Categorias
Administração

Smart Rio: Quais benefícios as empresas podem oferecer para melhorar a qualidade de trabalho dos seus colaboradores?

Ter benefícios em uma empresa é uma excelente forma de melhorar a qualidade de trabalho. Conheça os principais que uma empresa pode oferecer para seus colaboradores.

Buscar melhorar a qualidade de trabalho deve ser o foco de todas as empresas, e uma das formas de fazer isso é investir em benefícios para seus colaboradores. Afinal, é dessa forma que os colaboradores trabalharão muito mais motivados.

Por isso, todo empreendedor que visa o máximo de sua empresa deve oferecer vantagens para que seus colaboradores fiquem cada vez mais satisfeitos para trabalhar. Entender isso é fundamental para construir uma relação mais harmoniosa entre empresa e colaborador.

No texto de hoje, vou apresentar alguns benefícios que os empreendedores podem oferecer para os colaboradores para melhorar a qualidade de trabalho e com isso ter ainda mais sucesso em seu negócio. 

Benefícios para melhorar a qualidade de trabalho

Esse é um ponto muito importante no contexto empresarial. Como dito na introdução, vou mostrar pontos que a empresa possa usar como benefício para manter os colaboradores motivados e consequentemente melhorar a qualidade de trabalho.

Tendo em vista que oferecer benefícios aos colaboradores, vai ajudar a aumentar a motivação e satisfação da equipe, melhorar a produtividade, a saúde dos colaboradores e o clima organizacional. Além de melhorar a imagem da empresa, vai ajudar a trazer e manter talentos.

Colaboradores quando percebem o esforço da empresa em seu bem-estar, vão trabalhar muito melhor, trazendo muito mais resultados para a empresa. Isso pode ser facilmente percebido por nós mesmos, que quando bem motivados rendemos muito mais, em qualquer esfera de nossa vida.

Plano de Saúde

Esse é um benefício muito buscado por colaboradores, pois com ele terão acesso a muitos procedimentos de saúde. Sendo ainda mais valorizados por colaboradores que possuem família, porque podem incluí-los como beneficiários.

Um bom plano de saúde, será decisivo para muitos colaboradores entrarem para a empresa. Porque a maioria sempre dará prioridade à empresa que oferecer um excelente salário com o benefício do Plano de Saúde.

Quando falamos de benefícios para melhorar a qualidade de trabalho, falamos de benefícios que fazem os colaboradores trabalharem mais motivados. Dessa forma, o plano de saúde vai ajudar na forma que o colaborador sente-se valorizado e certamente, trabalhará com mais afinco. 

Plano de Carreira

Quando falamos de colaboradores é preciso entender os objetivos de cada um, para que dessa forma, seja possível ajudá-los cada vez mais. Dessa maneira, empresas que trabalham o plano de carreira de seus funcionários têm maiores chances de conseguir profissionais motivados.

A motivação é algo que muitas vezes vem de pequenos detalhes, por isso, é importante focar em todos os pontos possíveis. Quando um colaborador entra em uma empresa ele busca encontrar uma perspectiva de crescimento, onde entenda que se dedicando e se capacitando cada vez mais ele possa crescer.

Vale-alimentação

Falando em benefícios que são vistos como diferenciais importantes pelos colaboradores, outro ponto é que visto como muito vantajoso para quem o possui, é o vale-alimentação. Sendo um incentivo muito grande para os colaboradores.

Pois, na maioria dos casos, o vale-alimentação pode ser usado tanto para refeições quanto para compras em mercado, que como sabemos é um gasto muito relevante para as famílias brasileiras. 

Oferecer o vale-alimentação vai incentivar os colaboradores a valorizar ainda mais seus empregos e trabalhar de uma forma ainda melhor, para mostrar que considera a empresa como parte importante de sua vida.  

Vale-transporte

Como sabemos, muitos colaboradores precisam se deslocar vários quilômetros para poderem trabalhar. Com a gasolina cada vez mais cara, uma excelente saída para a maioria dos colaboradores é utilizar o transporte público (ônibus, em sua grande maioria).

Embora seja um gasto bem menor que ir de carro (e até do que ir de moto), ainda assim será um gasto elevado para a realidade da maioria dos trabalhadores brasileiros. 

Dessa forma, para esses casos, os colaboradores buscam sempre as empresas que oferecem o vale-transporte. Porque embora ainda se desconte uma porcentagem do colaborador é muito menor do que gastar com gasolina e manutenção dos veículos.

Além disso, empresas que oferecem o vale-transporte vão abrir um leque muito maior de colaboradores interessados (o que é excelente para a qualidade maior dos colaboradores), pois mesmo que morem longe serão amparados pelo benefício do vale-transporte.

Seguro de Vida

O seguro de vida é um benefício importante, pois será um amparo para o próprio colaborador (em caso de lesão ou acidente) e para sua família (em caso de morte por decorrência do trabalho). Sendo um benefício ainda mais valorizado por trabalhadores que trabalham com riscos.

Treinamento em Equipe

Pensar nos colaboradores de forma individual apenas, pode ser um “erro” nas empresas, tendo em vista que o colaborador faz parte de uma equipe. Quando falo de melhorar a qualidade de trabalho, é preciso ficar atento à forma que os colaboradores se relacionam entre si. 

Um dos benefícios que pode ajudar muito na relação da equipe (além de ajudar a capacitar ainda mais os colaboradores) é fazer treinamentos em equipe. Os treinamentos, vão ajudar a preparar os profissionais e melhor a relação entre eles. 

Dessa forma, eles irão interagir melhor, desenvolvendo um companheirismo que irá refletir e muito na relação nas empresas. Além disso, a boa relação entre os colaboradores será fundamental para o sucesso da empresa como um todo.  

Incentivo ao estudo (Bolsa de Estudo)

Bolsa estudo é um benefício que garante muitos talentos na empresa, tendo em vista que profissionais que buscam a especialização em suas áreas, irão valorizar demais esses benefícios.

Ainda mais se a atividade que ele executar estiver diretamente ligada com a área de estudo do mesmo. Quando a pessoa está fazendo um curso ou uma faculdade, é bastante provável que ela se sinta bem nessa área. Sendo assim, se executar esse tipo de trabalho, ele estará fazendo o que gosta.

Pessoas que trabalham com o que gostam, trabalham muito melhor e buscam cada vez se tornarem melhores ainda. E as empresas, é claro, irão tirar grande proveito disso. Com colaboradores muito mais dedicados e habilidosos em suas áreas.

Bonificações 

Não citei salário justo, pois não considero um salário justo um benefício, mas sim um direito de todo o trabalhador. Embora, a maioria das empresas pague apenas o piso, com aumentos proporcionais ao tempo na empresa. 

Um salário justo, nem sempre é respeitado no piso. Então, sim, se você busca colaboradores motivados, será excelente oferecer um salário acima do piso e da maioria da concorrência. 

Agora, se a sua empresa já paga um salário justo, é excelente usar bonificações/premiações para valorizar o bom desempenho e motivação de seus colaboradores. Premiando aqueles que mostrarem realmente vestir a camisa da empresa.

Extra: Valorização do colaborador como um todo (dia a dia)

Todos os benefícios que citei são muito bons e com certeza irão motivar a maioria dos bons colaboradores. Porém, é preciso entender que quando o assunto é melhorar a qualidade de trabalho da empresa, através dos seus colaboradores, é preciso ir além dos benefícios.

Sendo que de nada adianta oferecer “n” benefícios para o colaborador, se ele não for valorizado na empresa pelos seus superiores. Porque a relação abusiva entre patrão/encarregado e empregado é uma das maiores causas de desmotivação e levam bons colaboradores a pedir demissão.

Com isso, o dia a dia na empresa, deve ser de muito respeito e profissionalismo. Com um ambiente de trabalho mais equilibrado, os colaboradores e equipes, estarão muito mais propensos em dar o seu melhor. 

Preocupar-se com o lado humano é fundamental para construir uma ligação harmoniosa entre empresa e colaborador. Acreditar que apenas cifras irão manter um colaborador é pensar pequeno. Sentir-se valorizado vai além de salários, por isso, a empresa deve tratar o colaborador da melhor maneira.

Conclusão

No texto de hoje, mostrei que uma das melhores formas de melhorar a qualidade de trabalho, é investir em benefícios para os colaboradores. Para que com isso, eles se sintam mais motivados e buscando dar seu melhor. Dessa forma, certamente a qualidade de trabalho vai aumentar.

Empreendedores devem entender que quanto melhor a empresa (com os que façam por onde), mais fácil será encontrar pessoas que se aliem aos objetivos da empresa e que lutem por eles. Fazendo um casamento perfeito entre empresa e funcionários.

Para mais artigos sobre empreendedorismo de maneira geral e outros conhecimentos relevantes, continue acompanhando os artigos da Smart. Vou fazer três indicações de textos para você ler assim que acabar esse, para ampliar ainda mais seus conhecimentos:

Compartilhe este artigo em suas redes sociais para que mais pessoas aprendam sobre os benefícios que as empresas podem oferecer a seus colaboradores.

Agradeço a leitura e nos vemos em breve.

Categorias
Administração

Smart Brasília: Aumento na conta de luz exige revisão nos gastos das pequenas empresas

O recente aumento na conta de luz mostra que as empresas terão que revisar seus gastos. No texto de hoje, falaremos mais sobre a mais nova dificuldade.

As pequenas empresas do Brasil, infelizmente, precisam lidar com a dura realidade onde todos os seus gastos aumentam, ano a ano, e nos últimos tempos, quase mês a mês.

Dessa forma, as empresas precisam estar sempre se reorganizando para conseguir lidar com esses aumentos significativos. 

No texto de hoje, vamos analisar essa situação e mostrar opções para que as pequenas empresas possam lidar com isso de uma forma e conseguir bater de frente com o aumento na conta de luz.

Aumento na conta de luz do DF (SP e GO), serve de alerta

No dia 22 de outubro de 2021, a conta de luz do Distrito Federal aumentou em 11,10%. Sendo aprovado pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) após a proposta da Neoenergia.

Esse aumento poderá ser ainda maior, tendo em vista que a Aneel aprovou o aumento de até 16% para o Distrito Federal, São Paulo e Goiás. Dessa maneira, a tendência é que o aumento seja ainda maior.

Então, se você mora nesses estados, já comece a preparar o bolso. Entretanto, esse aumento não deve ocorrer apenas nesses locais, serviços de fornecimento em todo o país devem trazer seus percentuais de aumento também.

