Categorias
Empreendedorismo

Smart São Paulo: Quais serão os desafios dos pequenos negócios em 2022?

Ano que vem esse cenário deve continuar com ainda mais desafios dos pequenos negócios e, é sobre isso que vamos falar no texto de hoje.

O atual cenário ainda nos coloca na pandemia de Covid-19, porém, felizmente esse quadro global parece que está nos seus últimos dias. Embora, é claro que alguns cuidados ainda precisam ser tomados.

Após quase dois anos de uma pandemia mundial é claro que a economia sofre, sofreu e sofrerá com os prejuízos causados pela Covid, onde muitas empresas acabaram fechando por não ter recursos necessários para continuar em um momento de crise.

É claro, que nem só pelo Covid é que as pequenas empresas do Brasil sofrem. Para quem acompanha ou empreende no Brasil sabe muito bem, que o cenário nunca foi dos melhores.

Com mais um ano chegando ao fim, fica mais claro os desafios dos pequenos negócios para o ano de 2022. No texto de hoje, vou falar mais sobre esse cenário e te dar algumas dicas de como conseguir vencer o novo ano que vem chegando.

Desafios dos pequenos negócios: questões financeiras

Os empreendedores devem enxergar a economia quase como um organismo vivo. Sempre que ela for abalada, é como se ela ficasse doente e os sintomas assolassem os empreendimentos, tendo em vista que as empresas têm seus resultados pautados pela economia.

Como vimos, os dois últimos anos foram de prejuízos para praticamente todos os setores do mercado. O que já é possível ver em muitos lugares, só parece que vai piorar no ano que vem, com a inflação crescendo cada vez mais.

Vindo de uma economia já debilitada como a brasileira, é óbvio que terá uma forte onda batendo contra todos nós. Tendo em vista que a crise não vai abalar apenas as empresas, mas toda a população em algum grau.

A gasolina está em disparada já em 2021, deixando as expectativas de preço lá no alto para o ano que vem. Sabendo que muitos setores dependem de deslocamentos, já fica claro, que os lucros serão menores e os gastos para fazer a “roda” voltar a rodar serão maiores ainda.

A energia elétrica também já dá sinais que baterá recordes de gastos no ano que vem. Sendo que todas as empresas, com ênfase maior nas menores, terão que lidar com esse aumento para manter seu negócio andando.

E com nossa moeda cada vez mais desvalorizada, com o dólar batendo lá em cima, quando comparado ao real. Explica muito sobre os desafios dos pequenos negócios. Sendo um dos pontos que os brasileiros (empreendedores ou não) que utilizam do dólar, mais estão sentindo.

Com a moeda tão desvalorizada, perdemos cada vez mais poder de compra. Junte isso a impostos altos e temos um colapso em toda a economia. Mostrei esses pontos não para alarmar, mas sim para passar um panorama realístico acerca do que pode acontecer em 2022. 

Mas se você tem uma pequena empresa, não se desespere, vamos mostrar quais adaptações serão necessárias e mais adiante vou dar dicas e responder a uma questão fundamental: se pequenas empresas poderão vencer todos esses problemas.

Desafios dos pequenos negócios: adaptações necessárias

Se teve uma palavra que ficou em alta durante a pandemia, certamente, foi o termo adaptação. Tendo em vista a quantidade de vezes que pessoas e empresas tiveram que se adaptar e se readaptar, para lidar com esse novo cenário.

Uma das adaptações mais marcantes nas empresas, foi a introdução do home office, para ser possível manter as atividades de algumas empresas funcionando remotamente. Sendo uma saída que se mostrou muito boa, que inclusive hoje, muitas empresas continuam adotando.

Adaptações são respostas para problemas que aparecem em nossa vida. Se não fossem as adaptações, nunca teríamos evoluído e muito menos superado problemas básicos.

É claro, que buscar a melhor saída em momentos de crise não é nada fácil. Principalmente, com os problemas que listei acima, onde não existe uma receita pronta para conseguir superar. 

Porém, ninguém nunca disse que empreender seria fácil. Por isso, é preciso estar consciente que em um mundo pós Covid, as dificuldades serão as mesmas, porém potencializadas.

Os desafios dos pequenos negócios são os que mais precisam de adaptações criativas com base no conhecimento. Pois, as pequenas empresas acabam sofrendo mais que as outras.

Não que as grandes empresas não sintam, também sentem. Porém, com muito mais recursos é possível lidar melhor com momentos de dificuldades. Já as pequenas não têm muita margem para erro, pois todo erro pode trazer a ruína da empresa.

Como os gastos vão aumentar é preciso ir atrás de alternativas viáveis para ter mais dinheiro. Um exemplo é trocar o aluguel caríssimo, por um escritório em coworking. Que vai ajudar e muito a ter uma economia gigantesca de gastos. Sobrando para o que realmente interessa, a empresa e seu material humano.

Outro ponto que pode ocorrer são as demissões, para cortar custos. Infelizmente é uma medida extrema, porém, muitos empreendedores terão que considerar na hora de se planejar. Muitas vezes será melhor diminuir o pessoal, do que ter que demitir todo mundo.

Adaptações e saídas nem sempre são fáceis, ainda mais quando estamos falando de pequenas empresas no Brasil, com seus grandes desafios. Entretanto, certas decisões precisam ser tomadas para vencer a crise. 

Desafios dos pequenos negócios: dá para vencer esses problemas?

Pequenas empresas não podem contar com a sorte, quando o assunto é administrar um negócio. Deixar para sorte é o mesmo que dizer: vou manter minha empresa apenas até ela dar um problema, porque para empresas despreparadas um problema é tudo que precisa para desandar.

É claro, que o Covid foi uma surpresa, foi algo bastante único na nossa sociedade. Porém, os empreendedores devem saber que em uma economia instável como a nossa, ter uma lista de “planos B” é fundamental.

Empreendedores que entenderam o recado e se reestruturaram, com certeza estarão prontos para lutar com unhas e dentes para manter seus negócios funcionando em 2022

Passos para lidar com os problemas em 2022

Vou mostrar alguns pontos que é preciso considerar para superar a crise de 2022.

Economizar é preciso: se estamos de olhos em uma crise financeira, é claro, que a primeira medida para 2022 está em economizar dinheiro. Empresas com um capital de giro, terão muito mais chances de passar pela crise. 

Por isso, não faça investimento de risco e mantenha o dinheiro na empresa. Tendo em vista que existem fornecedores para pagar, pagar os colaboradores e impostos que precisam ser pagos para não virar uma “bola de neve”.

Cortar gastos desnecessários: falando em ter mais dinheiro, é preciso identificar gastos que possam ser cortados, definitivamente ou até a crise passar.

Dar um passo para trás é melhor que cair: muitos empreendedores terão que frear as suas empresas momentaneamente e dar alguns passos para trás, para garantir que exista um futuro para empresa e funcionários.

Apostar no trabalho duro com conhecimento: não tem jeito, para vencer essa crise, é preciso que os empreendedores e gestores dos pequenos negócios usem o máximo de conhecimento para elaborar um planejamento que seja possível aguentar o “tranco”.

Conclusão

No texto de hoje, mostrei alguns dos desafios que estarão presentes em 2022, que vão afetar principalmente as pequenas empresas. No fim, mesmo que esses problemas não sejam totalmente evitáveis, é possível através de planejamento absorver os impactos e ficar de pé nessa batalha.

Empreendedores devem saber que é impossível escapar de crises, onde o segredo está em conseguir superá-las e não de nunca ser atingido por elas. Adaptações são sempre bem-vindas para fortalecer qualquer empreendimento.

Infelizmente, pequenas empresas que não estiverem preparadas poderão acabar fechando em 2022. Certas perdas são impossíveis de evitar. Ainda mais em uma economia que anda tão fragilizada quanto a brasileira.

Reitero que meu objetivo não é ser pessimista e não desapontar ninguém, muito pelo contrário, é mostrar o que deverá vir e alertar para os empreendedores busquem cada vez mais saídas. Para ajudar o país a passar por esse pós-pandemia.

No blog da Smart você encontra centenas de artigos sobre empreendedorismo de modo geral. Separei três para você empreendedor que precisa de cada vez mais motivação, atitude e conhecimento. São eles:

Compartilhe esse artigo nas suas redes sociais, para que mais empreendedores se preparem para os desafios dos pequenos negócios em 2022.

Agradeço a sua leitura e nos vemos em breve.

Categorias
Empreendedorismo Entretenimento

Smart Rio: Como Round 6 pode te ajudar a manter a saúde da sua empresa?

Já assistiu ao novo grande sucesso da Netflix, Round 6? Ainda não? Saiba que ela tem muito a te ensinar sobre manter a saúde da sua empresa. 

A série Round 6 se tornou uma das mais assistidas na história da Netflix. Essa produção sul-coreana, já chegou causando e conquistou o mundo todo. Mas ela é muito mais do que apenas entretenimento, ela traz algumas lições que podem ajudar empreendedores a manter a saúde de sua empresa.  

Se você não acompanhou o hype dessa série, vou te contextualizar ao longo do texto. Embora seja uma excelente série, que vai te prender do início ao fim, cheia de ação e suspense, nas entrelinhas ela é muito mais do que isso. 

Servindo com excelentes paralelos com o mundo dos negócios, onde decisões ruins levam empresas à falência, como ocorre com os personagens da história. Por isso, vou te mostrar que erros claros que os personagens cometem devem ser evitados em seu negócio.

Sinopse da série

Round 6 (ou “jogo da lula”, no contexto original) narra a história de um jogo onde centenas de jogadores são levados para uma ilha, para passar por provas de literalmente, vida ou morte, através de adaptações de jogos infantis sul-coreanos. Quem sobreviver levará para casa uma quantia milionária.

Ao longo da história somos apresentados a diversos personagens onde entendemos melhor o contexto que os colocaram ali. Sendo que a maioria tinha algo em comum: estar falido e precisar de muito dinheiro para arrumar sua vida. 

Alguns personagens têm outras motivações, mas não vou falar mais para não atrapalhar a experiência de quem ainda não viu essa série. Mas a grosso modo todos estão lá porque estão falidos ou precisam de muito dinheiro para tentar mudar de vida.

Erros de Round 6 que não devemos cometer

Analisei alguns dos principais erros que os personagens cometem dentro dessa história, para traçar paralelos com o mundo dos negócios. O texto terá alguns spoilers, a maioria será inofensiva, mas caso tenha um spoiler importante vou avisar previamente.

Má administração do dinheiro

Se os personagens tivessem seguido essa regra nem teriam entrado no jogo. Tendo em vista que praticamente todos estão lá para ganhar dinheiro por erros que cometeram. 

Seja do lado pessoal ou profissional, administrar bem seus recursos financeiros, é essencial para a saúde de qualquer negócio. Com isso, aprendemos que é preciso analisar muito bem questões financeiras, para não entrar no caminho errado e perder tudo.

