Categorias
Destaque Empreendedorismo Produtividade

Técnicas para aliviar o estresse na rotina empreendedora

Todo empreendedor já passou por algum momento de ansiedade e de angústia, mesmo quando tudo parecia estar indo bem com o negócio. Não é por acaso, o peso de levar nos ombros um empreendimento pode se tornar excessivo, mesmo para quem se preparou para isso. O risco maior é que esse estado leve a alguma consequência física, como depressão, acidentes vasculares, problemas no coração, entre outros. Nada melhor, então, do que aprender como aliviar o estresse na vida como gestor.

Como aliviar o estresse na vida como empreendedor?

Existem inúmeras técnicas, práticas e ferramentas que podem ajudar a aliviar o estresse no dia a dia. O mais importante é que você conheça a si mesmo para testar e entender o que pode ser mais efetivo, trazendo mais tranquilidade para a sua rotina e dando novas forças para encarar os desafios que virão pela frente.

Abaixo, listamos algumas das técnicas mais comuns entre os empreendedores:

1. Exercício Físico

Praticar exercícios físicos é uma excelente forma de colocar a energia no lugar certo e, além disso, liberar hormônios como adrenalina e endorfina. Boas opções para quem deseja aumentar o foco e a concentração podem ser escalada, alongamento e natação. Para quem quer liberar energia, corrida e dança podem ser boas alternativas!

Uma dica é reservar um tempo para a prática de esportes e exercícios logo no início da manhã. Assim, fica mais difícil este momento perder espaço para algum compromisso profissional.

2. Meditação

Meditação é outra prática bastante recomendada para empreendedores que desejam aliviar o estresse na rotina. E não precisa ser especialista para começar a sentir os efeitos. Meditações guiadas de 10 a 15 minutos por dia, ao acordar ou antes de dormir, ajudam a manter a calma para agir com mais precisão. Se quiser testar, aplicativos para celular como Calm podem ser um bom primeiro passo!

3. Mindfulness

Bastante relacionada à meditação tradicional, a técnica de Mindfulness propõe viver o momento presente – algo essencial para reduzir a ansiedade. As principais premissas são realizar uma atividade de cada vez, ter consciência do que está fazendo e conectar-se ao presente. Pode parecer difícil para um empreendedor que vive rodeado por inúmeros estímulos, mas prever algumas horas por dia dentro desse modelo pode fazer toda a diferença!

4. Acompanhamento psicológico

Ainda existe certo tabu no Brasil em torno de acompanhamento psicológico. Uma bobagem, afinal, fazer terapia regularmente pode ser essencial para que o empreendedor possa lidar melhor com todos os desafios de seu cotidiano. Especialmente se trouxermos para a discussão o fato de o gestor estar sempre em uma posição solitária, em que dificilmente pode compartilhar seus receios com o restante das pessoas que fazem parte do negócio.

5. Mentoria e aconselhamento

Além da terapia, contar com a mentoria ou o aconselhamento de um profissional mais experiente pode ser uma forma interessante de conhecer a visão de quem já passou pelo mesmo tipo de situações estressantes. Seja de maneira formal ou por meio de grupos de empreendedores, esta troca é importante para que você não se sinta tão sozinho.

6. Respiração

Fale a verdade, em um dia com alta intensidade de trabalho, você lembra de respirar? Aquela respiração profunda antes de tomar qualquer decisão ou reagir a um problema pode ter mais valor do que você imagina. Por isso, em momentos de muita ansiedade, pare por cinco minutos e controle sua respiração, respirando profundamente e pausadamente. Os efeitos são bastante positivos para reduzir o estresse!

7. Pausas regulares

Já que falamos em parar 5 minutos para respirar, é importante que você valorize aquelas pautas para dar uma volta no quarteirão, sair para almoçar ou simplesmente tomar um cafezinho. Caminhar e desviar a atenção do trabalho ajudam a oxigenar o cérebro, aguçar a criatividade e podem ser a chave para a resolução de problemas.

O que funciona para aliviar o seu estresse?

Aqui você leu sobre algumas técnicas bastante utilizadas por empreendedores na hora de reduzir a ansiedade, evitar o estresse e lidar de forma mais tranquila com os diversos percalços que fazem parte da rotina de um empreendedor. Como falamos anteriormente, entretanto, o que importa é você conhecer a si mesmo e descobrir o que irá funcionar ou não para o seu estilo de vida. Que tal começar a testar a partir da nossa lista?

