem tanto o valor final da compra do cliente, tornando a inclusão um acréscimo em algo que ajude nas necessidades do cliente (que ele vai adquirir pelo baixo custo) e ainda garantir para sua empresa um aumento no TM.

Como calcular ticket médio tendo por base a quantidade de clientes

Outro método bastante comum de calcular o ticket médio é utilizando a quantidade de clientes. Onde será possível entender quais são os seus melhores clientes (que dão mais lucro), quais são clientes normais e quais menos contribuem com o montante de vendas.

Para esse exemplo prático, vou usar novamente a fictícia empresa ELEVEN. Agora, a fórmula é bastante parecida, mas será preciso utilizar outro dado chave, a quantidade de clientes. Veja:

TM(C) = VT / C

Onde:

TM(C) = Ticket Médio por cliente

VT = Continua sendo volume total de vendas no período escolhido (vou continuar com o VT igual ao exemplo anterior)

C = Quantidade de clientes (que nesse exemplo será de 142 clientes)

Aplicando a fórmula:

TM(C) = 1.000.000 / 142

TM(C) = 7.042,25352

Na ELEVEN o ticket médio por cliente no período analisado é de R$7.042,25. Com esse número será possível identificar quais são os melhores clientes, onde a quantidade de vendas estão bem acima dos R$7.042,25. E quais clientes são os piores, onde as vendas estão bem abaixo dos R$7.042,25.

Para os melhores da lista, dá-se o nome do clientes-chaves (em inglês key accounts). Os clientes-chave ou key accounts, geralmente são os que representam os 20% com mais valor gasto atribuído. 

Por exemplo:

O cliente X gastou (no período avaliado) R$20.000,00

Já o cliente Y (no período avaliado) gastou R$3.500,00.

Dessa forma, o cliente X gastou quase 3 vezes mais do valor do TM, enquanto o cliente Y gastou menos da metade do valor do TM. Para agregar ainda mais, será muito importante a sua empresa entender o quanto ela gasta para manter um cliente.

Assim poderá focar nos clientes que mais contribuem, dando descontos, criando promoções, entre outras formas de fidelizar sua carteira. Dessa forma, tendo clientes com gastos muitos maiores que o TM, e obterá lucros cada vez maiores.

Conclusão

Após explicar o conceito, a importância e como fazer os cálculos para encontrar o ticket médio, é chegada a hora de aplicar o conceito em sua empresa, e assim conseguir tirar o máximo de proveito dessa importante métrica. 

Se não conhecia o conceito de ticket médio, releia este artigo até conseguir captar todas as nuances. Além é claro, de seguir à risca o tópico de como fazer a análise do ticket médio, com isso, as chances de sucesso serão bem maiores.

Aqui no blog, você encontra dezenas de artigos interessantes, onde vai entender importantes aspectos e características do empreendedorismo. Vou deixar dois artigos para complementa a leitura atual: 

Não deixe de compartilhar esse texto nos seus grupos de WhatsApp, para que mais pessoas se familiarizem e apliquem o conceito de ticket médio. 

Agradeço a sua leitura e nos vemos em breve!

Categorias
Empreendedorismo Produtividade

Smart São Paulo: Consistência: essa é a palavra que define as pessoas bem-sucedidas

Siga o exemplo de pessoas bem-sucedidas e seja consistente! No texto de hoje, falarei sobre consistência e como ela vai te ajudar a ter sucesso.

Existem muitas pessoas bem-sucedidas e existem bilhões de pessoas que não conseguiram alcançar o sucesso. Por mais que muitos tentem criar uma receita para o sucesso, é impossível dizer com 100% de certeza, como alguém faz para “chegar lá”.

Então, não se preocupe, porque não vou tentar te passar isso hoje. Mas sim, usar um fator que está presente em muitas dessas pessoas bem sucedidas para te ajudar a entender o principal ponto de suas trajetórias: a consistência

Assim, você vai entender como ser consistente, o que vai te ajudar muito na hora de correr atrás dos seus objetivos, seja ele profissional ou pessoal. A consistência é um fator que te garante ficar alguns passos a frente dos outros.

Consistência: a palavra do dia

Podemos definir consistência como a habilidade de ser consistente, sendo aplicada em muitos âmbitos. No texto de hoje, vou focar no sentido de objetivos pessoais e profissionais, para facilitar o tema e torná-lo mais simples de entender.

Nesse sentido, podemos definir consistência como a habilidade pessoal de permanecer continuamente em atividades que vão em prol do seu objetivo de forma a tornar o processo todo uma forma de alcançar um resultado final.

Vou dar o exemplo de um atleta de levantamento de peso: ele em seu treinamento busca formas de cada vez mais conseguir levantar peso. Para conseguir progredir ele precisa ser consistente em diversos âmbitos.

Ele precisa ser consistente nos seus treinos, treinando diariamente, na intensidade necessária. Ele também terá que ser consistente na sua dieta para conseguir mais músculos e com isso ter um aumento de força. E por fim, terá que descansar de forma correta, para que seu corpo suporte essa rotina e os músculos se desenvolvam.

