Categorias
Administração Empreendedorismo

6 Negócios em alta em 2021

Se você está pensando em empreender e ainda não sabe em qual setor, aqui vamos dar algumas dicas de negócios em alta para começar 2021 com o pé direito e terminar com o bolso cheio.

 Muitas pessoas se perguntam se este é o momento de empreender no Brasil, e nós dizemos que sim! Tempos de crise também são tempos de oportunidade, e a época de começar a empreender para 2021 é agora!

Se você também teve que adiar seus planos e projetos para o ano que vem devido à pandemia, saiba que muita coisa mudou.

Os serviços não presenciais e de entrega estão em alta, principalmente nos setores de alimentação, saúde e até de hotelaria.

Mas antes de conhecer os negócios em alta, você precisa conhecer os estágios do empreendedorismo. Para isso, leia este artigo.

Agora que você está pronto para escolher em qual alvo vai lançar a flecha, vamos descobrir qual é o melhor ramo para você!

Comércio eletrônico

negócios em alta

Nunca na história estivemos tão pendentes do celular, não é? Com o distanciamento social gerado pelo coronavírus, muitas empresas saíram da loja e foram para o aplicativo do seu telefone.

Da mesma forma, as aulas e reuniões passaram a ser a través de videoconferências, o escritório passou a ser a sala de casa e os aplicativos de delivery nunca foram tão utilizados.

Algumas dessas tendências se consolidaram em 2020 e vão marcar a tendência dos negócios em alta para 2021. Até o Google já anunciou que vai disponibilizar cursos à distância que podem substituir os diplomas acadêmicos.

Logo, apostar em startups, venda de e-books e trabalhar com desenvolvimento de aplicativos para o celular nunca tiveram tanta demanda. Além destes, podemos destacar o trabalho freelancer e de tradução.   

Em resumo, apostar no e-commerce é acertar no centro do alvo.

Revenda de produtos

negócios em alta

Surfando na onda do e-commerce, a economia colaborativa da revenda de produtos está entre os negócios em alta para 2021. Sejam produtos artesanais, roupas usadas, discos ou livros, vale a pena apostar neste mercado.

Os brechós temáticos já são uma tendência desde 2019. Comprar roupas usadas, arrumar ou dar uma cara nova e depois revender pela internet é um negócio tão rentável que já virou série da Netflix.  

Isso acontece na série “Girlboss”, disponível na plataforma digital. Se quiser conhecer mais dicas de série sobre empreendedorismo na Netflix, leia este artigo que fizemos sobre isso!

Outro tipo de revenda que está em alta é a dos discos de vinil e livros antigos. Exemplares de livros escritos em língua original e de primeira tiragem são muito valiosos, assim como discos raros e internacionais.

Para isso, você vai ter que fazer um trabalho de “garimpo” através dos principais sites nacionais e internacionais, mas uma vez que encontrado o produto vai ganhando valor com o simples passar do tempo.

Saúde, higiene e beleza

negócios em alta

As preocupações com a saúde e a higiene, somadas às dificuldades para cuidar da beleza durante o distanciamento social criaram este nicho de mercado que deve seguir em alta em 2021.

A pandemia nos mostrou como são importantes os cuidados na higiene e na limpeza do lar. Por isso, investir na entrega de produtos e artigos de higiene e saúde é algo que não vai desaparecer com o surgimento de uma vacina.

Além disso, as pessoas descobriram com a ajuda de tutoriais e dicas online como cuidar da beleza estando em casa. A venda de cosméticos naturais cresceu entre 8 e 25% no mundo todo em 2020.

Sendo o delivery muito mais econômico e menos trabalhoso de que ir a clínicas, estéticas, barbearias e salões de beleza, apostamos que este mercado vai estar nos negócios em alta para o ano que vem.

Comida saudável

negócios em alta

Outro ramo que sai da mesma árvore que o anterior é o da comida saudável.

As pessoas em casa descobriram as vantagens de comer de maneira sustentável e saudável, e a tendência é que sigam mesmo na nova normalidade.

Segundo pesquisa recente do IBOPE, 14% da população brasileira se diz vegetariana. Somam-se a isso os novos hábitos de consumo que apontam para uma sociedade mais preocupada com a sustentabilidade.

Por isso, investir em hambúrgueres vegetarianos, pizzas e cervejas artesanais, tortas sem glúten, comida para celíacos, pratos veganos, etc, é uma aposta promissora.

Aluguel de hospedagem

Negócios em alta

Com as restrições impostas a hotéis e albergues em 2020, muita gente descobriu as facilidades de alugar hospedagem por temporada, e este vai estar entre os negócios em alta para 2021.

Seja um apartamento no centro da cidade ou uma cabana na serra, o aluguel por dia ou por semana cresceu muito em comparação com o sistema hoteleiro tradicional.

Isso não se deve somente aos cuidados com a questão da higiene dos espaços compartilhados, mas também com o conforto, como por exemplo, o de ter uma cozinha particular.

A tendência é que mais pessoas que tem um imóvel desabitado passem a alugar de maneira temporária.

Mas isso não significa uma guerra comercial. Devido á caída (e até o fechamento) no setor hoteleiro, estas modalidades vão poder competir com um valor de mercado maior e vão estar entre os negócios em alta.

Coworking

Outro setor que cresceu muito foi o do modelo de trabalho coworking.

Com a dificuldade de manter em dia um aluguel, muitos empreendedores se deram conta das vantagens de utilizar salas, escritórios e estações de trabalho dentro de um coworking.

Os trabalhadores que se viram confinados ao home office durante a pandemia estão vendo no coworking um modelo intermediário entre o conservadorismo dos escritórios e as distrações do home office.

E se o coworking está entre os negócios em alta para 2021, por que você deixaria a sua empresa de fora?

Basta você entrar em contato com a Smart Coworking e descobrir a unidade mais próxima a você!

Além disso, aproveite o plano Smart Black que lhe dá todos os benefícios que você e sua empresa precisam!

Categorias
Administração Empreendedorismo

Comece seu planejamento financeiro 2021

2021 é logo ali e você ainda não fez o seu planejamento financeiro? Não precisa se preocupar! Leia este artigo até o final para saber mais.

 A falta de um bom planejamento financeiro é o que leva a maioria das empresas à quebra. Investir em áreas que só darão retorno a longo prazo ou ter gastos fixos muito altos são os erros mais comuns.

O que você precisa saber, antes de tudo, é onde você vai investir e onde cortar gastos. O planejamento financeiro passa antes de tudo pelas escolhas corretas que você faz para a sua empresa.

Neste artigo, vamos elucidar as principais dicas para que você possa começar hoje mesmo seu planejamento financeiro para o ano que vem, com calma e assertividade.

Vamos lá!

 

Faça uma retrospectiva

Para saber o que vem, precisamos olhar para atrás. A frase é tão antiga quanto correta. É por isso que você vai começar analisando seus dados passados, sabendo onde gastou demais, onde teve retorno e onde perdeu dinheiro.

Porém – e isso é muito importante –, este ano de 2020 foi extremamente atípico. Assim que não basta olhar apenas os resultados dos últimos meses.