Falta de dinheiro é o motivo principal das empresas fecharem/falirem, justamente pelas pessoas negligenciarem a sua importância. Quem entende de administração sabe que é o pior erro, porque sem dinheiro todo o negócio cairá pouco a pouco.

Sem dinheiro uma empresa, começa a atrasar impostos, atrasar salários, atrasar pagamentos aos fornecedores, etc. Com isso, se mantendo por muito tempo a empresa logo terá um colapso.

Isso fica bastante claro na série quando a má administração do dinheiro, literalmente leva os personagens à morte. É possível ver o jogo como a última chance para essas pessoas, onde a chance de sucesso é menor que 1%.

O efeito “bola de neve” que as dívidas têm, fica explícito na série, mostrando que o caminho da péssima administração do dinheiro além de ser um caminho sem volta, é um caminho que só piora.

Se você é um empreendedor ou pretende ser, tenha a noção clara que você precisa de dinheiro e precisa saber administrar esse dinheiro, para manter a saúde da sua empresa e pouco a pouco conquistar o sucesso que deseja.

Essa foi a lição que aprendemos antes mesmo dos personagens entrarem no Round 6, porém alguns empreendedores já cometeram o erro da má administração. Por sorte, a série também mostra como a gestão de crise correta ajuda muito a superar os problemas. 

Raciocínio frente às crises é uma poderosa arma do administrador

Empreender é sobre saber usar o raciocínio a seu favor, principalmente em meio a crises. Afinal, empreender com tudo dando certo é fácil, porém utópico, dessa forma é preciso estar preparado para mandar o raciocínio afiado em momentos de crise.

A série mostra que os personagens que usaram o raciocínio, conseguiram chegar mais longe no jogo. Onde muitos sucumbiam diante dos problemas, outros acharam soluções criativas. Tem uma cena que ilustra muito bem isso, envolvendo um dos participantes, a dos biscoitos de açúcar derretido.

Perder a calma deve ser a última coisa que um empreendedor deve fazer, pois com isso, ele irá tomar decisões erradas e por tudo a perder. Manter a calma e a resiliência é essencial para superar uma crise.

Infelizmente, muitos empreendedores não têm essa habilidade e levará inevitavelmente a empresa a perder tudo no primeiro problema que aparecer. Com muitos perdendo a noção da realidade e de raciocínio quando se vêem em meio a uma dificuldade.

É claro, que o ideal é não entrar em uma crise, porém, o mundo dos negócios não é tão preciso assim, e muitas vezes, problemas são invertíveis. Porém, a forma que você vai lidar com isso é totalmente controlável, mostrando que o espírito empreendedor deve existir também nas dificuldades.  

Trabalho em equipe

Embora o jogo tenha apenas um vencedor, em uma das provas o trabalho em equipe é colocado a prova. Mostrando que a equipe mais preparada conseguia sair com vida, enquanto a outra não.

Essa prova era uma prova de força e estratégia, onde com inteligência uma equipe mais “fraca” conseguiu se organizar e superar os mais “fortes”. Para que isso fosse possível a equipe seguiu um plano à risca.

O plano garantiu que cada um estivesse no lugar certo, para fazer tudo funcionar e obter êxito no fim de tudo. Mostrando que mesmo que algo pareça perdido, é possível com um bom plano escapar disso.

Trazendo para a realidade das empresas, fica claro que ter uma equipe preparada é fundamental para que o negócio funcione e que seja possível superar as crises. Mostrando a importância de ter colaboradores especializados nas suas áreas, para que a empresa se torne sólida.

Com isso, será possível tirar o melhor de cada um e garantir que todos façam a sua parte. Uma equipe preparada é o grande diferencial de uma empresa frente a seus concorrentes.

Por isso, na hora de montar a sua equipe, procure pessoas com talentos que claramente procurem crescer e se desenvolver, para que sua empresa possa fazer o mesmo.

Invista no treinamento da sua equipe, garantindo que todos fiquem sempre atualizados em suas áreas e com isso, possam ajudar a empresa a chegar em seus objetivos.

Esteja pronto para surpresas

Alerta de spoiler! 

Se não viu a série recomendo assistir e voltar para ler essa última lição, após concluir os episódios.

Na série, além dos participantes e membros que fazem o jogo funcionar (os “minions” do lugar), acompanhamos um policial que está investigando a ilha do jogo atrás de seu irmão que havia desaparecido.

Ele investiga o lugar a fundo, a fim de revelar esse tenebroso jogo ao mundo. Porém, ele descobre que seu irmão é um dos principais responsáveis pelo jogo, sendo o anfitrião do lugar (não é o responsável geral, mas tem um papel de bastante destaque).

Dessa forma, ele tenta fugir, mas acaba sendo pego e morto pelo próprio irmão. Mostrando que nem sempre a situação é como imaginamos. Seguindo com um excelente conselho que devemos estar preparados para surpresas.

Embora, ninguém queira que algo ruim aconteça é preciso saber lidar com elas quando aparecem (sendo boas ou ruins). Mostrando que apenas absorvendo e se refazendo é possível manter-se vivo, frente a surpresas desagradáveis.

Conclusão

No texto de hoje, te mostrei que é possível tirar excelentes lições de empreendedorismo através da cultuada série Round 6. Usando o exemplo dos personagens, empreendedores podem ver os principais erros que cometem cuidando de suas empresas.

Recomendo fortemente, que quem ainda não viu, dê uma chance para essa série. É uma série curta, com apenas uma temporada. Onde é possível assistir tranquilamente em um fim de semana. Sendo diversão garantida, além de trazer excelentes reflexões.

Assim como Round 6, existem excelentes séries, filmes e até brincadeiras com muito a nos ensinar sobre empreender. Podendo aliar diversão com aprendizado. Inclusive o blog da Smart tem artigos especiais que falam sobre isso:

Além desses, o blog tem centenas de artigos relevantes sobre empreendedorismo. Onde você vai aprender a ser um empreendedor muito mais inteligente. Por isso, acompanhe e coloque-o nos seus favoritos.

Compartilhe esse artigo nas suas redes sociais, para que quem ainda não viu Round 6, saiba que vai poder tirar excelentes lições de empreendedorismo, assistindo a essa série.

Agradeço a sua leitura e nos vemos em breve.

Categorias
Empreendedorismo

Smart Brasília: Como se tornar um nômade digital? Quais as vantagens?

Descubra no texto de hoje como se tornar um nômade digital, além de detalhar todas as suas vantagens.

O nomadismo digital cresce a cada dia, sendo bastante impulsionado pela pandemia de Covid-19, onde muitos profissionais viram que ficar preso em uma empresa, pode não ser a melhor saída.

Os nômades digitais buscam acima de tudo a liberdade de poder trabalhar dependendo apenas de conexão com a Internet. Indo desde pessoas que trabalham em vários lugares do mundo, quanto pessoas que passaram a trabalhar apenas em home office.

Inclusive, estudos mostram que 30% das empresas devem manter o home office mesmo após o fim da pandemia. Impulsionando o trabalho remoto e garantindo que seus colaboradores e profissionais possam trabalhar do endereço que acharem conveniente.

É claro que o home office tem seus prós e contras, porém para quem busca viver do nomadismo digital, seus prós são muito maiores, valendo a pena apostar nesse estilo de vida, de trabalhar de casa (seja seu endereço onde for) através da internet. 

No texto de hoje, vou falar sobre as principais vantagens e como se tornar um nômade digital.

Principais vantagens em se tornar um nômade digital

Para você que busca como se tornar um nômade digital, veja quais são:

  • Mudanças em seu estilo de vida: sendo um nômade digital, você só vai precisar de acesso à internet para poder trabalhar, com isso você não precisa ficar preso a um local. Sendo nômade digital, você vai depender apenas de você e da sua profissão.

Pessoas que gostam de ter certas garantias, podem não se adaptar a esse estilo mais livre, dessa forma, fica evidente que a vida como nômade digital é para quem gosta de se aventurar.

  • Você poderá escolher a estação do ano que irá viver: se você for um nômade digital, você pode viver no clima que você gosta. Por exemplo: se você gosta de clima quente com pouca chuva, você poderá viajar para os países com esse clima.

Com isso, você é dono do seu destino e da estação do ano que quer viver. Podendo mudar de endereço sempre que o clima não lhe agradar mais. 

  • Possibilidade de trabalhar em local que lhe inspire: ser nômade digital não significa necessariamente trabalhar sozinho, você poderá buscar lugares inspiradores com pessoas que irão te ajudar a dar seu melhor.

Uma excelente forma de encontrar isso é trabalhando em ambientes de coworking, onde além da liberdade, você poderá ter contato com dezenas de outros profissionais, que estão tão focados e motivados quanto você a buscar o sucesso.

Esses ambientes são muito bons, pois você pode usar apenas pelo tempo que necessitar, sem precisar estar todos os dias nesse endereço. Porém, sempre que precisar de um local completo para reuniões ou trabalhar lado a lado com outros profissionais, você terá essa opção. 

  • Poder ser um cidadão do mundo: muitas pessoas sonham em viajar, porém, acabam ficando presas a rotinas e acabam nunca vivendo esse sonho, ou vivendo apenas em temporadas de férias.

Entretanto, se você for um nômade digital, você poderá viver desse modo, indo de país em país e conhecendo o mundo todo. A globalização é tamanha que apenas com a internet (dependendo da sua profissão, inclusive falarei mais sobre isso no próximo tópico) você pode desempenhar sua função de praticamente, qualquer lugar do mundo.

Dessa forma, você irá unir o útil com o agradável, podendo aproveitar a vida da maneira que sempre desejou. Sendo um nômade digital, você não precisa ficar preso em local fixo, mas sim, terá a liberdade de escolher onde irá passar seus dias. 

  • Conhecer pessoas de diferentes estilos: quando estamos em vários lugares, isso aumenta nosso leque de experiências e de pessoas que conhecemos.

Sendo um nômade digital, você irá conhecer centenas de pessoas com histórias e experiências iguais e diferentes das duas. Onde você poderá aprender e ensinar essas pessoas. 

Então, se você procura pessoas diferentes ou pessoas iguais a você, com ideias e pensamentos semelhantes, para abrir um leque de possibilidades profissionais, sendo um nômade digital isso será muito mais fácil.

O foco aqui foi mostrar características e vantagens descritas por quem teve a experiência de ser um nômade digital. Como dito acima, é um estilo de vida diferente do padrão, por isso, é preciso avaliar se esses pontos são vantajosos para você.

Então, se você é do tipo que gosta de ter sua casa, gosta de ter uma rotina, gosta de ter garantias e um emprego de carteira assinada, mudar para o mundo dos nômades digitais, certamente, poderá te tirar da sua zona de conforto.

A zona de conforto não necessariamente é algo ruim, apenas se você não gosta de estar nela. Muitos justamente buscam conseguir estar em uma zona de conforto.

Desse modo, fica claro que não existe um certo ou errado, mas sim pessoas com objetivos e sonhos diferentes. Dessa forma, cada um poderá se encontrar onde melhor se adapta e sente-se melhor.

Agora, se você leu todas essas vantagens e viu que realmente é isso, que você busca para sua vida pessoal e profissional. No próximo tópico vou te ajudar a entender como se tornar um nômade digital. Vamos a adiante! 

Dicas para se tornar um nômade digital

Agora que já falei sobre as principais vantagens, é hora de trazer dicas para quem quer entender como se tornar um nômade digital. Sem mais delongas vamos a elas!

Escolha sua profissão

Antes de mais nada, é preciso deixar claro que ser uma nômade digital nem de longe é para todas as profissões. Por isso é fundamental que você escolha uma profissão que permita a você trabalhar de forma remota utilizando apenas um aparelho conectado à internet.

Tendo em vista, que muitas empresas permitem o home office, mas fazem reuniões presenciais de forma bastante repetitiva. Dessa forma, a melhor opção para ser um nômade digital é ser um profissional autônomo. Porém, é claro que algumas empresas darão essa possibilidade. Cabe a você deixar isso claro na hora da entrevista.

Atenção a parte burocrática

Se for de seu objetivo, tornar-se um nômade digital, do tipo que viaja o mundo. Fique muito atento a questões como passaporte, vacinas e exames, para poder se deslocar facilmente de um local para outro. Fique sempre atualizado com tudo, para evitar surpresas desagradáveis.

Toda essa atenção ficou ainda mais acentuada por conta do Covid-19, sendo que muitos países liberam apenas para situações especiais a entrada de pessoas. E embora a pandemia esteja perto do fim, essas questões burocráticas devem continuar por algum tempo. 

Organize-se financeiramente

Por mais que seja empolgante sair pelo mundo, é preciso ter um dinheiro para poder se estabelecer e conseguir os primeiros passos. Dessa forma, organize seu dinheiro de modo a ter uma boa quantia para poder usar, caso seja necessário.

Aprenda idiomas

Se você busca ser um cidadão do mundo, nada mais justo do que aprender línguas novas, e quando falo de línguas novas, não falo apenas do inglês, que já deve ser regra para quem busca ser uma nômade digital. Mas também de idiomas dos locais que você irá ficar.

Como o inglês é muito falado e praticamente a língua oficial do mundo (ocidental, pelo menos), com ele na ponta da língua, você já vai poder se comunicar com muitas pessoas. Porém, dominar a língua local também irá te ajudar muito, quando não estiver falando com alguém que domine o inglês.

É claro que não precisa se tornar totalmente fluente em todas as línguas de lugares que passar, mas sim entender e conseguir falar frases chaves que vão te ajudar muito no dia-a-dia. Saber, frases como: “onde fica o mercado?”, “onde fica o hospital mais próximo?”, entre outras, por exemplo.

Invista sempre na sua qualificação profissional

Essa dica é para quando você já é um nômade digital. Então, mesmo que você já seja um nômade digital é importantíssimo continuar investindo na sua capacitação profissional.

Porque um nômade digital deve estar sempre com seu currículo atualizado, para que novas oportunidades apareçam. Dessa maneira, aposte em cursos e busque sempre ser um profissional mais completo. O mercado irá se abrir muito mais para você.  

Não é porque está fora do Brasil que você deve deixar de estudar mais sua área de atuação. “Aposte em cursos de capacitação online e busque se qualificar o máximo possível para estar apto a novos desafios e para conseguir preencher os gaps do mercado”, pontua Cristiano Soares.

Conclusão

No artigo de hoje te mostrei como se tornar um nômade digital, além de mostrar as principais vantagens atribuídas a quem escolhe esse estilo de vida. Mostrando que quem busca liberdade e poder viajar todo o mundo, se escolher ser um nômade digital terá grandes chances de sucesso.

Para mais textos sobre empreendedorismo de maneira geral, continue lendo o blog da Smart. Vou deixar um artigo excelente como indicação para você continuar aprendendo, o texto é muito importante e fala sobre procrastinação, o quanto ela é danosa e pode acabar com um empreendimento

Compartilhe esse texto nas suas redes sociais, para que seus amigos aprendam também como se tornar um nômade digital. 

Agradeço a sua leitura e nos vemos novamente em breve.

Categorias
Empreendedorismo

Smart São Paulo: Quando o medo de falar em público pode acabar com o seu negócio?

Sabia que o medo de falar em público pode destruir um empreendimento? Não acredita? No texto de hoje, te mostro como.

Falando com relação ao mundo empresarial, o medo de falar em público talvez seja até maior nesse meio, considerando toda a pressão que o ambiente dos negócios está envolto.

Ocorre muito com empreendedores, que por terem medo de falar em público, podem levar o empreendimento à ruína. Dessa forma, empreendedores devem buscar a excelência quando o assunto é falar em público. 

No texto de hoje, vou mostrar como o medo de falar em público tem potencial destrutivo nos negócios além de apresentar técnicas para ajudar a contornar esse medo.

Os males do medo de falar em público no mundo dos negócios 

Falar em público é um dos maiores medos dos seres humanos, a quem diga que supere até o medo da morte. O quanto isso é verdade, não sei, porém, o medo de falar em público é sim um grande mal que assombra muita gente. 

Existem muitas pessoas que têm um grande conhecimento e capacidade de processar ideias em sua mente, porém na hora de externalizar isso, começa um verdadeiro pesadelo: o medo de falar em público.

Quando falamos de empresas, estamos falando de pessoas por trás de fazer a “roda” girar. Dessa forma, espera-se que o empreendedor/gestor saiba como comunicar com essas pessoas para que tudo aconteça.

A facilidade de falar em público é um grande sinal de liderança, sendo que muitos empreendedores são grandes líderes e costumam ter grande sucesso quando possuem o dom da fala. Já outros, não possuem esse dom, e delegam pessoas especializadas para falarem por eles.

Mas quando pensamos em empresas menores, onde não é possível ter uma equipe gigante por trás da liderança, essa função recai sobre os braços do próprio empreendedor.

Quando o líder/empreendedor tem medo de falar em público, pode se tornar um verdadeiro desastre em uma reunião com seus colaboradores, parceiros e/ou clientes

Com uma comunicação prejudicada, a equipe vai ter informações importantes faltando, prejudicando o andamento das atividades. Uma vez que os colaboradores correm grande risco de não entenderem boa parte do que o empreendedor quis dizer.

Infelizmente (ou felizmente, dependendo do ponto de vista), as empresas precisam de uma comunicação clara e objetiva para ter um norte real que possam seguir (do contrário irão fracassar).

E quando a reunião é com clientes ou parceiros importantes, o medo de falar em público pode passar a sensação de descaso com eles, além da falta de planejamento e profissionalismo. Caso isso ocorra será muito difícil ter a atenção deles novamente. 

A comunicação é essencial em todos os âmbitos empresariais (interna e externamente). Com medo de falar em público atrapalhando muitos empreendedores na hora de gerir sua empresa, no próximo item, vou ensinar algumas técnicas para melhorar a comunicação com o público.

Técnicas para melhorar o discurso junto ao público

Sem mais delongas, vamos para elas!

Crie um roteiro

Se falar em público já é uma dificuldade, não se planejar só irá evidenciar isso. Dessa forma, se você busca uma comunicação clara e objetiva, na empresa (ou demais áreas), criei um roteiro com todos os pontos que gostaria de tratar.

Com isso, terá uma linha de raciocínio mais coesa, e vai ajudar e muito para você conseguir conectar as ideias que estará pondo para fora. Além disso, por você já saber o que vai falar diminui um pouco a ansiedade, o que certamente ajudará muito na hora de falar. 

Por isso crie um roteiro completo sobre todos os pontos que vai tratar, e tenha esse roteiro a disposição se vier a esquecer uma parte devido ao seu medo de falar em público, para que não coloque tudo a perder e possa seguir de onde parou (sem correr o risco de esquecer nada importante).

Antes da apresentação, respire e inspire várias vezes, assim a sua pressão vai diminuir, bem como a adrenalina, deixando-o mais calmo para conseguir falar o que deseja.

Treine a articulação de palavras que têm dificuldade

Muitas pessoas têm vergonha de falar, porque têm dificuldade em pronunciar determinadas palavras ou ainda acabam gaguejando na hora de se expressar, deixando a situação ainda mais desesperadora e difícil de continuar.

Porém, com treinamento e com a ajuda de um fonoaudiólogo, será possível melhorar o trato do aparelho fonador e certas palavras que eram impossíveis de serem acertadas de primeira, se tornaram tão corriqueiras quanto um bom dia.  

Escute sua própria voz

Quem nunca mandou um áudio no WhatsApp e teve certeza que falou tudo do jeito que gostaria, e quando ouviu o áudio percebeu que a prática não saiu tão bem quanto a teoria? A lógica é a mesma.

Por conta do medo de falar em público é comum que as pessoas falem cada vez mais rápido (e com muitos vícios de linguagem) para sair dessa situação o mais rápido possível. É aqui onde a maioria do ruído (problema na comunicação) acontece.

Por isso, crie o hábito de treinar a apresentação falando em pé ou sentado (de acordo com a forma que irá ficar no dia), e em voz alta, de preferência de frente para um espelho (abaixo falarei mais como se vê falando ajuda na hora de se comunicar) e gravando um áudio com tudo que está dizendo.

Assim, você vai poder entender se está conseguindo falar tudo que gostaria e que pontos será preciso melhorar. Fazendo isso várias vezes, ficará mais natural na hora da apresentação e mais difícil de você travar.

Cuidado com a postura

Falar em público não é apenas sobre a forma que você fala, mas também como seu corpo se comporta durante a apresentação. Uma vez que uma postura totalmente errada, pode tirar o foco das palavras e fazer os ouvintes prestarem mais atenção nos seus movimentos, do que na sua voz.

Novamente, utilizando um espelho será mais fácil perceber a forma que seu corpo se comporta quando você fala e mudar esses trejeitos. Isso não significa que deve ficar totalmente imóvel durante a fala, mas sim fazer os movimentos certos que irão ajudar na comunicação.

Especialistas em postura na hora de falar com o público, dão as seguintes dicas:

  • Mantenha a coluna sempre ereta (estando em pé ou sentado);
  • Não deixe as mãos nos bolsos ou nas costas;
  • Não fazer movimentos abaixo da cintura ou acima da cabeça;
  • Não cruzar os braços ou apoiar-se em uma superfície;
  • Não deixar os punhos cerrados (demonstra agressividade);
  • Manter um sorriso sereno no rosto.
  • Fazer movimentos leves e sutis, que seja condizente com o que está sendo dito;
  • Manter o tom de voz durante todo o discurso;
  • Olhe para as pessoas, para elas sentirem que está tentando passar uma ideia para elas.