Podemos pensar também em um empreendedor: ele começou de baixo, mas sempre trabalhou e estudou, mantendo uma grande consistência em sua rotina. Ele nunca desistiu e por mais difícil que fosse sempre ficou consistente com seus objetivos, buscando formas de “chegar lá”.

Depois de alguns anos, ele conseguiu abrir seu próprio negócio, no começo era uma empresa pequena, com a consistência, ele continuou se profissionalizando e aplicando em seu negócio, que logo foi crescendo até se tornar um verdadeiro sucesso.

Nos dois exemplos, mostrei como a consistência é fundamental para alcançar os objetivos. Justamente para entender, que se você deseja estar entre as pessoas bem-sucedidas, você precisa buscar ser consistente em seus objetivos.

Um outro excelente exemplo, é a história de vida de Rick Chester, um brasileiro que vendia água na praia e se tornou em grande sucesso e um palestrante bastante requisitado. E dentro das suas 5 leis, ele atribuiu uma delas a ser persistente/consistente. Já falei sobre isso em um artigo sobre suas leis, vale a pena a leitura!

Problemas em se manter consistente

Ao mesmo tempo que nosso corpo e mente gostam de seguir padrões, com o tempo nossa mente tende a buscar coisas novas. E quando falamos em consistência, precisamos manter algo a longo prazo.

Consistência (nesse sentido) nada mais é do que criar uma rotina e segui-la à risca. Isso na teoria é bastante simples, mas é na prática que a maioria peca, deixando a consistência totalmente de lado.

Quando desistimos de algo no meio do caminho, nós estamos deixando para trás todo tempo (e possivelmente, dinheiro) investido nesse projeto. E é aqui que as pessoas bem-sucedidas separam-se das pessoas medíocres (medíocre significa estar na média, não é uma ofensa é onde a maioria está).

Potencial é algo que praticamente todos nós temos para algo. Mas é como lidamos com ele e nos tornamos consistentes que será possível converter esse potencial em resultados.

Porém, muitos de nós tem uma grande dificuldade em focar em algo e correr atrás disso, seja por se tornar monótono e repetitivo ou por simplesmente ter novos objetivos. 

Importante: não é porque você dedicou alguns anos da sua vida a algo, que você não pode tentar algo novo. Mesmo as pessoas bem-sucedidas, em vários momentos tiveram que começar do zero. Errar é completamente normal, por isso será melhor focar e perseguir algo novo do que ficar preso ao fracasso.

Dessa maneira, é preciso encontrar algo que realmente te motive e seja seu grande sonho. Assim será muito mais fácil driblar a sua mente e não se auto sabotar. No próximo tópico vou te mostrar alguns passos que podem te ajudar nesse processo.

Como ser mais consistente? 7 passos

Agora, vou te apresentar 7 passos que considero fundamentais para ser mais consistente. Vamos a eles!

Primeiro passo: defina um objetivo

Pode parecer óbvio, mas muitos acabam errando justamente por não definir o que realmente querem e acabam focando em vários caminhos. Porém, dessa forma não será possível ter o máximo de consistência. Para conseguir ser consistente, você deve definir onde focará as suas forças.

Quando falamos de ser bem-sucedido em algo, será preciso focar nisso. Dá para ser bom em algumas áreas, mas será que realmente é possível ser bem-sucedido em tudo? Dessa forma, tenha em mente um objetivo claro.

Se ainda não tem um objetivo, busque algo que faça realmente sentido e seja bom para você. Para garantir a longo prazo, será preciso realmente encontrar algo que combine com seu perfil. 

Segundo passo: alinhar suas ações em prol do objetivo maior

Com o objetivo definido será muito mais fácil traçar metas e objetivos diários para ficar consistente com o objetivo principal. Com isso, você irá potencializar os seus resultados.

Dessa maneira, você deve criar paralelos entre o que você faz e seu objetivo. A consistência nada mais é do que tomar ações sempre em busca de te deixar mais próximo do seu objetivo.

A grande reflexão desse passo, é se você está realmente disposto a fazer o necessário. Se você ficar parado e só de “vez em quando” buscar seus objetivos, você ficará para trás. O que nos leva para o próximo passo.

Terceiro passo: foque no processo

Por mais que seja ótimo ter um objetivo traçado, de nada adiantará se apenas olhar para o futuro. Dessa forma, o objetivo ficará sendo algo até certo ponto fantasioso. O segredo está no processo que vai te levar para o sucesso.

Aprenda a gostar do processo, dessa maneira, a consistência se tornará parte dele. A consistência são os “tijolinhos” que dia após dia vão fazendo o “muro” crescer. Não tem como fazer o muro, sem passar pelo processo de colocar um de cada vez. 

Não tem como chegar ao seu objetivo sem passar pelo processo. Quanto antes entender isso, será mais fácil ser consistente na sua jornada. Afinal, será ele que te levará até onde você almeja chegar.

Quarto passo: erros acontecem durante o processo

É claro que ninguém gosta de errar, e isso não deve ser um hábito, mas não tem como acertar sempre, por mais perfeccionista que você seja. E são às vezes os pequenos erros, que vão te fazer sair do foco e deixar de ser consistente com o seu objetivo.

Muitas pessoas estão indo muito bem rumo aos seus objetivos, trabalhando focado e motivado, porém um erro ocorre e acaba abalando a estrutura dela.

Ser consistente não significa ser perfeito e não errar, mas sim buscar sempre ser melhor. Com isso, não deixe que um erro estrague tudo o que já construiu. Para ser bem-sucedido é preciso ter consistência faça “chuva” ou faça “sol”.

Enquanto os outros passos te mostram como ser consistente, este te mostra que mesmo pessoas bem-sucedidas podem e vão cometer erros. Para chegar ao sucesso, será preciso aprender com seus erros e usar eles em vantagem própria para não voltar a errar no futuro.

Conclusão

No artigo de hoje, mostrei a importância de ser consistente, além de passos importantes que podem te ajudar a ser mais consistente. Para concluir é preciso que você saia do texto com uma certeza sobre as pessoas bem-sucedidas e a consistência.

A de que essas pessoas bem-sucedidas, são pessoas normais que usaram da consistência e persistência para chegar em seus objetivos. Eles foram firmes em seus sonhos e dessa forma, conseguiram chegar onde queriam. 

Seguindo o que mostrei no texto você também poderá se tornar uma delas.

Com isso, vai poder conquistar o sucesso que tanto almeja, independente de qual área você desejar atuar. A consistência, certamente, vai ser o diferencial entre os melhores e os comuns, por isso use ela a seu favor e não caia em armadilhas da sua própria mente.

Para mais artigos sobre empreendedorismo e temas ligados, continue acompanhando o blog da Smart. Vou deixar dois artigos sobre sucesso que vão complementar sua leitura: 

Não esqueça de compartilhar esse artigo em suas redes sociais, para que mais pessoas aprendam que a consistência é uma das chaves para o sucesso. 

Agradeço a sua leitura e nos vemos em breve!

Categorias
Marketing

Smart Rio: Você sabe o que é Marketing interativo? Conheça empresas que o estão usando com sucesso

O Marketing Interativo é uma excelente forma de engajar o seu público. Se você ainda não conhece o seu conceito, siga comigo e descubra mais sobre. Além disso, vou te mostrar exemplos práticos de grandes marcas, que se tornaram um verdadeiro sucesso com o Marketing Interativo.

As empresas que estão buscando se destacar frente aos demais, já entenderam a importância do marketing para o sucesso do negócio. Uma forma de aproximar ainda mais os consumidores da sua marca é através do Marketing Interativo.

Esse tipo de marketing, cria uma experiência única do cliente com a marca, o que vai estreitar ainda mais as relações. Além disso, ele pode ser feito de várias formas, desde algo mais simples a campanhas gigantescas (falarei sobre algumas)

Porém, o objetivo é sempre o mesmo, criar uma experiência junto ao cliente fazendo ele desenvolver uma relação com seus produtos ou serviços, ou de forma mais geral, com a marca em si. 

O que é marketing interativo?

O conceito de marketing interativo é bastante simples, é basicamente todo tipo de marketing que possibilite ao público interagir no momento com o conteúdo demonstrado. Seja através de um quiz ou outro modo que gere uma experiência pessoal com a marca, como por exemplo:

  • Transmissão ao vivo com participação do chat;
  • Jogos para celular;
  • Realidade Virtual;
  • Aplicativos;
  • QR Code;
  • Vídeos;
  • Áudios;
  • Slides;
  • Entre outros.

Esse tipo de ação pode ou não, gerar algum prêmio (seja em saldo ou cupom de desconto, por exemplo) para quem participar. O que gera maior engajamento dos envolvidos, uma vez que o cliente será recompensado por participar.

Marketing Interativo e Marketing Digital, são a mesma coisa? Porque o Marketing Digital é tão especial?

O marketing interativo faz parte do marketing digital, mas é importante saber que nem todo marketing digital pode ser considerado interativo. Uma vez que pode ser feito sem gerar algum tipo de envolvimento.

Por exemplo: esse texto que você está lendo, faz parte do marketing digital da Smart, para levar informações a empreendedores e entusiastas do assunto. Ele é um texto informativo, onde você lê e absorve o que foi passado. Mas é diferente de um quiz (marketing interativo), onde você participa e escolhe.

Veja bem, um tipo de marketing não anula o outro, os dois podem ser feitos para alavancar e gerar ainda mais valor para a sua marca. Porém, o marketing interativo tem a grande vantagem de gerar uma imersão maior junto ao público. Dessa forma ajudando a conquistar ainda mais espaço junto ao cliente.

Envolver o cliente é uma excelente forma de gerar um público fiel. O marketing interativo, quando bem feito, tem o poder de ficar na memória dos clientes, estreitando ainda mais essa relação com os consumidores.

