Categorias
Empreendedorismo Finanças

Contabilidade para pequenos negócios: será que realmente é necessário?

Hoje, vou te mostrar as vantagens de contratar uma contabilidade, para você poder chegar à sua própria conclusão. Afinal, contabilidade para pequenos negócios, vale a pena?

Contabilidade para pequenos negócios é um tema bastante discutido entre os novos empreendedores, que se enquadram como ME e MEI, onde não há a obrigatoriedade de contratar uma contabilidade. 

Onde os processos são mais “suavizados” em relação a questões contábeis, porém essa “suavização” ainda precisa de cuidados e de alguém para organizar todas as questões aplicáveis, caso opte por não contratar os serviços de um escritório contábil.

Além disso, o empreendedor poderá economizar o dinheiro que usaria para contratar uma contabilidade para usar de outras formas na empresa. Porém, até que ponto vale a pena não investir no trabalho de um profissional? Vou analisar no texto de hoje!

Vantagens de ter uma contabilidade para os pequenos negócios

Antes de você decidir se deverá contratar ou não, uma contabilidade para seu negócio, vou apresentar algumas vantagens em contar com o serviço de um (bom) escritório de contabilidade, assim poderá tirar suas próprias conclusões.

É importante ressaltar que essas dicas são aplicadas para empresários que não possuem conhecimento elevado sobre o assunto. Então vamos considerar que o empresário em questão é leigo no tema. Caso a empresa tenha alguém especialista, o cenário muda de contexto.

Embora, mesmo que o empreendedor domine o assunto, possivelmente, ele terá que cuidar da empresa, tomar decisões, participar de reuniões e outros assuntos que vão tomar praticamente toda a sua rotina. Desse modo, mesmo que você entenda de contabilidade, ainda será preciso avaliar muito bem.

Vantagem 1: interpretação mais confiável

A primeira vantagem em ter uma contabilidade para pequenos negócios, está no ponto de lidar com as leis brasileiras que são bastante confusas e podem ser um verdadeiro desafio para leigos interpretarem. Ainda mais se o empreendedor for o responsável pela contabilidade e pela empresa.

Dessa forma, contratar os serviços de uma contabilidade vai ajudar muito no entendimento das leis e nos cálculos complexos sobre questões de impostos e de pagamentos. Evitando cometer erros que poderão prejudicar e muito a empresa.

É claro, que o grande motivo de pequenas empresas não terem uma contabilidade é pelo valor do serviço. Mas hoje em dia, existem opções com valores atrativos, como por exemplo a contabilidade digital/online. Para entender mais sobre o assunto, vale a pena ler o artigo sobre os Prós e contras da contabilidade online.

Além disso, é importante parar para pensar, até que ponto vale a pena economizar um pouco de dinheiro, e ter um trabalhão, além de correr o risco de cometer algum erro que pode prejudicar a empresa? Reflita sobre isso.

Vantagem 2: registro de informações

Uma das principais funções da contabilidade está ligada ao registro de informações a respeito da empresa. Mantendo um verdadeiro histórico sobre as finanças da empresa, recursos humanos, etc.

Dessa maneira, você terá um registro confiável a respeitos de suas informações. Porque as contabilidades seguem alguns padrões que tornam o entendimento sobre a sua empresa muito mais fácil e correto.

Essas informações precisam estar 100% organizadas para que facilite a forma que a sua empresa cuida da gestão financeira do negócio. Além do mais, caso precise de uma informação antiga, será bastante cômodo contar com os serviços de uma contabilidade que tenha todas as informações arquivadas.

Vantagem 3: menos dor de cabeça com burocracia

Acredite, cuidar da contabilidade é bastante estressante. Ainda mais quando entra em questões burocráticas, dessa forma, você não precisará fazer tudo sozinho e poderá focar no que realmente importa.

O mesmo é válido quando você abre a empresa, contar com a ajuda de profissionais especializados vai garantir um processo muito mais fluido e menos desgastante. 

Vantagem 4: declaração de impostos

A contabilidade para pequenos negócios faz ainda mais sentido quando se aproxima a data de fazer a declaração do imposto de renda da empresa. São em momentos-chave como esse que é possível perceber o quão mais simples fica o processo quando se conta com um trabalho especializado.

Inclusive, ano que vem terão algumas mudanças por conta da reforma tributária, o que vai mudar os números e porcentagens sobre os impostos das empresas. Com isso, uma contabilidade vai entender muito melhor todas essas mudanças e aplicar da forma correta

Vantagem 5: Fluxo de caixa mais organizado

A contabilidade também irá te ajudar “indiretamente”. Com as informações bem organizadas da contabilidade, será possível utilizar os dados para organizar o fluxo de caixa.

É claro, que essa é uma função da própria empresa e do empreendedor e a contabilidade não fará tudo por você. Mas com a organização da contabilidade a sua empresa vai poder manter um fluxo de caixa bem mais organizado e propenso a ficar no positivo.

Vantagem 6:  ajuda na tomada de decisões

Existem muitas decisões importantes que o empreendedor deve tomar para o andamento da sua empresa. Essas decisões podem gerar dúvidas, que podem ser esclarecidas com a ajuda especializada de uma contabilidade.

Dessa maneira, a contabilidade aparece como um conselheiro importante, para decisões ainda mais importantes que você (como empreendedor) terá que tomar.

Vantagem 7: softwares especializados

Softwares especializados vão tornar todo o processo contábil muito mais fácil. E as contabilidades contam com softwares modernos que garantem um trabalho muito mais rápido e sem erros. Que certamente irão acontecer se a empresa organizar tudo em planilhas simples.

Considerações finais: vale a pena contratar uma contabilidade?

Como o título traz uma questão, agora é o momento de responder. É importante ressaltar que aqui vou usar minha opinião pessoal, que você poderá usar como um conselho. O objetivo é mostrar uma saída para que pequenas empresas consigam trabalhar melhor.

Dessa forma, posso afirmar que contratar uma contabilidade é a saída mais inteligente, principalmente se você está começando agora e visa crescimento para o seu negócio. Se você apenas tiver uma ME, que use de forma esporádica, para emitir poucas notas, é possível que você mesmo cuide.

Agora, quando falamos de um negócio com maior fluxo de documentos e etc, que opera diariamente e produz serviços e/ou vende produtos de forma consistente. Então, para esses casos, é aconselhável contar com o apoio contábil.

Quando trabalhamos com profissionais tudo é mais seguro e garantido. Com isso, uma contabilidade poderá te ajudar com muitas questões e dúvidas. As contabilidades servem como “conselheiros”, como vimos na lista de vantagens. 

Desse modo, a contabilidade para pequenos negócios vai ajudar nos processos, cuidar dos impostos, do imposto de renda, além de dar um apoio extra. 

Dito isso, é preciso fazer uma análise antes de contratar uma contabilidade para chamar de sua. Procure referências, marque uma reunião e avalie você mesmo. O mesmo vale para a contabilidade online, que costuma ser mais barata, mas em muitos casos será uma excelente saída.

Se você foi convencido a procurar uma contabilidade, temos um artigo muito esclarecedor sobre isso: 7 dicas na hora de contratar um escritório de contabilidade 

Leia, e entenda como avaliar se o escritório de contabilidade vai ajudar a sua empresa, realmente.

E o valor gasto para contratar uma contabilidade?

Não será qualquer contabilidade que você deverá contratar. Se contratar a opção cara demais, poderá comprometer o seu orçamento, da mesma forma que contratar uma barata demais, poderá entregar um trabalho incompleto.

A questão do valor realmente é uma questão importante a se considerar nas pequenas empresas, onde cada pequeno investimento faz uma diferença enorme nos números.

Mas alguns gastos são necessários e de médio a longo prazo (alguns trazem resultados imediatos) vai ajudar o seu negócio a se desenvolver ainda mais. Dessa forma, tenha uma boa organização financeira, mesmo antes de abrir o seu negócio ou mesmo após.

Até porque é totalmente contraproducente abrir um negócio sem nenhum planejamento e sem recursos financeiros para cuidar do bom andamento da empresa. É claro, que possivelmente você não consiga contratar a melhor contabilidade da cidade, mas ainda assim encontrará uma boa para você.

Quanto antes você aprender que se tratando de negócios, não dá para fazer tudo sozinho, melhor. Até certo ponto é possível, porém em algum momento você vai precisar de profissionais qualificados para te ajudar a crescer ainda mais. Alguns gastos são necessários, e a contabilidade é um deles. 

Conclusão

No artigo de hoje, mostrei um pouco sobre a contabilidade para pequenos negócios, onde você acompanhou todas as vantagens e a minha análise sincera sobre o assunto. Desse modo, acredito ficou muito mais fácil para você mesmo responder, se vale a pena uma contabilidade para pequenos negócios, ou não.

Conte sobre o seu veredito nos comentários. Gostaria muito de saber a sua opinião sobre esse tema. Além disso, compartilhe esse artigo nos seus grupos de WhatsApp, e ajude que essa análise chegue para mais pessoas.

Para mais artigos sobre empreendedorismo e dicas sobre contabilidade, continue acompanhando o blog da Smart. Ele conta com atualizações diárias e cada artigo vai te ajudar de uma forma, para conseguir empreender de uma maneira mais efetiva e inteligente.

Agradeço a sua leitura, quero saber a sua opinião e nos vemos em breve!

Categorias
Administração Finanças

Aprenda a fazer um planejamento financeiro para MEI

Você é um microempreendedor individual, e está com dificuldades em criar um planejamento financeiro? O artigo de hoje é perfeito para você.

A condição de microempreendedor individual (MEI) veio para facilitar a criação de microempresas e formalizar profissionais independentes. Através disso, muitas pessoas puderam de uma forma menos burocrática, se tornarem empreendedores e ter seu próprio negócio.

Porém, números apontam que 5 em cada 10 microempreendedores individuais desistem dos seus negócios nos primeiros anos da empresa. Sendo a causa mais repetida, problemas financeiros causados pela falta de um planejamento financeiro adequado. 

Cuidar do planejamento financeiro vai garantir que tudo ocorra de maneira clara e organizada, trazendo assim um caminho de sucesso e crescimento para o MEI. 

Microempreendedores individuais, geralmente, não dispõe de um capital aplicável muito grande para sua empresa. Dessa forma, os cuidados com o planejamento financeiro devem ser redobrados, porque os erros serão punidos de uma maneira bem mais pesada que em empresas de maior porte.

No artigo de hoje, vou te mostrar os principais pontos, com os quais será possível criar um planejamento financeiro coeso e feito do jeito certo. Para os microempreendedores individuais terem uma base para conseguir buscar o sucesso, levando suas microempresas até os mais altos patamares.

Avalie sua situação financeira

O passo zero por trás do planejamento financeiro de um microempreendedor individual é estar por dentro da sua atual situação financeira. Todo o planejamento irá depender disso, dessa forma, cabe ao MEI avaliar e entender sua situação e o que é, e não é, possível.

Compreenda as finanças da sua empresa, para poder ter uma visão clara do que está acontecendo, ter os dados reais do que possui em caixa, se tem dívidas em atraso, quais são seus prazos, entre outros detalhes que afetam o financeiro. Para diagnosticar e criar estratégias para superar problemas financeiros da empresa.

Será muito importante para o MEI fazer um balanço patrimonial, para ter dados ainda mais completos sobre a sua situação atual.

Faça a separação entre as contas pessoais das contas da empresa

Muitos microempreendedores individuais acabam associando suas contas pessoais com as contas da empresa. Para que o planejamento comece do jeito certo, será necessário fazer essa separação.

Quando começar a organizar as finanças da empresa, já deixe de lado questões pessoais, tornando duas coisas bem separadas. Logo abaixo, falarei sobre capital de giro, algo que irá reforçar mais ainda a segurança financeira da sua empresa, sem ter que tocar no seu dinheiro que usa para sua vida pessoal.

Porque a partir do momento que você retira dinheiro da empresa para dívidas pessoais (contrário também vale), você poderá estar quebrando toda a organização do planejamento financeiro, além de criar uma bola de neve, que só tende a crescer. 

Tenha um salário

Mesmo como MEI, será necessário que você tenha um salário para você definido. Ter um salário seu, para resolver suas questões financeiras da pessoa física, irá garantir a sua liberdade financeira, para não precisar retirar dinheiro da sua empresa.