Tome um tempo para analisar dados dos últimos três anos. Se preciso consulte o seu contador. Faça esta parte com calma para não se equivocar e voltar a cair em erros passados.

É melhor gastar um pouco mais de tempo agora que um pouco mais de dinheiro no ano que vem.

 

Desenvolva objetivos e metas

planejamento financeiro

Feito isso, vamos começar a planejar.

Seu planejamento financeiro vai começar pelos objetivos a longo prazo para depois ver as metas a curto prazo.

Importante: seja realista! Se sua empresa se encontra em dificuldades, não espere resultados tão prontamente. Algumas metas que seriam a curto prazo vão ter que ficar para mais tarde, até a empresa se reestruturar.  

Se você tem dívidas e gastos fixos, renegocie. Você não vai conseguir estipular objetivos e metas se passar todo o primeiro semestre trabalhando para pagar as dívidas acumuladas em 2020.

As metas a curto prazo devem prever um desgaste natural do mercado, devido à crise financeira causa pela pandemia do coronavírus. Além da mudança no comportamento de compra, as pessoas estão mais inseguras na hora de gastar dinheiro.

Defina estratégias

Você agora precisa definir estratégias para alcançar suas metas e objetivos.

Para isso que você juntou aqueles dados dos últimos anos, para não errar e saber o que estava dando certo.

Converse com seus colaboradores, com outros empreendedores da área… nestes tempos desafiadores, é muito importante compartilhar conhecimento.

Uma dica para que as suas estratégias funcionem é fazer um planejamento semanal.  Defina o que você pode fazer semana a semana para atingir metas mensais ou bimestrais.

Para saber se tudo está indo no rumo certo, faça reuniões periódicas com seus colaboradores e equipe de trabalho, sempre atento ao que o mercado e os seus clientes estão lhe dizendo.

 

Analise o novo comportamento de compra

Muito importante!

Com o distanciamento social, o comportamento de compra mudou drasticamente. Algumas tendências acabaram por consolidar-se antes que o mercado previa, e não restou nada para as empresas a não ser se adaptar.

A principal mudança foi a afirmação do e-commerce. As transações financeiras estão sendo feitas diretamente a través de aplicativos e as entregas por meio do delivery, seja ele próprio ou terceirizado.

Por que isso é importante? Porque se você tem um ponto de venda físico, é bem provável que o movimento de impulsive buyers, que já despencou neste ano, aumente muito pouco em 2021.

Por isso você deve levar e muito o comportamento de compra do seu cliente em conta no seu planejamento financeiro.

Simule diferentes cenários

Está certo que ninguém consegue antecipar uma pandemia, mas há outros fatores que impulsionam uma crise financeira que você pode levar em conta no seu planejamento econômico.

Quando você analisa a lucratividade da empresa, você pode ver na sazonalidade dos meses a diferença entre cada um. Com os dados dos últimos anos, você vai poder definir cenários

Trate de desenvolver um cenário muito positivo e um muito negativo. Depois defina dois ou três cenários intermediários.

Planeje com antecipação as medidas que serão tomadas em cada cenário.

Corte gastos desnecessários

Quando você faz o seu planejamento financeiro, você coloca em uma coluna os gastos fixos e os gastos variáveis em outra, não é mesmo?

O que normalmente acontece durante o planejamento financeiro é que os empreendedores vão direto nos gastos variáveis quando há uma necessidade de cortar gastos.

Isso resulta em um decréscimo de qualidade no seu produto, que faz com que os clientes deixem de consumir e seja mais difícil conseguir novos compradores.

Existe ao menos um gasto fixo que já caiu em desuso e isso foi reafirmado durante o distanciamento social causado pela pandemia.

O aluguel, que há décadas tem sido um problema para micro e pequenas empresas, passou a ser opcional, e pode não ser mais considerado um gasto fixo.

Se você passar a sua empresa para o coworking, você escolhe os horários em que vai usar o seu escritório ou a sua sala de reuniões, evitando assim pagar um aluguel de uma sala 30 dias por mês sendo que você usa apenas poucas horas por dia.

Primeiro passo: leia este texto para saber se o coworking encaixa no seu modelo de negócio.

Segunda passo: descubra qual unidade da Smart Cowowrking está mais próxima a você.

Terceiro passo: entre hoje mesmo em contato com os profissionais da Smart Coworking e descubra todos os planos que a Smart tem para você!

Com esta dica você já pode otimizar seu planejamento financeiro para 2021, passando o “aluguel” para a coluna dos gastos variáveis e usando esse dinheiro para investir na sua empresa!

Categorias
Administração Empreendedorismo

Precisando reduzir custos na empresa? Temos a solução

A crise financeira também afetou a sua empresa? Chegou a hora de reduzir custos. Mas não se apresse! Leia este artigo até o fim e saiba exatamente onde cortar gastos!

 O IBGE estima que, em julho de 2020, mais de 522 mil empresas no Brasil já haviam fechado as portas por conta da crise econômica gerada pelo coronavírus.

E mesmo antes da pandemia, em matéria apresentada pela Veja em 2019, estima-se que seis em cada dez novas empresas fecham as portas em menos de cinco anos de atividade.

Uma das principais metas de uma empresa é balancear as finanças. Reduzir custos desnecessários para refletir nos lucros.

Muitas empresas têm terceirizado colaboradores, mas isso acaba mostrando uma queda na qualidade do serviço prestado. Outras utilizam a tecnologia para automatizar tarefas, mas o resultado tem sido o mesmo.

E é aqui que muitos empreendedores erram. Alguns tratam desesperadamente diminuir a folha salarial, demitindo funcionários que ali na frente poderiam se mostrar essenciais, gerando lucros para a empresa.

Inclusive se tornou um dilema ético a demissão nestes tempos de pandemia. Precisamos entender que estamos todos no mesmo barco, tanto você quanto seus colaboradores, fornecedores e clientes.

Outro erro crasso é diminuir na qualidade da matéria-prima do seu produto ou serviço. Muitos clientes se afastam quando notam essa diminuição na qualidade.  

Nesta busca diária para minimizar os impactos da crise e reduzir custos, o aluguel acaba sendo escolhido para ir à guilhotina, já que este representa um custo fixo que pode superar 25% do faturamento bruto!

Reduzindo os custos do aluguel

reduzir custos

Mesmo em épocas que não são de crise econômica, o aluguel já é o maior vilão das pequenas e médias empresas, que terminam fechando as portas em menos de cinco anos de atividade, como mostramos anteriormente.

Em 2019, por exemplo, o Brasil registrou um aumento no valor dos aluguéis, que haviam caído vertiginosamente em 2017. A fundação Getúlio Vargas divulgou que o índice Geral de Preços fechou o ano com uma inflação de 7,3%.

Agora, com a crise gerada pela pandemia, muitos negócios estão inadimplentes em relação ao aluguel, já que sem a utilização do local para gerar lucro, fica impossível o pagamento mensal.

Inclusive o site do SEBRAE tem dado dicas de como renegociar as dívidas de aluguel, mostrando que este é um grande problema não só para o locatário como também para o locador, que não tem mais este ingresso.

Outra preocupação é o endereço fiscal. Muitas empresas precisam de um lugar que seja seu endereço residencial, e terminam sendo reféns de um aluguel apenas para ter o endereço fiscal.