Categorias
Empreendedorismo Produtividade

5 Passos para reuniões mais produtivas

Ter reuniões mais produtivas parece ter se tornado ponto chave para os gestores. Não é por menos, o comparecimento a reuniões é uma realidade para quem trabalha em escritórios em geral. Boas reuniões facilitam a boa comunicação e com a informação trocada de forma eficiente, as pessoas têm acesso às perspectivas necessárias para agir.
Reuniões devem ajudar os funcionários a alinhar seu foco em torno de metas importantes e a reduzir surpresas indesejadas. Elas devem promover relações positivas, trazendo as pessoas cara-a-cara e ajudando a prevenir os tipos de fofoca e câmaras de eco que podem se desenvolver dentro de uma grande empresa.
 
Contudo, sem a devida consideração do porquê elas estão acontecendo, as reuniões podem ser um grande empecilho para a eficiência, forçando as pessoas a gastar um tempo de trabalho que é verdadeiramente essencial para ela. As reuniões podem muitas vezes representar um grande esforço para compartilhar pouquíssimas informações.

Como ter reuniões mais produtivas?

 Neste caso, há dois impulsos concorrentes para equilibrar: o desejo de comunicar e colaborar versus a necessidade de ser eficiente e incisivo. O objetivo, portanto, é tentar ter o menor número de grandes reuniões possível, substituindo-as se necessário, por trocas de e-mails e outras formas de comunicação. É necessário que as pessoas reflitam sobre as reuniões que frequentam, olhando para o que encontraram de valioso e como elas podem ser melhoradas.
 
A Credit Karma desenvolveu um bom quadro internamente para nos ajudar a encontrar este equilíbrio.

Como ponto de partida, os funcionários precisam acreditar em seus colegas de trabalho

As pessoas não devem ser motivadas a definir reuniões pelo desejo de investigar o trabalho de outra pessoa. Estes tipos de reuniões raramente fazem bem. No Credit Karma, eles desejam que seus funcionários assumam um alto nível de confiança em seus colegas de trabalho. É colocado muito esforço para encontrar o apaixonado e envolvido colaborador que se destaca em seu trabalho.
Como uma linha de base, se as pessoas confiam que os membros da sua equipe são bons no que fazem e interessados em suas metas, reuniões tornam-se mais sobre a movimentação de projetos para a frente do que sobre rever o trabalho que já foi feito. 

Se alguém está fazendo, não se preocupe mais

Uma parte importante da redução de reuniões desnecessárias  é que isso elimina qualquer sentimento de territorialismo no local de trabalho. As pessoas não devem tentar trabalhar em um projeto só para ter o seu nome citado.
Não há problema em não ser envolvido em um projeto, desde que alguém capaz o esteja fazendo. Se as pessoas colocam fé em seus colegas de trabalho e estão focados no bem maior, o resultado é sempre benéfico. 

Desenvolver um consenso sobre o que constitui uma boa reunião

Nem todas as reuniões são criadas iguais. Os encontros mais bem sucedidos caem em critérios claros. Reuniões mais produtivas precisam de um propósito claro que se alinhe com as prioridades de todos na reunião. 

Conheça as diferentes armadilhas das más reuniões

Quando falamos sobre reuniões mais produtivas, nem sempre mais é melhor. No Credit Karma, eles encorajam as pessoas a conhecer o propósito de todas as reuniões que frequentam e rejeitam pedidos de reunião se a sua realização não for necessária. É mais eficiente para todos. Também é importante evitar reuniões que são criadas simplesmente para informar as pessoas de que algo está acontecendo. Raramente há uma boa razão para se reunir se você poderia simplesmente enviar um e-mail. 

Definir critérios internamente para uma boa tomada de decisão

Um dos perigos de uma cultura de trabalho de reuniões pesadas é que as pessoas se apoiam em tomadas de decisão por um comitê. Dentro de cada reunião, se uma decisão precisa ser feita, todo mundo precisa saber o quão decisivo isso será para o negócio.
E, falando sobre isso, há três elementos importantes para toda boa tomada de decisão: você precisa da experiência e da capacidade para tomar a decisão, uma estratégia clara por trás do porquê você está fazendo isso e os dados para apoiá-la. Se as pessoas estão equipadas com a confiança para fazer escolhas bem fundamentadas, elas serão menos propensas a querer usar reuniões como uma muleta.