Ele permite que a sua marca mostre toda a criatividade e crie algo novo, mostrando para o público que se preocupa com a experiência positiva que o cliente vai ter com a sua marca, e não apenas em vender um produto.

De forma resumida: o marketing interativo leva o público a envolver-se com sua empresa/marca em troca de um experiência única que agregue valor (seja financeiro ou desenvolvimento pessoal).

Conheça empresas que usaram o Marketing Interativo com sucesso

Para exemplificar o que foi dito no texto, reuni campanhas de Marketing Interativo de grandes marcas que foram um verdadeiro sucesso. Mostrando ainda mais o poder que o Marketing Interativo possui. Vamos a elas!

Clash Up by Eko: musical interativo

Aqui temos um belo exemplo de como “sair da bolha” e criar algo único. O Clash Up by Eko criou um site interativo, onde era permitido para os usuários criarem suas próprias mixagens, juntando diferentes faixas e artistas em uma única música.

Isso criou um grande engajamento do público, além de trazer reconhecimento extra para os artistas que utilizaram dessa experiência para criar suas músicas. 

Santa Sleigh Ride Coca-Cola: Realidade virtual

A realidade virtual é uma divertida e excelente forma de criar uma experiência interativa para os usuários. Pensando nisso, em 2015 (durante o período de férias), a Coca-Cola ofereceu um passeio com um trenó interativo do Papai Noel.

Para acessar essa realidade virtual fascinante o público usava o dispositivo Oculus, um headset onde é possível ter acesso a conteúdos interativos de realidade virtual. Juntando os dois, criam uma experiência única para quem participou da campanha.

Foi um verdadeiro sucesso para ambas as marcas. E certamente, criou uma memória que ficou viva nos corações de quem participou. O que só reforça o poder do marketing interativo de criar experiências para os consumidores.

L’Oréal Mobile Taxi Shops: QR Code

O QR Code é usado em praticamente todos os meios de comunicação visual. O seu objetivo através do escaneamento é levar o usuário para mais informações sobre uma marca, produto ou serviço. Sendo uma excelente forma de introduzir o Marketing Interativo.

Pensando nisso, a L’Oréal criou uma experiência interativa: o Mobile Taxi Shops. Onde QR Codes foram colocados em táxis de algumas cidades.

Assim que o usuário escaneava o QR Code com seu celular, ele era redirecionado para um site para realizar o download de um aplicativo da L’Oréal de e-commerce. Além de criativa, essa campanha trouxe grandes resultados para a marca, justificando seu investimento na campanha.

NBA: Evento virtual (durante o lockdown)

Como grande fã de basquete, pude acompanhar essa campanha de perto. Foi uma utilização do Marketing Interativo para contornar o momento que o COVID estava espelhado pelo mundo todo.

Com as cidades americanas e canadenses (onde ocorrem os jogos da NBA) em lockdown, os jogos de basquete ficariam sem público. O que aconteceu com todos os esportes, quem é fã de algum, sabe do que estou falando.

Mas a NBA foi muito criativa em lidar com esse momento de caos. Junto à plataforma da Microsoft, a Microsoft Teams, eles criaram uma maneira única dos fãs acompanharem os jogos de basquete remotamente.

Enquanto os fãs assistiam aos jogos as suas imagens capturadas pela webcam eram transmitidas para telas que foram colocadas nos lugares onde estariam a torcida, possibilitando para os jogadores a sensação de multidão que estavam acostumados.

Campanhas como essa, que tem um grande público envolvido, além de envolver a paixão das pessoas pelos seus times, são bastante influentes e trazem um excelente retorno.

Alexa: Chatbot

Alexa é uma IA (inteligência artificial) da Amazon que foi criada para ser um chatbot, isto é, uma IA que respondia às dúvidas dos usuários do site. Além disso, ela permite que você efetue compras por simples comandos de voz.

Esse é um exemplo de Marketing Interativo bem aplicado, quando a criação acaba indo mais além do que a própria marca esperava. Hoje ela se tornou referência em como cuidamos de nossas casas, ficamos organizados e lidamos com IA de forma simples, fácil e objetiva.

Como dito, algumas vezes a campanha de Marketing Interativo, acaba indo além da sua proposta, o que é excelente para a marca. Onde tudo que idealizou se realizou, indo muito além e conquistando o público de um jeito bastante completo. 

MyHeritage’s Deep Nostalgia: Personalização

O MyHeritage resolveu homenagear os entes queridos que não estão mais presentes nesse plano. Para isso, criaram uma campanha, onde os usuários criavam uma conta e carregavam fotos dos seus entes queridos, tornando essas fotos em fotos animadas (com movimentos).

Sendo uma forma de resgatar a memória dessas pessoas tão queridas. Bastante comovente e emocionante, essa campanha de Marketing Interativo bateu fundo no coração dos seus usuários.

Pokémon Day feat Post Malone: Show interativo

Em homenagem aos 25 anos da aclamada série de jogos e desenhos animados: Pokémon, a sua equipe criou um show incrível com a participação do rapper Post Malone. Isso por si só, já seria um grande evento. Porém, eles foram além.