Ora, se você parar para pensar, vai ver que o aluguel é um gasto fixo com uso variável. Você não passa às 24 horas do dia no seu escritório, nem os 7 dias da semana.

Por isso – e também pelas necessidades impostas pelas medidas de distanciamento social – muitas pessoas acabaram migrando para o modelo home office.

O home office durante a pandemia

Com a crise e a migração para o home office, as empresas já estão reavaliando o uso dos escritórios alugados ou próprios, como mostra matéria do G1 de junho deste ano.

Estas empresas encontraram no home office uma saída para reduzir custos, mas será este o modelo mais indicado para que o colaborador ou trabalhador autônomo renda mais?

Segundo o professor de recursos humanos e relações trabalhistas da Faculdade Getúlio Vargas de São Paulo, o home office tem mais disfunções do que benefícios.

Embora o home office seja uma boa saída momentânea para reduzir custos, não reflete na produção e no lucro dos colaboradores e empregados.

Em que pese a vantagem de não ter o deslocamento, o trabalhador tem uma série de dificuldades que não teria em um escritório executivo ou em uma estação de serviço de coworking.

Primeiro está a falta da interação social. Enquanto no ambiente de trabalho você tem o seu companheiro ou gestor ao lado, ou na sala conjunta, no home office você fica preso às mensagens de celular para trocar informação.

Isso tira a concentração e impede o fluxo de trabalho.

Outro fator de distração são os afazeres domésticos. Fica difícil se concentrar com aquela estante para arrumar, a louça para lavar ou aquela parede por pintar.

Mas o mais complicado é a falta de privacidade. Ter que fazer o seu trabalho com os filhos à volta ou o volume da TV alto, pois alguém está assistindo, é um desafio e tanto!

Se quiser saber mais, leia este artigo com as vantagens e desvantagens do home office.

Passando para o coworking

É por isso que o modelo coworking é a melhor opção para aliar a redução de custos com a infraestrutura necessária para um trabalho produtivo e lucrativo.

Sem ter que se preocupar com o aluguel ou se a internet da sua casa vai estar ou não funcionando bem, o coworking é um espaço coletivo onde você paga apenas pelo tempo que vai trabalhar, o que leva a empresa a reduzir custos.

Muitas empresas já encontraram uma maneira de reduzir custos passando o endereço fiscal para um endereço de coworking.

Se você quer saber se o coworking se encaixa no seu negócio, não perca este artigo completo!

Pronto! Agora basta você entrar em contato com a Smart Coworking e descobrir a unidade mais próxima a você!

Além disso, aproveite o plano Smart Black que lhe dá todos os benefícios que você e sua empresa precisam!

Não perca mais dinheiro com alternativas antiquadas! Entre em contato com a Smart Coworking hoje mesmo!

Categorias
Empreendedorismo

8 Canais do YouTube que todo empreendedor deveria ver

Apresentamos 8 canais do Youtube para você conhecer mais sobre o mundo do empreendedorismo de graça e na palma da sua mão! 

Que tal você deixar um pouco de lado aqueles canais de YouTube de comédia e entrevistas engraçadas?  Que tal você aprender com uma dose diária de empreendedorismo?

Seja na hora da ginástica em casa, ou daquele lanchinho, coloque no seu computador, celular, smartv, onde for… sempre é bom estar escutando quem entende do mercado empreendedor.

Mas, se você ainda não conhece os melhores canais do YouTube de empreendedorismo brasileiro, aqui vai uma dica de 8 canais para você começar!

TV SEBRAE

canais do Youtube

Muitos empreendedores brasileiros buscam o SEBRAE (Serviço Brasileiro de Apoio às micro e pequenas Empresas) quando precisam de alguma orientação, então você provavelmente já sabe de quem estamos falando.

O SEBRAE criou o seu canal do YouTube para dar dicas e ajudar o empresário. 

Lá você pode conferir desde dicas para manter o seu negócio sustentável até a opinião de convidados ilustres. Um dos mais confiáveis canais do YouTube sobre empreendedorismo.

Man in the Arena

canais do Youtube

Entre os canais do YouTube com entrevistas sobre empreendedorismo, o Man in The Arena se destaca.

Com um acervo fantástico de entrevistas com empreendedores e inovadores contando sua trajetória, o canal fornece curiosidade e dicas valiosas dos líderes e CEOs das principais empresas.

Geração de Valor

canais do Youtube

Este é um canal dedicado ao público empreendedor jovem. Nele, Flávio Augusto, fundador da escola de idiomas Wise Up, compartilha dicas e um pouco da sua história.

E aqui temos uma pessoa com muita história para contar! Flávio cresceu na periferia carioca e hoje é reconhecido como o fundador da rede de educação Wiser.

Além das dicas e histórias do Flávio, você vai encontrar várias entrevistas com outros empreendedores.

Startupi

canais do Youtube

A identificação já começa pelo nome!

A Startupi é um dos canais do YouTube sobre empreendedorismo que fala de uma forma inovadora e com o jeitinho brasileiro.

Atuando desde 2008 como plataforma de divulgação de conhecimentos sobre o mundo do empreendedorismo no Brasil, a Startupi publica desde 2013 seu conteúdo no YouTube.

Ali você vai encontrar informações preciosas voltadas para quem quer lançar a sua startup no mercado.

Mas não é só isso. Se você tem interesse por tecnologia, inovação e modelos de negócios modernos, você certamente vai se beneficiar dos vídeos publicados neste canal.

Arata Academy

canais do Youtube

Comparando com os outros canais do YouTube sobre empreendedorismo, esta é uma proposta diferente de ver o mercado e o desenvolvimento pessoal.

No canal criado por Seiiti Arata, você vai ver que ele usa toda a sua experiência para ensinar os jovens empreendedores a gerir melhor a sua carreira profissional, financeira e sua produtividade.

Mas não para por aí. O canal tem inclusive dicas sobre liberdade financeira e vida amorosa! Vale muito a pena ver!

Dinheirama

canais do Youtube

Quer um canal que serve não só para o mundo empresarial como também para a sua vida?

Aqui está o Dinheirama. Neste canal, Conrado Navarro narra as suas experiências, compartilhando tudo o que ele aprendeu na sua carreira sobre como lidar com as finanças.

É extremamente indicado para o jovem empreendedor que quer aprender como lidar com seu dinheiro, tanto de maneira pessoal como para a sua empresa.

O Canal está organizado em playlists sobre Educação Financeira, Finanças Pessoais, Investimentos, Empreendedorismo e outros temas relevantes sobre dinheiro.

Me Poupe!

canais do Youtube

Outro canal muito interessante sobre educação financeira é o Me Poupe!

Com mais de 5 milhões de inscritos, é um dos mais populares canais do YouTube sobre finanças. Nele, Nathalia Arcuri conta, de modo divertido, histórias sobre o mundo das finanças, além de dicas para economizar e investir.

Nathalia é uma jornalista brasileira especializada em controle financeiro, já tendo trabalhado em redes como o SBT e Record. Além disso, ela tem seu próprio programa na Band chamado “Me Poupe, Dívidas Nunca Mais”.