O salário deve ser pensado cuidadosamente para ser um valor justo e aplicável. No planejamento financeiro, chegue até um valor que comporte suas contas e lhe dê certo conforto. 

Seja realista, se estipular alto demais, pode faltar para a empresa, já se estipular muito baixo, pode te colocar em situações ruins. Quando chegar a um valor, vá testando para ver como está o andamento da MEI, caso esteja com o valor certo de salário, guarde o lucro da empresa, para ajudar no capital de giro ou para investimentos pontuais.

Receitas e despesas

De forma básica, no planejamento financeiro, será necessário que você (MEI) organize de forma a categorizar as receitas e as despesas (sendo elas, fixas e/ou variáveis) da sua microempresa.

Através de categorias será possível entender de uma forma clara e objetiva onde os recursos da sua empresa estão sendo empregados e de onde estão vindo.

Quando se inicia uma micro empresa pode criar a ilusão que não será necessário acompanhar tanto de perto o andamento das entradas e saídas. Porém, isso está longe de ser verdade. 

É claro, que uma MEI tem menos detalhes que uma empresa grande, porém, empresas grandes têm setores inteiros para cuidar do financeiro, enquanto no MEI tudo ficará a seu cargo (ou caso tenha mais um colaborador, que o número máximo de funcionários que uma microempresa individual pode ter).

Não caia na armadilha de achar que planejamento e organização de um MEI é simples e que pode ser colocado como não prioritário. Planeje tudo e organize receitas e despesas em categorias claras. Dessa forma, o planejamento financeiro terá sentido e poderá ser aplicado.

Tenha um capital de giro adequado

O capital de giro é algo tão importante que deve ser tratado como regra no planejamento financeiro. Para quem não está familiarizado, o capital de giro é uma reserva financeira que irá garantir que o empreendedor mantenha a empresa ativa, mesmo em circunstâncias desfavoráveis.

Em momentos de crise, como a pandemia de COVID-19, evidenciou-se a importância de ter o capital de giro para gerar uma sobrevida importante para qualquer empreendimento.

O MEI deve se preocupar ainda mais em ter um capital de giro. Quando pensamos em microempresas que estão começando, o capital de giro pode manter a empresa ativa, até ela conseguir andar com as próprias pernas. E servir como uma proteção em momentos de dificuldade.

Esse valor não terá que ser um valor milionário, ainda mais para MEI, porém considere os gastos mensais da empresa e outros valores que terão urgência de serem mantidos pagos em dias, para que a empresa funcione e possa se erguer (ou reerguer, dependendo da situação).

Organize o fluxo de caixa

planejamento financeiro

Para que a sua microempresa tenha um bom planejamento financeiro, será preciso controlar muito bem o fluxo de caixa do empreendimento. Tenho os dados atualizados sobre entradas e saídas, além de fazer uma projeção do fluxo de caixa, para curto, médio e longo prazo.

Um fluxo de caixa desorganizado pode mascarar discrepâncias tanto para mais, quanto para menos. Dessa forma, é possível que dados reais não estejam sendo empregados para o planejamento financeiro.

Tenha cuidado em manter o fluxo de caixa fidedigno com a realidade, para o seu empreendimento funcionar e trazer resultados reais.

Tenha objetivos financeiros definidos

Outro ponto muito interessante para que o planejamento financeiro seja empregado de forma otimizada, é ter um objetivo financeiro para seu negócio. Dessa forma, será mais fácil traçar metas e entender se o desenvolvimento está ocorrendo na programação correta.

Ter um objetivo financeiro definido no planejamento financeiro, fará com que as estratégias  e investimentos sigam na direção mais próxima do objetivo final. Norteando erros e acertos, que serão fundamentais para chegar até ao que foi definido inicialmente.

É importante entender que o objetivo deve ser real e aplicável no ramo de mercado que sua empresa está inserida.

Esteja sempre no controle do desempenho financeiro

O planejamento financeiro vai ser a receita por trás de toda a organização dos recursos financeiros da empresa. Dessa forma, seguindo o que foi passado, o planejamento financeiro será executado da melhor forma.