O objetivo não é tornar ninguém o melhor interlocutor do mundo, mas sim trazer a possibilidade de repassar o que gostaria de dizer de forma clara, para que todos entendam o que está tentando passar. Assim o medo de falar em público não se tornará um empecilho para o sucesso da empresa.

Esse medo e ansiedade são comuns, até mesmo entre os oradores mais conceituados, tendo em vista que somos humanos e temos medo de errar e de sermos ridicularizados. Porém, quando chega em um ponto que a pessoa não consegue nem falar, é preciso buscar uma forma de mudar esse quadro. 

Conclusão

No texto de hoje, mostrarei o mal que o medo de falar em público pode causar para empreendedores, sendo que muitas vezes esse medo pode influenciar no andamento das empresas. Além disso, apresentei técnicas para ajudar quem tem essa dificuldade.

Porém, é preciso dizer que muitas vezes esse medo surgiu de algum evento traumático, seja da infância, adolescência ou mesmo após adulto. Se for esse o caso, o melhor a se fazer é procurar a ajuda de um profissional capacitado, para que juntos possam entender como superar.

Já para outros, é simplesmente algo irracional, que pode ser superado seguindo algumas dicas e prestando atenção em alguns hábitos antes de propriamente falar em público.

Com o medo de falar em público superado, será muito mais fácil passar uma mensagem clara para os colaboradores, clientes e pessoas relevantes para a empresa. Ajudando também para que o empreendedor consiga desenvolver uma networking com pessoas/empresas influentes.

Falando em networking, no blog da Smart, você encontra diversos artigos sobre esse tema, dentre os quais gostaria de ressaltar: 

Além disso, temos centenas de artigos relevantes sobre empreendedorismo de maneira geral. Compartilhe esse artigo nas suas redes sociais, para que mais pessoas saibam mais sobre os males do medo de falar em público para o mundo dos negócios (e como lidar com isso).

Agradeço a sua leitura e nos vemos novamente em breve, em mais um artigo do blog da Smart.

Categorias
Empreendedorismo

Smart Rio: O lado ruim do Home Office! E como o barulho em casa pode atrapalhar seu trabalho?

O barulho é algo muito danoso para quem trabalha em casa. Falarei sobre esse ponto no home office no texto de hoje, siga comigo e saiba mais.

Home Office foi uma saída sensacional para muitos durante a pandemia. Porém, como tudo na vida, também tem seu lado ruim. Um dos grandes males do é o barulho e distração causada por ele, e isso pode atrapalhar e muito o seu trabalho.

Afinal, quando estamos em casa, o ambiente pode estar contra nós, e os ruídos gerados podem se tornar uma dor de cabeça e uma forma de atrapalhar (e muito) o rendimento de qualquer pessoa. Ainda mais quando a pessoa possui um trabalho que exige concentração e raciocínio apurado. 

Home Office pode funcionar muito bem, porém, essa será uma realidade que não será compartilhada por todos que trabalharem nessa modalidade. No artigo de hoje, vou te ajudar a entender o contexto do seu caso, e em cima disso, te ajudar a descobrir se o home está funcionando corretamente para você.

Home Office: uma solução positiva?

Verdade seja dita, o home office já vinha ganhando força muito antes da pandemia, porém, é inegável que esse tema nunca foi tão discutido e utilizado como durante a pandemia de Covid-19. Muitos tiveram que adotar essa modalidade de trabalho para continuar trabalhando. 

Praticamente, todo mundo que trabalhava em um escritório passou a trabalhar de casa, por conta do lockdown e por medidas de segurança (muitas empresas ainda estão em home office, na data que esse texto está sendo escrito).

O que para muitos foi temporário, para outros tornou-se a nova realidade, afinal, trabalhar de casa parece trazer benefícios, principalmente, quando se fala de qualidade de vida e economia. Dessa forma, muitas empresas e principalmente profissionais independentes passaram a ficar em home office.

O lado bom do Home Office

Trabalhar de casa, à primeira vista, parece ser algo muito positivo, e acredite, em muitos casos realmente é. Existe uma série de características positivas, tais como:

  • Maior liberdade (afinal, é muito mais prático trabalhar sem ter toda a pressão de uma empresa, com muitos olhos em cima de você);
  • Ganho de tempo (muitas pessoas costumam perder horas e horas apenas para chegar até o trabalho e retornar para casa no fim do expediente);
  • Economia com o deslocamento (a economia de não ter que se deslocar, em um período que a gasolina não para de aumentar, pode fazer a diferença no final do mês);
  • Corte de gastos (quando falamos em empresas de pequeno porte, e principalmente de MEIs, cortar o gasto de manter um aluguel [bem como, de demais valores ao entorno disso], pode ser uma cifra extremamente relevante nos lucros do negócio);
  • Praticidade (estar em casa, facilitará a alimentação, o tempo gasto para as tarefas será reduzido e também poderá trazer um contato maior com familiares, como filhos e marido/esposa, por exemplo).

Esses 5 pontos são utilizados como justificativa do porque empresas e profissionais independentes passaram a trabalhar em home office. Porém, nem tudo são flores…

O lado ruim do Home Office

Nem só de coisas boas vive o home office, vamos para alguns fatores negativos:

  • Falta de um espaço correto (é muito comum que o espaço de home office não seja planejado, utilizando um espaço vago da casa ou adaptando um quarto, por exemplo, sendo que na maioria das vezes, esse espaço fica muito aquém do mínimo esperado);
  • Distrações (quando se está em casa é comum que a pessoa se distraia com diversas coisas [principalmente, se não morar sozinho] e que não renda tanto quanto em um ambiente próprio, onde seja mais fácil manter o foco);
  • Visão não profissional (quando o local do home office não for bem planejado, receber pessoas [clientes, por exemplo] em seu escritório, será uma tarefa complicada, tendo em vista que poderá causar uma primeira impressão bastante ruim, podendo acabar toda a negociação);
  • Falta de rotina (muitos associam o home office a algo menos “profissional”, e não estou falando dos outros [como no exemplo acima], mas sim do profissional ou colaborador que está trabalhando de casa, dessa forma, muitos acabam “largando” as tarefas e deixando como algo de menor importância).

Outro ponto importante também para entender é: como o barulho pode atrapalhar o desempenho do trabalho em home office.

Barulho: um inimigo “silencioso”

Além dos outros fatores, é importante ressaltar que o barulho pode ser um inimigo negligenciado no home office, ainda mais se seu endereço for um local com bastante movimento, tanto interno (crianças, principalmente) quanto externo (vizinhança barulhenta, ruas movimentadas, ruídos de fábricas, etc.).

Sendo provado, que o barulho atrapalha na concentração, foco, desempenho das atividades, além é claro que agrava o estresse no ambiente de trabalho. Com isso, se o seu home office estiver envolto de muito barulho, sem dúvidas o seu desempenho será fortemente afetado.

O barulho não vai atrapalhar apenas o seu desempenho, como também será muito prejudicial se receber clientes, parceiros e/ou fornecedores. Trazendo uma visão ruim da sua empresa, junto aos demais. Mostrando uma falta de profissionalismo (mesmo que o barulho não venha da sua casa). 

O melhor a se fazer quando o assunto é home office, é planejar um espaço correto para isso, levando muito em conta o barulho e ar profissional que esse local vai demonstrar a quem for acessá-lo ou utilizado. 

Caso não seja possível contar com um local assim, existe uma excelente opção tanto para empresas quanto para profissionais independentes, para estarem em um local com liberdade e possibilidade de desempenhar o trabalho da melhor forma, além de poder receber pessoas: o coworking

Coworking: liberdade e profissionalismo

Uma opção excelente para quem busca economia, liberdade e profissionalismo é apostar em coworking. Que poderá ser usado em conjunto ao home office (ou outra opção remota) ou ser uma excelente opção de substituto para melhorar o desempenho e a “cara” da empresa junto ao mercado. 

O coworking (escritório compartilhado) é uma modalidade que não para de crescer no Brasil, pois une o que tem de melhor quando o assunto são escritórios completos para empreender da melhor forma possível e economia.

Atuar em um coworking vai trazer uma economia gigante no aluguel, além de ser uma forma incrível de lidar com trabalho remoto. O coworking traz diversas possibilidades, podendo ser usado em parceria com o home office ou como um substituto muito mais completo.  

A maioria dos coworkings trazem planos onde é possível adaptar às necessidades da empresa ou do profissional. Sendo possível manter um escritório completo em coworking ou utilizar apenas uma sala de reuniões para receber clientes, parceiros e/ou fornecedores, quando necessário.

As palavras de ordem em um coworking são liberdade e profissionalismo, sendo que quem apostar nessa modalidade terá acesso a isso e muito mais. Além é claro de garantir um ambiente totalmente saudável sem barulho e interrupções (que como vimos é muito prejudicial para a “cara” da empresa)

Coworkings são seguros quanto a protocolos de segurança com o Covid-19, além de trazer a oportunidade muito grande de criar uma networking poderosa para sua empresa, tendo em vista que estará dividindo o mesmo local com diversas empresas e profissionais.

Dica de ouro: Smart Escritórios Inteligentes

A Smart Escritórios Inteligentes: Rio de Janeiro conta com o melhor serviço de coworking do Brasil, aliando um espaço bem localizado (em dois endereços), escritórios modernos, ambiente propício para o trabalho e para receber clientes, possibilidade de networking com grandes marcas e uma economia gigante. 

Falando em economia, na Smart você irá economizar em praticamente tudo que diz respeito a manter um escritório, desde o aluguel, energia elétrica, IPTU, água, manutenção, limpeza, recepção, entre outras despesas aplicáveis.

Existem planos que custam menos de R$3,50 ao dia, como é o caso do Plano Smart Fiscal por R$79,90/mês para quem precisa apenas de um endereço. Ou o Plano Smart Black que custa R$99,90/mês por TODOS os serviços Smart. 

Para os dois planos, você pode ganhar dois meses grátis se optar pelo plano anual

Além das unidades no Rio de Janeiro (em Niterói e Jacarepaguá), a Smart também está presente em outros endereços: Asa Norte e Asa Sul em Brasília e na região da Berrini em São Paulo.

Veja também relatos de clientes que escolheram a Smart Escritórios Inteligentes.

Conclusão

No artigo de hoje, mostrei o lado ruim (e o bom) do home office, mostrando como o barulho e outros fatores podem atrapalhar o desempenho do trabalho e na forma que clientes e outras empresas vêem o seu negócio. 

Ao final, mostrei como o coworking garante que a sua empresa tenha o que precisa para alinhar profissionalismo, liberdade e economia. Para mais textos sobre empreendedorismo (e outros temas) continue lendo os artigos do blog da Smart. 