O que esse aumento diz sobre a realidade das pequenas empresas?

As pequenas empresas e profissionais independentes sempre são os mais afetados quando o assunto são os aumentos, tendo em vista a fragilidade financeira da maioria. Porém, alguns gastos, como a energia elétrica, são gastos que não dá para fugir.

Dessa forma, as empresas precisam reorganizar toda a sua estrutura, desde cortar gastos até ter que aumentar o preço final de seus produtos. 

Infelizmente, ainda estamos sendo vítimas da Covid-19 e essa inflação deve aparecer em vários outros setores, muito por conta dos prejuízos causados pela pandemia.

Entretanto, vale lembrar que no Brasil esses aumentos acontecem muito antes da Covid-19 nem sequer existir. Já que questões ambientais (como a falta de chuva, por exemplo) também são muito relevantes para o preço da energia elétrica.

Por essa junção de fatores, as pequenas empresas sofrem com esses constantes aumentos. Porém, empreendedores mais atentos já estavam de olho e se preparando para lidar com o pós-Covid, pois sabiam que a inflação e demais insumos subiriam bastante seu preço.

Isso mostra o quanto é preciso ter um planejamento e uma gestão de crise nas empresas. Onde muitas empresas erram em justamente não se preocupar com isso, sendo que as pequenas empresas, são as que mais precisam ter cuidados (pelos seus baixos recursos).

Importante: 2021 parece ser apenas o começo desses aumentos, onde terá um “boom” ainda maior em 2022, onde a “normalidade” estará novamente presente na sociedade. 

Infelizmente, não tem como fugir do aumento, as pequenas empresas devem buscar formas de economizar energia elétrica. E é justamente sobre isso, que falarei no próximo tópico.

Como diminuir o gasto na conta de luz das pequenas empresas?

Agora, que entendemos que o aumento na conta de luz é algo que vai afetar não só o Distrito Federal, mas todo o Brasil, é preciso verificar, possibilidades para reduzir os gastos das pequenas empresas, tendo em vista que para pequenas empresas cada real vale muito.

Com isso, vou apresentar algumas opções possíveis para as empresas que buscam diminuir suas faturas de energia elétrica e poder lidar com esse aumento constante.

Aparelhos mais eficientes

Para quem deseja reduzir alguns pontos percentuais, uma das maneiras de fazer isso é substituir aparelhos e materiais elétricos de consumo mais elevado,  por versões mais modernas, que tenham classificação A (baixo consumo).

Desde lâmpadas de led, passando por eletrodomésticos, é possível reduzir o consumo de energia elétrica. Porém, essa medida vai acarretar gastos que podem não ser tão interessantes para pequenas empresas.

Nesse ponto, o indicado é fazer trocas pontuais por aparelhos de menor consumo, quando estes já estiverem com funcionamento prejudicado. É claro, que em um mundo ideal, a melhor saída seria trocar todos, porém o valor para isso é muito maior do que o aumento na conta de luz

Fontes de energia renováveis

As fontes renováveis estão cada vez mais em alta, sendo uma excelente opção para empresas que gastam centenas de reais anuais em contas de luz. A “queridinha” da vez, são as placas solares, que tem essa fama por justamente funcionar e trazer uma queda bastante elevada na conta de luz.

Existem casos, que a economia mensal ultrapassa os 50% da conta de luz, se mostrando muito eficiente no médio e principalmente longo prazo, onde a economia irá cobrir os gastos com a colocação das placas (que infelizmente ainda é bastante cara no Brasil).

Essa saída traria uma grande economia. Entretanto, é preciso avaliar se essas são as melhores opções para pequenas empresas. 

Agora, se a empresa for pequena e tiver recursos, são opções que realmente funcionam. A empresa tendo esse capital, é uma resposta que vai lidar muito bem com o aumento na conta de luz. Mas se não for o caso da sua empresa, vou trazer a opção mais barata para você.

Ambientes de Coworking

Os coworkings são escritórios compartilhados que funcionam com uma economia compartilhada, onde diversas empresas e profissionais independentes compartilham o mesmo ambiente pagando uma parcela extremamente baixa em relação a aluguéis convencionais.

Em um bom coworking essa economia é extremamente baixa, onde é possível alugar um escritório completo com o que tem de mais moderno, gastando menos de R$100,00 por mês.

Não acredita? Então, você precisa conhecer a Smart Escritórios Inteligentes, que em Brasília tem dois endereços, na Asa Sul e na Asa Norte, também estando presente no Rio de Janeiro, em Niterói e Jacarepaguá e em São Paulo na região da Berrini. 

Com dois planos, um chamado de Smart Fiscal, para quem deseja apenas ter um endereço por R$79,90 por mês e o plano Smart Black para ter acesso a todos os recursos do coworking, custando apenas R$99,90. Onde nesse investimento está incluso:

  • Aluguel em um endereço privilegiado;
  • Conta de luz;
  • Conta de água;
  • Escritório completo e moderno;
  • Limpeza;
  • Manutenção;
  • Condomínio;
  • Recepção;
  • Entre dezenas de outros gastos comuns em manter um escritório.

Nessa opção a economia não será apenas na conta de luz, será em toda a estrutura da empresa. Onde a maioria das pequenas empresas gasta o dobro ou triplo apenas na conta de luz convencional. 

Justificando ser a melhor opção para empresas que buscam uma economia gigantesca em seus gastos (não só de luz). Onde não só pequenas empresas estão apostando, mas também empresas gigantes como o Uber e iFood.

Diferente das outras possibilidades acima, essa tem um investimento baixo, sendo a opção certa para pequenas empresas que não possuem recursos elevados (a realidade da maioria dos empreendedores).

Conclusão

No texto de hoje, mostrei que o aumento na conta de luz é uma preocupação real para pequenas empresas, mostrando essa realidade em Brasília e nos outros estados do Brasil. Onde mostrei opções para essas empresas gastarem menos.

Onde a opção de apostar em um coworking sendo a decisão mais econômica e viável para pequenas empresas, que não possuem grandes recursos para trocar seus equipamentos elétricos e nem instalar outras fontes de captação de energia, como as placas solares.

Ainda mais porque ficou claro que essa crise deve ficar ainda mais forte, quando todo o impacto do Covid for absorvido. Então, quanto mais a pequena empresa puder economizar, melhor será para conseguir lidar com mais aumentos, que logo devem bater à porta.

Importante: o planejamento financeiro e saber lidar com crises, é fundamental dentro de qualquer empresa. Por isso, empresas que desejam se manter de pé em 2022, devem se estruturar. Tendo em vista, que em momentos de crise, os erros costumam causar ainda mais problemas.

Para mais artigos sobre empreendedorismo e economia, continue acompanhando os textos do blog da Smart, onde praticamente todo dia tem uma novidade para você.

Agradeço sua leitura e nos vemos em breve.

Categorias
Administração

Smart Niterói: Como os pequenos negócios estão se adaptando a LGPD?

Depois de um ano em vigor, como os pequenos negócios estão se adaptando a LGPD? Isso e muitas outras informações a respeito do assunto te conto nesse artigo. 

O uso de dados pessoais se tornou algo corriqueiro dentro de muitas empresas, tendo por objetivo entender melhor seus clientes e chegar até eles de forma otimizada. Dessa forma, infelizmente, muitas empresas usaram esses dados para o mal, isto é, utilizavam de forma indevida para se beneficiar.

Sendo que muitos dados acabavam sendo vazados ou até vendidos para outras empresas. Isso ficou ainda mais evidente quando o Facebook teve que responder sobre o vazamento de dados pessoais.

Como uma forma de acabar com isso, surgem inúmeras leis em diferentes países no mundo, no Brasil o LGPD surgiu como regulamentação a esses dados. No texto de hoje, vou falar mais sobre isso e mostrar como os pequenos negócios estão se adaptando a lei.

Resumo sobre a LGPD

Antes de mais nada é preciso entender o contexto. Devido aos avanços cada vez maiores da tecnologia, as informações pessoais ficaram disponíveis para empresas, com isso seu uso estava saindo de controle, o que fez a LGPD aparecer para tentar mudar esse quadro.  

LGPD é uma sigla para a Lei Geral de Proteção de Dados do Brasil, tendo como seu objetivo dar mais controle às informações pessoais das próprias pessoas. Sendo que para isso, foram estabelecidas regras cabíveis de multas e sanções para quem as descumprir.

Essa mesma lei entrou em vigor na Europa anos antes, chegando no Brasil após mais de oito anos de discussões e debates, no ano de 2018, no dia 14 de agosto. Sancionada pela Lei 13.709/2018, entrou em vigor somente em 2020, sendo que as multas passaram a entrar em vigor em agosto de 2021.

O Brasil passou a fazer parte do grupo de 120 países que possuem leis sobre a proteção de dados pessoais. Se tornando muito mais criteriosos com a forma que os dados pessoais são usados.

LGPD: o que ela diz?

Traz mudanças no funcionamento e nas operações das empresas, estabelecendo regras sobre coleta de informações, de armazenamento, de tratamento e de compartilhamento de dados pessoais, trazendo um novo padrão para a proteção desses dados, aplicando penas em quem não segui-la.

Entre seus principais conceitos, posso destacar de forma introdutória:

Dados pessoais: os dados pessoais são entendidos como informações capazes de identificar ou ainda de tornar identificável uma determinada pessoa. Dessa forma, não são dados pessoais apenas informações como seu nome ou e-mail. 

Por exemplo, os cookies que são os dados de navegação, podem ser utilizados por empresas em publicidade para impactar os clientes. Eles são considerados dados pessoais, porque é possível identificar o usuário e a partir disso chegar até ele facilitadamente.

Tratamento dos dados: a LGPD também é aplicada no tratamento de dados pessoais, isto é, toda operação feita através do uso de dados, como coletar, acessar, utilizar, classificar, reproduzir, controlar, armazenar, processar, eliminar, entre outras ações.

Princípios: dentro da LGPD existem 11 principais, que devem ser seguidos sobre o tratamento dos dados. Esses princípios podem ser entendidos como mandamentos para práticas melhores com os dados, mas não só isso, seu cumprimento é obrigatório.

Bases legais: estamos falando de leis, com isso, assim que entraram em vigor, todas as organizações que não seguirem suas bases legais, estarão usando os dados de forma ilegal. Então, todas as empresas devem seguir suas bases legais, para estar na Lei.

Como os pequenos negócios estão se adaptando a LGPD?