Além de transmitir ao vivo, o cantor foi transformado em um desenho animado e interagiu com os personagens da série. Sendo um grande show para as crianças, e para seu país também. Dessa forma, foi criado um evento único e que, certamente, marcou quem acompanhou.

Conclusão

No texto de hoje, mostrei o que é o Marketing Interativo e sua importância para as empresas. Além disso, apresentei exemplos famosos de como o Marketing Interativo foi aplicado. Espero que isso inspire empreendedores a investir no Marketing Interativo e ter grande sucesso através dele.

O blog da Smart conta com diversos artigos sobre marketing, vou deixar três deles, para você ter ainda mais ideias para utilizar o marketing em seu empreendimento:

Além desses, o blog conta com outros excelentes artigos sobre marketing e empreendedorismo. Compartilhe esse artigo com seus amigos através das suas redes sociais e mostre o poder do Marketing Interativo.

Agradeço a sua leitura e nos vemos breve!

Categorias
Empreendedorismo

Smart Brasília: Advogado pode ser empresário? Descubra, e saiba como abrir CNPJ da maneira correta

Você é advogado, mas sempre teve o sonho de abrir sua própria empresa? Se a sua resposta for sim, vou te explicar se isso é possível, além de detalhar como abrir CNPJ da maneira correta (nesse caso). Siga comigo e descubra!

O curso de Direito é um dos mais buscados e respeitados entre todos. A possibilidade de ser um advogado, é um sonho de muitos jovens e adultos, que buscam o reconhecimento, aprendizado e excelentes ganhos financeiros dessa aclamada profissão.

Do mesmo jeito, uma parcela desses profissionais também sonha em empreender. E se eu te falar que é possível ser os dois? Tanto advogado, como empresário. 

Certamente, seria o ideal para muitos. E sim, é possível fazer isso. No artigo de hoje, vou explicar melhor. 

Além disso, vou mostrar como abrir CNPJ para advogados, assim, você poderá fazer tudo dentro do que é legal, mas é claro, que como estou falando em advogados, eles já devem estar com a Lei na ponta da língua, mas vale a pena, reforçar.

Advogado pode ser empresário?

No sentido literal da palavra, não. Já que advogados (bem como quem exerce profissão intelectual, como médicos, dentistas, etc.) não podem ser considerados empresários.

Pelo fato do empresário ser apenas quem atua de forma profissional com uma atividade econômica organizada voltada para a circulação ou produção de bens e/ou de serviços. Dessa forma, ficando fora do que é proposto para a função de um advogado. 

Em uma situação que um advogado deixa de lado a formação e resolve abrir uma empresa em outro segmento, poderá ser empresário em outro ramo. O “X” da questão é esse, um advogado atuando como advogado não é um empresário, mas atuando em outra área pode ser sim.

Porém, isso é uma questão de significado, na prática, um empresário é quem tem um negócio. E advogados podem ter uma empresa, apenas o seu tipo de empresa que é diferente de outras, as sociedades simples e não as empresárias. 

Dessa forma, podemos considerar que advogados podem ser empresários (no sentido abrangente e não literal do termo) e ter CNPJ próprio. Sendo dono (ou sócio) de uma empresa de advocacia. 

Sendo que as sociedades simples de advogados são registradas junto à Seccional da OAB, onde o advogado (ou advogados) está registrado. Diferentes das sociedades empresariais que devem se registrar na Junta Comercial. 

Então, mesmo não sendo literalmente um empresário, ainda assim o advogado poderá ser um empreendedor e agir como tal, visando aumentar o número de clientes, gerenciar todo um negócio, etc. Sendo na prática um empresário tanto quanto qualquer outro.

Como abrir CNPJ para advogado?

O processo é bastante simples e demora poucos dias para ser oficializado. Onde, basicamente, deve ser elaborado um ato constitutivo, isto é, um contrato social de uma Sociedade Simples ou de uma Sociedade Unipessoal, com todos os dados dos sócios (se houverem).

Após isso, deve ser protocolado na junta comercial da região em que ocorreu o registro. Além disso, é preciso ter uma inscrição municipal, alvará da Prefeitura e o registro na Receita Federal, e caso necessário, um credenciamento para emissão de notas fiscais e de licenciamentos.

Dica importante: para que todo esse processo ocorra da melhor maneira, é aconselhável buscar a ajuda de profissionais com especialização em contabilidade voltado para escritórios de advocacia.

Pontos importantes antes de entender como abrir CNPJ para advogados

Para ter um CNPJ para advogados, é preciso seguir algumas regras, entre as quais posso destacar:

Registro na OAB

Antes de pensar em qualquer procedimento, em ter uma empresa, como abrir CNPJ para advogados, entre outros trâmites, é necessário possuir um registro regularizado junto a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). E a empresa só terá personalidade jurídica após o deferimento da própria OAB.