Agradeço a sua leitura, e nos vemos em breve em mais um texto. Deixe um comentário com sugestões para os próximos textos!

Categorias
Empreendedorismo Finanças

Contabilidade para pequenos negócios: será que realmente é necessário?

Hoje, vou te mostrar as vantagens de contratar uma contabilidade, para você poder chegar à sua própria conclusão. Afinal, contabilidade para pequenos negócios, vale a pena?

Contabilidade para pequenos negócios é um tema bastante discutido entre os novos empreendedores, que se enquadram como ME e MEI, onde não há a obrigatoriedade de contratar uma contabilidade. 

Onde os processos são mais “suavizados” em relação a questões contábeis, porém essa “suavização” ainda precisa de cuidados e de alguém para organizar todas as questões aplicáveis, caso opte por não contratar os serviços de um escritório contábil.

Além disso, o empreendedor poderá economizar o dinheiro que usaria para contratar uma contabilidade para usar de outras formas na empresa. Porém, até que ponto vale a pena não investir no trabalho de um profissional? Vou analisar no texto de hoje!

Vantagens de ter uma contabilidade para os pequenos negócios

Antes de você decidir se deverá contratar ou não, uma contabilidade para seu negócio, vou apresentar algumas vantagens em contar com o serviço de um (bom) escritório de contabilidade, assim poderá tirar suas próprias conclusões.

É importante ressaltar que essas dicas são aplicadas para empresários que não possuem conhecimento elevado sobre o assunto. Então vamos considerar que o empresário em questão é leigo no tema. Caso a empresa tenha alguém especialista, o cenário muda de contexto.

Embora, mesmo que o empreendedor domine o assunto, possivelmente, ele terá que cuidar da empresa, tomar decisões, participar de reuniões e outros assuntos que vão tomar praticamente toda a sua rotina. Desse modo, mesmo que você entenda de contabilidade, ainda será preciso avaliar muito bem.

Vantagem 1: interpretação mais confiável

A primeira vantagem em ter uma contabilidade para pequenos negócios, está no ponto de lidar com as leis brasileiras que são bastante confusas e podem ser um verdadeiro desafio para leigos interpretarem. Ainda mais se o empreendedor for o responsável pela contabilidade e pela empresa.

Dessa forma, contratar os serviços de uma contabilidade vai ajudar muito no entendimento das leis e nos cálculos complexos sobre questões de impostos e de pagamentos. Evitando cometer erros que poderão prejudicar e muito a empresa.

É claro, que o grande motivo de pequenas empresas não terem uma contabilidade é pelo valor do serviço. Mas hoje em dia, existem opções com valores atrativos, como por exemplo a contabilidade digital/online. Para entender mais sobre o assunto, vale a pena ler o artigo sobre os Prós e contras da contabilidade online.

Além disso, é importante parar para pensar, até que ponto vale a pena economizar um pouco de dinheiro, e ter um trabalhão, além de correr o risco de cometer algum erro que pode prejudicar a empresa? Reflita sobre isso.

Vantagem 2: registro de informações

Uma das principais funções da contabilidade está ligada ao registro de informações a respeito da empresa. Mantendo um verdadeiro histórico sobre as finanças da empresa, recursos humanos, etc.

Dessa maneira, você terá um registro confiável a respeitos de suas informações. Porque as contabilidades seguem alguns padrões que tornam o entendimento sobre a sua empresa muito mais fácil e correto.

Essas informações precisam estar 100% organizadas para que facilite a forma que a sua empresa cuida da gestão financeira do negócio. Além do mais, caso precise de uma informação antiga, será bastante cômodo contar com os serviços de uma contabilidade que tenha todas as informações arquivadas.

Vantagem 3: menos dor de cabeça com burocracia

Acredite, cuidar da contabilidade é bastante estressante. Ainda mais quando entra em questões burocráticas, dessa forma, você não precisará fazer tudo sozinho e poderá focar no que realmente importa.

O mesmo é válido quando você abre a empresa, contar com a ajuda de profissionais especializados vai garantir um processo muito mais fluido e menos desgastante. 

Vantagem 4: declaração de impostos

A contabilidade para pequenos negócios faz ainda mais sentido quando se aproxima a data de fazer a declaração do imposto de renda da empresa. São em momentos-chave como esse que é possível perceber o quão mais simples fica o processo quando se conta com um trabalho especializado.

Inclusive, ano que vem terão algumas mudanças por conta da reforma tributária, o que vai mudar os números e porcentagens sobre os impostos das empresas. Com isso, uma contabilidade vai entender muito melhor todas essas mudanças e aplicar da forma correta

Vantagem 5: Fluxo de caixa mais organizado

A contabilidade também irá te ajudar “indiretamente”. Com as informações bem organizadas da contabilidade, será possível utilizar os dados para organizar o fluxo de caixa.

É claro, que essa é uma função da própria empresa e do empreendedor e a contabilidade não fará tudo por você. Mas com a organização da contabilidade a sua empresa vai poder manter um fluxo de caixa bem mais organizado e propenso a ficar no positivo.

Vantagem 6:  ajuda na tomada de decisões

Existem muitas decisões importantes que o empreendedor deve tomar para o andamento da sua empresa. Essas decisões podem gerar dúvidas, que podem ser esclarecidas com a ajuda especializada de uma contabilidade.

Dessa maneira, a contabilidade aparece como um conselheiro importante, para decisões ainda mais importantes que você (como empreendedor) terá que tomar.

Vantagem 7: softwares especializados

Softwares especializados vão tornar todo o processo contábil muito mais fácil. E as contabilidades contam com softwares modernos que garantem um trabalho muito mais rápido e sem erros. Que certamente irão acontecer se a empresa organizar tudo em planilhas simples.

Considerações finais: vale a pena contratar uma contabilidade?

Como o título traz uma questão, agora é o momento de responder. É importante ressaltar que aqui vou usar minha opinião pessoal, que você poderá usar como um conselho. O objetivo é mostrar uma saída para que pequenas empresas consigam trabalhar melhor.

Dessa forma, posso afirmar que contratar uma contabilidade é a saída mais inteligente, principalmente se você está começando agora e visa crescimento para o seu negócio. Se você apenas tiver uma ME, que use de forma esporádica, para emitir poucas notas, é possível que você mesmo cuide.

Agora, quando falamos de um negócio com maior fluxo de documentos e etc, que opera diariamente e produz serviços e/ou vende produtos de forma consistente. Então, para esses casos, é aconselhável contar com o apoio contábil.

Quando trabalhamos com profissionais tudo é mais seguro e garantido. Com isso, uma contabilidade poderá te ajudar com muitas questões e dúvidas. As contabilidades servem como “conselheiros”, como vimos na lista de vantagens. 

Desse modo, a contabilidade para pequenos negócios vai ajudar nos processos, cuidar dos impostos, do imposto de renda, além de dar um apoio extra. 

Dito isso, é preciso fazer uma análise antes de contratar uma contabilidade para chamar de sua. Procure referências, marque uma reunião e avalie você mesmo. O mesmo vale para a contabilidade online, que costuma ser mais barata, mas em muitos casos será uma excelente saída.

Se você foi convencido a procurar uma contabilidade, temos um artigo muito esclarecedor sobre isso: 7 dicas na hora de contratar um escritório de contabilidade 

Leia, e entenda como avaliar se o escritório de contabilidade vai ajudar a sua empresa, realmente.

E o valor gasto para contratar uma contabilidade?

Não será qualquer contabilidade que você deverá contratar. Se contratar a opção cara demais, poderá comprometer o seu orçamento, da mesma forma que contratar uma barata demais, poderá entregar um trabalho incompleto.

A questão do valor realmente é uma questão importante a se considerar nas pequenas empresas, onde cada pequeno investimento faz uma diferença enorme nos números.

Mas alguns gastos são necessários e de médio a longo prazo (alguns trazem resultados imediatos) vai ajudar o seu negócio a se desenvolver ainda mais. Dessa forma, tenha uma boa organização financeira, mesmo antes de abrir o seu negócio ou mesmo após.

Até porque é totalmente contraproducente abrir um negócio sem nenhum planejamento e sem recursos financeiros para cuidar do bom andamento da empresa. É claro, que possivelmente você não consiga contratar a melhor contabilidade da cidade, mas ainda assim encontrará uma boa para você.

Quanto antes você aprender que se tratando de negócios, não dá para fazer tudo sozinho, melhor. Até certo ponto é possível, porém em algum momento você vai precisar de profissionais qualificados para te ajudar a crescer ainda mais. Alguns gastos são necessários, e a contabilidade é um deles. 

Conclusão

No artigo de hoje, mostrei um pouco sobre a contabilidade para pequenos negócios, onde você acompanhou todas as vantagens e a minha análise sincera sobre o assunto. Desse modo, acredito ficou muito mais fácil para você mesmo responder, se vale a pena uma contabilidade para pequenos negócios, ou não.

Conte sobre o seu veredito nos comentários. Gostaria muito de saber a sua opinião sobre esse tema. Além disso, compartilhe esse artigo nos seus grupos de WhatsApp, e ajude que essa análise chegue para mais pessoas.

Para mais artigos sobre empreendedorismo e dicas sobre contabilidade, continue acompanhando o blog da Smart. Ele conta com atualizações diárias e cada artigo vai te ajudar de uma forma, para conseguir empreender de uma maneira mais efetiva e inteligente.

Agradeço a sua leitura, quero saber a sua opinião e nos vemos em breve!

Categorias
Empreendedorismo Produtividade

Smart São Paulo: Consistência: essa é a palavra que define as pessoas bem-sucedidas

Siga o exemplo de pessoas bem-sucedidas e seja consistente! No texto de hoje, falarei sobre consistência e como ela vai te ajudar a ter sucesso.

Existem muitas pessoas bem-sucedidas e existem bilhões de pessoas que não conseguiram alcançar o sucesso. Por mais que muitos tentem criar uma receita para o sucesso, é impossível dizer com 100% de certeza, como alguém faz para “chegar lá”.

Então, não se preocupe, porque não vou tentar te passar isso hoje. Mas sim, usar um fator que está presente em muitas dessas pessoas bem sucedidas para te ajudar a entender o principal ponto de suas trajetórias: a consistência

Assim, você vai entender como ser consistente, o que vai te ajudar muito na hora de correr atrás dos seus objetivos, seja ele profissional ou pessoal. A consistência é um fator que te garante ficar alguns passos a frente dos outros.

Consistência: a palavra do dia

Podemos definir consistência como a habilidade de ser consistente, sendo aplicada em muitos âmbitos. No texto de hoje, vou focar no sentido de objetivos pessoais e profissionais, para facilitar o tema e torná-lo mais simples de entender.

Nesse sentido, podemos definir consistência como a habilidade pessoal de permanecer continuamente em atividades que vão em prol do seu objetivo de forma a tornar o processo todo uma forma de alcançar um resultado final.