Uma ótima e divertida maneira de você aprender a organizar os seus investimentos e a sua poupança antes de abrir a carteira e despejar dinheiro no seu negócio!

Endeavor Brasil

canais do Youtube

Pensaram que não íamos falar deles, né? Deixamos o melhor para o final!

A Endeavor é a principal organização mundial de apoio aos empreendedores de alto impacto. O seu canal em português é destaque entre os canais do YouTube sobre empreendedorismo. Ele visa ajudar a todo empreendedor que está começando.

Lá você vai ter dicas de gestão de negócio, marketing e planejamento estratégico, além de webseries e palestras.

Uma dica é assistir a webserie “Day 1”, onde empreendedores contam suas histórias inspiradores de como abriram seus negócios.

Gostou?

O importante não é ver tudo de todos os canais do YouTube sobre empreendedorismo, mas conhecer todos.

Se você souber um pouco sobre cada um, vai saber em qual você deve se aprofundar segundo o seu tipo de mercado e as suas necessidades.

Para mais dicas legais como essa você pode seguir o conteúdo da Smart Coworking. Temos, por exemplo, 5 séries da Netflix que vão ajudar seu negócio. Dá uma olhada lá!

Aproveita e veja nossos planos exclusivos para quem quer passar seu endereço fiscal para o coworking.

Descubra qual unidade da Smart está mais próxima a você e comece hoje mesmo no melhor coworking do Brasil

Categorias
Empreendedorismo

6 Mulheres empreendedoras que mostraram que o lugar de mulher é nos negócios

Criatividade e coragem para mudar: essa são apenas duas das características que essas mulheres empreendedoras podem mostrar para você!

 O empreendedorismo feminino é um tema muito aclamado na semana do Dia Internacional da Mulher, porém, passa a ser esquecido nem bem chega na metade o mês de março.

As mulheres empreendedoras representam 48% dos Micro Empreendimentos Individuais (MEI), segundo pesquisa do SEBRAE sobre empreendedorismo feminino.

São 9,3 milhões de mulheres à frente de uma empresa, sendo que 45% delas são chefes de família, o que significa que levam a maior renda aos seus lares.

Além disso, a mesma pesquisa mostra que mulheres empreendedoras possuem escolaridade 16% superior aos homens, mas as suas empresas têm um faturamento 22% menor.

Toda esta representatividade e esforço para competir em no mercado de um país predominantemente machista tem um valor enorme.

Por isso, vamos conhecer 5 exemplos de mulheres empreendedoras brasileiras e um exemplo que vem de do estrangeiro.

Antes disso, você mulher que é proprietária ou gestora em uma empresa deve ler este texto para saber os truques de como fazer uma boa gestão!

Vamos lá!

Zica Assis

Zica Assis

Heloísa Helena Assis, mais conhecida como Zica, começou a trabalhar aos 9 anos como babá para levar dinheiro para casa.

Depois da maioridade, ela começou a trabalhar como empregada doméstica, enquanto fazia um curso de cabeleireira. E foi aí que Zica descobriu a sua verdadeira aptidão: o cuidado capilar!

Percebendo a falta de produtos no mercado para cabelos cacheados e com mechas, ela começou a misturar produtos e matérias-primas em busca da fórmula perfeita para balancear seus cachos rebeldes.

Ela começou a colar nos vidros dos ônibus um papel xerocado que dizia “se seus cabelos são um problema, nós somos a solução”.

E assim nasceu o Instituto Beleza Natural em 1993, um salão especializado em cabelos crespos e ondulados!

 

Mazé

Mazé

Após perder o emprego de faxineira, Maria José de Lima Freitas, a Mazé, viu a sua chance de quebrar paradigmas e começar a empreender!

Aos 44 anos de idade, ela passou a vender doces na cidade mineira de Carmópolis de Minas, para gerar renda e sustentar os seus dois filhos. Foi assim que nasceu a Mazé Doces!

A empresa entrou no mercado produzindo doces de diversos tipos, até o dia em que um cliente fez um desafio à Mazé: produzir frutas cristalizadas.

Desde então, o cuidado com os doces e os investimentos na produção, além da busca por inovação e o feeling para os negócios, levaram a Mazé Doces a ser uma referência em frutas cristalizadas, compotas e geleias.

Sônia Hess

Sônia Hess
Entrevista com Sônia Regina Hess de Souza

Uma amostra de empreendedorismo familiar! Em uma viagem a São Paulo para fazer comprar para o seu mercado, o pai de Sônia comprou por engano uma quantidade muito maior de tecido.

Foi então que a sua mulher, a Dona Lina, decidiu que aquilo não iria para o lixo! Ela descosturou uma camisa do marido e aprendeu como a peça era feita.

Usando o quarto de um dos filhos como ateliê, ela, junto com outras duas costureiras, criou a marca de roupas Dudalina.

Sônia, a única mulher em uma família de 12 irmãos, decidiu tomar as rédeas do negócio, que hoje é a maior exportadora de camisas do país!

Alcione Albanesi

Alcione Albanesi

Quer exemplo de jovens mulheres empreendedoras? Temos!

A Alcione Albanesi nasceu prematura e empreendeu prematura. Aos 14 anos começou no mundo da moda como modelo, aprendendo nos bastidores tudo o que precisava saber sobre corte e costura.

Aos 17 anos ela montou a sua própria loja de confecção, que contava com 80 funcionários.

Mas é aqui que entrou o seu espírito empreendedor. Ela vendeu a companhia e foi para a China aprender sobre o mercado de lâmpadas. Assim nasceu a marca FLC, que hoje domina 35% do marketing share de lâmpadas.

Ana Fontes

Ana Fontes

Nosso último exemplo de mulheres empreendedoras brasileiras não poderia deixar de ser a Ana Fontes. A Ana estava insatisfeita com o seu trabalho no mundo executivo. Esta infelicidade a levou a pedir demissão.

Ao tentar empreender sendo mulher, ela percebeu as dificuldades que o mercado oferecia e decidiu começar uma rede online focada exclusivamente em mulheres empreendedoras.

Assim nasceu a Rede Mulher Empreendedora, que hoje conta com mais de 57 mil mulheres cadastradas que podem contar com diversos serviços, além de auxílio em capacitação para mulheres em situação de vulnerabilidade.

Barbara Corcoran

Barbara Corcoran

Uma história inspiradora para mulheres empreendedoras que vem de fora do Brasil.

A americana Barbara Corcoran é a segunda mais velha de uma família de 10 filhos. Seu pai era um supervisor de uma gráfica e sua mãe era dona de casa.

Barbara se formou em educação, mas quase nem exerceu a carreira. Entre vários empregos que teve para pagar a faculdade, incluindo um trabalho secundário no aluguel de apartamentos em Nova Iorque.

E foi no mercado imobiliário que Barbara se encontrou.

Em 1973, ela fundou com o seu namorado o The Corcoran Group, encarando juntos um empréstimo de algo em torno de 5 mil dólares nos dias de hoje.

Quando eles terminaram, sete anos depois, ela fundou a sua própria firma, a Corcoran Group, que foi a primeira agência imobiliária feminina de Nova Iorque.

O que você achou? Deu para se inspirar?

Se quiser mais inspiração, basta buscar lá no blog da Smart Coworking.