Com tudo correto em relação ao registro na OAB, será preciso registrar o ato constituinte da sociedade e pagar uma taxa que será equivalente à quantidade de sócios na sociedade.

Tipo de sociedade

Para os advogados, a Lei nº 8.906 de 1994 ou o Estatuto da Advocacia da OAB determinou que os advogados poderão se reunir através de uma Sociedade Simples ou Sociedade Unipessoal de Advocacia.

Também fica claro, que a finalidade dessa sociedade deve ser o exercício da atividade de advocacia, ficando proibido de desempenhar outros tipos de atividades.

É por isso que o CNPJ para advogados é somente para essa função, tendo em vista que não poderia atuar como um LTDA (sociedade limitada), porque esse tipo de natureza consta com atividades empresariais.

Por essa razão, o CNPJ para advogado não pode ser aberto na forma de Sociedade Limitada (LTDA), por exemplo, pois essa natureza jurídica prevê atividade empresarial.

Já na Sociedade Simples, ela é composta por sócios que estejam na mesma categoria profissional, unidos para desempenhar atividades na mesma área (isso também ocorre com médicos, psicólogos, dentistas, etc.). O que possibilita para os advogados terem sua sociedade.

Para os advogados que pretendem empreender sozinhos, existe a  Sociedade Unipessoal de Advocacia que também é voltada exclusivamente para essa função. 

Tendo em vista que outros modelos empresariais individuais como: Empresa Individual de Responsabilidade Limitada (EIRELI), Empresário Individual (EI) e Microempreendedor Individual (MEI), não são permitidas para advogados. 

Regime tributário

Os advogados poderão escolher qualquer entre os três regimes disponíveis:  Simples Nacional, Lucro Real ou Presumido, desde que se enquadrem nas regras aplicáveis. 

Para se enquadrar no Simples Nacional, o faturamento anual deverá ser de até 4,8 milhões de reais, além de não estar impedido por quaisquer vedações da lei. 

os outros dois modelos estão disponíveis para qualquer empresa de advogados. Exceto aos que faturarem acima de R$7.800.000,00 por ano. Para essas, obrigatoriamente terão que estar no regime do Lucro Real.

Importante: se tiver dúvidas na hora de escolher qual regime, procure um contador, ele te ajudará a escolher a melhor opção, mostrando qual será mais vantajoso para os ganhos da sua empresa, bem como no pagamento de impostos.

Inscrição Municipal

Como dito acima, a sociedade dos advogados deverá possuir a Inscrição Municipal e está credenciada na prefeitura para emitir notas fiscais eletrônicas (NF-e)

Por que isso corre? Porque o ISS (um dos impostos aplicados sobre os serviços) é um valor definido pelo município, sendo que cada cidade tem suas próprias regras para cadastrar e emitir documentos.

Para mais informações, no blog da Smart temos um artigo completo com um passo a passo para emitir o CNPJ e emissão de notas fiscais, certamente, vale a leitura, como complemento a este artigo.

Nome correto

Até no nome da empresa dos advogados (ou advogado) será necessário seguir algumas regras específicas:

  • Na razão social precisará conter o nome de ao menos um dos advogados presentes na sociedade;  
  • É totalmente proibido utilizar um nome fantasia nesse tipo de sociedade;
  • Para as empresas que tiverem sócios, estão permitidas apenas 5 expressões para compor o nome da sociedade, são elas: “advogados”, “sociedade de advogados”, “sociedades de advogadas e advogados”, “advogados associados” ou “advocacia”;
  • Já para a Sociedade Unipessoal, é preciso usar a expressão “sociedade individual de advocacia”.

Dica: Endereço Fiscal

Independente de qual seja o tipo de empresa, será necessário ter um endereço fiscal (sem isso não é possível registrar uma empresa e/ou ter CNPJ). No caso dos advogados, isso não é diferente.

Uma dica que casa muito bem com empresas de advogados é atuar em coworking (escritórios compartilhados), o que vai garantir uma economia gritante nos custos para manter um escritório além de trazer todas as vantagens de ter um endereço fiscal em um coworking.

Com muito orgulho, apresento para todos que buscam o melhor em coworking, a Smart Escritórios Inteligentes. Vale a pena conhecer sobre e descubrir porque a Smart é a melhor do Brasil nesse segmento.

Recentemente inauguramos em São Paulo, na região da Berrini, uma unidade da Smart Coworking, perfeita para quem busca ter seu endereço fiscal em um dos endereços mais cobiçados de São Paulo. Se você é da região, precisa conhecer essa unidade. 

Considerações finais: no geral, vale a pena abrir CNPJ para advogado?

Agora, que já apresentei o máximo de informações sobre ter uma empresa e como abrir CNPJ para advogados, é hora de fazer uma análise, se realmente, é a melhor escolha para esses profissionais. 