Com todo período de mudanças, junto chega um período de adaptação e, é normal que empresas, principalmente os pequenos negócios, encontrem algumas dificuldades na hora de pôr em prática o uso de dados seguindo a LGPD.

Embora a maioria das dúvidas ainda seja sobre multas e custos por descumprimentos, os pequenos negócios estão seguindo algumas adaptações assim que a lei entrou em vigor a mais de um ano, em meio a pandemia de Covid-19.

Apesar de ainda haver muitas dúvidas sobre custos e multas, pequenos negócios têm feito a adaptação de seus procedimentos à nova legislação um ano após entrada em vigor.

Segundo especialistas, as pequenas empresas encontram suas principais dificuldades na necessidade de investimento, tendo em vista que os empreendedores precisam ter conhecimento sobre as regras para entender que alguns custos serão necessários para garantir multas futuras.

Isso fica ainda mais claro quando uma pesquisa recente revelou que cerca de 90% dos entrevistados já ouviram falar da LGPD, porém apenas 15% das empresas estão se mostrando prontas ou a caminho de estar adaptadas a lei.

Assim, dentro desses 15% temos algumas dicas importante para os pequenos negócios que estão se adaptando:

  • Procurar um consultor especializado: dessa forma, vai garantir que as informações fiquem totalmente claras, o que no fim de tudo vai mostrar que é possível gastar muito menos do que em um primeiro momento o empreendedor pode achar que gastaria.
  • Utilizar informações mais claras com os usuários: a transparência com os usuários é fundamental para o uso dos dados, uma forma de deixar isso claro é o usuário marcando os dados que ele aceita compartilhar, desse modo, ele poderá escolher o que deseja compartilhar. 

Outra escolha é focar na impressão pelo usuário dos termos de uso, para ficar ainda mais claro e palpável pelo usuário a forma que seus dados são utilizados.

  • Melhor segurança: outro ponto que é preciso investir é na segurança, para que dessa forma possa garantir que os dados fiquem seguros. Como armazenamento em nuvem, por exemplo.
  • Adaptações na equipe: com essas mudanças é preciso adaptar os membros da equipe nas diretrizes da LGPD, para que eles utilizem os dados da forma correta que deve ser seguida. Os treinamentos nesse sentido, são extremamente bem-vindos.

Conclusão

No artigo de hoje falarei mais sobre a Lei Geral de Proteção de Dados do Brasil e como os pequenos negócios estão se adaptando a LGPD. Mostrando que com as mudanças nas leis sobre o uso de dados pessoais, as empresas precisam se adaptar para não correrem o risco de serem multadas.

Para mais artigos sobre empreendedorismo de modo geral, continue acompanhando o blog da Smart. Vou deixar dois textos como indicação para você: 

Não deixe de compartilhar esse artigo nas suas redes sociais, para que mais pessoas fiquem por dentro da LGPD. Agradeço a sua leitura e nos vemos em breve.

Categorias
Administração Produtividade

Ainda dá tempo! Dicas infalíveis para cumprir as resoluções de fim de ano e planejar suas metas de 2022

E aí, conseguiu concluir seus planos de 2021? Conseguiu pôr em prática tudo que foi planejado para esse ano? Ainda não? Veja que ainda é possível cumprir as resoluções de fim de ano!

O fim de 2021 se aproxima! Estou escrevendo esse texto no dia 26 de outubro de 2021, faltam pouco mais de 2 meses para acabar o ano. Com esse momento chegando, é mais um ano que está terminando, mais um ciclo que está chegando ao fim.

É comum que no começo de um novo ano, sejam traçados planos e metas para o ano que vem chegando. Porém, ao longo dos dias vai ficando cada vez mais difícil seguir a lista à risca.

Dessa maneira, muitos acabam abandonando ou postergando seus objetivos para um próximo ano (que na maioria das vezes fica só no campo das ideias e nunca é colocado em prática). Porém, hoje convido você a relembrar suas promessas de ano novo (de 2020 para 2021).

Vou te ajudar a cumprir as resoluções de fim de ano que você colocou como meta para você em 2020. É claro que não dá para fazer em pouco mais de 60 dias, tudo o que foi planejado para 12 meses, porém, essas dicas vão te ajudar a fazer o seu melhor no tempo que resta. Siga comigo e descubra!

Metas e planos

Vou dividir as dicas em dois tipos: como cumprir as resoluções de fim de ano e como se planejar corretamente para o ano de 2022 que logo se aproxima. Com isso, essas dicas vão te ajudar a entender o processo e principalmente porque é tão difícil cumprir todas as metas sem desanimar.

Vamos fazer um exercício de “regressão”: tente se lembrar dos seus planos e metas para 2021 que você fez no final de 2020. Agora, perceba o que você conseguiu fazer, o que já está encaminhado e o que ainda não deu início. Guarde essa informação para daqui a pouco.

As metas mais comuns são:

  • Estudar (seja fazendo uma faculdade ou curso de especialização);
  • Praticar exercícios físicos (seja para perder peso, melhorar a qualidade de vida ou por fins estéticos);
  • Aprender um novo idioma;
  • Ler mais;
  • Cuidar da saúde;
  • Adotar uma alimentação mais saudável;
  • Arrumar um emprego melhor;
  • Dar vida a um empreendimento;
  • Férias memoráveis;
  • Guardar dinheiro;
  • Adquirir um bem (seja uma casa ou um carro);
  • Largar alguns vícios (como cigarro e bebidas, por exemplo);
  • Entre centenas de outras metas. 

Fica claro que as principais metas e planos, envolvem formas de melhorarmos como pessoa. São todas excelentes ideias que se bem executadas, certamente, nos deixariam muito melhor.

É bastante comum que todos comecem o ano com tudo, dando partida em todos os planos, porém, ao longo do tempo muitos voltam para os velhos hábitos e/ou acabam por se desmotivarem, abandonando a ideia original e seguindo no máximo uma versão mais light da meta.

Vilões das metas e planejamentos

Quando pensamos em planos e metas para o próximo ano, a maioria acaba criando uma versão idealizada (e por vezes utópica), onde tudo parece bastante simples e facilmente alcançável.

Deste modo, as pessoas acabam não se atentando para a parte negativa que vem de carona. E é justamente ali que os vilões moram:

Falta de tempo: de nada vai adiantar você querer frequentar a academia toda semana, aprender inglês e fazer uma faculdade, se você não tiver o tempo necessário.

Falta de dinheiro: se seu objetivo inclui bens, é preciso que você tenha o dinheiro para conseguir dar seguimento, se não, corre o risco de tudo ficar apenas no “papel”.

Metas irreais: quando você não se baseia na sua realidade para bolar seus planos, você acaba criando planos idealizados, que na teoria são perfeitos, porém, na prática, não são bem assim.

Falta de motivação: esse é o ponto que mais acaba com planejamentos, afinal, se você está desmotivado com suas metas, certamente, você vai achar um jeito de ir largando, até excluir totalmente da sua vida.

Esses quatro itens são os grandes destruidores de planos e metas. Porém, para que você não se frustre e consiga cumprir as resoluções de fim de ano, vou apresentar excelentes dicas. Que certamente, vão finalizar com êxito seu 2021 e deixar o caminho todo pavimentado para 2022.

Dicas infalíveis para cumprir as resoluções de fim de ano 

Lembra do exercício de “regressão”? Então, é hora de você trazer a tona, os planos que você conseguiu concluir, certamente, foram de grande motivação e trouxeram realização para você. Isso vale também para planos que você está seguindo.

Algumas metas podem levar muito mais que um ano, algumas têm a ver com mudar o estilo de vida. Dessa forma, certas metas não devem acabar junto com 2021, mas sim continuar por muitos anos.

Agora, vou falar com quem “pausou” ou desistiu das metas para 2021, vou ajudar você a cumprir as resoluções de fim de ano e criar metas que serão mais fáceis de cumprir em 2022.

Dica para cumprir as resoluções de fim de ano: ainda dá tempo!

Como dito no início, não dá para fazer tudo que planejou para o ano em 2 meses. Porém, esse tempo vai passar de qualquer jeito, não é? Dessa forma, o utilize da melhor forma. Dependendo da meta, é possível dar um bom andamento nela em 2 meses (ou pelo menos deixar bem encaminhado).

Quando falo em cumprir as resoluções de fim de ano, não estou falando para deixar tudo pronto nesse curto tempo, mas sim fazer o máximo nesses 2 meses para facilitar a conclusão dos planos. O mundo não vai acabar no dia 31 de dezembro de 2021.

Mas não falo isso para você deixar tudo para 2022, mas sim para você fazer o máximo no tempo que resta, para entrar no ano novo com tudo encaminhado.

Ter em mente que nunca é cedo ou tarde demais para iniciar seus planos, vai ajudar a usar o tempo que resta em seu favor ao invés de ficar reclamando não ter feito. O tempo não volta, dessa forma não lamente, use o presente para dar vida aos seus planos (mesmo que um pouco atrasados).

Dica: Se suas metas envolvem algo mais simples como ler mais, você pode ler o artigo sobre os melhores livros sobre negócios para ler até o fim do ano, e concluir isso em muito menos do que 60 dias (são apenas 5 livros). 

Dicas infalíveis para as metas de 2022

Agora é hora de seguir algumas dicas infalíveis para que suas metas de 2022 sejam todas cumpridas: 

Seja realista: antes de qualquer afirmação, faça uma análise completa (levando em conta prós e contras) das suas metas, veja se realmente é possível ou se é apenas um “sonho impossível”.

Nesse sentido, ser realista envolve avaliar sua rotina como um todo, entender suas questões financeiras e emocionais e a partir disso verificar a possibilidade de se comprometer com suas novas metas. Porém, isso não é desculpa para não tentar. 

Saia da sua zona de conforto: da mesma forma que ter planos demais vai te atrapalhar, plano de menos também será muito danoso. Tendo em vista, que sempre buscamos estar em uma zona de conforto.

Então é claro, que nossa mente em alguns momentos vai trabalhar contra, porque é muito mais fácil ficar deitado no tempo livre, do que buscar por seus planos em prática.

Imprevistos acontecem: essa é uma dica de ouro, tendo em vista que muitos costumam desistir na primeira dificuldade. Dessa forma, esteja ciente que imprevistos podem acontecer. O importante é não desistir e dar um jeito de voltar para o objetivo o mais rápido possível. 

Então, mesmo que tudo não ocorra conforme o planejado, não há motivo para desistir. Imprevistos acontecem, mas não use como desculpa para desistir. Enfrente-os e lide com eles, você é capaz!