A Smart, além de inspirar e apoiar você, também te ajuda a ter os melhores escritórios executivos e salas de reunião de alto nível sem precisar enfrentar os caríssimos aluguéis!

Faça como diversos homens e mulheres empreendedoras e leve seu negócio para a Smart Coworking hoje mesmo!

Categorias
Empreendedorismo

Qual era o segredo para o sucesso de Steve Jobs?

Descubra as principais características que levaram Steve Jobs ao posto de um dos maiores gênios inventores de todos os tempos

 Quando pensamos em quais foram os maiores inventores da era moderna, alguns nomes estão garantidos nesta seleta lista.

Leonardo da Vinci, e seus inúmeros inventos, alguns que nunca saíram do papel. Graham Bell, conectando as pessoas através do telefone. Karl Benz, que patenteou o primeiro veículo de três rodas, avô do automóvel, etc.

Mas nesta lista, uma pessoa conseguiu um lugar cativo e se chama Steve Jobs, por seus inventos que mudaram não só a tecnologia, mas a maneira de falar, de tirar fotos, de ver as horas e até de fazer compras!

E não estou falando apenas do iPhone. Desde seus primeiros computadores, produzidos em uma garagem junto a seu parceiro Steve Wozniak, Jobs mostrou que superação e trabalho coletivo te levam muito longe.

Para entender os segredos de Steve Jobs, separamos quatro características da sua pessoa que o transformaram no gênio mundialmente conhecido que ele é.

Resiliência

Steve Jobs

Steve Jobs é o perfeito exemplo de resiliência. Sempre encarou o que muitos encarariam como fracasso como o fim de um ciclo e o recomeço de outro.

Por exemplo, quando terminou o ensino médio, Steve Jobs se matriculou na universidade de artes e ciências Reed College, porém, com apenas 6 meses ele abandonou o curso.

Mas ele não viu isso como uma derrota e sim como o fim de um ciclo e o início de outro. Ele seguiu frequentando a faculdade e principalmente as aulas de caligrafia, que disse ter sido fundamental na sua formação.

Aos 30 anos, Steve Jobs foi afastado da Apple devido a uma série de atritos entre ele e os diretores da empresa, em especial o CEO John Sculley. Imagina ser demitido da empresa que você criou aos 30 anos de idade?

Pois, Jobs viu isso como uma oportunidade! Ele pode voltar a trabalhar sem a pressão dos diretores e isso fez com que ele entrasse em um dos seus mais importantes períodos criativos.

Foi assim que ele desenvolveu a Pixar e a NeXT.

Se você quer saber mais sobre como ser resiliente, leia este artigo!

Quebrar paradigmas

A vida de Steve Jobs é cheia de exemplos de quebra de paradigma, mas um dos primeiros foi quando ele decidiu largar um rentável emprego na Atari e viajou para a Índia para descobrir-se.

Ele ficou sete meses vagando pelo país. Um dos principais lugares onde Steve Jobs viveu foi em uma pequena aldeia próxima a Nainital, aos pés do Himalaia.

Em sua viagem em busca do autodescobrimento, Jobs se dedicou ao budismo, à meditação e teve experiências alucinógenas com o LSD, atribuindo a isso sua nova visão do mundo. 

Ao voltar de lá, Steve Jobs passou a dar valor à simplicidade das coisas.

Assim, aos 21 anos, ele desenvolveu o Apple 1, o primeiro computador pessoal do mundo.

Numa época em que os computadores eram paredes de discos rígidos e cabos, ele desenvolveu um que poderia ser conectado a uma TV e com um teclado, para que você pudesse usar na sua casa.

Talvez o exemplo mais conhecido de quebra de paradigma na vida de Steve Jobs tenha sido o desenvolvimento do iPhone, o primeiro telefone inteligente.

Quando todos tinha telefones que abriam, deslizavam e eram cheios de botões, Jobs anteviu a tecnologia do futuro e criou um telefone que cabia na palma da mão e era cheio de aplicativos que iam salvar a nossa vida!

Se você quiser saber mais sobre o que é quebra de paradigma, não deixe de ler este texto!

Compartilhar conhecimento

Em 1994, Steve Jobs deu uma entrevista onde, quando perguntado qual foi a chave do seu sucesso, ele respondeu: pedir ajuda.

Quando Jobs era apenas um garoto do segundo grau, ele telefonou para William Hewlett, fundador da empresa Hewlett-Packard, e pediu ajuda para um projeto do colégio.

William ficou tão impressionado com o talento do jovem que lhe ofereceu um trabalho de verão na sua empresa. Foi neste lugar que Jobs conheceu a Steve Wozniak.

Com Wozniak, Jobs construiria a Apple, a empresa bilionária que conhecemos hoje, que foi desenvolvida na garagem do próprio Wozniak.

Inclusive, a ideia do primeiro computador pessoal partiu de um projeto de Wozniak em seu Clube de Informática. Junto com Steve Jobs, eles aperfeiçoaram a máquina e venderam como um computador doméstico.

O conhecimento compartilhado entre os dois mudou o mundo que conhecemos, graças ao fato de Steve Jobs não ser individualista nem egocêntrico.

Mas se você quer saber mais ainda sobre a importância de compartilhar conhecimento, leia este artigo sobre o tema!

Pondo em prática!

Agora que você já conhece os segredos que levaram Steve Jobs a cambiar o mundo do empreendedorismo, como você vai fazer para aplicar? Uma viagem de autoconhecimento? Terminar um ciclo e começar outro?

Isso a gente não pode te ajudar a decidir, mas a gente pode te ajudar com as melhores ferramentas para que você e sua equipe possam trabalhar hoje com o olhar no amanhã!

Venha conhecer os modernos escritórios e salas de reuniões da Smart Coworking!

Comece economizando no endereço fiscal e otimizando seu tempo de trabalho. Descubra as unidades mais próximas a você e compartilhe essa experiência conosco!Traga a sua marca para o melhor coworking do Brasil e veja seus negócios crescerem!

Categorias
Empreendedorismo Produtividade

7 filmes sobre empreendedorismo que você precisa assistir

Quer relaxar e continuar se inspirando com filmes sobre empreendedorismo? Aqui vão 7 dicas que não vão sair de cartaz na sua casa!

 De onde vem a inspiração?

Vários artistas tentam responder essa pergunta, mas concordam que, antes de tudo, a arte inspira… a arte!

Buscar inspiração em filmes sempre foi uma prática de vários artistas, mas com a gama de filmes sobre empreendedorismo, ver filmes sobre o assunto é uma ótima maneira de relaxar e aprender.

E aqui vamos apresentar 7 dicas de filmes sobre empreendedorismo que vão lhe dar histórias verdadeiras, dramas e até boas risadas.

Compre a pipoca, prepare o sofá e comece a maratona de uma semana, um filme por dia, para se inspirar!

 

O Homem Que Mudou o Jogo

O Homem Que Mudou o Jogo

Começamos com um dos mais citados quando o tema é filmes sobre empreendedorismo. O Moneyball (no “Brasil O Homem Que Mudou o Jogo”) apresenta Brad Pitt encarnando Billy Beanee, em uma história real.

O filme mostra o seu trabalho no time de beisebol Okland Athletics, que, após perder jogadores importantes, precisa se reestruturar.

