Categorias
Empreendedorismo

Smart Rio: O lado ruim do Home Office! E como o barulho em casa pode atrapalhar seu trabalho?

O barulho é algo muito danoso para quem trabalha em casa. Falarei sobre esse ponto no home office no texto de hoje, siga comigo e saiba mais.

Home Office foi uma saída sensacional para muitos durante a pandemia. Porém, como tudo na vida, também tem seu lado ruim. Um dos grandes males do é o barulho e distração causada por ele, e isso pode atrapalhar e muito o seu trabalho.

Afinal, quando estamos em casa, o ambiente pode estar contra nós, e os ruídos gerados podem se tornar uma dor de cabeça e uma forma de atrapalhar (e muito) o rendimento de qualquer pessoa. Ainda mais quando a pessoa possui um trabalho que exige concentração e raciocínio apurado. 

Home Office pode funcionar muito bem, porém, essa será uma realidade que não será compartilhada por todos que trabalharem nessa modalidade. No artigo de hoje, vou te ajudar a entender o contexto do seu caso, e em cima disso, te ajudar a descobrir se o home está funcionando corretamente para você.

Home Office: uma solução positiva?

Verdade seja dita, o home office já vinha ganhando força muito antes da pandemia, porém, é inegável que esse tema nunca foi tão discutido e utilizado como durante a pandemia de Covid-19. Muitos tiveram que adotar essa modalidade de trabalho para continuar trabalhando. 

Praticamente, todo mundo que trabalhava em um escritório passou a trabalhar de casa, por conta do lockdown e por medidas de segurança (muitas empresas ainda estão em home office, na data que esse texto está sendo escrito).

O que para muitos foi temporário, para outros tornou-se a nova realidade, afinal, trabalhar de casa parece trazer benefícios, principalmente, quando se fala de qualidade de vida e economia. Dessa forma, muitas empresas e principalmente profissionais independentes passaram a ficar em home office.

O lado bom do Home Office

Trabalhar de casa, à primeira vista, parece ser algo muito positivo, e acredite, em muitos casos realmente é. Existe uma série de características positivas, tais como:

  • Maior liberdade (afinal, é muito mais prático trabalhar sem ter toda a pressão de uma empresa, com muitos olhos em cima de você);
  • Ganho de tempo (muitas pessoas costumam perder horas e horas apenas para chegar até o trabalho e retornar para casa no fim do expediente);
  • Economia com o deslocamento (a economia de não ter que se deslocar, em um período que a gasolina não para de aumentar, pode fazer a diferença no final do mês);
  • Corte de gastos (quando falamos em empresas de pequeno porte, e principalmente de MEIs, cortar o gasto de manter um aluguel [bem como, de demais valores ao entorno disso], pode ser uma cifra extremamente relevante nos lucros do negócio);
  • Praticidade (estar em casa, facilitará a alimentação, o tempo gasto para as tarefas será reduzido e também poderá trazer um contato maior com familiares, como filhos e marido/esposa, por exemplo).

Esses 5 pontos são utilizados como justificativa do porque empresas e profissionais independentes passaram a trabalhar em home office. Porém, nem tudo são flores…

O lado ruim do Home Office

Nem só de coisas boas vive o home office, vamos para alguns fatores negativos:

  • Falta de um espaço correto (é muito comum que o espaço de home office não seja planejado, utilizando um espaço vago da casa ou adaptando um quarto, por exemplo, sendo que na maioria das vezes, esse espaço fica muito aquém do mínimo esperado);
  • Distrações (quando se está em casa é comum que a pessoa se distraia com diversas coisas [principalmente, se não morar sozinho] e que não renda tanto quanto em um ambiente próprio, onde seja mais fácil manter o foco);
  • Visão não profissional (quando o local do home office não for bem planejado, receber pessoas [clientes, por exemplo] em seu escritório, será uma tarefa complicada, tendo em vista que poderá causar uma primeira impressão bastante ruim, podendo acabar toda a negociação);
  • Falta de rotina (muitos associam o home office a algo menos “profissional”, e não estou falando dos outros [como no exemplo acima], mas sim do profissional ou colaborador que está trabalhando de casa, dessa forma, muitos acabam “largando” as tarefas e deixando como algo de menor importância).

Outro ponto importante também para entender é: como o barulho pode atrapalhar o desempenho do trabalho em home office.

Barulho: um inimigo “silencioso”

Além dos outros fatores, é importante ressaltar que o barulho pode ser um inimigo negligenciado no home office, ainda mais se seu endereço for um local com bastante movimento, tanto interno (crianças, principalmente) quanto externo (vizinhança barulhenta, ruas movimentadas, ruídos de fábricas, etc.).

Sendo provado, que o barulho atrapalha na concentração, foco, desempenho das atividades, além é claro que agrava o estresse no ambiente de trabalho. Com isso, se o seu home office estiver envolto de muito barulho, sem dúvidas o seu desempenho será fortemente afetado.

O barulho não vai atrapalhar apenas o seu desempenho, como também será muito prejudicial se receber clientes, parceiros e/ou fornecedores. Trazendo uma visão ruim da sua empresa, junto aos demais. Mostrando uma falta de profissionalismo (mesmo que o barulho não venha da sua casa). 

O melhor a se fazer quando o assunto é home office, é planejar um espaço correto para isso, levando muito em conta o barulho e ar profissional que esse local vai demonstrar a quem for acessá-lo ou utilizado. 

Caso não seja possível contar com um local assim, existe uma excelente opção tanto para empresas quanto para profissionais independentes, para estarem em um local com liberdade e possibilidade de desempenhar o trabalho da melhor forma, além de poder receber pessoas: o coworking

Coworking: liberdade e profissionalismo

Uma opção excelente para quem busca economia, liberdade e profissionalismo é apostar em coworking. Que poderá ser usado em conjunto ao home office (ou outra opção remota) ou ser uma excelente opção de substituto para melhorar o desempenho e a “cara” da empresa junto ao mercado. 

O coworking (escritório compartilhado) é uma modalidade que não para de crescer no Brasil, pois une o que tem de melhor quando o assunto são escritórios completos para empreender da melhor forma possível e economia.

Atuar em um coworking vai trazer uma economia gigante no aluguel, além de ser uma forma incrível de lidar com trabalho remoto. O coworking traz diversas possibilidades, podendo ser usado em parceria com o home office ou como um substituto muito mais completo.  

A maioria dos coworkings trazem planos onde é possível adaptar às necessidades da empresa ou do profissional. Sendo possível manter um escritório completo em coworking ou utilizar apenas uma sala de reuniões para receber clientes, parceiros e/ou fornecedores, quando necessário.

As palavras de ordem em um coworking são liberdade e profissionalismo, sendo que quem apostar nessa modalidade terá acesso a isso e muito mais. Além é claro de garantir um ambiente totalmente saudável sem barulho e interrupções (que como vimos é muito prejudicial para a “cara” da empresa)

Coworkings são seguros quanto a protocolos de segurança com o Covid-19, além de trazer a oportunidade muito grande de criar uma networking poderosa para sua empresa, tendo em vista que estará dividindo o mesmo local com diversas empresas e profissionais.

Dica de ouro: Smart Escritórios Inteligentes

A Smart Escritórios Inteligentes: Rio de Janeiro conta com o melhor serviço de coworking do Brasil, aliando um espaço bem localizado (em dois endereços), escritórios modernos, ambiente propício para o trabalho e para receber clientes, possibilidade de networking com grandes marcas e uma economia gigante. 

Falando em economia, na Smart você irá economizar em praticamente tudo que diz respeito a manter um escritório, desde o aluguel, energia elétrica, IPTU, água, manutenção, limpeza, recepção, entre outras despesas aplicáveis.

Existem planos que custam menos de R$3,50 ao dia, como é o caso do Plano Smart Fiscal por R$79,90/mês para quem precisa apenas de um endereço. Ou o Plano Smart Black que custa R$99,90/mês por TODOS os serviços Smart. 

Para os dois planos, você pode ganhar dois meses grátis se optar pelo plano anual

Além das unidades no Rio de Janeiro (em Niterói e Jacarepaguá), a Smart também está presente em outros endereços: Asa Norte e Asa Sul em Brasília e na região da Berrini em São Paulo.

Veja também relatos de clientes que escolheram a Smart Escritórios Inteligentes.

Conclusão

No artigo de hoje, mostrei o lado ruim (e o bom) do home office, mostrando como o barulho e outros fatores podem atrapalhar o desempenho do trabalho e na forma que clientes e outras empresas vêem o seu negócio. 

Ao final, mostrei como o coworking garante que a sua empresa tenha o que precisa para alinhar profissionalismo, liberdade e economia. Para mais textos sobre empreendedorismo (e outros temas) continue lendo os artigos do blog da Smart. 

Agradeço a sua leitura, e nos vemos em breve em mais um texto. Deixe um comentário com sugestões para os próximos textos!

Categorias
Escritórios Produtividade

SMART NITERÓI: Estudo mostra que 30% das empresas devem manter home office após a pandemia

O home office foi uma solução de emergência para várias empresas durante a pandemia, mas parece que a nova modalidade de trabalho veio para ficar. 

Algo inesperado vem surpreendendo a humanidade desde o ano passado. Um vírus parou o mundo, e fez países inteiros suspenderem várias atividades econômicas.

A pandemia da COVID-19, doença causada pelo novo coronavírus, trouxe à tona, novamente, a vulnerabilidade humana. 

Um vírus microscópico parou várias corporações e causou dificuldades econômicas para famílias e para grandes nações.

Quando começaram a chegar as notícias dos primeiros contágios na região de Wuhan, na China, tudo parecia ser muito longínquo, e até mesmo pensamos que aquilo não cruzaria céus e mares e chegaria até nós.

Já em fevereiro, acompanhamos com maior cautela as notícias da lamentável situação que a Itália teve que enfrentar. 

Mas em um mundo interconectado, não são somente as notícias que chegam rápido. No Brasil, no final de fevereiro e começo de março começaram a sair as notícias dos primeiros infectados pelo vírus.

A partir daí palavras como lockdown, quarentena e isolamento social passaram a fazer parte do nosso vocabulário, e álcool em gel e máscara, do nosso cotidiano.

Home office

As medidas de isolamento social, que visavam diminuir o índice de contágios, impôs, em alguns lugares, rigorosos controles de circulação de pessoas.

Apenas os serviços essenciais podiam funcionar, e muita gente teve que ficar em casa.

Com isso, outra palavra começou a aparecer cada vez mais constantemente nas redes e nos demais meios de comunicação.

home office

O home office foi a solução adotada por empresas de todo o mundo para que seus funcionários continuassem trabalhando em suas próprias casas.

Grandes empresas e até mesmo instituições do Estado passaram a fechar seus escritórios e organizar todo, ou grande parte, do trabalho de maneira remota.

Para tal, as ferramentas de videochamadas passaram a ser essenciais, e o Zoom, Meet ou Skype substituíram, muitas vezes, as agendas e as canetas.

Por um lado, as empresas economizaram por já não terem gastos relacionados à manutenção mensal dos escritórios; por outro, os investimentos passaram a ser para a aquisição de serviços que possibilitassem o trabalho remoto e para oferecer treinamentos para os profissionais.

No começo muitos trabalhadores consideravam que se tratava de algo temporário, e que, com a chegada da vacina, o trabalho voltaria ao normal, e os escritórios estariam novamente ocupados.

Porém, muitas empresas notaram as vantagens da modalidade de trabalho virtual, e passaram a considerar a possibilidade de mantê-lo. 

Curiosamente, gestores compreenderam, por exemplo, – graças à crise – que muitas viagens a trabalho podiam facilmente ser substituídas por encontros virtuais, e a economia é considerável. 

Investimento em segurança da informação

Uma pesquisa realizada em junho do ano passado conversou com diretores de 17 países que trabalham com tecnologia da informação. Ainda 400 entidades públicas e privadas foram ouvidas.

Os gestores mencionaram que as empresas viram muitos benefícios no home office, mas também notaram o aumento de tentativas de ataques cibernéticos.

Os resultados mostraram que 90% das empresas planejam aumentar os investimentos em segurança virtual. Alguns falam em mais de 250 mil dólares nos próximos dois anos. 

Frederico Tostes, country manager da Fortinet Brasil e VP de Cloud para a América Latina, disse que “não só o investimento em tecnologia é fundamental para manter os dados seguros, mas também o treinamento e a conscientização constante de todos os funcionários”.

Futuro

Para o futuro, possivelmente os antigos modelos de escritórios pouco funcionais, e cujo custo de manutenção era altíssimo, devem ficar para trás. 

Embora algumas empresas mantenham o modelo, é estimado que muitas  optem pelo home office de maneira definitiva.

Além disso, surge também outra opção. É o chamado coworking, que vem ganhando espaço no Brasil. 

Na modalidade, escritórios são compartilhados por empresas, o que diminui os custos. 

Com a modalidade, torna-se possível, por exemplo, o aluguel de salas por hora, representando assim uma considerável economia, pois os espaços comuns de trabalho poderão ser utilizados esporadicamente com a continuidade do home office. 

A Smart traz as melhores opções de escritórios inteligentes e ajuda as empresas que buscam espaços funcionais para operar.

O coworking é uma boa opção ainda para profissionais de marketing, que necessitam espaços confortáveis de trabalho onde possam intercambiar ideias e exercitar a criatividade.

Conclusão

A crise causada pela pandemia do Coronavírus obrigou várias empresas a interromper o funcionamento normal. 

A solução encontrada por muitas foi o home office. A nova modalidade permitiu que profissionais continuassem trabalhando desde suas casas.

Para o futuro, provavelmente o modelo usado por anos, de escritórios amplos,  com custos operacionais altos e, algumas vezes, com poucos resultados, deve ficar para trás.

O home office deve ganhar cada vez mais campo.

Mas, quando a vida social possa voltar medianamente ao normal, algumas empresas necessitarão de espaços para uso coletivo. Aí entra o coworking. 

A modalidade permite o compartilhamento de escritórios entre várias empresas, o que possibilita a interação entre profissionais e também a economia administrativa, já que, por exemplo, torna-se possível que mais de uma empresa alugue o mesmo escritório.

Categorias
Coworking Produtividade Reunião Sala de Treinamento

O coworking se encaixa no seu negócio? Descubra!

Coworking já não é novidade há muito tempo, mas tem gente que ainda tem dúvidas, por isso vamos esclarecer algumas delas. 

Coworking, antes de tudo, é um movimento global. Tecnicamente, o coworking é um espaço para “trabalhar em conjunto”. Mas não tem nada a ver com aqueles trabalhos em grupo que você fazia no colégio. 

A ideia é compartilhar um espaço físico, seja ou não ao mesmo tempo que outras empresas ou trabalhadores autônomos. Você trabalha em um espaço junto a outros empreendedores, dividindo os custos de estruturas entre outros.

Como é trabalhar com profissionais de diferentes áreas e empresas?

Uma das principais características de um coworking é a variedade de profissionais, o que favorece a troca de ideias, experiências e até traz a possibilidades de novos negócios. 

É uma grande oportunidade de expandir seu networking, conseguir novos clientes e ouvir diferentes opiniões. 

Mesmo que você seja um profissional autônomo sentado ao lado de outro ou esteja com seu grupo de trabalho na fila do barzinho, sempre há uma oportunidade de interagir e descobrir novas opiniões.

Mas a privacidade? Não se preocupe. 

Você ou seu grupo de trabalho terão toda a privacidade que quiserem para focar na produtividade. Os melhores locais de coworking oferecem uma variedade de ambientes que vão desde salas executivas até auditórios!

O coworking é somente para autônomos e freelancers?

De maneira nenhuma! 

Embora os profissionais autônomos e freelancers tenham toda a autonomia para escolherem seus horários e agendarem suas horas de trabalho nas estações de coworking, pequenas e médias empresas também são frequentadores assíduos. 

Para diminuir os custos e para aumentar a rede de contatos, muitas empresas preferem alugar uma sala em um espaço de coworking do que ficarem fechados no seu próprio escritório. 

No espaço de coworking o grupo de trabalho pode otimizar a sua produção dentro das horas de trabalho, ao invés de estar em um escritório com aluguel diário, que você paga até os feriados e dias de descanso. 

Neste ambiente, as empresas também não precisam se preocupar com aquela avalanche de contas para pagar no início do mês! Você já sabe quanto vai gastar de acordo com as horas de trabalho e o espaço!

Além de utilizarem salas executivas, as empresas podem optar pelas salas de reuniões ou até pelos auditórios, dependendo da sua necessidade. 

Vale muito mais a pena ter aquela reunião de negócios com clientes importantes em um espaço amplo e profissional, pensando sempre na otimização do tempo e do espaço.

É possível usar o espaço coworking em tempos de pandemia?

Esta é uma das dúvidas mais frequentes do mercado.  

Os espaços de coworking contam com o seu próprio processo de sanitização de ambientes, mas você também pode (e deve) fazer a sua parte. 

Seus objetos pessoais devem ser trazidos de casa e depois levados. Seu material de cuidado higiênico (como máscaras, luvas, álcool em gel, etc.) deve ser utilizado e descartado corretamente.

Os espaços respeitam todas as regras locais de cuidado e limpeza, sendo assim uma excelente opção para os tempos de pandemia. 

Por outro lado, você também não precisa ficar se preocupando com a limpeza diária, já que os profissionais de higiene dos espaços de coworking fazem isso após cada vez que utilizada uma estação ou uma sala de trabalho compartilhado.

Qual a diferença entre trabalhar de casa (home office) e no coworking?

coworking

Ainda que o termo home office tenha sido muito citado nos últimos tempos, a diferença é enorme!! 

Primeiro que a sua casa não foi projetada para trabalhar em alto desempenho, receber clientes e fazer reuniões, certo? Sem distrações, você poderá trabalhar focado sem estar indo até à geladeira a cada cinco minutos. 

Além disso, quem nunca ficou sem internet em casa e teve que atrasar aquele projeto?

+ Veja também: Entenda Como Retomar Os Negócios

Pois é, no ambiente de coworking nada disso vai acontecer. 

Você conta com toda a infraestrutura para se concentrar apenas em fazer o melhor para você ou para o seu grupo de trabalho. 

Por ser este um ambiente que preza pela democratização dos escritórios executivos, ali você vai poder receber seus clientes sem problema algum, gerando uma boa impressão, otimização do tempo e foco no trabalho. 

Isso tudo sem ter aquela conta de luz e internet no fim do mês.

Como começar no coworking?

Se você percebeu que compartilhar tempo e espaço é uma ideia inteligente para a sua empresa ou para você, agora você deve procurar onde está o local mais próximo a você. 

Tenha toda a comodidade e nada da burocracia de trabalhar em um escritório executivo de alta qualidade. 

Na Smart Coworking você tem estações de trabalho individuais, escritórios, salas de reuniões e auditórios, todos com a funcionalidade que você e o seu grupo de trabalho precisam.

Venha conhecer uma equipe preparada para lhe atender e um ambiente para trabalhar com todas as vantagens citadas neste artigo! Fale já com a Smart Coworking e comece a trabalhar com inteligência!