Valorize as pequenas conquistas: metas e planos não são apenas sobre o fim, mas também sobre todo o meio do percurso. Desse modo, aprenda a valorizar cada progresso, com isso você vai se apaixonar pelo processo e ficará com a motivação lá em cima.

Conclusão

No artigo de hoje, mostrei como cumprir as resoluções de fim de ano, e/ou pelo menos, deixar tudo bem encaminhado para o ano novo (dependendo da sua meta inicial). Além de trazer dicas infalíveis para que você acerte no planejamento para 2022.

Importante! Fique atento para os quatro vilões: falta de tempo, falta de dinheiro, metas irreais e falta de motivação. 

Considere as dicas: seja realista, saia da sua zona de conforto, imprevistos acontecem e valorize as suas pequenas conquistas.

Para mais artigos relevantes, continue acompanhando o blog da Smart. Vou deixar dois artigos em destaque para você ler: 

Agradeço a sua leitura e nos vemos em breve.

Categorias
Administração

Smart São Paulo: Vai realizar uma entrevista online? É assim que você entrevista uma pessoa à distância

Ainda não conseguiu se adequar a entrevista online? No texto de hoje, vou te ajudar a realizar uma entrevista online do jeito certo. 

A entrevista online era uma prática usada antes mesmo da pandemia, porém é notório que seu “boom” aconteceu devido às dificuldades de entrevistar pessoas de forma presencial. Por conta do lockdown e pelas regras de distanciamento conseguir manter as empresas funcionando do mesmo modo, foi impossível.

Com isso o que antes era algo raro, passou a ser regra. Acontece que muitos acabaram não entendendo muito alguns desses processos, como por exemplo, a entrevista online. Seja por já estar tão acostumado à entrevista presencial ou por dúvidas que envolvem uma nova forma de trabalho. 

O ponto que dificultou a adaptação, foi que na pandemia muitos não tiveram tempo hábil para aprender sobre as novas formas de trabalho, e já foram lançados ao “novo normal”

É exatamente por isso, que vou te ajudar a entender como realizar uma entrevista online. Isso porque mesmo depois da pandemia, essa prática tende a continuar com força nas empresas.

Entrevistas online: uma saída em meio a crise

Mesmo com a pandemia, a vida precisou seguir nas empresas. Um bom exemplo são as entrevistas de emprego, que sempre fizeram parte do dia a dia, assim, como todo o resto, precisou ser adaptado.

E se a pandemia pode nos mostrar algo, é o quanto a tecnologia é a grande aliada de todos nós. Imagine por um momento como teria sido ainda mais difícil passar por esse momento sem a internet. A internet foi a válvula de escape para que a vida continuasse.

Familiares conseguiam se ver, através de chamadas de vídeos, além é claro, de conseguir manter contato diário, onde foi possível ficar por dentro das novidades. Mesmo para quem pegou a doença, a internet possibilitou que a vida seguisse de uma forma mais “normal”, por assim dizer.

A pandemia, causou um “dança das cadeiras” em muitas empresas, onde funcionários saíram e novos colaboradores foram contratados. Tudo para alinhar o negócio ao cenário atual.

E aqui foi onde as webcams ganharam força e tornaram as entrevistas possíveis. Porém, como toda mudança, foi preciso realizar testes, que por sua vez, geraram erros e acertos que ajudaram os entrevistadores a conseguir se adequar a esse novo modo de avaliar possíveis colaboradores.

Como boa parte das empresas trabalharam em home office, mesmo após contratar o colaborador, não foi possível vê-lo ao vivo. Onde a entrevista tinha ainda mais peso, onde seria preciso avaliar muito bem para não deixar passar nada

Mas foi graças a isso que muitos desempregados conseguiram seus empregos, as empresas puderam funcionar e conseguir empregar pessoas. A “roda” tinha que girar, e no tocante a avaliar vagas de emprego, a entrevista online foi a melhor saída. 

Dificuldades da entrevista online (e como superá-las)

A entrevista presencial possibilita uma avaliação mais completa da pessoa, já que o entrevistador consegue muitas informações com base no comportamento do entrevistado. Sabe aquela sensação de bater o olho e já ter uma análise? Então…

Além disso, as empresas já tinham o local certo para realizar a entrevista e um protocolo a seguir: até que a crise chegou! Então, em meio a ela as empresas precisaram encontrar formas mais rápidas de resolver os problemas e foi então que as entrevistas online passaram a ser o padrão de entrevistas.

E não só as entrevistas, as reuniões, as conversas entre equipes, o próprio trabalho, tudo passou a ser remoto. Então, muitas empresas passaram a ter dúvidas e dificuldades na hora de realizar as entrevistas online. 

Isso também afetou a minha empresa, e tivemos que buscar uma forma de realizar esse processo do melhor jeito (possível). E é baseado nisso, que vou apresentar dicas importantes para que as suas entrevistas online também sejam bem sucedidas.

Antes vou apresentar uma análise do porque acredito que as entrevistas online vão continuar ganhando força (bem como o trabalho remoto), mesmo após a pandemia.

Entrevistas online vão ter força mesmo após o fim da pandemia?

Acredito, profundamente, que o trabalho remoto (home office, coworkings, entre outras modalidades) vai continuar a todo o vapor, mesmo com o fim da pandemia, que logo se aproxima.

Penso isso, porque estamos falando de uma modalidade mais barata, que pode funcionar muito bem, além é claro, da preferência de muitos, que se identificaram profundamente ao trabalho remoto, e não pretendem voltar para a rotina antiga.

Além do mais, trabalhos remotos, garantem que a sua empresa possa contratar excelentes colaboradores de outros estados, sem a necessidade desse profissional estar in loco.

Por isso, a “moda” das entrevistas online deve continuar. Dessa forma é extremamente necessário que as empresas que optarem por essa escolha saibam o jeito certo de realizar uma entrevista online.

Dicas para uma entrevista online bem sucedida

Então se a sua empresa ainda vai usar as entrevistas online, seja para a reta final da pandemia ou como uma opção que continuará em voga, é preciso seguir algumas dicas para que tudo ocorra da melhor forma. 

Verifique sua internet e teste os equipamentos‍

Essa é a dica zero, afinal, sem internet não será possível realizar a entrevista online. Porém, não é só a internet que você deve verificar, os demais equipamentos, como notebook/computador, câmera/webcam, microfone, fone, também devem ser avaliados antes de iniciar a conversa.

Por isso, sempre mantenha seu computador 100%. Algo que muitos acabam deixando passar é a carga de bateria dos equipamentos. O ideal é deixar todo o equipamento carregado e de preferência já plugado com o carregador, e assim evitar, que a bateria termine durante a conversa.

Para garantir que tudo funcione, faça um teste antes de iniciar a chamada. Dessa maneira, só comece a entrevista assim que tudo estiver certo. Com isso, a entrevista não terá problemas técnicos. 

Porém… 

Tenha sempre um plano B

Internet, energia elétrica, mau funcionamento do site, todos esses são potenciais problemas, difíceis de evitar. Dessa forma, sempre tenha um plano caso, algum dos componentes dê problema durante a entrevista. 

Ter um no-break, uma internet móvel, outras plataformas que possam realizar a entrevista, será uma forma de rapidamente lidar com qualquer problema que aparecer.

Porém, ainda assim, quando falamos de comunicação remota, problemas maiores podem acontecer, que irão prejudicar ou fazer com que se tenha que remarcar a entrevista. Até porque é melhor marcar para outro dia, do que prejudicar o diálogo com o entrevistado.

Mas é claro, que isso não deve ser uma desculpa para não se planejar. Dessa maneira, da sua parte (parte da empresa), tudo deve estar planejado e estruturado, com plano B, C, D, enfim, com tudo que for preciso para garantir que tudo ocorra bem.

O local adequado

Quando falamos de entrevista online, estamos com dois principais cenários: que o entrevistador esteja na empresa ou que esteja na sua casa. Para o primeiro cenário, é mais simples, porque dá para usar o mesmo local das entrevistas presenciais (com algumas mudanças técnicas).

Já para quem vai entrevistar de casa, é preciso tomar alguns cuidados, entre os quais posso destacar:

  • Optar por um local que não seja afetado por sons e ruídos (ou que evite ao máximo essas situações);
  • Local bem iluminado;
  • Um local onde tudo fique ao alcance fácil;
  • Local organizado que remeta a um escritório convencional;
  • Local com chave, caso more com outras pessoas (principalmente com crianças e animais);
  • Um local que o entrevistador sinta-se à vontade, para que a conversa flua melhor.

Com isso, você garante um tom profissional para quem vê e garante um local perfeito para a conversa. Isso trará o melhor para ambos, fazendo com que a conversa siga sem interrupções.

Que roupa usar?

É importante que você encare a entrevista da mesma forma como se ela acontecesse de forma presencial, até porque ela tem a mesma importância. Por isso, vista-se da mesma forma que iria se vestir para uma entrevista in loco

Isso inclui, não apenas a roupa, mas também seu penteado e cuidados pessoais. Seja o mais profissional possível, e comece isso desde a escolha da roupa.

‍Evite distrações

Ao falar de adaptação de cenário, é necessário ser minucioso. Com isso, crie um ambiente que te deixe longe de distrações. Ou seja, você precisa estar 100% na entrevista e para conseguir identificar todos os detalhes importantes em uma entrevista para escolher o colaborador ideal.

Mantenha a postura

Fique bastante atento à linguagem corporal. Quando ficamos em casa é normal dar aquela “relaxada” maior do que seria se estivéssemos na empresa, por isso é tão importante manter uma linguagem corporal profissional. 

E não é porque a pessoa está em outro local, que você não deva manter contato visual, se mostrar interessado ou até mesmo sorrir. Garanta que o entrevistado sinta-se acolhido, respeitado e fale tudo que for necessário para uma avaliação mais completa. 

Conclusão

No artigo de hoje, mostrei como se preparar e executar uma entrevista online de sucesso. Foquei em entrevistas de emprego, porém, todas essas dicas são excelentes para todos que trabalham remotamente e que precisam manter contato visual com outras pessoas (em reuniões, por exemplo).

Seguindo as dicas, certamente, a entrevista vai fluir da melhor maneira possível, beneficiando a todos com essa conversa a distância. Como disse, as entrevistas online devem ser usadas por um longo período de tempo, dessa forma, é importante estar alinhado a nova forma de trabalho.

Para mais artigos relevantes, continue acompanhando o blog da Smart. Vou listar três textos que, certamente, serão muito interessantes para você:

Agradeço a sua leitura e nos vemos em breve!

Categorias
Administração Empreendedorismo Vendas

Smart Niterói: Como identificar a oportunidade de negócio certa para empreender? Te ensinarei!

Está tendo dificuldade em identificar a oportunidade de negócio certa para ter sucesso? No texto de hoje, vou trazer uma luz, para ficar mais fácil de identificar a oportunidade de negócio que vai te fazer brilhar. Siga comigo e descubra!

Se você é um empreendedor ou pretende ser, certamente, já se perguntou como identificar a oportunidade de negócio, que vai te fazer ser um empreendedor de sucesso.

Alguns já tem o tipo de negócio que querem atuar de forma clara, em sua mente. Mas será que esse negócio tem potencial de dar certo? Essa reflexão é muito importante, para você saber se está seguindo uma trilha que te levará para bons caminhos (sucesso) ou para caminhos nublados (insucessos).

Então, se você já sabe onde gostaria de empreender ou ainda está decidindo, o texto de hoje é perfeito para você. Nele vou te dar excelentes dicas para identificar a oportunidade de negócio certa para iniciar ou avaliar se a sua escolha tem um grande potencial.

Dicas para identificar a oportunidade de negócio

Existem algumas “regras” para quem busca identificar a oportunidade de negócio certa. Seguindo algumas dicas, será possível ter uma base forte para encontrar o melhor negócio para você. Sem mais delongas, vamos a elas!

Passo 0: defina seu perfil

Considero esse como o passo 0 para identificar a oportunidade de negócio certa. Pois, justamente, será a partir dele que você poderá identificar bons negócios relacionados com o seu perfil de trabalho.

Bons negócios são aqueles regidos por pessoas que estão trabalhando com o que gostam, dessa forma, o empreendedor sempre estará focado. Porque por mais que um negócio seja promissor, ele poderá desmoronar, se quem o comandar perder a vontade de empreender.

Dica: para definir seu perfil recomendo que crie duas listas. Em uma você deve colocar atividades de você sente prazer em fazer e na outra, assuntos que você denomina e gostaria de se aprofundar ainda mais.

Com as listas feitas, você poderá ter ideias de negócios que se relacionam tanto com o que você gosta, quanto com o que possui conhecimento e pretende lapidar ainda mais. Garantindo que irá identificar a oportunidade de negócio que mais combina com seu perfil.

Passo 1: Fique de olho nas tendências de mercado

Quando falamos em identificar a oportunidade de negócio certa, é preciso ficar de olho nas tendências atuais do mercado. Sejam elas de curto prazo (que é realidade hoje) ou de médio a longo prazo (tendências sólidas que devem perdurar por anos e anos).

Se estiver atento às tendências do mercado, será possível identificar onde estão focando os novos investidores e escolher uma segmentação que está a pleno “vapor”. Maximizando as chances de obter sucesso na sua empreitada.

Passo 2: Foco nas ideias

O sucesso está atrelado a grandes ideias, sejam elas suas ou de outros. Isso ocorre com a maioria das grandes empresas. Veja por exemplo, a Ford: Henry Ford criou o conceito de automóvel movido a motor, e foi um verdadeiro sucesso.

Tanto que a sua marca existe até hoje e é uma das maiores nesse segmento. Com o sucesso da Ford, logo surgiram outras empresas voltadas para o mesmo fim. E isso revolucionou a indústria automobilística. Prova disso, é que hoje existem milhares de marcas no mundo todo. 

É claro, que nem toda grande ideia precisa ser tão grandiosa quanto a criação do carro, do computador pessoal, do rádio, do avião, da internet, celular, futebol, entre outras. Usei ela apenas para ilustrar o potencial de boas ideias. Mostrar que boas ideias tem o poder de criar um negócio de sucesso.

Geralmente, empreendedores já possuem a habilidade de ter ideias, o que você precisa é focar em transformar elas em produtos ou serviços e poder ganhar dinheiro com elas.

Por exemplo, você lembra de como era a sua vida antes do WhatsApp ou das redes sociais? Hoje parece impossível viver sem elas, mas a menos de 15 anos a grande maioria delas nem existia. Até saírem da mente de alguém bastante criativo. Esse é o poder das ideias. 

E mesmo que entre em um ramo que já existe, o que acontece com a maioria dos empreendedores, não tem nenhum problema nisso, deve-se focar em ideias para conseguir obter êxito e se destacar frente a concorrência

Passo 3: Não se deixe levar pelo lado emocional

Vai parecer que estou indo contra o que acabei de falar, mas você logo vai entender. Ideias e oportunidades de negócios nem sempre são sinônimos de sucesso, se você levar isso para o lado emocional.

Veja bem: tomados pela vontade de ter um grande negócio, muitos empreendedores acabam supervalorizando demais ideais e as elevando ao nível de genial, sem fazer uma análise detalhada sobre isso.

Isso não significa que você deve abandonar as suas ideias, muito pelo contrário, mas deve deixar a emoção de lado e ser criterioso para entender se a sua ideia é tudo isso, ou está sendo afetado pelo seu emocional inflando seu ego.

Isso é bastante importante, lidar com coisas reais vai te ajudar a ser pé no chão e realmente, elevar ao patamar de grandes ideias, apenas ideias que tenham tudo o que precisam para se desenvolver e crescer. Às vezes, dar um passo para trás vai te ajudar a dar vários para frente no futuro. 

Seja realista e prudente! Muitos empreendedores acabaram sendo levados pelo ego a investir seu tempo e dinheiro em um negócio que logo se mostrou não tão genial assim. Por isso, tome cuidado!

Passo 4: Identifique o problema e as necessidades dos seus (futuros) clientes

Chegamos a um ponto extremamente relevante para quem está buscando identificar a oportunidade de negócio certa: os clientes. A regra é clara, sem clientes sem negócio, não tem para onde fugir.

Então, os empreendedores devem focar nas necessidades e problemas dos clientes, que seus produtos e/ou serviço possam vir para solucionar essas questões dos clientes.

Dessa forma, mesmo que as outras dicas estejam alinhadas e no caminho certo, para garantir que, na prática, tudo ocorra bem é preciso focar nesse ponto.

O fator preço nunca pode ser deixado de lado na hora de identificar a oportunidade de negócio, porque por mais que algo seja revolucionário, se o preço for impraticável, logo ele não sairá de uma boa ideia.

Então, na hora de planejar o seu negócio já comece identificando seu público alvo. Depois que isso for feito, ficará muito mais simples, buscar formas de resolver os problemas dos clientes, lembrando sempre de ter um produto/serviço compatível com a renda do seu público alvo.

Extra: franquias são um bom negócio?

Uma ideia muito comum para quem está buscando identificar a oportunidade de negócio, é apostar em franquias, pela sua “facilidade” na hora de empreender. Mas será que na prática é isso, mesmo?

E a resposta é um grande DEPENDE. Porque em muitos casos, abrir uma franquia estará alinhada com os objetivos do empreendedor e nas características certas, poderá ser um sucesso.

Por outro lado, se o empreendedor achar que estará com uma receita pronta para o sucesso e que não terá que administrar sua franquia como um negócio normal e sem estar com as diretrizes corretas, poderá ser um grande erro. 

O que ocorre, em alguns casos de franquia, é se basear no sucesso de outras dessas empresas. O sucesso é algo que não é simples, não é porque deu certo em uma cidade que dará certo na sua. Nosso país é gigante e cada local tem suas peculiaridades.

Dessa forma, a avaliação precisa ser ampla e rigorosa para entender se essa ideia é uma boa ideia ou apenas uma ilusão. Outro ponto que o empreendedor não deve deixar passar é o endereço que a franquia vai funcionar, porque a localização da sua empresa será essencial para o sucesso do negócio

Conclusão

No artigo de hoje, falei sobre como identificar a oportunidade de negócio certa para buscar o sucesso. Trouxe dicas importantes que vão ajudar empreendedores e futuros empreendedores a entender o jeito certo de empreender.

Para você que está buscando empreender do ZERO: temos um ótimo artigo sobre o assunto: comece seu negócio do zero com esses passos. Ele serve como um complemento para essa leitura, trazendo ainda mais dicas para identificar a oportunidade de negócio e aplicar isso, na prática.

Além disso, o blog da Smart conta com excelentes artigos sobre empreendedorismo. São artigos para quem busca aprender mais sobre o nosso meio. 

Em alguns casos, será possível aprender brincando. Não acredita nisso? Veja esse artigo: O que o jogo Banco Imobiliário pode te ensinar sobre negócios!

Compartilhe esse artigo com seus amigos, nas suas redes sociais. Para que mais empreendedores e futuros empreendedores possam aprender como identificar a oportunidade de negócio certa.

Nos vemos novamente em mais um artigo! 

Até a próxima, forte abraço!

Categorias
Administração

Smart São Paulo: Esses são os 4 principais conflitos no trabalho (te ensinamos como lidar com eles)

A sua empresa sofre com conflitos no trabalho? Então fique, por que vou te mostrar os principais conflitos e as formas de lidar com isso, do jeito certo. Siga comigo e descubra!

Os seres humanos vivem em constantes conflitos, seja com eles mesmo ou com outros seres humanos. Nas empresas isso não seria diferente, dessa forma, muitos conflitos ocorrem dentro de uma organização. Muitas vezes esses conflitos se mostram até benéficos.

Isso porque a partir de conflitos é possível chegar a resoluções que se mostram proveitosas para o andamento da empresa. Porém, não serão sobre esses conflitos que falaremos hoje, mas sim sobre os conflitos que prejudicam o andamento do trabalho.

Mas não se preocupe! Para cada conflito apontado, trarei uma forma de lidar com ele. Afinal, é impossível viver sem conflitos, ainda mais dentro de uma empresa, mas é possível superar esses problemas e tornar o ambiente o mais profissional possível.

Conflitos no trabalho  

Os conflitos no trabalho podem se apresentar de várias maneiras, dessa forma, é impossível falar sobre todos esses conflitos, dentro de um texto. Com isso, vou focar nos quatro mais recorrentes que vi ao longo da minha carreira. Para a partir deles, entender como resolver situações parecidas.

Membros da equipe com estilos de trabalho diferentes

Cada pessoa é única, dessa forma, cada um tem seu próprio estilo de trabalho. E muitas vezes esse estilo pode não casar com o estilo de outro ou dos demais membros da empresa.

Com isso, conflitos no trabalho podem surgir pela forma que alguns colaboradores conduzem suas tarefas. Isso causa irritação nos demais, por eles julgarem esse estilo como algo que atrapalha o andamento do trabalho e podem até estar sendo prejudicados pelo jeito que o outro executa a tarefa.

Como lidar com isso?

Crie um próprio estilo de trabalho para os membros da empresa. Padronizando as atividades, não vão restar brechas para que membros sintam-se prejudicados.

Além disso, as grandes empresas são conhecidas por terem um método que traz grandes resultados. Seja sua empresa grande ou pequena, certifique-se de implantar um padrão otimizado para que todos atuem a partir dele e possam perceber os resultados em seu trabalho.

Um membro da equipe foi promovido (ou recebeu um aumento) e outros não

Muitos podem apontar esse conflito no trabalho como fruto da inveja, mas normalmente a maioria que usa essa resposta é quem está recebendo o aumento ou a promoção. Não quero entrar no mérito se a pessoa em questão mereceu ou não, porém esse sempre foi um assunto difícil nas empresas.

O ser humano é racional, porém também é muito emocional, dessa forma, algumas coisas acabam gerando conflitos puramente pela parte emocional. Muito embora, algumas empresas premiam colaboradores injustamente, outras vezes isso ocorre de forma justa e precisa.

Então, muitas vezes, mesmo sendo algo justo e que faz sentido, pode acabar gerando descontentamento nos demais. Promoção e aumento são vistos como um prêmio para quem recebe, e como uma desvalorização do trabalho de quem não recebe.

Esse conflito é muito comum em grandes empresas, que possuem dezenas ou centenas de colaboradores e pode ser muito prejudicial para o andamento da empresa. Imagine 2 ou 3 funcionários satisfeitos e dezenas de outros insatisfeitos, o trabalho não vai render do jeito esperado.

Como lidar com isso?

Como vimos, é importante lidar com esse conflito no trabalho para que ele não afete o andamento de toda a empresa. Embora possa parecer algo de grande complexidade, não é, mas pode se tornar se não superado da forma correta. Para lidar com isso, a própria empresa deve ser clara e transparente com os funcionários.

Por isso, é importante premiar quem realmente merece, para que os outros vejam que a pessoa chegou lá por méritos e entendam claramente o porquê ele está onde está (ou teve o aumento no salário)

É importante também garantir que sua empresa tenha várias formas de premiar colaboradores que se destacam entre os demais. Com isso, todos ficaram motivados e buscarão cada vez mais as suas conquistas. Não dando brecha para se preocuparem quanto os outros ganham.

O processo de trabalho não está funcionando

Muitas vezes, os conflitos no trabalho não são uma resposta de problemas entre os colaboradores da empresa. O processo de trabalho realizado pela empresa pode estar gerando esses problemas no negócio.

Dessa forma, muitos podem não se adaptar corretamente às formas que a empresa gere suas atividades. Isso é mais evidenciado, quando a empresa troca constantemente de funcionários e os problemas continuam se repetindo, como se estivessem dentro de um ciclo infinito.

Identificar se a empresa está agindo da melhor forma, para o andamento dos processos de trabalho, será fundamental para conseguir entender se os conflitos estão surgindo a partir dos colaboradores ou da própria empresa.

Quando o processo de trabalho não funciona corretamente, isso vai respingar em toda a organização, trazendo prejuízos para os colaboradores, que estarão em um ambiente pouco proveitoso e para a organização, que sentirá os reflexos diretamente na execução do trabalho pelos colaboradores.

Como lidar com isso?

Através dos feedbacks será possível entender se a empresa está ou não, acertando na forma que executa seus processos. Assim, ficará muito mais fácil de entender se os problemas são com alguns colaboradores ou com toda a organização.

Para tal é importante contar com bons gestores (ou ser um bom gestor, caso seja você o único a ocupar um cargo de chefia), para ter certeza que os feedbacks estão trazendo dados reais e confiáveis.

Além disso, implantar pesquisas de clima organizacional na sua empresa será excelente para ter informações precisas. Sendo essa a grande vantagem dessa prática. A empresa poderá aumentar o rendimento da equipe com medidas que antes da pesquisa, poderia parecer algo obsoleto.

Os membros da equipe não tem um bom relacionamento

É importante ressaltar que os colaboradores, não precisam, necessariamente, ser amigos. Porém, é importante que eles tenham um bom relacionamento profissional, para que no trabalho, problemas externos ou de cunho pessoal, não atrapalhe o andamento da empresa.

conflitos no trabalho

Quando um colaborador não suporta o outro, certamente, isso vai afetar o trabalho dos dois, se eles forem envolvidos de alguma forma. Posso parecer repetitivo, mas somos seres bastante emocionais, dessa forma, podemos criar conflitos onde eles nem mesmo existem.

Existem pessoas dentro de uma empresa, que nunca conversaram, mas que por questão de afinidade não se dão bem ou nunca dirigiram a palavra uma, a outra.

Esse é um problema, que pode gerar um verdadeiro efeito dominó, porque podem facilmente espalhar fofocas entre todos os membros da empresa e gerar um ambiente totalmente polarizado e criar ainda mais conflitos para quem já não era muito “chegado” no outro.

E isso, não para por aqui, muitas vezes esses conflitos ocorrem entre pessoas de diferentes níveis hierárquicos, sendo que o que está em um grau mais elevado, pode prejudicar intencionalmente o outro, simplesmente por não gostar da pessoa

Como lidar com isso?

Conversar com os colaboradores será fundamental para entender o que está acontecendo e quais os motivos que levam a esse conflito. Empresas maiores costumam contar com psicólogos, o que é excelente para medir esses assuntos. 

Entretanto, uma boa gestão, mesmo em empresas pequenas, poderá superar esses problemas sem ter que, necessariamente, contratar um psicólogo para tal. Além disso, é preciso deixar claro o que a empresa vai ou não tolerar. 

Não dá para obrigar os colaboradores a gostarem um dos outros, porém é preciso que eles entendam, que nenhum problema poderá afetar a execução do trabalho. 

E caso, esses conflitos se tornem insustentáveis, será preciso intervir e em muitos casos desligar os colaboradores, ou aquele que não estiver disposto a mudar. Não entenda errado, demissões não são a resposta para todos os conflitos no trabalho.

Porém, em alguns casos, pode ser a única saída para manter a empresa atuando da melhor forma. Não deixe que poucos atrapalhem o trabalho de muitos

Conclusão

No texto de hoje, apontei os 4 principais conflitos no trabalho e as formas para lidar com eles. O importante é entender que os conflitos vão acontecer, o segredo não é acabar com eles, mas sim, desenvolver métodos de lidar com eles.

Dessa forma, o empreendedor estará capacitado para conseguir reverter conflitos e não terá que recorrer a medidas extremas para algo que pode ser resolvido com alguns ajustes.

Para mais artigos sobre empreendedorismo, continue acessando o blog da Smart. Vou listar dois excelentes textos, para você ler logo na sequência desse:

Agradeço a sua leitura e não esqueça de compartilhar esse artigo nas suas redes sociais, para que mais pessoas aprendam como lidar com os principais conflitos no trabalho. Me despeço agora e logo nos vemos, em um outro artigo.

Categorias
Administração Empreendedorismo

Smart Brasília: Essas são as atividades excluídas do MEI, veja a lista completa com as atividades não mais permitidas

Sabia que desde 2020, algumas atividades deixaram de se enquadrar como MEI? Hoje, falarei sobre isso e trarei a lista completa de todas as atividades excluídas do MEI. Siga comigo e descubra!

A modalidade de MEI (microempresa individual) foi criada em 2009, e é uma das mais buscadas por pessoas que buscam empreender a partir de um pequeno/micro negócio. O número de MEIs é crescente em nosso país.

E isso não tende a reduzir, pelo contrário, muitos novos empreendedores estão planejando o seu ingresso como MEI. Porém, existem algumas atividades que foram excluídas do MEI, se tornando um impeditivo para muitos profissionais se tornarem MEI.

No artigo de hoje, vou apresentar todas as modalidades que deixaram de ser enquadradas como MEI. Fique atento, caso a modalidade que você pretende exercer estiver na lista, você não poderá atuar nela como MEI.

O que é MEI?

Antes de ir para a lista das atividades excluídas do MEI, é preciso entender o que é um MEI. Microempreendedor individual (ou microempresa individual) é uma das modalidades de empresas do Brasil.

MEI é um modelo bastante simplificado (o que explica o constante crescimento da modalidade), e seu pagamento de tributos é feito de forma mensal, com uma única guia, o DAS. 

Entretanto, desde sua criação as atividades consideradas intelectuais, como advogados, dentistas, engenheiros, psicólogos, entre outras, não podem ser categorizadas e nem se enquadrar como MEI.

Outro fator bastante relevante, para se enquadrar como MEI é o faturamento anual. Que não pode ser superior a R$81.000,00 anual. Além disso, como o nome sugere, o MEI não pode contar com sócios, e só é permitida a contratação de um funcionário apenas.

Para ser MEI a sua atividade precisa estar descrita na lista oficial das modalidades. Além das atividades acima citadas, outras atividades foram excluídas recentemente. Vamos para elas, agora!

Atividades excluídas do MEI

O que causou a exclusão das atividades que vou listar, a seguir, foi a resolução CGSN Nº 150 / 2019. As atividades excluídas do MEI foram “separadas” em dois períodos, sendo que algumas foram excluídas em 2020 e outras, de fato, apenas esse ano.

Atividades excluídas do MEI em 2020:

  • Abatedor (independente) de aves;
  • Arquivista de Documentos;
  • Alinhador (independente) de pneus;
  • Aplicador (independente) agrícola;
  • Balanceador (independente) de pneus;
  • Coletor (independente) de resíduos perigosos;
  • Comerciante (independente) de extintores de incêndio;
  • Comerciante (independente) de fogos de artifício;
  • Comerciante (independente) de gás liquefeito de petróleo;
  • Comerciante (independente) de medicamentos veterinários;
  • Comerciante (independente) de peças e acessórios para motocicletas e motonetas;
  • Comerciante de produtos farmacêuticos homeopáticos (independente);
  • Comerciante (independente) de produtos farmacêuticos, sem manipulação de fórmulas ;
  • Confeccionador (independente) de fraldas descartáveis;
  • Contador;
  • Coveiro (independente);
  • Dedetizador (independente);
  • Fabricante (independente) de absorventes higiênicos;
  • Fabricante (independente) de águas naturais;
  • Fabricante (independente) de desinfetantes;
  • Fabricante (independente) de produtos de limpeza;
  • Fabricante (independente) de produtos de perfumaria e de higiene pessoal;
  • Fabricante (independente) de sabões e detergentes sintéticos;
  • Operador (independente) de marketing direto;
  • Pirotécnico (independente);
  • Produtor (independente) de pedras para construção, não associado à extração;
  • Proprietário (independente) de bar e congêneres;
  • Removedor (independente) e exumador de cadáver;
  • Restaurador (independente) de prédios históricos;
  • Sepultador (independente);
  • Técnico Contábil.