Vou dar o exemplo de um atleta de levantamento de peso: ele em seu treinamento busca formas de cada vez mais conseguir levantar peso. Para conseguir progredir ele precisa ser consistente em diversos âmbitos.

Ele precisa ser consistente nos seus treinos, treinando diariamente, na intensidade necessária. Ele também terá que ser consistente na sua dieta para conseguir mais músculos e com isso ter um aumento de força. E por fim, terá que descansar de forma correta, para que seu corpo suporte essa rotina e os músculos se desenvolvam.

Podemos pensar também em um empreendedor: ele começou de baixo, mas sempre trabalhou e estudou, mantendo uma grande consistência em sua rotina. Ele nunca desistiu e por mais difícil que fosse sempre ficou consistente com seus objetivos, buscando formas de “chegar lá”.

Depois de alguns anos, ele conseguiu abrir seu próprio negócio, no começo era uma empresa pequena, com a consistência, ele continuou se profissionalizando e aplicando em seu negócio, que logo foi crescendo até se tornar um verdadeiro sucesso.

Nos dois exemplos, mostrei como a consistência é fundamental para alcançar os objetivos. Justamente para entender, que se você deseja estar entre as pessoas bem-sucedidas, você precisa buscar ser consistente em seus objetivos.

Um outro excelente exemplo, é a história de vida de Rick Chester, um brasileiro que vendia água na praia e se tornou em grande sucesso e um palestrante bastante requisitado. E dentro das suas 5 leis, ele atribuiu uma delas a ser persistente/consistente. Já falei sobre isso em um artigo sobre suas leis, vale a pena a leitura!

Problemas em se manter consistente

Ao mesmo tempo que nosso corpo e mente gostam de seguir padrões, com o tempo nossa mente tende a buscar coisas novas. E quando falamos em consistência, precisamos manter algo a longo prazo.

Consistência (nesse sentido) nada mais é do que criar uma rotina e segui-la à risca. Isso na teoria é bastante simples, mas é na prática que a maioria peca, deixando a consistência totalmente de lado.

Quando desistimos de algo no meio do caminho, nós estamos deixando para trás todo tempo (e possivelmente, dinheiro) investido nesse projeto. E é aqui que as pessoas bem-sucedidas separam-se das pessoas medíocres (medíocre significa estar na média, não é uma ofensa é onde a maioria está).

Potencial é algo que praticamente todos nós temos para algo. Mas é como lidamos com ele e nos tornamos consistentes que será possível converter esse potencial em resultados.

Porém, muitos de nós tem uma grande dificuldade em focar em algo e correr atrás disso, seja por se tornar monótono e repetitivo ou por simplesmente ter novos objetivos. 

Importante: não é porque você dedicou alguns anos da sua vida a algo, que você não pode tentar algo novo. Mesmo as pessoas bem-sucedidas, em vários momentos tiveram que começar do zero. Errar é completamente normal, por isso será melhor focar e perseguir algo novo do que ficar preso ao fracasso.

Dessa maneira, é preciso encontrar algo que realmente te motive e seja seu grande sonho. Assim será muito mais fácil driblar a sua mente e não se auto sabotar. No próximo tópico vou te mostrar alguns passos que podem te ajudar nesse processo.

Como ser mais consistente? 7 passos

Agora, vou te apresentar 7 passos que considero fundamentais para ser mais consistente. Vamos a eles!

Primeiro passo: defina um objetivo

Pode parecer óbvio, mas muitos acabam errando justamente por não definir o que realmente querem e acabam focando em vários caminhos. Porém, dessa forma não será possível ter o máximo de consistência. Para conseguir ser consistente, você deve definir onde focará as suas forças.

Quando falamos de ser bem-sucedido em algo, será preciso focar nisso. Dá para ser bom em algumas áreas, mas será que realmente é possível ser bem-sucedido em tudo? Dessa forma, tenha em mente um objetivo claro.

Se ainda não tem um objetivo, busque algo que faça realmente sentido e seja bom para você. Para garantir a longo prazo, será preciso realmente encontrar algo que combine com seu perfil. 

Segundo passo: alinhar suas ações em prol do objetivo maior

Com o objetivo definido será muito mais fácil traçar metas e objetivos diários para ficar consistente com o objetivo principal. Com isso, você irá potencializar os seus resultados.

Dessa maneira, você deve criar paralelos entre o que você faz e seu objetivo. A consistência nada mais é do que tomar ações sempre em busca de te deixar mais próximo do seu objetivo.

A grande reflexão desse passo, é se você está realmente disposto a fazer o necessário. Se você ficar parado e só de “vez em quando” buscar seus objetivos, você ficará para trás. O que nos leva para o próximo passo.

Terceiro passo: foque no processo

Por mais que seja ótimo ter um objetivo traçado, de nada adiantará se apenas olhar para o futuro. Dessa forma, o objetivo ficará sendo algo até certo ponto fantasioso. O segredo está no processo que vai te levar para o sucesso.

Aprenda a gostar do processo, dessa maneira, a consistência se tornará parte dele. A consistência são os “tijolinhos” que dia após dia vão fazendo o “muro” crescer. Não tem como fazer o muro, sem passar pelo processo de colocar um de cada vez. 

Não tem como chegar ao seu objetivo sem passar pelo processo. Quanto antes entender isso, será mais fácil ser consistente na sua jornada. Afinal, será ele que te levará até onde você almeja chegar.

Quarto passo: erros acontecem durante o processo

É claro que ninguém gosta de errar, e isso não deve ser um hábito, mas não tem como acertar sempre, por mais perfeccionista que você seja. E são às vezes os pequenos erros, que vão te fazer sair do foco e deixar de ser consistente com o seu objetivo.

Muitas pessoas estão indo muito bem rumo aos seus objetivos, trabalhando focado e motivado, porém um erro ocorre e acaba abalando a estrutura dela.

Ser consistente não significa ser perfeito e não errar, mas sim buscar sempre ser melhor. Com isso, não deixe que um erro estrague tudo o que já construiu. Para ser bem-sucedido é preciso ter consistência faça “chuva” ou faça “sol”.

Enquanto os outros passos te mostram como ser consistente, este te mostra que mesmo pessoas bem-sucedidas podem e vão cometer erros. Para chegar ao sucesso, será preciso aprender com seus erros e usar eles em vantagem própria para não voltar a errar no futuro.

Conclusão

No artigo de hoje, mostrei a importância de ser consistente, além de passos importantes que podem te ajudar a ser mais consistente. Para concluir é preciso que você saia do texto com uma certeza sobre as pessoas bem-sucedidas e a consistência.

A de que essas pessoas bem-sucedidas, são pessoas normais que usaram da consistência e persistência para chegar em seus objetivos. Eles foram firmes em seus sonhos e dessa forma, conseguiram chegar onde queriam. 

Seguindo o que mostrei no texto você também poderá se tornar uma delas.

Com isso, vai poder conquistar o sucesso que tanto almeja, independente de qual área você desejar atuar. A consistência, certamente, vai ser o diferencial entre os melhores e os comuns, por isso use ela a seu favor e não caia em armadilhas da sua própria mente.

Para mais artigos sobre empreendedorismo e temas ligados, continue acompanhando o blog da Smart. Vou deixar dois artigos sobre sucesso que vão complementar sua leitura: 

Não esqueça de compartilhar esse artigo em suas redes sociais, para que mais pessoas aprendam que a consistência é uma das chaves para o sucesso. 

Agradeço a sua leitura e nos vemos em breve!

Categorias
Empreendedorismo

Smart Brasília: Advogado pode ser empresário? Descubra, e saiba como abrir CNPJ da maneira correta

Você é advogado, mas sempre teve o sonho de abrir sua própria empresa? Se a sua resposta for sim, vou te explicar se isso é possível, além de detalhar como abrir CNPJ da maneira correta (nesse caso). Siga comigo e descubra!

O curso de Direito é um dos mais buscados e respeitados entre todos. A possibilidade de ser um advogado, é um sonho de muitos jovens e adultos, que buscam o reconhecimento, aprendizado e excelentes ganhos financeiros dessa aclamada profissão.

Do mesmo jeito, uma parcela desses profissionais também sonha em empreender. E se eu te falar que é possível ser os dois? Tanto advogado, como empresário. 

Certamente, seria o ideal para muitos. E sim, é possível fazer isso. No artigo de hoje, vou explicar melhor. 

Além disso, vou mostrar como abrir CNPJ para advogados, assim, você poderá fazer tudo dentro do que é legal, mas é claro, que como estou falando em advogados, eles já devem estar com a Lei na ponta da língua, mas vale a pena, reforçar.

Advogado pode ser empresário?

No sentido literal da palavra, não. Já que advogados (bem como quem exerce profissão intelectual, como médicos, dentistas, etc.) não podem ser considerados empresários.

Pelo fato do empresário ser apenas quem atua de forma profissional com uma atividade econômica organizada voltada para a circulação ou produção de bens e/ou de serviços. Dessa forma, ficando fora do que é proposto para a função de um advogado. 

Em uma situação que um advogado deixa de lado a formação e resolve abrir uma empresa em outro segmento, poderá ser empresário em outro ramo. O “X” da questão é esse, um advogado atuando como advogado não é um empresário, mas atuando em outra área pode ser sim.

Porém, isso é uma questão de significado, na prática, um empresário é quem tem um negócio. E advogados podem ter uma empresa, apenas o seu tipo de empresa que é diferente de outras, as sociedades simples e não as empresárias. 

Dessa forma, podemos considerar que advogados podem ser empresários (no sentido abrangente e não literal do termo) e ter CNPJ próprio. Sendo dono (ou sócio) de uma empresa de advocacia. 

Sendo que as sociedades simples de advogados são registradas junto à Seccional da OAB, onde o advogado (ou advogados) está registrado. Diferentes das sociedades empresariais que devem se registrar na Junta Comercial. 

Então, mesmo não sendo literalmente um empresário, ainda assim o advogado poderá ser um empreendedor e agir como tal, visando aumentar o número de clientes, gerenciar todo um negócio, etc. Sendo na prática um empresário tanto quanto qualquer outro.

Como abrir CNPJ para advogado?

O processo é bastante simples e demora poucos dias para ser oficializado. Onde, basicamente, deve ser elaborado um ato constitutivo, isto é, um contrato social de uma Sociedade Simples ou de uma Sociedade Unipessoal, com todos os dados dos sócios (se houverem).

Após isso, deve ser protocolado na junta comercial da região em que ocorreu o registro. Além disso, é preciso ter uma inscrição municipal, alvará da Prefeitura e o registro na Receita Federal, e caso necessário, um credenciamento para emissão de notas fiscais e de licenciamentos.

Dica importante: para que todo esse processo ocorra da melhor maneira, é aconselhável buscar a ajuda de profissionais com especialização em contabilidade voltado para escritórios de advocacia.