Mesmo com custo reduzido, Billy consegue isso com análises estatísticas e um feeling empreendedor de dar inveja a qualquer empresário.

Onde ver? O filme está disponível gratuitamente para assinantes da Netflix.

O Lobo de Wall Street

filmes sobre empreendedorismo

Antes de ver este filme, saiba que o personagem principal não é nenhum grande exemplo a ser seguido. Porém, você vai ver que com resiliência você pode chegar muito longe!

Em uma magistral atuação de Leonardo Di Caprio, o filme é baseado nas memórias de Jordan Belfort, um antigo corretor da bolsa de valores dos Estados Unidos.

Jordan chegou a acumular uma fortuna de 8 bilhões de dólares! Para saber o que aconteceu, veja este filmão dirigido pelo genial Martin Scorsese.

Onde ver? O filme está disponível gratuitamente para assinantes da Amazon Prime.

Jobs

filmes sobre empreendedorismo

Quando pensamos nas invenções que mudaram o mundo nestas últimas décadas, não podemos deixar de fora os telefones inteligentes. E é aí que entra a história da vida de Steve Jobs.

Interpretado por Ashton Kutcher, o filme foca três momentos importantes da carreira do inventor: o lançamento do computador Macintosh (1984), o da empresa NeXT (1988) e a chegada do iMac G3 (1998).

Onde ver? O filme está disponível gratuitamente para assinantes da Amazon Prime.

Fome de Poder

filmes sobre empreendedorismo

Para você que tem fome de polêmica, este filme é um prato cheio. Fome de Poder conta a história da ascensão da rede de lanches McDonald’s.

No filme que se passa nos Estados Unidos da década de 50, o empresário Ray Croc (interpretado por Michael Keaton, indicado ao Oscar), vai lhe ensinar como a dedicação pode levar você muito longe.

Porém, as práticas e a maneira como ele trata seus funcionários causou controvérsia. Quer saber por quê? Não perca este filme!

Onde ver? O filme está disponível gratuitamente para assinantes da Netflix.

Joy: o nome do sucesso

filmes sobre empreendedorismo

As mulheres protagonistas de filmes sobre empreendedorismo mostram a sua força em “Joy: o nome do sucesso”.

Este filme mostra uma clara quebra de paradigma quando Joy Mangano decide que não vai ser mais um clichê em uma sociedade machista. Mae de três filhos, ela decide ir para o empreendedorismo.

Joy identificou uma necessidade de mercado e gerou uma solução: inventou o esfregão em um tempo em que as pessoas mais necessitavam de um item prático para limpar a casa.

Interpretado por Jennifer Lawrence, a atriz recebeu o Globo de Ouro de melhor atriz e foi indicada ao Oscar na mesma categoria.

Onde ver? O filme está disponível para compra na plataforma Google Play.

A Procura da Felicidade

filmes sobre empreendedorismo

Este é um filme muito usado nas redes sociais contra quem reclama da vida.

Neste grande filme, Will Smith entra na pele de Chris, um pai desempregado que tenta sustentar seu filho de 5 anos, apesar de morar em abrigos e até dormir em banheiros públicos.

Neste filme você vai aprender as habilidades e as motivações para ser um grande vendedor. Mas traga a caixinha de lenços porque talvez você também vá derrubar algumas lágrimas pelo sofá.

Onde ver? O filme está disponível gratuitamente para assinantes da Netflix.

Um Senhor Estagiário

filmes sobre empreendedorismo

Agora, depois de tanto drama, que tal terminar com umas boas risadas para aliviar o clima?

Nesta comédia sobre empreendedorismo no mundo dos millenials, Ben Whitaker (genialmente interpretado por Robert De Niro) é um senhor de 70 anos que começa um estágio em uma grande empresa.

Demonstrando experiência e um caráter inabalável, ele mostra a todos como lidar com a chefe workaholic Jules (interpretada por Anne Hathaway).

Neste filme você vai aprender que nunca é tarde para ser o melhor profissional!

Onde ver? O filme está disponível gratuitamente para assinantes da Netflix.

Curtiu nossas dicas?

Se quiser mais dicas interessantes, confira o blog da Smart Coworking.

Onde ver? No site da Smart você também pode conferir onde estão as nossas unidades e como funciona o aluguel de salas e escritórios executivos!

Quer mais uma dica? Conheça também nosso Plano Smart Black que é coisa de cinema!

Categorias
Administração Empreendedorismo Escritórios Produtividade

Como desenvolver sua equipe com o método Scrum?

Sua equipe de trabalho está pronta para entrar no método Scrum? Descubra no artigo de hoje.

 A palavra “Scrum” veio de um jogo muito popular em países da Europa, sul da África e Oceania, além da Argentina e do Uruguai: o rúgbi.

No jogo, o Scrum é quando os jogadores se juntam em uma posição de colaboração mútua para iniciar o jogo de forma rápida e com agilidade.

No mundo do empreendedorismo, o Scrum também ocorre de forma ágil e de maneira estruturada.

Neste artigo, vamos ver o que é o método Scrum, quais os seus pilares e eventos, para que você saiba como desenvolver com a sua equipe de trabalho.

Mas antes, lhe convidamos a ler este artigo sobre como ser um bom gestor, afinal, para gerir bem uma equipe você precisa ter algumas qualidades.

Agora, vamos lá!

O que é o método Scrum?

método scrum

Este método se trata de um cronograma de atividades de projetos, que são divididos em pequenos blocos (ou “sprints”), para ir revisando e melhorando o que foi feito na fase anterior.

Embora tenha semelhança de estruturação com o método Pomodoro, este é mais pensado para uma pessoa, enquanto o método Scrum é para toda uma equipe de trabalho.

Podemos dizer que é uma metodologia de trabalho ágil e que tem como objetivo entregar valor em curtos períodos e, para isso, está baseada em três pilares: transparência, fiscalização e adaptação.

Os 3 pilares do Scrum

1. Transparência

Para o método Scrum funcionar, todos os envolvidos devem ter conhecimento do que acontece no projeto e como acontece. Isso cria um entendimento “comum” do projeto, uma visão global.

Para isso, o gestor deve aplicar uma liderança liberal, para que todos possam participar de maneira igual de todas as fases.

Se você ainda não conhece o modelo de liderança liberal, leia este artigo!

2. Inspeção

Todos os membros da equipe no método Scrum inspecionam o progresso em busca de problemas potenciais.

A fiscalização não é um exame diário, mas uma forma de saber se o trabalho está fluindo e se a equipe está atuando de forma auto-organizada.

Porém, a inspeção deve ser feita de maneira ágil e apontando apenas problemas pertinentes, se não ela pode gerar atrasos no projeto.

3. Adaptação

Caso a inspeção mostre que algo não está de acordo ao desejado, a equipe deve se ajustar para atingir a meta. A este pilar chamamos adaptação.

Esta é a chave para alcançar o sucesso em projetos complexos, onde os requisitos estão mudando ou mal definidos e onde a adaptação, inovação, complexidade e flexibilidade são essenciais.

Os 4 eventos do Scrum

Antes de implementar o método Scrum na sua equipe de trabalho, você deve estar atento aos eventos do Scrum. Cada execução de tarefa vai ser denominada Sprint.

As fases do Scrum apontam as decisões a serem tomadas antes, durante e depois de cada Sprint.

1. Planejamento (ou Sprint Planning)

A reunião de planejamento ocorre antes de pôr o sprint em prática. É onde você e sua equipe vão determinar um plano e um objetivo, além do tempo adequado para cumprir esta meta.

Podem ser designadas tarefas e funções para cada pessoa do grupo, mas o gestor não deve se abster das responsabilidades.

Dica: Marque um dia para esta reunião e não comece o trabalho no mesmo dia. Todos devem entender o seu papel antes de pôr em prática.

2. Reunião Diária (ou Daily Scrum)

Esta reunião, diferente da anterior, é feita diariamente para realizar ajustes finos no projeto.

Não é a ideia estar debatendo as metas ou o projeto em si. Em geral, devem ser tratados os assuntos e as atividades realizadas no dia anterior.

Dica: Marque esta reunião no primeiro horário da manhã e não deixe que excede 15 minutos.

3. Revisão do Sprint (ou Sprint Review)

Esta reunião vai ocorrer ao final do cumprimento das tarefas do projeto, para revisar se o objetivo foi ou não atingido. No caso de não haver sido, vamos ter que voltar um passo atrás.

Nesta revisão, é interessante que estejam todos os membros da equipe, junto com o líder ou o chefe que solicitou o produto ou projeto.

Dica: Escolha um membro da equipe para apresentar o projeto para o chefe ou cliente que o encomendou. Analise os comentários e críticas de maneira igual, sem botar abaixo todo o trabalho feito anteriormente.

4. Retrospectiva do Sprint (Sprint Retrospective)

Trata-se de uma avaliação de como foi implementado o método Scrum. Normalmente se faz após o trabalho haver sido entregue e antes da próxima reunião de planejamento.

Dica: Valorize os seus colaboradores! Pode ser com uma frase de incentivo ou com um bônus pelo trabalho bem realizado.

Quando implementar o método Scrum?

Se você precisa realizar tarefas e completar projetos em um tempo curto de trabalho, o método Scrum é para você!

Além da agilidade para atingir objetivos, o método Scrum também gera uma sinergia de equipe, fazendo com que seus colaboradores ajudem um ao outro.

Para saber mais sobre o assunto, leia este artigo sobre motivação organizacional!

 Mas para não adianta nada você fazer todo este projeto se não tem onde implementar este método!

Procure uma sala de reuniões de qualidade para a suas Reuniões Diárias e estações de serviço de alta qualidade para que seu grupo possa render mais nos Sprints!

Para isso, indicamos que busque agora mesmo a unidade da Smart Coworking mais próxima a você!

Para um Scrum de um mês, indicamos nosso Plano Smart Black, que vai lhe dar o tempo necessário para as reuniões diárias e economia no seu endereço fiscal!

Já mostramos que o método Scrum é essencial para agilizar o tempo, então, tá esperando o quê? Se joga no Scrum com a Smart Coworking!

Categorias
Empreendedorismo Vendas

Por que implementar o Customer Success em sua empresa?

Você ainda não sabe o que é a estratégia Customer Success? Não tem problema! No final deste artigo você vai ter tudo o que precisa saber para implementar esta estratégia com sua equipe!

 Segundo o professor universitário e guru do marketing, Philip Kotler, conquistar um novo cliente custa de 5 a 7 vezes mais que manter um atual.

Em meio a uma crise financeira global, onde está cada vez mais difícil buscar e captar novos clientes, muitas empresas estão se adaptando ao modelo de retenção e satisfação dos atuais.

Esta estratégia é chamada de Customer Success.

Porém, se você pensa que Customer Success tem a ver com suporte técnico, está visivelmente enganado. Neste artigo vamos explicar a diferença, o que é Customer Success e dar dicas de como implementá-lo.

Mas é claro que para isso você precisa ter clientes. Se você ainda não saber como captá-los, dê uma lida antes neste artigo sobre como atrair e reter clientes a distância durante a pandemia.

Vamos lá!

O que é Customer Success?

O nome vem da junção das palavras inglesas customer (cliente) e success (sucesso), mas pode ser livremente traduzido como “sucesso do cliente”.

Esta estratégia visa muito mais o êxito do cliente que o da sua empresa, em um primeiro momento. É transformar em estratégia aquela velha frase que diz “cliente feliz sempre volta”.

Ela nasceu com as empresas que trabalham com serviço de software e tecnologia, que buscavam ter o maior número de clientes em seu portfólio.

A ideia era ter um fluxo de receita e faturar a longo prazo. Para isso, a empresa fideliza um cliente para ir ganhando aos poucos, mensalmente.

Qual a diferença entre a estratégia de Customer Success e o atendimento ao cliente?

Custumer Succes

Muitos empreendedores veem, de maneira equivocada, o Customer Success como um suporte técnico ou um canal de atenção ao cliente.

Isto ocorre porque estes setores trabalham para auxiliar o cliente em algum problema e garantir a sua satisfação durante o período da compra. Porém, este é um atendimento reativo, que depende de um contato do cliente.

Já o Customer Success é uma estratégia que antecipa as necessidades dos clientes, com um atendimento proativo, prevendo os possíveis problemas e auxiliando na compra e uso de um produto ou serviço.

Esta previsão se faz com a análise de dados e comportamento dos clientes, o que irá definir que tipo de ações serão executadas para a satisfação e retenção dele.

Vamos apresentar algumas dicas pontuais que vão ajudar você e sua equipe de trabalho a implementar o Customer Success na sua empresa.

Siga de perto todo o “ciclo de vida” do cliente

Pesquisas recentes mostram que um cliente deixa de usar um serviço ou produto quando é atendido sempre por uma pessoa diferente ou, pior ainda, por um computador.

Para isso, humanize o seu serviço de contato. Não tente apenas vender mais produtos e serviços, mas brinde a assistência que o seu comprador necessita.

Esteja em contato com ele durante todo o “ciclo de vida” do processo de compra.

Isso significa que o seu trabalho não termina quando o consultor sai da loja com o produto ou termina a compra do serviço. Você deve acompanhá-lo em todo o processo até a parte do feedback.

Para isso, sua equipe deve entender que o trabalho não é ser um vendedor e sim dar uma consultoria ao cliente.

Seja menos vendedor e mais consultor

Para ser um bom gestor de Customer Success você deve saber que o vendedor deve ser como um cliente/usuário do produto ou serviço.

Saiba que o seu cliente vai passar pelas seguintes fases:

  1. Descoberta
  2. Aprendizado
  3. Compra
  4. Retenção
  5. Advogado da marca (Lealdade)

Durante os 3 primeiros passos, você não deve apenas vender o seu produto ou serviço, mas mostrar ao cliente que você é um usuário dessa marca!

Antes de ele efetuar a compra, é importante que ele veja como ele vai usar o que está sendo ofertado e, porque ele precisa deste produto ou serviço.

Os passos 4 e 5 são os que vão definir ou não a retenção do seu cliente. Converse com ele sobre como está sendo a experiência de utilizar o seu produto e como fazer para ser ainda melhor.

Depois, mostre seu apreço pela escolha e procure saber qual o grau de satisfação dele, para poder corrigir possíveis erros ou garantir a fidelização.

Um cliente satisfeito pode se transformar em um embaixador da sua marca!

Utilize as redes sociais

Abuse das redes sociais! Lá você pode acompanhar não só o que o seu cliente acha do seu produto, mas também qual seu comportamento de compra e como ele lida com problemas pós-compra.

Crie ações voltadas para a divulgação, como sorteios e prêmios por compra. Dessa maneira, o seu cliente vai divulgar e vender o seu produto sem que você precise pedir.

Utilizando seu feeling corporativo, você vai saber qual o momento certo de se aproximar do cliente para saber como está o seu grau de satisfação.

Um cliente satisfeito sempre conta a sua experiência para seus amigos, e agora, com a tecnologia e as redes sociais, ele pode alcançar públicos que você nem imaginava ter!

Trate bem o seu cliente: ele pode virar seu vendedor

Se você fez tudo certo utilizando estas dicas, seu cliente seguramente se sentiu bem tratado. Agora você tem uma grande oportunidade de fazê-lo trabalhar para você.

Para isso, você não pode convidá-lo para uma reunião na sua casa ou em um escritório arcaico e com cheiro de mofo.

É por isso que a Smart Coworking oferece para você as melhores unidades de trabalho, que contam com as melhores salas de reuniões e escritórios executivos.

Na Smart, você tem planos para todos os bolsos! Venha conhecer mais sobre a Smart Coworking e veja como sua estratégia de Customer Success pode render muito mais que sorrisos de clientes!

Categorias
Coworking Empreendedorismo

Como criar um ambiente de trabalho saudável?

É importante criar um ambiente de trabalho saudável? Como fazer para criá-lo? O Home Office e o coworking são alternativas semelhantes? Leia este artigo. As respostas vão te surpreender!

 Segundo uma pesquisa do Instituto Locomotiva publicado pelo portal G1, 56% dos trabalhadores estão descontentes com o trabalho.

Isso passa por fatores internos e externos que são vivenciados pelo trabalhador no seu dia a dia dentro e fora da empresa.

Porém, ter um ambiente de trabalho saudável pode ajudar e muito o seu negócio, já que resulta em um grupo de trabalho mais produtivo, motivado e mais identificado com a empresa.

Neste artigo, vamos responder às principais dúvidas sobre o assunto.

Mas antes recomendamos que você leia nosso texto sobre Motivação organizacional. Isso vai ajudar você a entender o que faz um ambiente de trabalho ser mais saudável.

Vamos lá!

Como saber se o ambiente de trabalho é ou não saudável?

ambiente de trabalho saudável

Muitos chefes e gestores vivem em um mundo aparte em comparação com seus colaboradores. Isso causa um ruído na comunicação e termina em um clima desagradável para todos.

A melhor maneira de entender se o ambiente de trabalho é ou não saudável ainda é conversando com o seu funcionário. Se você é um líder democrático, certamente vai saber entender o que seus funcionários pensam.

Porém, existem alguns sinais que mostram que o descontentamento no ambiente mesmo sem a interação entre o gestor e seus colaboradores.

Uma diminuição na produção, alto nível de irritabilidade, atrasos e faltas constantes, funcionários que só olham para o relógio sem ver a hora de ir para a casa. Tudo isso aponta um problema no ambiente.

Além disso, segundo pesquisa realizada com trabalhadores norte-americanos, estima-se que cada funcionário que trabalha oito horas por dia passa apenas 39% do tempo realmente produzindo.

É por isso que criar um ambiente de trabalho saudável não é apenas interessante para o trabalhador. É também mais lucrativo para o empreendedor.

Como criar um ambiente de trabalho saudável?

Um bom ambiente de trabalho não se refere apenas à estrutura física onde você e sua equipe estão, porém, um local organizado e relaxante vai influenciar muito na percepção dos seus colaboradores.

Se o seu local está próximo a uma zona de bares e restaurantes ou próximo à natureza, use isso a seu favor.

Incentive os seus funcionários a tomarem um tempo para sair para caminhar, usar o intervalo para espairecer e incentive o after office da equipe para gerar um vínculo entre os colaboradores.

Além disso, um ambiente sempre limpo e organizado é fundamental a ideia de ambiente de trabalho saudável. Invista em lugares confortáveis e seguros.

Estimule o diálogo e o respeito entre os funcionários. Deixe a sua porta aberta tanto para queixas quanto para novas ideias. Um ambiente tóxico pode ser evitado percebendo alguns sinais e escutando o que seus colaboradores têm a dizer.

O que muda com um ambiente de trabalho saudável?

Um ambiente de trabalho saudável afeta positivamente a motivação dos seus funcionários. Logo, estes vão render mais e gerar uma maior lucratividade para a empresa.

Segundo a revista Varejo Brasil, colaboradores mais motivados são 50% mais produtivos que os demais. Se você for um bom gestor, vai notar que ter um grupo inteiro motivado reflete também no seu trabalho!

Se quiser algumas dicas, leia este artigo e você vai encontrar o que precisa saber para ser um gestor de sucesso!

Além disso, o trabalhador motivado cria uma identidade com a empresa. Sabe aquilo que falam de “vestir a camiseta da empresa”? É exatamente isso que acontece quando seu colaborador experimenta uma melhor qualidade de vida no trabalho.

O Home Office é um ambiente de trabalho saudável?

É aqui onde muitas pessoas se equivocam! Não, o Home Office não é uma opção mais saudável!

Muita gente acha que por estar trabalhando em casa o colaborador vai se sentir mais motivado, mas não existe nenhuma pesquisa que mostre isso. Justamente pelo contrário.

Em uma pesquisa da empresa de recursos humanos brasileira Robert Half, 52% dos entrevistados acreditam que estão trabalhando mais tempo agora que estão em suas casas. Isso gera uma tremenda insatisfação e a produção, apesar das horas trabalhadas, diminui.

Além disso, muitos sofrem com os estresses do dia a dia estando em casa. São as tarefas do lar pendentes, os familiares que precisam de atenção, os ruídos molestos…

Tudo isso tem mostrado que o Home Office, apesar de ser uma necessidade dos tempos atuais, não é uma boa alternativa.

O coworking é uma boa alternativa?

Agora sim acertamos! O coworking é sim uma alternativa moderna, sustentável e muito rentável!

Estando em um ambiente de trabalho completo, utilizando escritórios e salas de reuniões de nível executivo, o trabalhador se sente muito mais a vontade, seja ele autônomo ou funcionário de uma equipe.

Além disso, você pode alugar o escritório ou estação de trabalho pelo tempo que você necessitar, sem virar refém de um aluguel caríssimo para ter o seu endereço fiscal.

Se você tem alguma dúvida sobre se o coworking se encaixa na sua empresa, não deixe de ler este artigo para descobrir!

Pronto! Agora que você já viu as vantagens de criar um ambiente de trabalho saudável, está esperando o que para levar a sua empresa para os escritórios inteligentes da Smart Coworking?

Dê uma olhada nestes planos exclusivos e escolha o que se enquadra melhor na sua empresa ou no seu tipo de trabalho hoje mesmo!