Atividades excluídas do MEI em 2021:

  • Astrólogo(a);
  • Cantor(a) (independente) ou Músico;
  • Contador(a) de histórias;
  • DJ ou VJ;
  • Esteticista;
  • Humorista;
  • Instrutor(a) de arte e cultura;
  • Instrutor(a) de artes cênicas;
  • Instrutor(a) de cursos gerenciais;
  • Instrutor(a) de cursos preparatórios;
  • Instrutor(a) de idiomas;
  • Instrutor(a) de informática;
  • Instrutor(a) de música;
  • Professor(a) particular;
  • Proprietário(a) de bar com entretenimento.

O que fazer se a sua modalidade não se encaixa como MEI?

Caso sua atividade não se encaixe mais como MEI, diante das recentes exclusões, existem outras modalidades para empreender no Brasil. Sendo que as modalidades de Empresário Individual (EI) e Microempresa (ME), são as que mais se aproximam do MEI.

Caso queira informações detalhadas sobre os tipos de enquadramentos empresariais do Brasil, com seus critérios e outras informações, temos um artigo que explica exatamente isso:  “Enquadramento empresarial: qual é o melhor para você?”.

Além das exclusões, o que mudou para o MEI em 2021?

Deixando de lado as exclusões, em 2021 também houve o reajuste do DAS para MEI (guia que reúne todas as contribuições do MEI: ISS, ICMS e INSS). Como o DAS corresponde a 5% do valor do salário mínimo vigente, sempre que ocorre o aumento do salário mínimo o seu valor sobe.

Neste ano, o salário mínimo subiu de R$1.045,00 para o valor de R$1.100,00. Com isso a tabela de valor do DAS foi alterada, vamos a ela:

  • Pagamento do DAS para Indústria e comércio: R$56,00 (sendo: R$55,00 de INSS + R$1,00 de ICMS e ISS);
  • Pagamento do DAS para prestadores de serviços: R$60,00 (sendo: R$55,00 de INSS + R$5,00 de ICMS e ISS);
  • Pagamento do DAS para comércio e serviços: R$61,00 (sendo: R$55,00 de INSS + R$6,00 de ICMS e ISS).

Conclusão

No texto de hoje, apresentei as atividades excluídas do MEI desde 2019. Se você tinha planos de ser um microempreendedor individual em algumas dessas atividades, é hora de ver qual será a modalidade mais indicada para seu tipo de serviço/produto.

Mas se você é MEI ou está pensando em se tornar um, e sua atividade (ou que pretende exercer) continua na modalidade de microempresa individual, temos alguns artigos neste blog, que vão te ajudar bastante a ser um MEI e conseguir muito sucesso com isso:

Além desses, o blog da Smart conta com excelentes artigos sobre empreendedorismo, que vão te ajudar a ser um empreendedor ainda melhor. 

Compartilhe esse texto de utilidade pública em suas redes sociais, para que todos saibam sobre as atividades excluídas do MEI.

Agradeço a sua leitura, e nos vemos em breve.

Categorias
Administração Empreendedorismo

Smart São Paulo: Método Kanban: Guia detalhado e 5 modelos prontos para usar

Você conhece o método Kanban? No artigo de hoje vou te apresentar esse método e trazer exemplos de como utilizá-lo. 

Está procurando uma forma de organizar a sua empresa (ou tarefas do seu dia a dia), de uma forma que seja possível ordenar e visualizar tudo que precisa ser feito através de um quadro (físico ou digital) com tudo bem delimitado? O método Kanban nasceu para isso.

Ele é um método que visa a maximização de tempo e eficácia em relação às atividades de uma empresa (ou pessoa). No artigo de hoje vou te apresentar esse método incrível, contar um pouco da sua história, te mostrar como aplicar e ainda, 5 modelos editáveis prontos para objetivos diferentes.

O que é o método Kanban?

Posso definir o Kanban como um quadro (físico ou digital) de visualização para conduzir, planejar e gerenciar atividades de forma ágil e eficaz. Então, quando alguma empresa (ou alguém) resolve aplicar o Kanban, ela está buscando a maximização de fluxo de trabalho (ou da atividade).

Como o Kanban surgiu?

O método surgiu nos anos 1940, em uma fábrica de veículos da Toyota e rapidamente se popularizou devido a sua velocidade, flexibilidade e eficiência. Por ser facilmente adaptado a diferentes áreas, ganhou muita popularidade e adeptos ao longo do tempo.  

O método Kanban foi desenvolvido por Taiichi Ohno, que era engenheiro e um nome forte na Toyota no Japão. A inspiração dele (agilidade e eficiência) surgiu ao observar a forma clara e objetiva que as prateleiras de supermercados eram organizadas.

Mas não só isso, a forma que o estoque era organizado fazia com que os produtos acompanhassem a demanda dos clientes. Com isso ele criou o Kanban para maximizar o uso real dos componentes dos veículos. Deixando o estoque organizado e ideal para cumprir com a demanda.

Como funcionava originalmente?

Para entender essa maximização vou te exemplificar conforme ocorreu na época, dentro da Toyota:

  • Os colaboradores da fábrica, repassavam os níveis dos materiais através de cartões (no começo o método era conhecido como cartão Kanban), em tempo real;
  • Assim que os níveis dos materiais esvaziavam, um cartão Kanban era repassado para o depósito/estoque, para que o responsável ficasse ciente;
  • Com essa informação em tempo real, o responsável pelo depósito repassava o que precisava para o fornecedor receber e completar o estoque.

Como aplicar o método Kanban?

Como dito acima, o método Kanban é perfeito para acompanhar o fluxo de trabalho de forma visual, usando um quadro (que pode ser digital ou físico) será possível planejar e fazer o acompanhamento de todas as tarefas.

Esse quadro irá ser composto de cartões (forma atualizado dos cartões da Toyota), que serão dispostos em colunas, visando a maximização através do controle para conduzir a equipe (ou você) para focar no que precisa ser finalizado.

Embora criado para controlar estoque, atualmente ele pode ser adaptado para qualquer processo que precise de agilidade. Para aplicar o método Kanban na sua empresa (ou na sua vida), será preciso seguir 5 regrinhas básicas (que podem ser adaptadas para a finalidade que você precisa no momento):

  • Sinalização visual (que seriam os cartões);
  • Disposição em colunas e/ou listas (para ter tudo organizado da melhor forma)

Uma dica é separar em a fazer, “fazendo” e “feito”, para garantir um controle total do que precisa ser feito, do que já está sendo feito e do que já foi finalizado;

  • Trabalho em andamento (para entender o que está sendo feito);
  • Comprometimento de todos os envolvidos (o método será só um método se as pessoas não estiverem dispostas a segui-lo);
  • Prazos (com os prazos definidos, será muito mais fácil entender se o trabalho está na velocidade ideal ou se está atrasado).

Através dessas regras é possível aplicar o método Kanban, independente de qual for o ramo da empresa ou do seu objetivo pessoal. A sua flexibilidade é o que mais fez seu sucesso, podendo ser facilmente adaptado.

Ele será perfeito para organizar e executar determinadas tarefas, tornando uma forma muito prática e ágil de acompanhar os projetos. Quando temos um quadro organizado e detalhado é muito mais fácil fazer com que tudo funcione, o Kanban visa a excelência e velocidade eficaz.

Objetivos do Kanban

Entre os principais objetivos do método Kanban posso destacar:

  • Manter a produtividade sempre alta;
  • Garantir que as pessoas trabalhem de uma forma que não se sobrecarregue;
  • Distribuir de forma equilibrada as responsabilidades, garantindo que toda a equipe tenha uma visão geral do que está sendo feito;
  • Dividir o todo em atividades menores, para conseguir entender o que está ou não funcionando em determinada tarefa, ficando muito mais fácil de identificar e resolver;
  • Mostrar de forma clara para todos, através de sua disposição visual, o que precisa de melhorias;
  • Engajamento da equipe, uma vez que uma tarefa for finalizada ela será movida para “feito” ou “concluída”, o que vai gerar um senso de dever cumprido por todos os envolvidos.

Então, se a sua empresa precisa de uma forma de melhorar o fluxo de trabalho e organizar toda a equipe (dentro de todos os objetivos listados), ou se você tem um objetivo específico e está tendo dificuldade em visualizar o que precisa ser feito, a metodologia do Kanban será uma forma aliada.

Garantindo que tudo fique claro e organizado, você e sua empresa terão uma incrível ferramenta no que diz respeito à agilidade e eficiência. Você poderá começar ainda hoje a utilizar o método Kanban.

5 modelos prontos (e editáveis) para utilizar o método Kanban

Separei 5 modelos editáveis no Trello (um excelente aplicativo para o método), onde você poderá adaptar as necessidades da sua empresa e da sua vida também.

Planejamento de projetos

Modelo editável

Em uma empresa o gestor pode perder muito tempo para organizar e entender como está o fluxo de produção, além disso, ter que traçar projetos para o futuro da empresa.

Com Kanban será possível criar de maneira limpa um fluxo de trabalho, onde o gestor terá total controle do que está acontecendo e de quem está executando cada tarefa. Podendo visualizar e organizar da melhor forma.

Gerenciamento de fluxo de vendas

Modelo editável

O Kanban também é perfeito se adaptado para o controle de vendas, em uma empresa. Com ele será possível acompanhar os “novos pedidos” e entender o que está em rota e o que já foi entregue.

Depois que a venda for finalizada e o produto entregue, é só mover para “concluído” que já terá a informação em tempo real do que realmente é um pedido e o que já está com o cliente. Ficando muito mais fácil de organizar e saber onde está cada coisa.

Organizar uma viagem 

Modelo editável

Uma viagem pode ser cheia de detalhes, e muitas coisas podem passar batido se não nos organizarmos. O método Kanban é perfeito para ter tudo bem certinho.

Dessa forma, você deverá criar um planejamento completo na aba “a fazer” e conforme for completando você move para “concluído”. Podendo acompanhar com os olhos fica muito mais fácil de não esquecer a sua escova de dentes, concorda? 