Pontos importantes antes de entender como abrir CNPJ para advogados

Para ter um CNPJ para advogados, é preciso seguir algumas regras, entre as quais posso destacar:

Registro na OAB

Antes de pensar em qualquer procedimento, em ter uma empresa, como abrir CNPJ para advogados, entre outros trâmites, é necessário possuir um registro regularizado junto a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). E a empresa só terá personalidade jurídica após o deferimento da própria OAB.

Com tudo correto em relação ao registro na OAB, será preciso registrar o ato constituinte da sociedade e pagar uma taxa que será equivalente à quantidade de sócios na sociedade.

Tipo de sociedade

Para os advogados, a Lei nº 8.906 de 1994 ou o Estatuto da Advocacia da OAB determinou que os advogados poderão se reunir através de uma Sociedade Simples ou Sociedade Unipessoal de Advocacia.

Também fica claro, que a finalidade dessa sociedade deve ser o exercício da atividade de advocacia, ficando proibido de desempenhar outros tipos de atividades.

É por isso que o CNPJ para advogados é somente para essa função, tendo em vista que não poderia atuar como um LTDA (sociedade limitada), porque esse tipo de natureza consta com atividades empresariais.

Por essa razão, o CNPJ para advogado não pode ser aberto na forma de Sociedade Limitada (LTDA), por exemplo, pois essa natureza jurídica prevê atividade empresarial.

Já na Sociedade Simples, ela é composta por sócios que estejam na mesma categoria profissional, unidos para desempenhar atividades na mesma área (isso também ocorre com médicos, psicólogos, dentistas, etc.). O que possibilita para os advogados terem sua sociedade.

Para os advogados que pretendem empreender sozinhos, existe a  Sociedade Unipessoal de Advocacia que também é voltada exclusivamente para essa função. 

Tendo em vista que outros modelos empresariais individuais como: Empresa Individual de Responsabilidade Limitada (EIRELI), Empresário Individual (EI) e Microempreendedor Individual (MEI), não são permitidas para advogados. 

Regime tributário

Os advogados poderão escolher qualquer entre os três regimes disponíveis:  Simples Nacional, Lucro Real ou Presumido, desde que se enquadrem nas regras aplicáveis. 

Para se enquadrar no Simples Nacional, o faturamento anual deverá ser de até 4,8 milhões de reais, além de não estar impedido por quaisquer vedações da lei. 

os outros dois modelos estão disponíveis para qualquer empresa de advogados. Exceto aos que faturarem acima de R$7.800.000,00 por ano. Para essas, obrigatoriamente terão que estar no regime do Lucro Real.

Importante: se tiver dúvidas na hora de escolher qual regime, procure um contador, ele te ajudará a escolher a melhor opção, mostrando qual será mais vantajoso para os ganhos da sua empresa, bem como no pagamento de impostos.

Inscrição Municipal

Como dito acima, a sociedade dos advogados deverá possuir a Inscrição Municipal e está credenciada na prefeitura para emitir notas fiscais eletrônicas (NF-e)

Por que isso corre? Porque o ISS (um dos impostos aplicados sobre os serviços) é um valor definido pelo município, sendo que cada cidade tem suas próprias regras para cadastrar e emitir documentos.

Para mais informações, no blog da Smart temos um artigo completo com um passo a passo para emitir o CNPJ e emissão de notas fiscais, certamente, vale a leitura, como complemento a este artigo.

Nome correto

Até no nome da empresa dos advogados (ou advogado) será necessário seguir algumas regras específicas:

  • Na razão social precisará conter o nome de ao menos um dos advogados presentes na sociedade;  
  • É totalmente proibido utilizar um nome fantasia nesse tipo de sociedade;
  • Para as empresas que tiverem sócios, estão permitidas apenas 5 expressões para compor o nome da sociedade, são elas: “advogados”, “sociedade de advogados”, “sociedades de advogadas e advogados”, “advogados associados” ou “advocacia”;
  • Já para a Sociedade Unipessoal, é preciso usar a expressão “sociedade individual de advocacia”.

Dica: Endereço Fiscal

Independente de qual seja o tipo de empresa, será necessário ter um endereço fiscal (sem isso não é possível registrar uma empresa e/ou ter CNPJ). No caso dos advogados, isso não é diferente.

Uma dica que casa muito bem com empresas de advogados é atuar em coworking (escritórios compartilhados), o que vai garantir uma economia gritante nos custos para manter um escritório além de trazer todas as vantagens de ter um endereço fiscal em um coworking.

Com muito orgulho, apresento para todos que buscam o melhor em coworking, a Smart Escritórios Inteligentes. Vale a pena conhecer sobre e descubrir porque a Smart é a melhor do Brasil nesse segmento.

Recentemente inauguramos em São Paulo, na região da Berrini, uma unidade da Smart Coworking, perfeita para quem busca ter seu endereço fiscal em um dos endereços mais cobiçados de São Paulo. Se você é da região, precisa conhecer essa unidade. 

Considerações finais: no geral, vale a pena abrir CNPJ para advogado?

Agora, que já apresentei o máximo de informações sobre ter uma empresa e como abrir CNPJ para advogados, é hora de fazer uma análise, se realmente, é a melhor escolha para esses profissionais. 

Vou te apresentar dois motivos fundamentais, que provam que ter um CNPJ para advogados é a melhor escolha:

  • A possibilidade de emissão de notas fiscais, aumenta o leque de possíveis clientes para os advogados. Tendo em vista que muitos precisam de notas para contratar um serviço;
  • A questão tributária também será muito mais econômica, tendo um CNPJ. Veja:
  1. De forma autônoma um advogado paga maiores tributos, o IRPF é descontado e qualquer valor acima de R$4.664,68 será tributado por uma alíquota de 27,5%;
  2. Já com uma empresa, no Simples Nacional, as alíquotas ficam 4,5% para faturamentos anuais de até 180 mil reais;

Não esqueça de compartilhar este artigo nas suas redes sociais, para que seus contatos fiquem antenados sobre empreender sendo advogado. Certamente, você tem algum amigo (ou amiga) que está cursando direito e esse artigo dará um norte para ele (ou ela).

Agradeço a sua leitura e nos vemos em breve!

Categorias
Administração Empreendedorismo Vendas

Smart Niterói: Como identificar a oportunidade de negócio certa para empreender? Te ensinarei!

Está tendo dificuldade em identificar a oportunidade de negócio certa para ter sucesso? No texto de hoje, vou trazer uma luz, para ficar mais fácil de identificar a oportunidade de negócio que vai te fazer brilhar. Siga comigo e descubra!

Se você é um empreendedor ou pretende ser, certamente, já se perguntou como identificar a oportunidade de negócio, que vai te fazer ser um empreendedor de sucesso.

Alguns já tem o tipo de negócio que querem atuar de forma clara, em sua mente. Mas será que esse negócio tem potencial de dar certo? Essa reflexão é muito importante, para você saber se está seguindo uma trilha que te levará para bons caminhos (sucesso) ou para caminhos nublados (insucessos).

Então, se você já sabe onde gostaria de empreender ou ainda está decidindo, o texto de hoje é perfeito para você. Nele vou te dar excelentes dicas para identificar a oportunidade de negócio certa para iniciar ou avaliar se a sua escolha tem um grande potencial.

Dicas para identificar a oportunidade de negócio

Existem algumas “regras” para quem busca identificar a oportunidade de negócio certa. Seguindo algumas dicas, será possível ter uma base forte para encontrar o melhor negócio para você. Sem mais delongas, vamos a elas!

Passo 0: defina seu perfil

Considero esse como o passo 0 para identificar a oportunidade de negócio certa. Pois, justamente, será a partir dele que você poderá identificar bons negócios relacionados com o seu perfil de trabalho.

Bons negócios são aqueles regidos por pessoas que estão trabalhando com o que gostam, dessa forma, o empreendedor sempre estará focado. Porque por mais que um negócio seja promissor, ele poderá desmoronar, se quem o comandar perder a vontade de empreender.

Dica: para definir seu perfil recomendo que crie duas listas. Em uma você deve colocar atividades de você sente prazer em fazer e na outra, assuntos que você denomina e gostaria de se aprofundar ainda mais.

Com as listas feitas, você poderá ter ideias de negócios que se relacionam tanto com o que você gosta, quanto com o que possui conhecimento e pretende lapidar ainda mais. Garantindo que irá identificar a oportunidade de negócio que mais combina com seu perfil.

Passo 1: Fique de olho nas tendências de mercado

Quando falamos em identificar a oportunidade de negócio certa, é preciso ficar de olho nas tendências atuais do mercado. Sejam elas de curto prazo (que é realidade hoje) ou de médio a longo prazo (tendências sólidas que devem perdurar por anos e anos).

Se estiver atento às tendências do mercado, será possível identificar onde estão focando os novos investidores e escolher uma segmentação que está a pleno “vapor”. Maximizando as chances de obter sucesso na sua empreitada.

Passo 2: Foco nas ideias

O sucesso está atrelado a grandes ideias, sejam elas suas ou de outros. Isso ocorre com a maioria das grandes empresas. Veja por exemplo, a Ford: Henry Ford criou o conceito de automóvel movido a motor, e foi um verdadeiro sucesso.

Tanto que a sua marca existe até hoje e é uma das maiores nesse segmento. Com o sucesso da Ford, logo surgiram outras empresas voltadas para o mesmo fim. E isso revolucionou a indústria automobilística. Prova disso, é que hoje existem milhares de marcas no mundo todo. 

É claro, que nem toda grande ideia precisa ser tão grandiosa quanto a criação do carro, do computador pessoal, do rádio, do avião, da internet, celular, futebol, entre outras. Usei ela apenas para ilustrar o potencial de boas ideias. Mostrar que boas ideias tem o poder de criar um negócio de sucesso.

Geralmente, empreendedores já possuem a habilidade de ter ideias, o que você precisa é focar em transformar elas em produtos ou serviços e poder ganhar dinheiro com elas.

Por exemplo, você lembra de como era a sua vida antes do WhatsApp ou das redes sociais? Hoje parece impossível viver sem elas, mas a menos de 15 anos a grande maioria delas nem existia. Até saírem da mente de alguém bastante criativo. Esse é o poder das ideias. 

E mesmo que entre em um ramo que já existe, o que acontece com a maioria dos empreendedores, não tem nenhum problema nisso, deve-se focar em ideias para conseguir obter êxito e se destacar frente a concorrência

Passo 3: Não se deixe levar pelo lado emocional

Vai parecer que estou indo contra o que acabei de falar, mas você logo vai entender. Ideias e oportunidades de negócios nem sempre são sinônimos de sucesso, se você levar isso para o lado emocional.

Veja bem: tomados pela vontade de ter um grande negócio, muitos empreendedores acabam supervalorizando demais ideais e as elevando ao nível de genial, sem fazer uma análise detalhada sobre isso.

