Categorias
Empreendedorismo

SMART BRASÍLIA: será que as Big Techs limitarão o poder de escolha pós-pandemia?

Saiba quais serão os impactos fornecidos pelas Big Techs para o período de pós-pandemia

As chamadas Big Techs já são o centro de uso instantâneo para bilhões de pessoas ao redor do mundo.

Nesse aspecto, um intenso questionamento entre algumas pessoas é gerado em torno dessas empresas em um cenário de pós-pandemia. 

Isso porque, as dúvidas e incertezas ocasionadas pelo cenário da covid-19 estavam – e ainda estão – presentes na sociedade como um fator comum e unânime.

O fato é que esse problema não apenas levou a problemas no aspecto sanitário, mas se tornou uma divisão social.

A desinformação ou até mesmo as fake news reunidas ao medo do ‘novo normal’ ocasionaram um desconforto tamanho, ao passo que as teorias e busca por respostas se tornaram cada vez mais tendenciosas.

O Grande Reset

Nesse cenário, o Fórum Econômico Mundial informou que o novo tópico a ser tratado pelas Big Techs seria ‘O Grande Reset’, fato que foi anunciado ainda no ano de 2020. 

Sendo assim, o evento inicial seria no pós-pandemia, na cidade de Davos. No entanto, houve o adiamento da data para o mês de maio de 2021 na cidade de Singapura.

A decisão foi tomada levando em consideração os protocolos de higiene e segurança contra o novo coronavírus. 

Desse modo, a organização responsável disse que o tema foi escolhido com base no contexto mundial vivenciado, que serviu como um alerta para o pensamento e prática de ações acerca da sustentabilidade e um modelo de economia que ultrapassasse condições como essa crise que afetou a saúde de toda a população. 

Os líderes de governos e grandes empresários de todo o mundo escolheram mudar as questões tradicionais.

Dessa forma, muitos cidadãos passaram a questionar os direitos devidos, inclusive em relação aos impostos que deveriam ser convertidos em benefícios sociais, para fins exclusivos de saúde, equipamentos e materiais que muitas vezes não eram disponibilizados. 

O fato é que, durante esse processo que resultou nas dúvidas acerca do pós-pandemia, o controle da população a partir de uma suposição democrática não existiu.

Os grandes responsáveis pela situação envolveram a ideia de luta pelo meio ambiente e até de inclusão que não foram efetivas. 

O posicionamento das empresas

A título mundial, as grandes empresas que informaram estar na busca por melhores condições sociais podem não ter cumprido esse papel em benefício de toda a população, mas de uma pequena parcela, ainda que a maioria dos clientes seja formada pela grande parcela restante. 

Desse modo, a reinvenção no pós-pandemia se resume a  uma postura que diz respeito ao que é conveniente para as grandes organizações empresariais, inclusive levando em conta a ideia de um consumo consciente.

Mas todos os indícios são fundamentados em promessas para as pessoas e aprovados quase de forma automática.

Isso porque, uma das consequências desse cenário foi a diminuição de atividades presenciais e aumento do uso do meio digital para comunicação e relações interpessoais.

Resultado: há o aumento na proporção de uso das redes sociais, e portanto, o monitoramento de ações. 

Como consequência, há uma maior dependência da internet.

E as Big Techs atuam a partir deste monitoramento para com os indivíduos, que precisam se questionar sobre a privacidade e os interesses nos seus dados, e a coleta de informações. 

O fato é que todo esse cenário trouxe uma reflexão maior durante a pandemia e o pós-pandemia à população como um todo.

As mudanças e ascensão das grandes empresas tecnológicas não eram uma preocupação para muitas pessoas, o que levou aos poucos a curiosidade sobre os assuntos e a privacidade dos mesmos. 

E o mais interessante é que esses mesmos dados são utilizados por todas as grandes empresas para adquirir um poder cada vez maior sob cada usuário. 

Sendo assim, toda essa transformação foi associada ao crescimento de negócios, inclusive se considerarmos que as Big Techs já possuem o poder de escolha de quem está ou não na internet. 

O Empreendedor Smart

O cenário pós pandemia levou muitas pessoas a se questionarem acerca das empresas. Se você foi uma dessas pessoas, saiba que você tem uma característica do empreendedor Smart: a curiosidade.

Se você possui um negócio, avaliar a questão econômica e tecnológica mundial e se manter atualizado é muito importante.

Além do mais, se reinventar sempre é necessário não só para grandes, mas para pequenos e médios empreendedores. 

No contexto de pós-pandemia, já podemos considerar que as empresas que se abriram a novas descobertas e mudanças foram as que mais lucraram e tiveram um crescimento expressivo, inclusive no caso das Big Techs, que pode ser aplicado a você empreendedor.

Mas o que falta para você utilizar este cenário ao seu favor? Seja um empreendedor Smart! Acesse o nosso site e saiba mais sobre os nossos serviços

Saulo Da Rós

Por Saulo Da Rós

Saulo Da Rós é Autor do Método O Empreendedor Smart, CEO e Founder do Coworking SMART. Pós-graduado em Planejamento e Gestão pela Universidade Federal do Paraná – UFPR e Master Coach FEBRACIS. Criador do Método Empresa Smart, ensina um passo a passo detalhado e comprovado para reduzir os custos e a burocracia dos negócios de seus clientes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *