Categorias
Administração Empreendedorismo

Smart Rio: A culpa é do estagiário ou da sua gestão? Descubra a resposta e saiba o que fazer

Falar que a culpa é do estagiário já virou meme. Mas será que até que ponto a culpa é realmente do estagiário ou da sua gestão? 

A culpa é do estagiário!

Com certeza você já ouviu esse tipo de frase, geralmente em tom de brincadeira, seja na internet ou mesmo no seu ambiente de trabalho. Mas será que é justo culpar o estagiário por tudo de ruim que acontece na empresa ou é preciso fazer uma análise mais detalhada?

No artigo de hoje, vou “mergulhar” fundo nesse tema e te ajudar (seja você empreendedor, ou seja, você um estagiário) a descobrir o que está acontecendo de errado, quando o trabalho atribuído ao estagiário não sai exatamente, como o planejado. Além de entender até que ponto isso é culpa do gestor.

O estagiário: estereótipo 

Já temos um estereótipo do estagiário, aquela pessoa jovem que está na escola, em um curso ou faculdade, que não sabe muito bem o que está fazendo e sempre acaba fazendo algo errado. Mas será que é isso mesmo? A resposta obviamente é não.

“Então, você está querendo dizer que os estagiários fazem tudo certo em uma empresa?” Não, também não, porém isso não se deve ao fato de ser estagiário, e sim porque todos os colaboradores cometem erros na execução das suas tarefas, seja ele estagiário ou até mesmo o dono da empresa.

Atribuir incompetência a um estagiário, simplesmente por ele ser um estagiário além de preconceito, pode ser considerado até crime, dependendo da forma que ele é tratado pelos seus colegas e superiores. 

Isso é bullying em sua forma mais clássica, a que parece apenas uma brincadeira, mas que traz muitos problemas psicológicos de quem é alvo.

Então, por que surgiu esse estereótipo?

Estagiários, em sua maioria, são jovens (é claro que isso não é uma regra, mas se é para entrar fundo no estereótipo, vamos direto para a visão clássica) que possuem pouco ou nenhuma experiência com trabalho e rotinas em empresas.

Dessa forma, é comum que eles cometam alguns erros, afinal, o estagiário, ao mesmo tempo que está ajudando a empresa (afinal, estagiários costumam receber um valor abaixo dos colaboradores “normais”), estão aprendendo com a empresa.

A conta é simples, a empresa oferece uma vaga de estágio para ele ganhar experiência, que se positiva poderá ser efetivado pela mesma. O grande ponto a ser analisado é que por serem jovens/inexperientes eles costumam ter algumas condutas e comportamentos diferentes dos outros colaboradores

Falta de experiência

Essa sem dúvida é a primeira conduta que pode causar erros e com certeza, contribuiu para a frase preconceituosa: a culpa é do estagiário! Afinal, se ele nunca trabalhou com essa função, é muito provável que ele não saiba fazer isso, sem a orientação correta.

Afinal, se você faz uma planilha pela primeira vez é bem provável que cometa alguns erros. Já que é para usar frases manjadas: é errando que se aprende. Com isso, o processo de errar faz parte do aprendizado.

Energia em excesso

A maioria dos estagiários é bastante jovem, com isso, vem a energia extra que é própria da idade. Dessa forma, eles podem errar para mais (em alguns casos para menos) e acabar fazendo tudo muito rápido, sem se ater a alguns detalhes cruciais.

E como nós sabemos, rapidez nem sempre é sinônimo de qualidade, principalmente quando não se tem a experiência andando junto. Essa energia também resulta em impulsos. E nessa pressa por mostrar resultados é comum que cometam até alguns erros “bobos” para olhos mais experientes. 

Comportamento

A rotina em uma empresa é baseada em comportamentos que são padronizados ao longo do tempo. Porém, quando se está começando, ainda mais se for seu primeiro emprego, é comum que você não tenha referência de como agir.

Então, seja da forma que você fala com os demais, ou como lida com clientes, tudo isso poderá não ser tão polido em um estágio, se comparado a alguém que já está a anos na empresa.

Acredito que a maioria de nós, tem uma “segunda personalidade” quando está trabalhando, não agindo da mesma forma que age com amigos e com familiares. E não é algo ruim, afinal, o emprego precisa de um trato profissional. Saber agir da forma correta, pode levar um pouco de tempo.

Falta de senso de responsabilidade

Em uma empresa basicamente somos responsáveis por seguir várias regras: horário de trabalho, uniforme, atividades, comportamento, enfim, a lista é bastante ampla.

