[SMART FORTALEZA] Essas são as principais competências de líderes, segundo o CEO da SingularityU

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Sabemos que um líder precisa ter algumas competências de líderes que são essenciais, por isso hoje você vai descubrir quais são essas competências.

Atualmente as empresas estão optando mais ainda, pela agenda ESG e isso foi graças a responsabilidade social.

Essa sigla se resume a práticas sociais, ambientais, governamentais e agora, mercado financeiro.

Na parte corporativa, esse tema é tão importante que chega á alta liderança, dessa forma, os profissionais começam a entrar em uma corrida para desenvolver certas competências para os negócios que estão por vir.

Para explicar melhor, a ESG serve para avaliar as empresas e as avezes até alguns países sobre critérios ambientais, sociais e governança para saber como estão.

Por isso, vamos mais a fundo sobre esse assunto que tem tanta coisa para abordar.

Principais competências de líderes

Conforme uma pesquisa, 70% das empresas estão aderindo aos critérios ESG para avaliações de desempenho e remuneração, mas com profissionais de nível sênior.

Essa mudança que é bastante recente não é nada por moda e sim por sobrevivência, principalmente para as empresas que tem a percepção de risco.

Mas, essa mudança só vai ser bem sucedida, se os profissionais estiverem abertos para realizar transformações sistemáticas e quebra de paradigmas.

Os critérios de ESG desperta bastante o interesse dos profissionais que desejam chegar a liderança.

Por isso, vamos falar algumas competências para bons líderes ESG.

  1. Interesse em dados:

Para os profissionais que desejam se transformar em um líder ESG, necessitam conseguir transformar os números em ações concretas.

Dessa forma, é preciso ter o costume e familiaridade em lidar com os dados e análises, e claro, compreender os impactos de curto, médio e longo prazo.

  1. Empatia e sensibilidade:

Não é apenas se importar com os dados, mas é preciso se importar e entender os impactos sociais de cada decisão estratégica.

É importante você conseguir unir a orientação dos dados e ter aquela visão mais sistêmica com orientação da sensibilidade comunitária.

É comum os profissionais cometerem esse erro, que é se importar apenas com o impacto financeiro que terão tomando determinada decisão.

  1. Poder de influência:

Para o ESG é preciso conseguir resistir a pressão e as mudanças frequentes, a mudança é comandada por profissionais com bastante resiliência e  compreensão sobre o engajamento.

Profissionais com resiliência e poder de influência são capazes de educar todos.

  1. Interdependência:

Uma boa parte do ESG é entender que os resultados positivos dependem do bem-estar de todos os envolvidos.

Representantes ESG são capazes de disseminar uma perspectiva multinível nas sociedades, deixando claro que uma boa performance financeira e compreensão positiva com os compradores depende exatamente do meio ambiente e também das comunidades do entorno.

  1. Inovação:

Ser capaz de inovar é extremamente importante porque a agenda se conclui em velocidade recorde.

Ter visão para a inovação é enxergar as oportunidades, escolher as metas e os objetivos audaciosos.

Entenda, que na parte corporativa você pode aprender a planejar, mas conseguir inovar, não é nada que se aprende.

Competências que vão exigir para alta liderança em empresas ESG

Existem  algumas competências que já estão sendo exigidas nesse tipo de empresa, são quatro dessas que citamos acima.

Mas, pesquisam apontam que os perfis de líderes que mais fazem sucesso são aqueles mais empáticos, com autenticidade e transparência.

Diante disso, basta conhecer às quatro competências mais exigidas em empresas ESG.

  • Pensamento sistêmico multinível: entender que é necessário ter postura abrangente com a ajuda das outras organizações, como o poder público.
  • Inclusão de stakeholders: ser capaz de incluir stakeholders em qualquer processo de mudança.
  • Inovação Disruptiva: conseguir desafiar abordagens convencionais
  • Pensamento de longo prazo: conseguir elaborar metas fortes e encontrar soluções.

Conclusão

Como percebemos os critérios ESG são como uma lista de produtos aproveitada por instituições ou pessoas que buscam fazer investimentos sérios e éticos. 

Isso une  desde a precaução de investidores no momento de adquirir valores até na escolha de um consumidor pelo produto/serviço de uma empresa em detrimento de outra.

Ao usarem os padrões de meio ambiente, sociais e de governança, a administração afirma sua responsabilidade com seus valores e suas relações, livremente de estar ou não passando por certa crise. 

Do mesmo costume, uma sociedade que se preocupa com sua equipe, compradores e meio ambiente, e que é bem dirigida, tem mais chances de conquistar seus iguais do que outra que não está em respeito com os elementos ESG.

Por fim, as empresas que optarem por ter os padrões ambientais, sociais e de governança, podem ter engajamento com algumas ações, por exemplo, diversidade em equipes, investimento em pesquisa e tecnologia, transparência em passar informações e assim por diante.

Esperamos que o conteúdo tenha esclarecido todas as suas dúvidas e se gostou não esqueça de compartilhar.

Se ficou alguma dúvida, deixe nos comentários ou acesse nossas redes sociais.

Até o próximo artigo!

Saulo Da Rós

Saulo Da Rós

Saulo Da Rós é Autor do Método O Empreendedor Smart, CEO e Founder do Coworking SMART. Pós-graduado em Planejamento e Gestão pela Universidade Federal do Paraná – UFPR e Master Coach FEBRACIS. Criador do Método Empresa Smart, ensina um passo a passo detalhado e comprovado para reduzir os custos e a burocracia dos negócios de seus clientes.
logo_smart.png
  • (61) 3221-1000
  • (61) 98117-0468

Brasília – Asa Sul
​Av. W3 Sul CRS 502 Bl C Loja 37

Brasília – Asa Norte
Av. W3 Norte SEP/N 504 Bl A 3º Andar

TERESINA/PI
Av. Homero Castelo Branco, nº 383​, Jóquei​

CURITIBA/PR​
Rua Mateus Leme, nº 1245, São Francisco

  • Copyright 2020 Smart Escritórios Inteligentes - CNPJ: 19.611.273/0001-09