Economia compartilhada para empreendedores: como se beneficiar?

Publicado em 6 de março de 2019
Empreendedorismo, Escritórios Virtuais
Por:
Fonte:

No nosso dia a dia, mesmo sem perceber, utilizamos serviços da economia compartilhada em diversos momentos. Toda vez que chamamos um carro pelo Uber, reservamos hospedagem pelo Airbnb, compramos ou vendemos algo pela OLX ou pedimos o jantar pelo Rappi estamos participando da chamada economia colaborativa, tendência que não para de crescer nos últimos anos.

Mas não é apenas na nossa rotina como pessoa física que podemos nos beneficiar deste modelo de negócio. Para empreendedores, há muito o que aproveitar quando o assunto é ganhar eficiência e reduzir custos.

Neste artigo, vamos apresentar alguns caminhos para que você possa começar a colocar sua empresa dentro da economia de compartilhamento!

O que é economia compartilhada?

A economia compartilhada, também conhecida como economia de compartilhamento ou economia colaborativa, é um modelo no qual existe uma inversão de prioridades entre possuir e utilizar um bem. Como exemplo, em vez de você comprar seu próprio carro, você utiliza quando precisa o serviço das plataformas de ride-sharing, como Uber e Cabify.

Desta forma, dois objetivos principais são alcançados: o da eficiência no uso dos bens e o da otimização dos custos. Esta é uma lógica que prevê um consumo mais consciente e que traz ganhos tanto para quem é o proprietário de determinado bem ou objeto, quanto para quem precisa utilizá-lo de maneira pontual.

Como empreendedores podem aproveitar a economia do compartilhamento?

Como falamos anteriormente, não é apenas na nossa vida pessoal que podemos aproveitar os benefícios da economia colaborativa. Como empreendedor, especialmente se estiver à frente de um pequeno ou médio negócio, você pode aproveitar serviços e modelos de contratação que estão dentro deste cenário, alcançando eficiência e economia.

Conheça algumas oportunidades abaixo:

Coworkings e escritórios virtuais

Manter um escritório próprio e ser responsável por todas as operações de facilities representa um dos principais custos para as empresas. Se o negócio está começando ou, então, tem poucos colaboradores, existe grande valor em procurar por um escritório compartilhado, conhecido como coworking.

Neste tipo de espaço, paga-se um aluguel para locação de sala e conta-se com serviços compartilhados de recepcionista, telefonista, limpeza, entre outros. Além disso, é possível aproveitar um ambiente de networking e crescimento conjunto.

Agora, se a sua empresa pode contar com colaboradores atuando de forma remota, outra solução é contratar os serviços de escritório virtual, por meio dos quais você tem endereço comercial e fiscal, atendimento telefônico e recebimento de correspondência, mesmo que atuando a partir do home office.

Logística facilitada

São diversos também os serviços que auxiliam nas operações logísticas da empresa dentro do princípio da economia compartilhada. Desde as plataformas que permitem a entrega e a coleta de pequenos volumes e documentos (Loggi, Rappi, entre outras), até as empresas que funcionam como o “Uber dos caminhões”, como é o caso da CargoX.

Aqui, também o transporte de passageiros é facilitado, com custos bastante inferiores ao contar com serviços corporativos dos aplicativos de transporte no lugar de manter uma frota própria.

Financiamento coletivo

Empresas que atuam com produção cultural e artística também podem se beneficiar do financiamento coletivo. Neste modelo, os possíveis usuários ou clientes de um serviço ou atração pagam antecipadamente por algum tipo de benefício, ajudando o projeto a ser realizado sem a necessidade de captação de recursos junto aos bancos ou programas de incentivo.

Plataformas como Catarse e Kickante são exemplos de serviços para quem deseja fazer alguma campanha de crowdfunding.

Diferentes modelos de contratação

Na contratação de pessoas também é possível contar com as vantagens da economia de compartilhamento.  Profissionais que atuam como freelancers podem trabalhar por projetos ou com contratação por horas, trazendo habilidades especializadas para o seu negócio.

Este modelo de contratação funciona bem quando há demandas pontuais ou que não justificam a manutenção de um funcionário full-time na empresa. Assim, é possível escalar projetos de maneira muito mais rápida!

Novos modelos de serviços

É claro, sua empresa também pode criar o próprio produto ou serviço dentro dos moldes da economia compartilhada, aproveitando a tendência de crescimento deste modelo em que a posse não é tão importante.

Por exemplo, se a sua empresa vende e faz manutenção de eletrônicos, não faz sentido também um modelo de aluguel para empresas em seus primeiros passos, eventos ou projetos temporários? Esse é apenas uma maneira de transformar um serviço tradicional em um serviço compartilhado!

Sua empresa já aderiu à economia colaborativa?

Possivelmente, ao ler esse texto, você tenha se dado conta de que sua empresa já aderiu à economia colaborativa, mesmo sem ter sabido disso anteriormente. Esses novos modelos de serviço têm crescido significativamente e não é por acaso. O fácil acesso, a redução de custos e a praticidade os tornam essenciais para o crescimento dos negócios.

Agora, é hora de ficar de olho às novas oportunidades que estão surgindo dentro deste cenário. Porque elas não vão parar de surgir!

Saulo da Ros

Saulo da Rós é CEO da Smart Escritório Inteligentes. Especialista em gestão e finanças,tem mais de 10 anos de experiência em empreendedorismo. Siga-me no Instagram.
Saulo da Ros