Porém, para que esse planejamento financeiro funcione totalmente, será necessário que tenha um acompanhamento do desempenho financeiro da empresa.  Através da análise de dados e de medidores importantes será possível entender como está o andamento do dinheiro.

Surpresas podem acontecer, mas esteja sempre preparado para saber em primeira mão e lidar com elas do jeito certo. Sem causar um impacto negativo significativo no seu pequeno negócio.

Mesmo que pareça mais simples cuidar de um MEI, é necessário ter todos os cuidados, e acompanhar se o planejamento financeiro está seguindo o seu curso, para que pequenos erros não coloquem tudo a perder.

Importante: como MEI, você será o grande responsável pelo fracasso ou sucesso do seu negócio. Dessa forma, esteja preparado e sempre busque novas formas de evoluir como empreendedor, para que isso reflita em sua empresa. O planejamento financeiro é uma ferramenta poderosa, utilize-a no seu máximo e veja por si só, os excelentes resultados.

Conclusão 

No artigo de hoje, trouxe excelentes dicas de como aplicar o planejamento financeiro para microempresas individuais. Evidenciando pontos importantes e trazendo uma parte teórica bastante esclarecedora. Aplicando tudo que foi trazido aqui, o microempreendedor individual estará cada vez mais próximo de fazer a sua empresa crescer.

Como ressaltei no início do texto, metade dos microempreendedores encerram suas empresas logo nos primeiros anos. Através do conteúdo desse texto, você poderá evitar que isso ocorra.

Esse não é o primeiro artigo sobre planejamento (financeiro e outros), vou listar mais três textos que serviram de complemento para este: 

Recomendo também a leitura do livro “O Empreendedor Smart”, que vai ajudar você a empreender da maneira mais inteligente possível, com inúmeros exemplos práticos e conteúdos muito relevantes sobre o tema.

Gostou do conteúdo? Compartilhe com seus amigos nas redes sociais e seus grupos do WhatsApp.

Agradeço a sua leitura e nos vemos em breve.

Categorias
Empreendedorismo Finanças

Guia Completo de Gestão Financeira para pequenos negócios

Procurando um guia completo para nortear a gestão financeira da sua empresa? Você veio ao lugar certo!

A gestão financeira de qualidade é o que vai garantir a uma pequena empresa que ela cresça e se desenvolva. Será através de um trabalho elaborado com experiência e conhecimento, que a gestão financeira se tornará uma poderosa ferramenta de organização e crescimento.

Muito se fala internet afora sobre gestão financeira, possivelmente, não é o primeiro conteúdo que você vê sobre esse tema, mas vou tentar ser o mais claro possível, para ajudar você e seu empreendimento a desenvolver-se cada vez mais. 

No artigo de hoje, vou trazer um guia completo para aplicar a gestão financeira da melhor forma, na sua empresa.

Guia de Gestão Financeira

O objetivo desses itens é facilitar o entendimento dos empreendedores e gestores sobre gestão financeira, trazendo dicas úteis e totalmente aplicáveis em qualquer pequeno empreendimento, para gerir da maneira correta, desde o início. 

Separar as contas pessoais das contas da empresa (e vice-versa)

Vou começar por algo que deveria ser uma regra em qualquer empreendimento (algo que sempre tive muito claro em minhas empresas), que é a separação das contas entre a sua empresa e a sua vida pessoal.

Muitas pequenas empresas, na pessoa do seu empreendedor, acabam tendo essa associação de contas por um bom tempo. Algumas continuam até quando a empresa já possui algum desenvolvimento. 

Dessa forma, quanto antes você fizer essa separação, melhor será para  poder começar a organizar uma gestão financeira otimizada para o seu empreendimento.

Aplicar uma gestão financeira é eliminar tudo que esteja em desacordo e de alguma forma esteja atrapalhando a organização da empresa. 

A partir do momento que você começa a retirar dinheiro da empresa para pagar suas dívidas ou o contrário, pode ser um caminho sem volta, criando um déficit em um dos lados (ou até mesmo nos dois).

Vale ressaltar que não estou falando de investir seu dinheiro para abrir sua empresa ou de ter um salário. Investir no seu sonho será fundamental, da mesma forma que ter um salário dentro do seu empreendimento irá fazer você ter a liberdade financeira para não precisar retirar dinheiro da sua empresa para questões pessoais.

O mesmo vale para o cartão de crédito corporativo, que  deverá ser usado para assuntos relacionados à empresa. Ainda que seja um processo lento e burocrático, ter um cartão de crédito corporativo será fundamental. 

Nunca use o seu cartão de crédito pessoal para contas da empresa (o contrário também é válido). 

Tenha um responsável para cuidar do financeiro da sua empresa

gestão financeira

Outra situação (não vou chamar de erro, porque em muitos casos não é) muito comum em pequenos empreendimentos, é do próprio empreendedor cuidar de toda a gestão financeira. 

Em muitos casos, se o gestor for capaz e tiver a expertise necessária, isso não será um problema, muito pelo contrário. Será excelente ter um empreendedor focado em organizar sua empresa da melhor forma.

O que não pode ocorrer, é se essa manobra for pensada apenas no fator: não gastar com mais um funcionário. Tenha a certeza, que caso você (ou quem estiver cuidando) não seja um especialista em gestão financeira, a melhor escolha será contratar um colaborador com essa qualidade. 

Garantindo um controle preciso da gestão financeira e executado por um profissional com a experiência e conhecimentos necessários.

Controle de despesas e fluxo de caixa

Já nas medidas de gestão financeira aplicadas na organização, será extremamente necessário que tenha um controle, separação e organização de todas as despesas. Além de um controle rigoroso com entradas e saídas, através do fluxo de caixa.

Dessa forma, a sua empresa terá um controle elaborado de tudo que precisa pagar (no curto, médio e longo prazo), facilitando a previsão e organização dos recursos necessários.

Já um fluxo de caixa bem organizado, vai trazer dados reais para que a gestão financeira consiga organizar da melhor forma. O ideal é que esse controle seja fidedigno, garantindo informações verdadeiras. Fechar o caixa com “mais” não significa que a sua empresa teve lucro, mas que o fluxo foi feito de forma errada (fique atento!)

Definição de prioridades

Para que a sua empresa tenha uma boa gestão financeira, não será necessário apenas controlar as despesas, mas sim definir o grau de importância de cada uma. Em um mundo ideal, a sua empresa lucraria muito e conseguiria cobrir todas as contas, tendo um lucro excelente. 

Porém, como você já deve saber, pequenas empresas costumam ter dificuldades para crescer. E isso é normal, não tem nenhum problema começar de baixo, o caminho até o topo será bastante recompensador.

Dito isso, cabe ao gestor financeiro definir as contas que fazem a empresa funcionar e torná-las prioridades. Tendo todo o cuidado para nunca deixá-las em atrasos longos e nem criar uma “bola de neve” com elas.

Algumas contas podem ser renegociadas e até mesmo parceladas, o ideal seria não precisar recorrer a isso, mas caso necessário, será uma boa saída temporária. 

Corte de custos e redução de despesas

Isso é um ponto que sempre trago quando o assunto é elevar o nível da sua forma de empreender. Que é o corte de custos e despesas. Sendo tão importante quanto vender mais.

Quando a sua empresa deixa de gastar com algo que não tem necessidade, ela está otimizando seus processos e tendo mais dinheiro para utilizar de uma forma necessária.

Alguns gastos tidos como irrelevantes, quando juntos podem somar uma parcela grande de valores investidos. Isso não significa cortar custos apenas por cortar, isso será muito danoso para qualquer gestão. 

Cortar e reduzir gastos apenas do que for possível. Uma boa gestão financeira será capaz de enxergar o que está gerando gastos desnecessários e irá conseguir traçar planos para eliminar ou pelo menos reduzir esse gasto.

Negociações, descontos e mais prazos 

Tão importante quanto cortar gastos, é negociar com seus fornecedores e credores, obtendo descontos ou na pior das hipóteses um prazo maior. 

É muito importante que você saiba que a sua empresa é importante para seus fornecedores. É do seu dinheiro (e de outros clientes) que sai o dinheiro deles.

Através disso, não deixe de negociar com eles. Em momentos ruins de dinheiro, toda ajuda é bem-vinda, trazendo um “gás” novo para o seu empreendimento. 

O mesmo vale para empréstimos e financiamentos. Caberá à gestão financeira encontrar valores justos que a empresa possa pagar. 

Bancos e financeiras costumam cobrar juros salgados, recorra a isso, apenas se for de extrema urgência e necessidade, de uma forma que não afunde a sua empresa, criando um caminho sem volta.

Capital de Giro

Falta de dinheiro é um tema recorrente em pequenas empresas, infelizmente. Sendo ainda mais agravado em momentos de crise, como o que estamos passando com a pandemia. 

Para não ser preciso recorrer a bancos e financeiras (já mostrei o perigo que é entrar nesse caminho), a melhor estratégia de gestão financeira é ter um capital de giro. 

Ele será excelente para o crescimento da sua empresa, possibilitando investimentos e garantindo uma sobrevida em momentos de dificuldade que praticamente todos os empreendimentos já passaram.

O ideal é juntar um bom montante de capital antes mesmo de dar vida ao empreendimento, para já começar com o pé direito. Esse valor não precisa ser um valor gigantesco, mas um valor que consiga segurar as pontas, caso necessário.

Estratégias e ações 

Muitas vezes os gestores fazem verdadeiros malabarismos para superar um momento de dificuldade. Acredito que são nas estratégias e ações que os bons gestores se destacam.

É mais fácil administrar os recursos com tudo funcionando a 100%, porém como já frisei, não é a realidade da maioria dos empreendimentos, principalmente das pequenas empresas.

Cabe a gestão financeira (e demais setores também), criarem estratégias para vender mais, aplicar descontos, conquistar mais clientes, entre outras estratégias. Tudo isso aliado a uma boa gestão, trará resultados excelentes. 

Imagine se a sua empresa cortar todos os gastos desnecessários e conseguir (através de ações elaboradas) vender mais, o lucro será muito maior. São essas medidas que farão a sua empresa se destacar e superar a concorrência.

Conclusão

No artigo de hoje, trouxe um guia completo e extremamente elaborado para você e sua empresa. Aplicando tudo que foi trazido aqui você colocará a sua empresa nos trilhos do crescimento.

Esse não é o primeiro artigo, sobre o tema, vou listar mais três textos que serviram como complemento para este: 

Nosso blog também fala de todos os assuntos relacionados a empreender, dessa forma, continue acompanhando. Nossas atualizações são diárias com textos selecionados para você e sua empresa se desenvolverem.

Recomendo também a leitura do livro “O Empreendedor Smart”, que vai ajudar você a empreender da maneira mais inteligente possível, com inúmeros exemplos práticos e conteúdos muito relevantes sobre o tema.

Gostou do conteúdo? Compartilhe com seus amigos nas redes sociais e seus grupos do WhatsApp.

Agradeço a sua leitura e nos vemos em breve.

Categorias
Finanças

Esses são os 9 pontos sobre Gestão Financeira para pequenas empresas

Sua empresa possui uma Gestão Financeira eficiente? No artigo de hoje, traremos excelentes dicas de como pequenas empresas poderão melhorar a sua gestão.

A Gestão Financeira será a base para qualquer empresa poder buscar o lucro. As grandes empresas de sucesso, começam a partir de uma gestão financeira extremamente elaborada. Dessa forma, as pequenas empresas deverão se espelhar nelas e buscar a excelência em sua gestão.

Nesse artigo vamos entender o conceito da Gestão Financeira, seus tipos e focar em 9 pontos fundamentais para uma boa Gestão Financeira.

O que é Gestão Financeira? 

Gestão Financeira são ações que irão lidar com planejamento e controle do dinheiro. Podendo ser aplicado em empresas e para pessoas físicas. Gestão Financeira em seu sentido empresarial, será a forma de administrar o dinheiro, visando sempre a maximização do lucro.

Novos empresários e/ou de pequenas empresas, precisam aprender desde cedo a importância de ter uma Gestão Financeira eficiente. No texto de hoje vamos focar em ajudar empresários de pequenas empresas e aplicar a Gestão Financeira de forma eficiente em suas empresas.  

Tipos de gestão

Basicamente, a Gestão Financeira separa-se em três tipos: gestão do caixa no dia a dia, gestão de investimentos e gestão de crise:

  • Gestão do caixa no dia a dia: são as ações diárias ligadas a entrada e saída de recursos financeiros, oriundo de vendas, serviços, pagamentos e etc.;
  • Gestão de investimentos: como o nome sugere são as ações ligadas a investimentos, quando a empresa visa expansão (seja aumentando a empresa, modernizando ou mesmo abrindo outra unidade, entre outras formas de investimento);
  • Gestão de crises: são as estratégias financeiras que a empresa irá empregar para livrar-se de momentos difíceis financeiramente, seja através de renegociação ou pagamento de algum protesto, por exemplo.

Saiba alguns pontos sobre a Gestão Financeira 

Vamos apresentar 9 pontos que você deve ficar atento para ter uma boa Gestão Financeira:

Uma educação financeira de qualidade será essencial

Além de ser essencial para sua vida financeira fora da empresa, refletirá também na forma que você lida com os recursos financeiros da sua empresa.

Sua empresa deverá ter uma conta bancária somente para ela

Logo de cara, novos empreendedores já deverão desassociar sua conta pessoal da sua conta empresarial. Sendo esse um erro muito comum, juntar tudo em uma só conta.

Dessa forma, toda a gestão financeira será prejudicada, tanto a familiar, quanto a da empresa. Caso seja seu caso, pare com isso imediatamente e separe as contas.

Saiba quais são os custos do seu negócio 

Gestão financeira

Esse é o básico de toda gestão, porém é negligenciado por muitos. Não cometa esse erro. Tenha sempre o controle de tudo que envolva dinheiro na sua empresa. Os dados devem ser verdadeiros e precisos, para evitar surpresas desagradáveis. 

O cartão de crédito corporativo deverá ser usado apenas para assuntos relacionados a empresa

Mesmo que seja um processo lento e burocrático, obter um cartão de crédito corporativo será fundamental. Nunca use seu próprio cartão de crédito para contas da empresa. Isso poderá se tornar um caminho sem volta. Além de dificultar todo o controle financeiro. 

Efetuar os pagamentos de forma online, será a opção mais rápida e eficiente

A tecnologia nos possibilitou abandonar os papéis de contas ou ter um responsável só para ir ao banco. De forma online é extremamente rápido e bastante seguro efetuar o pagamento.

Além de possibilitar também recebimentos e demais operações financeiras, como pagamento de salário, por exemplo. Tudo em poucos cliques.

Será essencial que a empresa tenha um responsável para cuidar do financeiro da empresa

Caso seja o próprio empreendedor, ele deverá saber o que está fazendo, se você possuir uma empresa, mas não entende de gestão, será essencial ter alguém que entenda para te ajudar.

Sobra ou falta de dinheiro no caixa não significa lucro, ou prejuízo

O caixa deverá sempre fechar de forma exata, a falta ou sobra só significará que o responsável não tomou a atenção devida.

Corte de custos e redução de despesas

Uma boa gestão deverá avaliar sempre que possível os seus gastos, para saber se algo poderá ser reduzido ou cortado. Vale lembrar que muitos gastos são necessários, com isso, cortar gastos sem motivo agira contra a empresa, gerando prejuízos.

Estudar e aprender termos e conceitos financeiros será fundamental

Todo empreendedor deve estudar e buscar aprender mais com a educação financeira, afinal será o conhecimento que também irá garantir o sucesso da empresa. Abrimos e fechamos a lista batendo nessa tecla, devido a sua grande importância.

Conclusão

No artigo de hoje, aprendemos a importância de uma Gestão Financeira eficiente para pequenas empresas. 

Com as dicas de hoje ficará muito mais fácil não cometer alguns erros comuns que podem estar prejudicando os seus negócios, garantindo mais saúde financeira e evitando problemas mais sérios.

Para mais dicas sobre finanças e empreendedorismo, continue acompanhando nosso blog. Acesse também nosso canal no YouTube, para vídeos com conteúdos relevantes para você e sua empresa.

Agradecemos sua leitura e nos vemos no próximo artigo.