Aprendendo um novo idioma 

Modelo editável

Você poderá usar o método Kanban para te ajudar a aprender um novo idioma. Para não ficar perdido será excelente ter uma forma de se organizar, onde você poderá dividir o objetivo final em objetivos mais curtos e alcançáveis. Dessa forma, você pode acompanhar o seu progresso e fazer tudo acontecer.

Use as listas de “a fazer”, “feito” e “fazendo” para entender como está seu progresso. E as listas adicionais “aprendido/concluído” e “para aprender” para acompanhar o desenvolvimento. Assim que for progredindo o que você já sabe, ficará em “aprendido/concluído”. Muito mais organizado, não é?

Publicação de artigos online 

Modelo editável

Também é possível adaptar o método Kanban para nichos como o de publicação de artigos online. Dessa forma, é possível separar claramente e organizar de uma maneira que todos entendam e possam focar no seu tema.

Com essa divisão extra ficará mais fácil entender e encontrar a melhor forma de fazer, e os temas certos para focar. Adaptando o método ficará muito mais fácil organizar seu objetivo, seja para a finalidade que for.

Conclusão

No artigo de hoje, apresentei o método Kanban, que é um método de visualização do trabalho que trará muito mais velocidade, organização e eficiência para os projetos da sua empresa e da sua vida também (o Kanban é facilmente adaptado para atividades pessoais).

Por sua flexibilidade ele é facilmente adaptado e certamente, você poderá aplicá-lo nos seus negócios e/ou na sua vida. Beneficiando-se assim de uma organização que vai tornar as tarefas muito mais objetivas e claras. 

Além do método Kanban, no blog da Smart você encontra outros artigos sobre métodos para melhorar a eficiência, dentre os quais, posso destacar: 

Agradeço a sua leitura e nos vemos em breve!

Categorias
Administração Empreendedorismo

Smart Rio: A culpa é do estagiário ou da sua gestão? Descubra a resposta e saiba o que fazer

Falar que a culpa é do estagiário já virou meme. Mas será que até que ponto a culpa é realmente do estagiário ou da sua gestão? 

A culpa é do estagiário!

Com certeza você já ouviu esse tipo de frase, geralmente em tom de brincadeira, seja na internet ou mesmo no seu ambiente de trabalho. Mas será que é justo culpar o estagiário por tudo de ruim que acontece na empresa ou é preciso fazer uma análise mais detalhada?

No artigo de hoje, vou “mergulhar” fundo nesse tema e te ajudar (seja você empreendedor, ou seja, você um estagiário) a descobrir o que está acontecendo de errado, quando o trabalho atribuído ao estagiário não sai exatamente, como o planejado. Além de entender até que ponto isso é culpa do gestor.

O estagiário: estereótipo 

Já temos um estereótipo do estagiário, aquela pessoa jovem que está na escola, em um curso ou faculdade, que não sabe muito bem o que está fazendo e sempre acaba fazendo algo errado. Mas será que é isso mesmo? A resposta obviamente é não.

“Então, você está querendo dizer que os estagiários fazem tudo certo em uma empresa?” Não, também não, porém isso não se deve ao fato de ser estagiário, e sim porque todos os colaboradores cometem erros na execução das suas tarefas, seja ele estagiário ou até mesmo o dono da empresa.

Atribuir incompetência a um estagiário, simplesmente por ele ser um estagiário além de preconceito, pode ser considerado até crime, dependendo da forma que ele é tratado pelos seus colegas e superiores. 

Isso é bullying em sua forma mais clássica, a que parece apenas uma brincadeira, mas que traz muitos problemas psicológicos de quem é alvo.

Então, por que surgiu esse estereótipo?

Estagiários, em sua maioria, são jovens (é claro que isso não é uma regra, mas se é para entrar fundo no estereótipo, vamos direto para a visão clássica) que possuem pouco ou nenhuma experiência com trabalho e rotinas em empresas.

Dessa forma, é comum que eles cometam alguns erros, afinal, o estagiário, ao mesmo tempo que está ajudando a empresa (afinal, estagiários costumam receber um valor abaixo dos colaboradores “normais”), estão aprendendo com a empresa.

A conta é simples, a empresa oferece uma vaga de estágio para ele ganhar experiência, que se positiva poderá ser efetivado pela mesma. O grande ponto a ser analisado é que por serem jovens/inexperientes eles costumam ter algumas condutas e comportamentos diferentes dos outros colaboradores

Falta de experiência

Essa sem dúvida é a primeira conduta que pode causar erros e com certeza, contribuiu para a frase preconceituosa: a culpa é do estagiário! Afinal, se ele nunca trabalhou com essa função, é muito provável que ele não saiba fazer isso, sem a orientação correta.

Afinal, se você faz uma planilha pela primeira vez é bem provável que cometa alguns erros. Já que é para usar frases manjadas: é errando que se aprende. Com isso, o processo de errar faz parte do aprendizado.

Energia em excesso

A maioria dos estagiários é bastante jovem, com isso, vem a energia extra que é própria da idade. Dessa forma, eles podem errar para mais (em alguns casos para menos) e acabar fazendo tudo muito rápido, sem se ater a alguns detalhes cruciais.

E como nós sabemos, rapidez nem sempre é sinônimo de qualidade, principalmente quando não se tem a experiência andando junto. Essa energia também resulta em impulsos. E nessa pressa por mostrar resultados é comum que cometam até alguns erros “bobos” para olhos mais experientes. 

Comportamento

A rotina em uma empresa é baseada em comportamentos que são padronizados ao longo do tempo. Porém, quando se está começando, ainda mais se for seu primeiro emprego, é comum que você não tenha referência de como agir.

Então, seja da forma que você fala com os demais, ou como lida com clientes, tudo isso poderá não ser tão polido em um estágio, se comparado a alguém que já está a anos na empresa.

Acredito que a maioria de nós, tem uma “segunda personalidade” quando está trabalhando, não agindo da mesma forma que age com amigos e com familiares. E não é algo ruim, afinal, o emprego precisa de um trato profissional. Saber agir da forma correta, pode levar um pouco de tempo.

Falta de senso de responsabilidade

Em uma empresa basicamente somos responsáveis por seguir várias regras: horário de trabalho, uniforme, atividades, comportamento, enfim, a lista é bastante ampla.

Dessa forma, criamos um senso de responsabilidade para que seja possível fazer tudo dentro do esperado. Essa doutrinação faz parte de todos os colaboradores em uma empresa, afinal, ninguém quer um colaborador que não seja responsável, não é?

Essa característica muitas vezes, pesa contra o estagiário na hora de ser culpado por algo ruim. Afinal, se ele não tiver responsabilidade para executar as suas tarefas, realmente, em alguns casos é culpa será mesmo dele.

É claro que deve existir um período de adaptação, entre outras medidas, para que o estagiário esteja de acordo com as diretrizes da empresa. Nos próximos itens, vou apontar como a empresa deve agir quanto as características dos estagiários.

Falta de experiência: como a empresa deve agir?

As características acima, são as principais críticas aos estagiários. Porém, muitas vezes a culpa é do gestor também. Ao contratar um estagiário já precisa estar claro que ele terá que ser treinado, afinal, o real motivo de ter um estagiário é prepará-lo para ser um trabalhador.

A empresa precisa entender a real função do estagiário, que é ser um apoio para a empresa, dentro da sua função. Se você contratar um estagiário para suprir a falta de um profissional experiente, a culpa é da falta de experiência dele ou da sua opção de gestão sem sentido nenhum. 

Energia em excesso: como a empresa deve agir?

A vontade extra de muitos estagiários é algo que deve ser usado em prol da empresa. Essa energia em excesso poderá ser bem utilizada desde que adaptada à realidade das funções da empresa.

Algumas funções não precisam de tanto requinte e podem ser feitas de forma mais rápida, sem trazer malefícios para a empresa. O segredo é colocar o estagiário na função que mais combine com suas características e que não possa gerar erros graves.

Comportamento e falta de responsabilidade: como a empresa deve agir?

De forma totalmente clara, nunca atribua uma responsabilidade crítica para um estagiário. E o que seria responsabilidade e crítica? Seriam funções que precisam de um profissional altamente capacitado para tomar as decisões.

Também, nunca deixe de ter alguém para avaliar e acompanhar o desenvolvimento do estagiário. Coloque-os em função de auxiliar, onde eles poderão observar outros profissionais da área e com a ajuda deles, aprender cada vez mais até se tornar parte da empresa.

Fica muito mais fácil lidar com estagiários, quando eles estão fazendo algum curso ou faculdade específica, porque eles poderão pôr em prática o que estão aprendendo, além de ser em uma área que eles planejam se desenvolver cada vez mais.

A empresa precisa preparar o estagiário, é um via de mão dupla, o estagiário ajuda a empresa e a empresa ajuda no seu desenvolvimento. Mas é claro que nem tudo são flores: afinal existem estagiários que não devem continuar na empresa. No próximo item, vou te ajudar a identificar.

A culpa é do estagiário!

Erros vão acontecer, mas saiba avaliar se ele errou tentando fazer o certo ou se escolheu fazer errado. Você não deve julgá-lo por alguns erros se ele for dedicado e demonstrar que está a fim de trabalhar. A avaliação deve ser completa, antes de chegar a uma conclusão sobre ele

Dito isso, quando o estagiário não demonstrar comprometimento, vontade de executar as suas funções e desejo de aprender e comete repetidos erros por simplesmente não querer fazer o que está fazendo. Então, aí sim, a culpa é do estagiário.

Cabe à empresa dar todo o suporte e não cometer os erros que mostramos, porém, o estagiário precisa responder à altura. Então, a empresa precisa avaliar se está colocando-o no melhor cenário. Se mesmo assim, ele não responder cabe a empresa desligá-lo e dar oportunidade para quem vai valorizar.

Conclusão

No texto de hoje, ajudei a desmistificar uma frase preconceituosa (em muitos casos): que a culpa é do estagiário. Dessa forma, a empresa deve entender qual é a real função do estagiário e ajudá-lo a se desenvolver como colaborador.

A culpa só será do estagiário se ele tiver todo o treinamento adequado e período de aprendizado, e mesmo assim, demonstrar má vontade, preguiça e falta de respeito as normas da empresa. 

Vou te apresentar 3 artigos deste blog que vão te ajudar a ter uma melhor gestão: 

Agradeço a sua leitura, nos vemos em breve.