Dessa forma, criamos um senso de responsabilidade para que seja possível fazer tudo dentro do esperado. Essa doutrinação faz parte de todos os colaboradores em uma empresa, afinal, ninguém quer um colaborador que não seja responsável, não é?

Essa característica muitas vezes, pesa contra o estagiário na hora de ser culpado por algo ruim. Afinal, se ele não tiver responsabilidade para executar as suas tarefas, realmente, em alguns casos é culpa será mesmo dele.

É claro que deve existir um período de adaptação, entre outras medidas, para que o estagiário esteja de acordo com as diretrizes da empresa. Nos próximos itens, vou apontar como a empresa deve agir quanto as características dos estagiários.

Falta de experiência: como a empresa deve agir?

As características acima, são as principais críticas aos estagiários. Porém, muitas vezes a culpa é do gestor também. Ao contratar um estagiário já precisa estar claro que ele terá que ser treinado, afinal, o real motivo de ter um estagiário é prepará-lo para ser um trabalhador.

A empresa precisa entender a real função do estagiário, que é ser um apoio para a empresa, dentro da sua função. Se você contratar um estagiário para suprir a falta de um profissional experiente, a culpa é da falta de experiência dele ou da sua opção de gestão sem sentido nenhum. 

Energia em excesso: como a empresa deve agir?

A vontade extra de muitos estagiários é algo que deve ser usado em prol da empresa. Essa energia em excesso poderá ser bem utilizada desde que adaptada à realidade das funções da empresa.

Algumas funções não precisam de tanto requinte e podem ser feitas de forma mais rápida, sem trazer malefícios para a empresa. O segredo é colocar o estagiário na função que mais combine com suas características e que não possa gerar erros graves.

Comportamento e falta de responsabilidade: como a empresa deve agir?

De forma totalmente clara, nunca atribua uma responsabilidade crítica para um estagiário. E o que seria responsabilidade e crítica? Seriam funções que precisam de um profissional altamente capacitado para tomar as decisões.

Também, nunca deixe de ter alguém para avaliar e acompanhar o desenvolvimento do estagiário. Coloque-os em função de auxiliar, onde eles poderão observar outros profissionais da área e com a ajuda deles, aprender cada vez mais até se tornar parte da empresa.

Fica muito mais fácil lidar com estagiários, quando eles estão fazendo algum curso ou faculdade específica, porque eles poderão pôr em prática o que estão aprendendo, além de ser em uma área que eles planejam se desenvolver cada vez mais.

A empresa precisa preparar o estagiário, é um via de mão dupla, o estagiário ajuda a empresa e a empresa ajuda no seu desenvolvimento. Mas é claro que nem tudo são flores: afinal existem estagiários que não devem continuar na empresa. No próximo item, vou te ajudar a identificar.

A culpa é do estagiário!

Erros vão acontecer, mas saiba avaliar se ele errou tentando fazer o certo ou se escolheu fazer errado. Você não deve julgá-lo por alguns erros se ele for dedicado e demonstrar que está a fim de trabalhar. A avaliação deve ser completa, antes de chegar a uma conclusão sobre ele

Dito isso, quando o estagiário não demonstrar comprometimento, vontade de executar as suas funções e desejo de aprender e comete repetidos erros por simplesmente não querer fazer o que está fazendo. Então, aí sim, a culpa é do estagiário.

Cabe à empresa dar todo o suporte e não cometer os erros que mostramos, porém, o estagiário precisa responder à altura. Então, a empresa precisa avaliar se está colocando-o no melhor cenário. Se mesmo assim, ele não responder cabe a empresa desligá-lo e dar oportunidade para quem vai valorizar.

Conclusão

No texto de hoje, ajudei a desmistificar uma frase preconceituosa (em muitos casos): que a culpa é do estagiário. Dessa forma, a empresa deve entender qual é a real função do estagiário e ajudá-lo a se desenvolver como colaborador.

A culpa só será do estagiário se ele tiver todo o treinamento adequado e período de aprendizado, e mesmo assim, demonstrar má vontade, preguiça e falta de respeito as normas da empresa. 

Vou te apresentar 3 artigos deste blog que vão te ajudar a ter uma melhor gestão: 

Agradeço a sua leitura, nos vemos em breve.

Saulo Da Rós

Por Saulo Da Rós

Saulo Da Rós é Autor do Método O Empreendedor Smart, CEO e Founder do Coworking SMART. Pós-graduado em Planejamento e Gestão pela Universidade Federal do Paraná – UFPR e Master Coach FEBRACIS. Criador do Método Empresa Smart, ensina um passo a passo detalhado e comprovado para reduzir os custos e a burocracia dos negócios de seus clientes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *