Categorias
Administração

Smart Brasília: Aumento na conta de luz exige revisão nos gastos das pequenas empresas

O recente aumento na conta de luz mostra que as empresas terão que revisar seus gastos. No texto de hoje, falaremos mais sobre a mais nova dificuldade.

As pequenas empresas do Brasil, infelizmente, precisam lidar com a dura realidade onde todos os seus gastos aumentam, ano a ano, e nos últimos tempos, quase mês a mês.

Dessa forma, as empresas precisam estar sempre se reorganizando para conseguir lidar com esses aumentos significativos. 

No texto de hoje, vamos analisar essa situação e mostrar opções para que as pequenas empresas possam lidar com isso de uma forma e conseguir bater de frente com o aumento na conta de luz.

Aumento na conta de luz do DF (SP e GO), serve de alerta

No dia 22 de outubro de 2021, a conta de luz do Distrito Federal aumentou em 11,10%. Sendo aprovado pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) após a proposta da Neoenergia.

Esse aumento poderá ser ainda maior, tendo em vista que a Aneel aprovou o aumento de até 16% para o Distrito Federal, São Paulo e Goiás. Dessa maneira, a tendência é que o aumento seja ainda maior.

Então, se você mora nesses estados, já comece a preparar o bolso. Entretanto, esse aumento não deve ocorrer apenas nesses locais, serviços de fornecimento em todo o país devem trazer seus percentuais de aumento também.

O que esse aumento diz sobre a realidade das pequenas empresas?

As pequenas empresas e profissionais independentes sempre são os mais afetados quando o assunto são os aumentos, tendo em vista a fragilidade financeira da maioria. Porém, alguns gastos, como a energia elétrica, são gastos que não dá para fugir.

Dessa forma, as empresas precisam reorganizar toda a sua estrutura, desde cortar gastos até ter que aumentar o preço final de seus produtos. 

Infelizmente, ainda estamos sendo vítimas da Covid-19 e essa inflação deve aparecer em vários outros setores, muito por conta dos prejuízos causados pela pandemia.

Entretanto, vale lembrar que no Brasil esses aumentos acontecem muito antes da Covid-19 nem sequer existir. Já que questões ambientais (como a falta de chuva, por exemplo) também são muito relevantes para o preço da energia elétrica.

Por essa junção de fatores, as pequenas empresas sofrem com esses constantes aumentos. Porém, empreendedores mais atentos já estavam de olho e se preparando para lidar com o pós-Covid, pois sabiam que a inflação e demais insumos subiriam bastante seu preço.

Isso mostra o quanto é preciso ter um planejamento e uma gestão de crise nas empresas. Onde muitas empresas erram em justamente não se preocupar com isso, sendo que as pequenas empresas, são as que mais precisam ter cuidados (pelos seus baixos recursos).

Importante: 2021 parece ser apenas o começo desses aumentos, onde terá um “boom” ainda maior em 2022, onde a “normalidade” estará novamente presente na sociedade. 

Infelizmente, não tem como fugir do aumento, as pequenas empresas devem buscar formas de economizar energia elétrica. E é justamente sobre isso, que falarei no próximo tópico.

Como diminuir o gasto na conta de luz das pequenas empresas?

Agora, que entendemos que o aumento na conta de luz é algo que vai afetar não só o Distrito Federal, mas todo o Brasil, é preciso verificar, possibilidades para reduzir os gastos das pequenas empresas, tendo em vista que para pequenas empresas cada real vale muito.

Com isso, vou apresentar algumas opções possíveis para as empresas que buscam diminuir suas faturas de energia elétrica e poder lidar com esse aumento constante.

Aparelhos mais eficientes

Para quem deseja reduzir alguns pontos percentuais, uma das maneiras de fazer isso é substituir aparelhos e materiais elétricos de consumo mais elevado,  por versões mais modernas, que tenham classificação A (baixo consumo).

Desde lâmpadas de led, passando por eletrodomésticos, é possível reduzir o consumo de energia elétrica. Porém, essa medida vai acarretar gastos que podem não ser tão interessantes para pequenas empresas.

Nesse ponto, o indicado é fazer trocas pontuais por aparelhos de menor consumo, quando estes já estiverem com funcionamento prejudicado. É claro, que em um mundo ideal, a melhor saída seria trocar todos, porém o valor para isso é muito maior do que o aumento na conta de luz

Fontes de energia renováveis

As fontes renováveis estão cada vez mais em alta, sendo uma excelente opção para empresas que gastam centenas de reais anuais em contas de luz. A “queridinha” da vez, são as placas solares, que tem essa fama por justamente funcionar e trazer uma queda bastante elevada na conta de luz.

Existem casos, que a economia mensal ultrapassa os 50% da conta de luz, se mostrando muito eficiente no médio e principalmente longo prazo, onde a economia irá cobrir os gastos com a colocação das placas (que infelizmente ainda é bastante cara no Brasil).

Essa saída traria uma grande economia. Entretanto, é preciso avaliar se essas são as melhores opções para pequenas empresas. 

Agora, se a empresa for pequena e tiver recursos, são opções que realmente funcionam. A empresa tendo esse capital, é uma resposta que vai lidar muito bem com o aumento na conta de luz. Mas se não for o caso da sua empresa, vou trazer a opção mais barata para você.

Ambientes de Coworking

Os coworkings são escritórios compartilhados que funcionam com uma economia compartilhada, onde diversas empresas e profissionais independentes compartilham o mesmo ambiente pagando uma parcela extremamente baixa em relação a aluguéis convencionais.

Em um bom coworking essa economia é extremamente baixa, onde é possível alugar um escritório completo com o que tem de mais moderno, gastando menos de R$100,00 por mês.

Não acredita? Então, você precisa conhecer a Smart Escritórios Inteligentes, que em Brasília tem dois endereços, na Asa Sul e na Asa Norte, também estando presente no Rio de Janeiro, em Niterói e Jacarepaguá e em São Paulo na região da Berrini. 

Com dois planos, um chamado de Smart Fiscal, para quem deseja apenas ter um endereço por R$79,90 por mês e o plano Smart Black para ter acesso a todos os recursos do coworking, custando apenas R$99,90. Onde nesse investimento está incluso:

  • Aluguel em um endereço privilegiado;
  • Conta de luz;
  • Conta de água;
  • Escritório completo e moderno;
  • Limpeza;
  • Manutenção;
  • Condomínio;
  • Recepção;
  • Entre dezenas de outros gastos comuns em manter um escritório.

Nessa opção a economia não será apenas na conta de luz, será em toda a estrutura da empresa. Onde a maioria das pequenas empresas gasta o dobro ou triplo apenas na conta de luz convencional. 

Justificando ser a melhor opção para empresas que buscam uma economia gigantesca em seus gastos (não só de luz). Onde não só pequenas empresas estão apostando, mas também empresas gigantes como o Uber e iFood.

Diferente das outras possibilidades acima, essa tem um investimento baixo, sendo a opção certa para pequenas empresas que não possuem recursos elevados (a realidade da maioria dos empreendedores).

Conclusão

No texto de hoje, mostrei que o aumento na conta de luz é uma preocupação real para pequenas empresas, mostrando essa realidade em Brasília e nos outros estados do Brasil. Onde mostrei opções para essas empresas gastarem menos.

Onde a opção de apostar em um coworking sendo a decisão mais econômica e viável para pequenas empresas, que não possuem grandes recursos para trocar seus equipamentos elétricos e nem instalar outras fontes de captação de energia, como as placas solares.

Ainda mais porque ficou claro que essa crise deve ficar ainda mais forte, quando todo o impacto do Covid for absorvido. Então, quanto mais a pequena empresa puder economizar, melhor será para conseguir lidar com mais aumentos, que logo devem bater à porta.

Importante: o planejamento financeiro e saber lidar com crises, é fundamental dentro de qualquer empresa. Por isso, empresas que desejam se manter de pé em 2022, devem se estruturar. Tendo em vista, que em momentos de crise, os erros costumam causar ainda mais problemas.

Para mais artigos sobre empreendedorismo e economia, continue acompanhando os textos do blog da Smart, onde praticamente todo dia tem uma novidade para você.

Agradeço sua leitura e nos vemos em breve.

Categorias
Sem categoria

Veja como a empresa Mundi Projetos Esportivos reduziu 90% dos seus custos

Se você já conhece o coworking, mas não sabe como aplicá-lo em sua empresa para reduzir custos, entenda como isso é possível no artigo de hoje.

Seja você um empreendedor que está começando agora o seu negócio ou um empresário que já tem uma empresa consolidada no mercado, temos certeza de que você tem um objetivo em mente: reduzir custos.

Em qualquer setor, existem passos importantes para organizar as finanças e diminuir aqueles gastos excessivos ou desnecessários. Se você está buscando por outras alternativas para ter um resultado ainda melhor nesse processo, saiba que o Coworking é uma opção que pode reduzir seus custos de forma significativa.

Esse novo modelo de negócio pode abrir portas para que sua empresa continue crescendo e se desenvolvendo.

É uma estratégia que proporciona uma melhor gestão financeira dos seus recursos, praticidade no que diz respeito à infraestrutura e otimização da rotina de sua empresa.

Por que aderir ao coworking imediatamente?

Independente do estágio em que o seu negócio esteja nesse momento, é preciso que haja uma estrutura adequada para que você desenvolva suas atividades.

É necessário investir em recursos básicos, como luz, internet de alta velocidade, equipamentos de qualidade, como computadores, notebooks e aparelhos celulares, além de ter um mínimo de privacidade para poder produzir bem.

Se você tem um time, os gastos são ainda maiores. Nesse caso, seus custos envolvem aluguel de salas e auditórios, além de ter um gasto significativo com copeira, faxineira, luz, água, internet e manutenções para manter tudo funcionando. 

Essas questões consomem tempo e energia. E somando tudo isso às burocracias fiscais, trabalhistas e de gestão, você ainda pode perder dinheiro. 

Foi exatamente isso que o empresário Carlos Eduardo Cabral, da empresa Mundi Projetos Esportivos, estava vivendo.

Depois de passar oito anos em um escritório físico, com toda uma infraestrutura planejada e montada que demandou um grande investimento, ele resolveu experimentar um novo modelo de negócio.

A decisão de fazer a transição de um escritório próprio para um modelo inteligente foi impulsionada pelas diversas vantagens que o coworking oferece, como recepcionista, serviço de copa, clubes de vantagens e descontos e networking.

Existem várias formas de reduzir despesas com a infraestrutura de uma empresa. Carlos Eduardo Cabral analisou e percebeu que o coworking era a alternativa mais vantajosa.

Além da economia significativa com gastos de infraestrutura, ele teria mais tempo para investir no que realmente importa na gestão do seu negócio, e consequentemente, gerar mais lucro para a empresa.

É uma alternativa que possibilita Inclusive a conquista de novos clientes e parceiros em seu novo ambiente de trabalho.

O relacionamento com outros profissionais em um ambiente de trabalho compartilhado era uma forma de trocar experiências, expandir seus contatos e ainda divulgar o seu trabalho.

Além de ter sido uma experiência muito vantajosa para o empresário, o coworking o aproximou de ideais como a cooperação entre profissionais nesse ambiente compartilhado e a valorização dos novos modelos de trabalho.

Entretanto, o maior benefício foi percebido no bolso, com certeza. Depois de um ano e meio nesse modelo de negócio, a Mundi Projetos Esportivos reduziu em 90% seus gastos com infraestrutura!

Uma mudança estratégica, muito bem sucedida e com resultados impressionantes.

Como o coworking ajuda a reduzir custos?

reduzir_custos

Depois de conhecer a história do Carlos Eduardo Cabral e de seu negócio, você deve estar se perguntando: como um escritório inteligente pode me fazer gastar menos?

A resposta é simples: Você não precisa imobilizar seu capital!

A maioria dos coworking não exigem cauções ou fiadores, tem contratação rápida em até 24 horas e não possuem taxa de cancelamento.

Com planos mensais a partir de R$ 79,90, você pode ter uma estação de trabalho e toda a estrutura para seu negócio disponível para uso no mesmo dia da contratação.

Sabemos o quanto é difícil começar um negócio tendo que investir em um escritório, aluguel, arquiteto, reforma, móveis novos, entre outros gastos.

Por isso, é importante que o novo empreendedor busque estratégias para reduzir ao máximo esses custos. Quanto mais prático e ágil for esse processo, maiores são os benefícios para os empresários.

Empresas de todos os portes se beneficiam de escritórios compartilhados. Desde estudantes, profissionais liberais, autônomos, até grandes empresas, como é o caso de grandes marcas como Uber, Google e Microsoft. 

O coworking é um modelo de negócio que permite flexibilidade, praticidade e economia compartilhada. 

Ou seja, além de reduzir custos, o empresário tem mais tempo livre e mais qualidade em seu dia a dia. 

Isso significa tirar da sua rotina os detalhes que antes causavam estresse e preocupação, diminuindo a ansiedade e o esgotamento. Uma solução inteligente e vantajosa para quem busca simplificar o dia a dia.

Se interessou? Conheça nossos planos e faça parte dessa nova forma de trabalhar, experimente o jeito Smart de fazer negócios!

Categorias
Destaque Empreendedorismo Escritórios

Dicas para tirar a sua empresa do papel

Apesar da crise econômica, ou até mesmo motivado por ela, o empreendedorismo não para de crescer no Brasil. No último ano, o número de novas empresas criadas no país foi o maior dos últimos 8 anos, ultrapassando 2 milhões de novos empreendimentos (Serasa Experian).

A nossa cultura empreendedora, entretanto, nem sempre é suficiente para manter os negócios abertos, como bem sabemos devido à alta taxa de empresas que encerram as atividades logo nos seus primeiros anos.

Por esta razão, se realizar o sonho de abrir o próprio empreendimento faz parte dos seus sonhos, neste artigo vamos dar dicas essenciais para a fase de planejamento, que irão ajudar a tirar a sua empresa do papel com menos risco!

8 Dicas para tirar a sua empresa do papel

Confira abaixo alguns passos fundamentais que precisa dar antes de começar a vender seu produto ou serviço e de colocar a sua empresa no mercado!

1. Compartilhe sua ideia com quem pode ajudar

Embora a gente sinta, muitas vezes, que as boas ideias devem ser guardadas como um tesouro escondido, os empreendedores percebem que há cada vez mais valor em compartilhá-las com quem pode ajudar a tirar a sua empresa do papel.

Se tem já uma boa ideia de negócio, prepare uma boa apresentação sobre ela, liste as suas principais dúvidas e busque suporte da sua família, de empreendedores mais experiências, de potenciais investidores e de instituições como o Sebrae. Assim, pode receber inputs valiosos do que precisa ser aprimorado em seu planejamento antes de começar a atuar como empresário.

2. Estude o mercado, profundamente

Antes de colocar um negócio para rodar, tenha certeza de que possui um mercado potencial interessante e com possibilidades de escalar resultados. Para isso, busque ferramentas de inteligência de mercado ou, até mesmo, contrate um consultor para realizar um estudo mais completo.

3. Fale com potenciais clientes

Criar um produto ou serviço sem ter certeza de que o público-alvo estará interessado em pagar por ele pode ser um tiro no pé. Felizmente, com a internet é fácil de obter informações sobre o interesse de potenciais clientes, tanto por meio de dados estruturados quanto pela realização de pesquisas quantitativas.

Mas não se esqueça também de realizar conversas aprofundadas para afinar sua oferta a esse mercado específico!

4. Encontre possíveis colaboradores e sócios

Muitos empreendedores pensam que só será necessário estruturar a equipe após o negócio estar rodando e  a demanda ter aumentado. Este pode ser um perigoso engano, principalmente se houver habilidades e competências essenciais ao negócio que não fazem parte do seu perfil.

Por exemplo, se você tem intenção de começar um negócio que envolve desenvolvimento tecnológico, precisará desde os primeiros passos contar com um bom líder para esta área.

Isso não significa, entretanto, começar desde o primeiro dia com uma gorda folha de pagamento. Apenas comece a conversar com seus potenciais sócios e colaboradores e tenha cartas na manga para quando for necessário crescer o time.

5. Tenha um plano financeiro

Falta de planejamento financeiro é um dos principais motivos para empresas encerrarem suas atividades em seus primeiros anos. Por isso, antes mesmo de solicitar a criação de um CNPJ, estruture muito bem seu plano de investimentos até que a empresa comece a dar lucro e possa caminhar com as próprias pernas. Estabelecer um plano de reinvestimento no negócio, da mesma forma, é importante para a sustentabilidade financeira.

6. Elabore a estratégia de Marketing e Vendas

Além do planejamento financeiro, outro plano muito importante a ser realizado antes de tirar a sua empresa do papel é o que diz respeito às áreas de Marketing e Vendas. Definir estratégias e ações principais para gerar reconhecimento de marca, atrair potenciais clientes e fechar negócios deve ser prioridade antes mesmo de começar a desenvolver o produto ou serviço em questão.

7 . Conte com o suporte de um contador

Não são poucas as especificidades envolvidas na hora de tirar a sua empresa do papel. Legislação, tributação, normas municipais… Por isso, nossa recomendação é não deixar de consultar o especialista desde o princípio, para tomada de decisão assertiva em relação aos processos de abertura de um negócio.

8. Encontre o escritório ideal

Independente se a sua empresa possui ponto de venda fixo ou presta serviços a partir de um escritório, é importante contar com um bom endereço comercial como sede. No segundo caso, entretanto, os novos negócios contam com a opção econômica e sob demanda dos coworkings e escritórios virtuais, o que pode representar uma boa economia nos primeiros passos.

Não se esqueça: teste e depois teste novamente!

Neste artigo, você conheceu elementos principais para tirar a sua empresa do papel correndo menos riscos e seguindo de forma mais direta ao sucesso como empreendedor. Tem uma dica, entretanto, que será constante ao longo de toda a sua jornada: fazer testes do seu modelo de negócio.

Desde o modelo de negócio inicial, na abertura da empresa, até checagens contínuas ao longo dos anos. É assim que estará preparado para ajustar a rota e para ter sempre um produto ou serviço relevante para o mercado!

Categorias
Empreendedorismo

10 podcasts para empreendedores – veja dicas!

Recentemente, um formato de conteúdo que já existe há certo tempo vem se tornando mais e mais popular: os podcasts, programas de áudio disponíveis online, estão se configurando como uma forma prática de aprender, onde quer que se esteja.

É claro, existem excelentes programas deste tipo também para quem quer aprender mais sobre gestão e negócios. Quer saber quais são os melhores podcasts para empreendedores? Continue lendo nosso artigo!

Os melhores podcasts para empreendedores

Tem interesse em mergulhar no universo dos podcasts? Separamos nossos 10 programas favoritos sobre empreendedorismo, gestão e desenvolvimento pessoal para você começar. Confira!

1.TEDTalks Negócios

Quer aprender com alguns dos maiores nomes do mundo dos negócios? Nos podcasts do TEDTalks Negócios você tem acesso a conteúdo de grandes nomes, como Bill Gates, Carol Dweck e Shonda Rhimes, que compartilham seu conhecimento sobre gestão, produtividade, qualidade de vida e desenvolvimento pessoal.

2.GVCast

O GVCast é o podcast do canal de conteúdo Geração de Valor, do empreendedor brasileiro Flávio Augusto. Nos programas, com duração média de 1 hora, o empresário e escritor compartilha seus aprendizados e entrevista outros grandes nomes brasileiros do cenário corporativo.

3. NerdCast

Uma vez por mês, o tema do NerdCast é empreendedorismo, em um programa patrocinado pelo MeuSucesso.com. Os temas são sempre muito bem desenvolvidos pelos apresentadores, que abordam assuntos como empreendedorismo de palco, cases de sucesso, estratégias de marketing, entre outros.

Recomendamos começar com a entrevista feita com Rick Chestner, o vendedor de água mineral que divulgou seu pensamento nas redes sociais e acabou palestrando em Harvard.

4. Like a Boss

Gosta de histórias reais de empreendedorismo? Então os podcasts do Like a Boss vão conectar você a casos inspiradores dos líderes e fundadores de startups de tecnologia. Entre eles, Julio Vasconcellos (Peixe Urbano), David Vélez (Nubank) e Eric Santos (Resultados Digitais).

5. Startapo

Sem dúvidas, o Startapo é um dos melhores podcasts para empreendedores que estão mergulhando no universo das startups  – ou se planejando para isso. Apesar de não ter conteúdos novos há algum tempo, o histórico disponível não poderia ser mais atual, com temas como produtividade e empreendedorismo em tempos de crise.

6. Man in the Arena

Outro excelente canal de conteúdo sobre empreendedorismo que, infelizmente, não tem recebido conteúdos atuais. Nem por isso, entretanto, o Man in the Arena deixa de ser um dos podcasts mais úteis para quem quer se conectar a histórias de empreendedorismo. São mais de 100 entrevistas feitas com fundadores e executivos de negócios brasileiros, especialmente no setor de tecnologia.

7. HBR IdeaCast

Para aqueles que querem aproveitar a oportunidade de aprender sobre empreendedorismo e praticar inglês ao mesmo tempo, o HBR IdeaCast é o programa de podcasts da Harvard Business Review, um dos maiores portais de gestão e empreendedorismo do mundo. A qualidade do conteúdo é excelente e, em boa parte, apresentada por professores da Universidade de Harvard.

8. Sacadas de Empreendedor

Erico Rocha é reconhecido por suas estratégias para lançamento de produtos e empresas digitais de sucesso. No Sacadas de Empreendedor, ele compartilha seus principais ensinamentos para quem está pensando em seguir este caminho, falando sobre vendas, marketing, relacionamento com o cliente, entre outros temas.

9. ResumoCast

Sem tempo para ler os livros para empreendedores que recomendam a você? O pessoal do ResumoCast resolve seu problema, com resumos muito bem elaborados sobre leituras importantes como Marketing 4.0 (Philip Kotler), Sonho Grande (Cristiane Correa) e Nada Easy (Tallis Gomes). Ao todo, são mais de 100 obras resumidas neste canal de conteúdo.

10. High Performance Habits

Brendon Burchard é um verdadeiro mestre da produtividade e da qualidade de vida, que compartilha ensinamentos essenciais para o sucesso de um empreendedor no High Performance Habits. No Spotify, além de podcasts, você pode ouvir gratuitamente seus audiobooks.

Que tal criar uma rotina?

Cada vez mais, podcasts para empreendedores são uma maneira simples de manter-se atualizado sobre tendências, conceitos e oportunidades de mercado. Felizmente, isso pode ser feito nas suas pausas de rotina, enquanto dirige, está na academia ou espera por uma reunião.

Nossa sugestão, portanto, é assinar os canais que recomendamos e começar a criar uma rotina de ouvir este tipo de conteúdo. Temos certeza de que virão muitos insights valiosos para o seu negócio!

Categorias
Empreendedorismo Escritórios Virtuais

Por que abrir empresa para atuar como médico?

A carreira em Medicina permanece uma das mais atrativas nos dias de hoje, mesmo com tantos avanços tecnológicos transformando a profissão. Um movimento, porém, tem sido importante para quem escolhe atuar como médico: cada vez mais, os profissionais da área são também empreendedores, seja como parte do corpo diretor de uma clínica, seja administrando o próprio consultório.

Pode até não parecer existir tanta diferença neste sentido, já que as clínicas e os consultórios particulares fazem parte há tempos da área da saúde. O que vem avançando, entretanto, são as possibilidades para aqueles que decidem seguir este caminho abrindo uma empresa e tendo o próprio CNPJ.

Caso esteja cogitando essa possibilidade, neste artigo separamos algumas dicas importantes a serem levadas em consideração!

Motivos para ter um CNPJ para atuar como médico

Para atuar como médico, além da possibilidade de contratação CLT, é possível trabalhar como autônomo ou, então, abrir uma empresa na área da saúde. Veja abaixo as vantagens e oportunidades ao se apostar nesta última opção:

1. Otimização no pagamento de impostos

O principal motivo para a abertura de uma empresa na área da saúde, mesmo que para atuar de forma independente, é a redução no pagamento de impostos. Isso porque, ao trabalhar como autônomo, um médico facilmente pode chegar no percentual de 27,5% da tabela progressiva do Imposto de Renda Pessoa Física, o que representa um custo significativo dentro do orçamento.

Ao optar pela abertura de empresa dentro de um dos modelos disponíveis (Lucro Presumido, Lucro Real ou Simples Presumido), os impostos pagos pela empresa costumam ficar bastante abaixo desta faixa de contribuição. Assim, mesmo com os custos envolvidos em mensalidade do contador, INSS sobre o pró-labore e aluguel do endereço virtual da empresa, é possível ter uma otimização no orçamento, de forma totalmente legal.

2. Diferentes possibilidades de enquadramento tributário

Como falamos no tópico anterior, existem diferentes possibilidades de enquadramento para abertura de uma empresa na área da saúde. Em geral, o Lucro Presumido costuma ser o mais vantajoso para atuar como médico, mas apenas um especialista em contabilidade poderá ajudar a definir a melhor opção, levando em consideração a sua especialidade, a atividade que irá desenvolver em sua empresa e o seu lucro mensal médio.

Vale lembrar que, se a atividade profissional estiver prevista na Resolução da Anvisa, a carga tributária é menor. Isso diz respeito às atribuições descritas abaixo:

 

  • Prestação de atendimento eletivo de promoção e assistência à saúde em regime ambulatorial e de hospital-dia – atenção à saúde incluindo atividades de promoção, prevenção, vigilância à saúde da comunidade e atendimento a pacientes externos de forma programada e continuada;
  • Prestação de atendimento imediato de assistência à saúde – atendimento a pacientes externos em situações de sofrimento, sem risco de vida (urgência) ou com risco de vida (emergência);
  • Prestação de atendimento de assistência à saúde em regime de internação- atendimento a pacientes que necessitam de assistência direta programada por período superior a 24 horas (pacientes internos);
  • Prestação de atendimento de apoio ao diagnóstico e terapia- atendimento a pacientes internos e externos em ações de apoio direto ao reconhecimento e recuperação do estado da saúde (contato direto).

 

3. Oportunidades profissionais

Não se pode negar, atualmente a maior parte das oportunidades para atuar em clínicas médias são tornando-se sócio de uma ou, então, prestando serviços por meio de um CNPJ. Portanto, se o seu objetivo é ampliar a sua carreira, para poder atuar como médico em hospitais, clínicas e consultórios, abrir uma empresa pode ser um primeiro passo importante.

Este fator é especialmente importante para os médicos que estão começando na profissão, não só por abrir oportunidades, mas também por permitir conhecer o dia a dia em diferentes práticas para escolher o foco para o futuro.

4. Construção de nome profissional

Da mesma forma, mesmo para os profissionais mais experientes, existe a necessidade de construção e manutenção de uma reputação profissional, que, sem dúvidas, é impulsionada ao se fazer atendimentos em consultório particular ou em uma clínica especializada.

Por isso, abrir uma empresa pode ser um bom caminho para construir aos poucos a sua base de pacientes e de indicações para atuar como médico.

5. Novos serviços para empresas de pequeno porte

Se antigamente manter uma empresa em qualquer área era sinônimo de altos custos, felizmente, nos dias de hoje, diversos serviços vêm se consolidando para facilitar a vida do empreendedor. O que também acontece na área da saúde!

Não é mais preciso, por exemplo, manter a estrutura de um consultório para ser utilizado apenas alguns dias por semana. Planos de endereço comercial que possibilitem o aluguel de salas com horário pré-agendado são uma excelente opção, contanto inclusive com recepção e atendimento telefônico.

A contabilidade também foi reinventada, com escritórios de contabilidade prestando serviços online e de mais baixo custo, significando uma redução no orçamento.

Não se esqueça de contar com os especialistas!

Não há dúvidas de que abrir empresa para atuar como médico tem se mostrado cada vez mais uma excelente opção para construir reputação, otimizar o orçamento e diversificar a carreira. Cabe lembrar, entretanto, que a área da saúde possui muitas normas, registros e regulamentações a serem considerados na hora de abrir um CNPJ. Por este motivo, não deixe de consultar os especialistas na hora de dar esse passo importante. Escritórios de contabilidade especializados na área médica e empresas de serviços de endereço fiscal com experiência no setor podem ser seus parceiros para o crescimento estruturado!

Categorias
Empreendedorismo

Gestão para profissionais autônomos: dicas para crescer!

Trabalhar de forma independente está longe de ser o mesmo que trabalhar de maneira desestruturada ou, até  mesmo, amadora. Entretanto, na prática, sabemos que não são muitos os recursos que ajudam na gestão para profissionais autônomos disponíveis no mercado. Ferramentas com custo elevado,  inviabilidade de manter um escritório, acúmulo de responsabilidades, burocracia e acesso limitado a serviços corporativos estão entre as principais dificuldades para quem escolhe uma carreira independente.

Felizmente, em tempos nos quais a tecnologia avança rapidamente e a economia compartilhada ganha força, os profissionais autônomos começam a contar com novas facilidades para crescer. Confira algumas delas neste artigo!

Gestão para profissionais autônomos: soluções para crescer!

Quem trabalha de forma independente, seja qual for a área de atuação, sempre deve mirar no crescimento. O objetivo pode ser virar uma empresa maior, ter maiores receitas, alcançar reconhecimento em seu setor ou, até mesmo, garantir melhor qualidade de vida. Para todos esses caminhos, existem dicas de gestão para profissionais autônomos bastante valiosas!

Escritórios de contabilidade online

Para um profissional autônomo, arcar com o custo de um escritório de contabilidade tradicional pode impactar de forma significativa o orçamento e também se tornar uma despesa cara quando se pensa na demanda total gerada para este serviço, que costuma ser pequena.

Porém, se tornam cada vez mais populares os serviços de contabilidade online para autônomos e pequenas empresas, em que o atendimento é totalmente virtual e, consequentemente, mais barato.

Plano de endereço fiscal

Outra excelente solução para profissionais autônomos que não podem arcar com a despesa de manter um escritório ou ponto comercial é fazer um plano de endereço fiscal. Desta forma, pode-se usar o endereço do parceiro contratado para fins fiscais e também para divulgação, enquanto trabalha a partir do home office ou coworking. Quando houver necessidade de receber um cliente, basta locar uma sala de reunião por aquele período específico.

Assim, é possível fazer uma grande economia em infraestrutura – justamente um dos maiores custos para qualquer profissional autônomo ou pequena empresa.

Abrir empresa como MEI

Apesar da facilidade de cadastro na Prefeitura para atuação como autônomo, dependendo de sua atividade profissional é muito mais vantajoso abrir uma empresa enquadrando-se como Microempreendedor Individual, o famoso MEI.

Isso porque o Imposto de Renda Pessoa Física que pagar anualmente como profissional autônomo pode se tornar maior do que o imposto único pago mensalmente como MEI, atualmente em torno de R$ 50,00/mês. Nesta hora, vale a pena consultar um contador e entender qual a melhor opção para a sua atividade e o seu faturamento médio.

Experimente um banco digital

Além de cobrarem tarifas altas, os bancos tradicionais possuem limitações significativas para os profissionais autônomos ou pequenos empreendedores que desejam ter uma conta Pessoa Jurídica ou mesmo utilizar sua conta Pessoa Física para gerenciar todas as finanças. Limitação de crédito e custo por serviço estão entre os desafios a serem solucionados.

Neste caso, uma boa solução pode ser encontrar um banco digital da sua confiança para migrar suas operações. Na maioria das vezes, eles não cobram tarifas mensais, apenas tarifas por serviços, o que pode acabar se tornando bastante vantajoso quando conseguir colocar as contas na ponta do lápis.

Encontre parceiros de negócio

Outro grande desafio em gestão para profissionais autônomos é o gerenciamento de tempo, uma vez que, além da atividade principal, é preciso lidar com demandas de outras áreas, nas quais normalmente não se tem experiência prévia. Gestão financeira, contabilidade, divulgação, atendimento telefônico e gestão estratégia estão entre elas.

Por mais limitado que seja o orçamento, vale a pena pensar o quanto um fornecedor poderia ajudar a acelerar essas atividades, obtendo melhores resultados e disponibilizando mais tempo para que você atue na sua especialidade. Contratar um parceiro especializado pode se tornar mais rentável do que está imaginando!

Gestão e crescimento saudáveis para a carreira solo

Trabalhar como profissional autônomo envolve uma série de escolhas a serem tomadas diariamente e, na maioria das vezes, de forma totalmente independente, sem contar com a ajuda de alguém para auxiliar nas decisões. Justamente em um modelo de trabalho no qual as escolhas podem fazer tanta diferença para o crescimento no mercado!

Por isso, sempre que possível, tente encontrar dicas, ferramentas, soluções e aconselhamento para que consiga seguir com mais segurança e, principalmente, com menos desafios, lembrando que uma boa gestão é essencial para o crescimento saudável de sua marca como profissional autônomo!

Categorias
Administração Empreendedorismo Escritórios Produtividade

Mapas Mentais: o que são e como usar nas empresas!

Você já teve o sentimento de que não existe uma forma eficiente de organizar todas as ideias que surgem para o seu negócio e de interligar projetos e estratégias de forma clara e visual? Se a resposta for positiva, saiba que este fator pode estar impedindo sua empresa de alcançar melhores resultados e de se tornar mais produtiva. Caso esta seja uma preocupação real para você como empreendedor, saiba que utilizar ferramentas que o auxiliem a ter uma maior visão sistêmica das diferentes áreas pelas quais é responsável pode ser fundamental. Por isso, neste artigo vamos falar sobre mapas mentais e sobre como eles podem ser úteis para a sua gestão.

O que é um mapa mental?

Um mapa mental tem como premissa principal a interligação de uma questão central a questões secundárias, terciárias e assim por diante. Esta nada mais é do que uma ferramenta de gestão capaz de relacionar e organizar conteúdo relevante para auxiliar em planejamentos, gestão de projetos e tomadas de decisão. É como se realmente fosse feito um mapa do que está na sua mente – assim como na mente de seus sócios e colaboradores.

O mapa mental foi desenvolvido no início da década de 1970, pelo escritor e consultor em educação Tony Buzan, com o objetivo de ajudar as pessoas a liberar o potencial do cérebro. Essa ferramenta pode ser uma poderosa aliada em sua gestão, uma vez que permite compreender de forma visual como diferentes ações, ideias e estratégias podem estar relacionadas ao ordenar pensamentos correlatos de forma lógica.

Você pode criar um mapa mental para auxiliar diferentes etapas e demandas de sua empresa, como planejamento estratégico, desenvolvimento de projetos e criação de uma nova área, por exemplo. Esta também pode ser uma ferramenta utilizada de forma colaborativa ou mesmo individual, como forma de colocar no papel o que está em sua cabeça e facilitar a execução.

Softwares para criar mapas mentais e aumentar a produtividade

Mapas mentais podem ser desenhados à mão ou montados com post-its, mas, na hora de registrá-los e armazená-los, nada melhor do que contar com uma ferramenta. A boa notícia é que existem diferentes softwares que o ajudam na elaboração de seu mapa mental, confira os principais abaixo:

FreeMind

O FreeMind é um software gratuito que você pode instalar em seu computador para criar diagramas para diversos objetivos, inclusive mapas mentais. Ele tem uma interface bastante simples e fácil de utilizar, oferecendo cores, ícones e formas personalizáveis.

MindMeister

O MindMeister é um software online para criação de mapas mentais, com preços que começam em US$ 6 por mês. Os principais benefícios dessa ferramenta são a possibilidade de colaboração de vários usuários em um mesmo projeto, além da integração com um gestor de tarefas relacionado ao seu mapa mental. A ferramenta também é muito visual e capaz de criar diagramas para apresentações elaboradas.

MindNode

O MindNode é uma ferramenta para criação de mapas mentais pensada para devices da Apple e com versões para desktop e aplicativos. É um software bastante simples de usar e que permite elaborar diagramas com visual diferenciado.

Xmind

O Xmind é um dos softwares online mais utilizados para criação de mapas mentais em todo mundo, bastante reconhecido por suas funcionalidades, como sincronização dos arquivos na nuvem e elaboração de apresentações em slides. Existe uma versão gratuita mais simples e os planos pagos começam em US$ 79 por ano.

Experimente: crie um mapa mental para a sua empresa

Agora que já conhece a utilidade dos mapas mentais nas empresas, que tal começar a elaborar alguns para auxiliar a sua gestão e aumentar a produtividade do seu negócio? Comece de forma simples, criando diagramas para reuniões de brainstorm ou planejamento de pequenos projetos. Com o tempo, a criação de um mapa mental poderá se tornar uma etapa fundamental para a definição das mais diversas estratégias, permitindo a conexão entre ideias da equipe e uma melhor visão sistêmica sobre como atingir os objetivos esperados.

Categorias
Sem categoria

Saiba 4 formas de diminuir gastos com uma boa gestão estratégica

Neste artigo começaremos a compartilhar dicas e informações para a redução de custos em diversas áreas de seu negócio.

1)    TENHA CLAREZA DOS CUSTOS 

Muitas empresas só começam a cortar gastos quando estão em um momento de sufoco, geralmente sem uma avaliação prévia e acabam cortando recursos essenciais para os resultados da organização. Por isso, torna-se necessário ter clareza de todos os custos da empresa e um fácil acesso ao seu histórico, efetuando cortes apenas aos que menos interferem no lucro e na qualidade do serviço/produto.

Na SMART Escritórios Inteligentes, os diretores Saulo e Pedro Da Rós reúnem-se mensalmente com a Gerente de Operações Gislaine Dias e o departamento financeiro para verificar as despesas do mês anterior e reavaliá-las para o mês seguinte. “Cortamos tudo aquilo que não afetará a qualidade do nosso serviço, bem como, o que não comprometerá a produtividade e a qualidade de vida de nossos colaboradores”, afirma Saulo.

2) INCLUA A REDUÇÃO DE CUSTOS NAS METAS

Tenha em mente que, quanto menos gastar, mais ganhará. Quanto mais inteligentes forem seus investimentos, mais eficiente será sua empresa e interessante seu resultado. O planejamento estratégico de uma empresa deve incluir não somente o aumento das vendas em suas metas, mas também, as de redução de gastos, após feita a análise dos custos. Desta forma torna-se possível a definição dos caminhos que levem aos índices necessários e desejados.

3) ENGAJE SUA EQUIPE COM UMA GESTÃO ESTRATÉGICA 

Os colaboradores são peças-chave para que ocorra a redução de custos e a comunicação interna deve ser priorizada para que toda a equipe faça parte dessa causa, desde a limpeza à diretoria. Uma forma de tornar os cortes mais eficazes é envolver todo o quadro na definição das metas e utilizar parte da economia realizada como premiação ao time, assim que elas forem alcançadas. Essa estratégia faz parte da gestão estratégica e poderá ser utilizada na diminuição do consumo de itens como material de escritório, energia elétrica e manutenções em geral.

4) PRIORIZE O ATENDIMENTO AO CLIENTE 

Afinal, quem paga os salários dos colaboradores, os patrões ou os clientes? Esta resposta deve ser analisada com carinho.

O planejamento de redução de custos não pode desviar a atenção sobre a qualidade e eficiência do atendimento àqueles que são a fonte de recursos de uma empresa, para que os cortes não repercutam negativamente sobre eles. Uma pizzaria, por exemplo, que economiza com recheios mais baratos e também atendentes sem experiência pelo menor custo com salários, com certeza causará incômodo aos fregueses e, com isso, perderá vendas e clientes.