Vou te apresentar dois motivos fundamentais, que provam que ter um CNPJ para advogados é a melhor escolha:

  • A possibilidade de emissão de notas fiscais, aumenta o leque de possíveis clientes para os advogados. Tendo em vista que muitos precisam de notas para contratar um serviço;
  • A questão tributária também será muito mais econômica, tendo um CNPJ. Veja:
  1. De forma autônoma um advogado paga maiores tributos, o IRPF é descontado e qualquer valor acima de R$4.664,68 será tributado por uma alíquota de 27,5%;
  2. Já com uma empresa, no Simples Nacional, as alíquotas ficam 4,5% para faturamentos anuais de até 180 mil reais;

Não esqueça de compartilhar este artigo nas suas redes sociais, para que seus contatos fiquem antenados sobre empreender sendo advogado. Certamente, você tem algum amigo (ou amiga) que está cursando direito e esse artigo dará um norte para ele (ou ela).

Agradeço a sua leitura e nos vemos em breve!

Categorias
Marketing

Identidade Visual: Qual a importância para os pequenos negócios?

Por ter um pequeno negócio, você acredita que a identidade visual não tem tanta importância? Se a resposta for sim, você não poderia estar mais errado. E no texto de hoje, vou te mostrar o porquê. 

A identidade visual é muito importante para empresas que buscam tornar a sua imagem forte junto ao mercado. A identidade visual vai ajudar a sua marca a se destacar entre as demais e mostrar mais sobre os valores da sua empresa.

Porém, os empreendedores de pequenas empresas costumam negligenciar a identidade visual, o que é um grande erro, pois a identidade visual ajuda na construção da sua marca e mostrará que a sua empresa está buscando seu lugar ao sol.

Siga comigo, que no artigo de hoje, vou mostrar para os empreendedores que as pequenas empresas serão muito beneficiadas por uma identidade visual de qualidade.

Afinal, o que é Identidade Visual?

Identidade visual não é algo usado apenas por empresas, eventos, shows, etc. Empresas também podem e devem ter a sua identidade visual. Porém, como o foco são as pequenas empresas, vamos nos ater a esse contexto, para ir direto ao ponto. Afinal, tempo é dinheiro.

Dito isso, a identidade visual (nas empresas) pode ser entendida como um sistema de componentes visuais que representam a marca. De forma ampla, a identidade visual de uma empresa é composta pelo logo da empresa e todos os conceitos gráficos aplicáveis, como a paleta de cores, por exemplo.

Essa padronização de símbolos e elementos gráficos fazem parte de tudo que representa visualmente a marca. Já de forma aplicada, cada empresa terá sua própria identidade visual, seja de forma positiva ou negativa.

A identidade visual também vai além de apenas um logo, ela corresponde a tudo que foi planejado para representar a empresa. Dessa forma, podemos dizer que fazem parte da construção da identidade visual, alguns elementos, que podem ser:

  • Digitais: o site da empresa, avatares e capas nas mídias sociais, assinatura do e-mail, foto do WhatsApp, vinhetas, entre outros;
  • Físicos: cartão de visita, envelopes, pastas, papel timbrado; apresentação em revistas, camisetas, folders, embalagens, canetas, outdoors, os uniformes dos colaboradores, fachada da loja/empresa, veículos adesivados, entre outros.

Qual a importância da identidade visual (para as pequenas empresas)?

Agora que entendemos um pouco sobre o conceito de identidade visual, vamos tratar do foco do nosso artigo, as pequenas empresas. E explicar de uma vez por todas, que a identidade visual é importante para qualquer empresa, independente do tamanho.

Porém, por motivos óbvios (e quando digo óbvios, falo das questões financeiras), as pequenas empresas costumam deixar de lado os investimentos nesse segmento da empresa.

Onde muitas vezes, apenas apostam em um logo genérico e uma estampa na camisa dos funcionários. Se isso ocorrer na sua empresa, é possível que você tenha achado essa “saída” justificável e correta.

Bom, é claro que entre pagar as contas e investir em identidade visual, a escolha parece bastante óbvia, e é. Porém, não podemos diminuir a importância de uma identidade visual bem trabalhada.

Pegue os exemplos das empresas maiores, todas elas têm uma identidade visual e investem pesado nesse ponto. E acreditem, as grandes marcas não jogam para perder. Tudo o que demanda investimento é porque gerará resultados.

Tem que pensar como os grandes para poder chegar cada vez mais próximo deles. É claro, que uma empresa pequena não dispõe dos mesmos recursos das grandes. Dessa forma, é preciso utilizar movimentos exatos, para usar os recursos da melhor forma. 

Logo de cara, é preciso ter um logo que represente a empresa e que converse com o público. Afinal, será este símbolo que as pessoas vão lembrar quando pensarem na sua marca.

Não dá para dissociar o logo da empresa, é como um time de futebol, o seu escudo é tão conhecido quanto o seu nome. Já vem à cabeça quando você pensa nele. Basicamente, isso ocorre com todas as empresas também. 

Por isso, é tão importante ter um logo (e todos os elementos que já citei acima) trabalhado para representar o seu pequeno negócio da melhor forma. Com isso, a sua empresa terá um ar muito mais profissional e vai causar uma excelente impressão para todos que veem a sua marca.

Importante: da mesma forma que uma identidade visual bem trabalhada agrega valor para sua marca (junto ao mercado e aos consumidores), uma identidade visual toda poluída, feita de qualquer jeito e sem preocupação com o sucesso, vai manchar a forma que as pessoas verão a sua empresa.

Então, por mais que pareça que no curto prazo, investir em identidade visual parece um desperdício, logo você verá, que ela tem o poder de dar vida a sua empresa. Por justamente, ser algo feito para quem procura ficar mais próximo dos clientes e futuros clientes, mostra vontade de crescimento da empresa.  

Benefícios de uma identidade visual bem feita

Para entender melhor, vou listar alguns benefícios de ter uma excelente identidade visual em sua empresa:

  • Identificação por parte do público: com um processo de construção de identidade visual bem feito, o público irá entender logo de cara do que a sua empresa trata, além de criar uma relação mais harmoniosa (pela identificação simples e fácil) com os clientes. Gerando uma fácil diferenciação das outras marcas;
  • Padronização: a identidade visual vai proporcionar uniformidade e mais organização no visual da empresa. Com isso a empresa trará sua “cara” em tudo que produzir para divulgação;
  • Possibilidade de expansão/crescimento: com uma boa identidade visual, o caminho (visual) para o crescimento já estará pronto, o que ficará muito mais fácil para a empresa poder expandir, sem ter que mudar toda a sua identidade visual;   
  • Diretrizes da marca: como mostrei acima, a identidade visual pode ser usada em dezenas de elementos digitais e físicos. Se a identidade visual foi bem planejada ela já terá as diretrizes e templates, que a sua empresa vai utilizar para determinado ponto.  

Dois conceitos para melhorar a identidade visual da sua empresa: branding e neuromarketing

Esses dois conceitos são muito trabalhados pelas empresas de sucesso. Dessa forma, saber mais sobre eles, vai ajudar a sua empresa a evoluir e conseguir crescer graças a uma identidade visual bem trabalhada e que transmita o “espírito” da sua marca.

Branding

Branding é a gestão da marca de uma empresa, com ações que visam tornar a marca da empresa mais sólida junto aos consumidores. Seu processo visa resultados de médio a longo prazo, que o tempo que a sua marca terá para conseguir crescer e se desenvolver junto ao público.

Existem inúmeras ações que são planejadas e executadas para trazer os resultados. Não é apenas sobre propaganda, mas sobre criar um vínculo emocional com o consumidor. Tornando a sua marca uma referência para os clientes.

A identidade visual faz parte desse trabalho do Branding, para utilizar os melhores elementos para demonstrar os valores que a sua empresa quer passar. O Branding potencializará ainda mais o poder da identidade visual, ainda mais se trabalhado com os elementos do neuromarketing.

Neuromarketing

Identidade Visual

O neuromarketing estuda e compreende alguns fatores que influenciam os clientes na hora de comprar. É um estudo de formas de estimular a mente dos clientes e possíveis clientes a buscarem a sua empresa. Entre seus principais benefícios posso citar, que:

  • Ajuda a potencializar as vendas;
  • Ajuda no desenvolvimento de produtos direcionados aos desejos do público;
  • Melhora a experiência dos clientes com a sua marca.

Facilmente, os conceitos do neuromarketing podem ser usados na composição da identidade visual da sua empresa. Trazendo conceitos que, certamente, vão ajudar no desenvolvimento do logo, e demais elementos que compõem a identidade visual da sua marca.

Dica extra: utilizando redes sociais do jeito certo

Uma forma de potencializar a sua marca (bem como a identidade visual) é entender a plataforma que está divulgando a sua empresa. Para poder produzir o tipo de material que mais está em alta no momento.

Por exemplo: recentemente, o Instagram passou por mudanças nas suas diretrizes, onde está visando ser uma plataforma de entretenimento e não apenas de fotos. Dessa forma, é importante “nadar” a favor da maré e produzir o tipo de material que a plataforma está priorizando.

Conclusão

No artigo de hoje, mostrei o conceito e a importância da identidade visual para as pequenas empresas. Além disso, apresentei dois conceitos que, certamente, ajudarão os empreendedores a potencializar os resultados no negócio, através de um trabalho de qualidade com a marca.

O marketing é um grande trunfo de grandes empresas, com isso fica claro que a identidade visual é um dos elementos mais fortes na relação empresa e consumidores (público alvo), para conseguir chegar até mais clientes e potenciais clientes, tornando sua marca reconhecida e respeitada.

Para mais artigos sobre marketing e empreendedorismo, continue acompanhando o blog da Smart. Ele conta com constantes atualizações de artigos que, certamente, ajudarão o seu negócio, seja ele grande ou pequeno (que é nosso maior foco).

Hoje ficamos por aqui. Agradeço a sua leitura, e peço que compartilhe esse artigo em suas redes sociais, para que mais pessoas tenham acesso a esse tema tão importante. Um forte abraço e nos vemos em breve.