Isso não significa que você deve abandonar as suas ideias, muito pelo contrário, mas deve deixar a emoção de lado e ser criterioso para entender se a sua ideia é tudo isso, ou está sendo afetado pelo seu emocional inflando seu ego.

Isso é bastante importante, lidar com coisas reais vai te ajudar a ser pé no chão e realmente, elevar ao patamar de grandes ideias, apenas ideias que tenham tudo o que precisam para se desenvolver e crescer. Às vezes, dar um passo para trás vai te ajudar a dar vários para frente no futuro. 

Seja realista e prudente! Muitos empreendedores acabaram sendo levados pelo ego a investir seu tempo e dinheiro em um negócio que logo se mostrou não tão genial assim. Por isso, tome cuidado!

Passo 4: Identifique o problema e as necessidades dos seus (futuros) clientes

Chegamos a um ponto extremamente relevante para quem está buscando identificar a oportunidade de negócio certa: os clientes. A regra é clara, sem clientes sem negócio, não tem para onde fugir.

Então, os empreendedores devem focar nas necessidades e problemas dos clientes, que seus produtos e/ou serviço possam vir para solucionar essas questões dos clientes.

Dessa forma, mesmo que as outras dicas estejam alinhadas e no caminho certo, para garantir que, na prática, tudo ocorra bem é preciso focar nesse ponto.

O fator preço nunca pode ser deixado de lado na hora de identificar a oportunidade de negócio, porque por mais que algo seja revolucionário, se o preço for impraticável, logo ele não sairá de uma boa ideia.

Então, na hora de planejar o seu negócio já comece identificando seu público alvo. Depois que isso for feito, ficará muito mais simples, buscar formas de resolver os problemas dos clientes, lembrando sempre de ter um produto/serviço compatível com a renda do seu público alvo.

Extra: franquias são um bom negócio?

Uma ideia muito comum para quem está buscando identificar a oportunidade de negócio, é apostar em franquias, pela sua “facilidade” na hora de empreender. Mas será que na prática é isso, mesmo?

E a resposta é um grande DEPENDE. Porque em muitos casos, abrir uma franquia estará alinhada com os objetivos do empreendedor e nas características certas, poderá ser um sucesso.

Por outro lado, se o empreendedor achar que estará com uma receita pronta para o sucesso e que não terá que administrar sua franquia como um negócio normal e sem estar com as diretrizes corretas, poderá ser um grande erro. 

O que ocorre, em alguns casos de franquia, é se basear no sucesso de outras dessas empresas. O sucesso é algo que não é simples, não é porque deu certo em uma cidade que dará certo na sua. Nosso país é gigante e cada local tem suas peculiaridades.

Dessa forma, a avaliação precisa ser ampla e rigorosa para entender se essa ideia é uma boa ideia ou apenas uma ilusão. Outro ponto que o empreendedor não deve deixar passar é o endereço que a franquia vai funcionar, porque a localização da sua empresa será essencial para o sucesso do negócio

Conclusão

No artigo de hoje, falei sobre como identificar a oportunidade de negócio certa para buscar o sucesso. Trouxe dicas importantes que vão ajudar empreendedores e futuros empreendedores a entender o jeito certo de empreender.

Para você que está buscando empreender do ZERO: temos um ótimo artigo sobre o assunto: comece seu negócio do zero com esses passos. Ele serve como um complemento para essa leitura, trazendo ainda mais dicas para identificar a oportunidade de negócio e aplicar isso, na prática.

Além disso, o blog da Smart conta com excelentes artigos sobre empreendedorismo. São artigos para quem busca aprender mais sobre o nosso meio. 

Em alguns casos, será possível aprender brincando. Não acredita nisso? Veja esse artigo: O que o jogo Banco Imobiliário pode te ensinar sobre negócios!

Compartilhe esse artigo com seus amigos, nas suas redes sociais. Para que mais empreendedores e futuros empreendedores possam aprender como identificar a oportunidade de negócio certa.

Nos vemos novamente em mais um artigo! 

Até a próxima, forte abraço!

Categorias
Administração Empreendedorismo

Smart Brasília: Essas são as atividades excluídas do MEI, veja a lista completa com as atividades não mais permitidas

Sabia que desde 2020, algumas atividades deixaram de se enquadrar como MEI? Hoje, falarei sobre isso e trarei a lista completa de todas as atividades excluídas do MEI. Siga comigo e descubra!

A modalidade de MEI (microempresa individual) foi criada em 2009, e é uma das mais buscadas por pessoas que buscam empreender a partir de um pequeno/micro negócio. O número de MEIs é crescente em nosso país.

E isso não tende a reduzir, pelo contrário, muitos novos empreendedores estão planejando o seu ingresso como MEI. Porém, existem algumas atividades que foram excluídas do MEI, se tornando um impeditivo para muitos profissionais se tornarem MEI.

No artigo de hoje, vou apresentar todas as modalidades que deixaram de ser enquadradas como MEI. Fique atento, caso a modalidade que você pretende exercer estiver na lista, você não poderá atuar nela como MEI.

O que é MEI?

Antes de ir para a lista das atividades excluídas do MEI, é preciso entender o que é um MEI. Microempreendedor individual (ou microempresa individual) é uma das modalidades de empresas do Brasil.

MEI é um modelo bastante simplificado (o que explica o constante crescimento da modalidade), e seu pagamento de tributos é feito de forma mensal, com uma única guia, o DAS. 

Entretanto, desde sua criação as atividades consideradas intelectuais, como advogados, dentistas, engenheiros, psicólogos, entre outras, não podem ser categorizadas e nem se enquadrar como MEI.

Outro fator bastante relevante, para se enquadrar como MEI é o faturamento anual. Que não pode ser superior a R$81.000,00 anual. Além disso, como o nome sugere, o MEI não pode contar com sócios, e só é permitida a contratação de um funcionário apenas.

Para ser MEI a sua atividade precisa estar descrita na lista oficial das modalidades. Além das atividades acima citadas, outras atividades foram excluídas recentemente. Vamos para elas, agora!

Atividades excluídas do MEI

O que causou a exclusão das atividades que vou listar, a seguir, foi a resolução CGSN Nº 150 / 2019. As atividades excluídas do MEI foram “separadas” em dois períodos, sendo que algumas foram excluídas em 2020 e outras, de fato, apenas esse ano.

Atividades excluídas do MEI em 2020:

  • Abatedor (independente) de aves;
  • Arquivista de Documentos;
  • Alinhador (independente) de pneus;
  • Aplicador (independente) agrícola;
  • Balanceador (independente) de pneus;
  • Coletor (independente) de resíduos perigosos;
  • Comerciante (independente) de extintores de incêndio;
  • Comerciante (independente) de fogos de artifício;
  • Comerciante (independente) de gás liquefeito de petróleo;
  • Comerciante (independente) de medicamentos veterinários;
  • Comerciante (independente) de peças e acessórios para motocicletas e motonetas;
  • Comerciante de produtos farmacêuticos homeopáticos (independente);
  • Comerciante (independente) de produtos farmacêuticos, sem manipulação de fórmulas ;
  • Confeccionador (independente) de fraldas descartáveis;
  • Contador;
  • Coveiro (independente);
  • Dedetizador (independente);
  • Fabricante (independente) de absorventes higiênicos;
  • Fabricante (independente) de águas naturais;
  • Fabricante (independente) de desinfetantes;
  • Fabricante (independente) de produtos de limpeza;
  • Fabricante (independente) de produtos de perfumaria e de higiene pessoal;
  • Fabricante (independente) de sabões e detergentes sintéticos;
  • Operador (independente) de marketing direto;
  • Pirotécnico (independente);
  • Produtor (independente) de pedras para construção, não associado à extração;
  • Proprietário (independente) de bar e congêneres;
  • Removedor (independente) e exumador de cadáver;
  • Restaurador (independente) de prédios históricos;
  • Sepultador (independente);
  • Técnico Contábil.

Atividades excluídas do MEI em 2021:

  • Astrólogo(a);
  • Cantor(a) (independente) ou Músico;
  • Contador(a) de histórias;
  • DJ ou VJ;
  • Esteticista;
  • Humorista;
  • Instrutor(a) de arte e cultura;
  • Instrutor(a) de artes cênicas;
  • Instrutor(a) de cursos gerenciais;
  • Instrutor(a) de cursos preparatórios;
  • Instrutor(a) de idiomas;
  • Instrutor(a) de informática;
  • Instrutor(a) de música;
  • Professor(a) particular;
  • Proprietário(a) de bar com entretenimento.

O que fazer se a sua modalidade não se encaixa como MEI?

Caso sua atividade não se encaixe mais como MEI, diante das recentes exclusões, existem outras modalidades para empreender no Brasil. Sendo que as modalidades de Empresário Individual (EI) e Microempresa (ME), são as que mais se aproximam do MEI.

Caso queira informações detalhadas sobre os tipos de enquadramentos empresariais do Brasil, com seus critérios e outras informações, temos um artigo que explica exatamente isso:  “Enquadramento empresarial: qual é o melhor para você?”.

Além das exclusões, o que mudou para o MEI em 2021?

Deixando de lado as exclusões, em 2021 também houve o reajuste do DAS para MEI (guia que reúne todas as contribuições do MEI: ISS, ICMS e INSS). Como o DAS corresponde a 5% do valor do salário mínimo vigente, sempre que ocorre o aumento do salário mínimo o seu valor sobe.

Neste ano, o salário mínimo subiu de R$1.045,00 para o valor de R$1.100,00. Com isso a tabela de valor do DAS foi alterada, vamos a ela:

  • Pagamento do DAS para Indústria e comércio: R$56,00 (sendo: R$55,00 de INSS + R$1,00 de ICMS e ISS);
  • Pagamento do DAS para prestadores de serviços: R$60,00 (sendo: R$55,00 de INSS + R$5,00 de ICMS e ISS);
  • Pagamento do DAS para comércio e serviços: R$61,00 (sendo: R$55,00 de INSS + R$6,00 de ICMS e ISS).

Conclusão

No texto de hoje, apresentei as atividades excluídas do MEI desde 2019. Se você tinha planos de ser um microempreendedor individual em algumas dessas atividades, é hora de ver qual será a modalidade mais indicada para seu tipo de serviço/produto.

Mas se você é MEI ou está pensando em se tornar um, e sua atividade (ou que pretende exercer) continua na modalidade de microempresa individual, temos alguns artigos neste blog, que vão te ajudar bastante a ser um MEI e conseguir muito sucesso com isso:

Além desses, o blog da Smart conta com excelentes artigos sobre empreendedorismo, que vão te ajudar a ser um empreendedor ainda melhor. 

Compartilhe esse texto de utilidade pública em suas redes sociais, para que todos saibam sobre as atividades excluídas do MEI.

Agradeço a sua leitura, e nos vemos em breve.